conecte-se conosco


Educação

Evento na UFRJ discute futuros possíveis perante a crise atual

Publicado


A segunda edição do Festival do Conhecimento – Futuros Possíveis, que será realizado entre os dias 12 e 16 deste mês pela Extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), está com inscrições abertas até domingo (11). Quem se inscrever na modalidade de ouvinte receberá a programação completa do evento e um certificado de participação ao final. As inscrições podem ser feitas no endereço eletrônico do festival.

Segundo a pró-reitora de Extensão da UFRJ, Ivana Bentes, o nome escolhido para o festival está relacionado ao atual cenário de crise, não só humanitária e de saúde pública, mas também política. “É preciso não só pensar os futuros possíveis, mas construir futuros. E a universidade é um lugar desses de construção de futuro, de transformação e de ação sobre o presente. Foi muito pensado a partir do cenário de crise e de muita incerteza diante do futuro”, disse Ivana, hoje (9), em entrevista à Agência Brasil.

O festival será realizado em formato virtual por intermédios do YouTube da Extensão da UFRJ e poderá ser visto também no YouTube e no Facebook da universidade.

A proposta deste ano é apontar caminhos para questões urgentes no futuro da ciência, educação, cultura e meio ambiente.

Mesas virtuais

A Pró-Reitoria de Extensão recebeu mais de 1.200 propostas de mesas de debate, conferências, cursos, oficinas de todos os campos do conhecimento, apresentadas pela comunidade da UFRJ. Além disso, há convidados da sociedade civil, entre os quais o líder indígena e escritor Ailton Krenak, o ator Lázaro Ramos, a youtuber Nath Finanças e a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmen Lúcia. Serão cerca de 500 lives (transmissões ao vivo pela internet) durante os cinco dias do evento.

Entre os professores e pesquisadores da UFRJ que participarão das mesas virtuais, estão o epidemiologista Roberto Medronho; a engenheira química Leda Castilho, coordenadora das pesquisas da vacina da universidade contra a covid-19 (UFRJ-Vac); e o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro. Também estão na lista de palestrantes Paulo Lee Ho, do Instituto Butantan; Marco Krieger, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); e Sidarta Ribeiro, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Entre os temas em discussão no festival, estão inteligência artificial, cidades sustentáveis, afrofuturismo, diversidade, vacinas e mundo do trabalho pós-covid. O evento contará também com apresentações culturais e artísticas.

Ivana Bentes informou que as atrações ficarão gravadas no YouTube, o que permitirá aos interessados rever os conteúdos posteriormente. A Extensão da UFRJ, embora esteja integrada com o ensino e a pesquisa, faz a ligação direta da instituição com a sociedade, disse Ivana. “Qualquer pessoa pode participar das atividades da Extensão da UFRJ.”

Atrações musicais

Um show de Pretinho da Serrinha abrirá o Festival do Conhecimento – Futuros Possíveis no dia 12 , às 19h. Haverá também shows das cantoras Margareth Menezes, Teresa Cristina e Urias. Na sexta-feira, o evento será encerrado com apresentação da cantora Teresa Cristina.

A organização do evento espera atingir a marca de 30 mil participantes nas salas virtuais. A programação será divulgada nos próximos dias.

Edição: Nádia Franco

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Estudantes falam sobre segundo dia de provas do Enem

Publicado


Ansiosos pelo ingresso no estudo de nível superior, estudantes de todo o país participaram hoje (28) do segundo dia de aplicação de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As áreas de conhecimento avaliadas no certame foram matemática e ciências da natureza – que compreende as disciplinas de biologia, física e química.

Giovana Nogueira de Jesus, de 22 anos, disse em entrevista para a TV Brasil que achou a primeira etapa do exame, realizada no domingo passado, tranquila. “Nunca cai aquilo que a gente estuda. Eu não estou preparada, mas estou pensando positivo que tudo vai dar certo. Tô bem calma. Quero me formar em direito e ser delegada na carreira militar”, afirmou.

Gabriele Souza da Silva, de 16 anos, disse que não se sente pressionada por participar pela primeira vez no Enem. Sobre o primeiro dia de provas, a estudante paulista afirmou que não sabia muito sobre o tema da redação. “Eu achei o tema da redação importante, mas não é uma questão muito falada, então não soube direito o que escrever”. A estudante afirmou que chegar cedo para o segundo dia do Enem foi uma das estratégias que encontrou para manter a tranquilidade com as disciplinas exatas, as quais afirma não ter “muita afinidade”.

Gabriela Cattan, também de 16 anos, fez o Enem para treinar. “Eu comecei por biologia, que achei ser a parte mais fácil no dia de hoje. Mas o resto achei bem complicado”, relatou.

Para Gabriela, as questões de física foram a parte mais exigente do conteúdo. “Agora já sei como funciona e como lidar. Acho que ano que vem será mais fácil”.

João Vitor Honório Marins, de 15 anos, se lembra de uma questão que envolvia o cálculo da média de idade de alunos. Segundo o aluno, a necessidade de estudo vai bem além do que ele havia pensado inicialmente. “Entendi apenas algumas questões. Em matemática mesmo eu não sabia praticamente nada”, explicou.

Já josé Vitor Brasileiro da Silva, de 17 anos, acha que foi bem na prova de exatas. “Fui fazendo pelas questões que achava mais fáceis. Consegui ir resolvendo e fiquei feliz com o meu desempenho. Em física, fiquei um pouco abaixo”, relatou.

Nas redes sociais, inscritos no exame copartilharam memes e, na maior parte das postagens, também relataram dificuldades com o conteúdo exigido.

Houve ainda relatos isolados de problemas técnicos em certas salas de aplicação de provas, como falta de luz e a ausência de cadernos para alunos com necessidades especiais, mas o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) ainda não se manifestou sobre o número exato de ocorrências durante a aplicação das provas.

Segundo o Inep, os estudantes que não compareceram aos locais de prova por problemas logísticos ou por doenças infectocontagiosas, como a covid-19, poderão pedir a reaplicação do Enem 2021, a partir de amanhã (29), por meio da pagina do participante. É necessário enviar um documento para comprovar a solicitação. O prazo vai até 3 de dezembro. 

O gabarito oficial e os cadernos de questões serão divulgados pelo Inep até 1º de dezembro.

Logo mais, às 19h30, a Agência Brasil e a TV Brasil transmitem o Caiu no Enem, que mostrará a resolução das principais questões da edição 2021 do exame. Confira a edição do primeiro dia de provas.

*Colaboraram os repórteres Glauco Queiroz e Dimas Soldi, da TV Brasil.

Enem 2021

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Continue lendo

Educação

Enem 2021: Portões são abertos para segundo dia de prova

Publicado


Os portões dos locais de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 foram abertos ao meio-dia. Hoje (28), segundo dia de avaliação, os estudantes fazem as provas de matemática e de ciência da natureza. Os portões serão fechados às 13h. O exame começará às 13h30 e será realizado em mais de 1,7 mil municípios nas modalidades impressa e digital.

Pelas redes sociais, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, informou que 100% dos malotes contendo as provas foram totalmente distribuídos. A pasta coordenou o trabalho das forças que atuam na segurança do Enem. O trabalho foi elogiado pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Os candidatos devem ficar atentos e não esquecer de levar máscara de proteção facial, documento de identidade e caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente, itens obrigatórios no exame.

No domingo (21), primeiro dia de Enem, os estudantes fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Ao todo, 74% dos 3,1 milhões de inscritos compareceram ao exame.

Edição: Aécio Amado

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana