conecte-se conosco


Mato Grosso

Especialistas alertam sobre segurança de pequenas barragens de terra

Publicado

Realizar inspeções periódicas, orientar sobre os riscos da não prevenção ao rompimento de represas e disseminar informações a respeito do processo de construção de uma barragem hídrica por parte de empreendedores rurais. Esses e outros temas foram apresentados durante o “Seminário Aperfeiçoamento de Ferramentas Estaduais de Gestão de Recursos Hídricos no Âmbito do Progestão – Segurança de Barragens em Mato Grosso”, realizado na terça-feira (05.11), em Cuiabá.

As palestras fazem parte de uma série de documentos que estão sendo elaborados pelos pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Angélica Barros de Campos e Ruben Jose Ramos Cardia, em parceria com a ANA e Sema-MT, para alertar e capacitar produtores rurais e fiscais técnicos do Estado de Mato Grosso sobre a importância de promover ações preventivas e de manutenção em barragens. Os documentos orientativos serão disponibilizados a toda população alertando sobre a importância da manutenção e classificação de risco.

Para Maria de Fátima Cardoso, gerente de Segurança de Barragens da Sema-MT, o grande foco do projeto é informar a sociedade civil sobre a importância de discutir o assunto e disseminar o conhecimento sobre as principais responsabilidades de cada ator do processo de autorização, construção e manutenção das barragens.

Leia Também:  Sefaz promove encontro com contabilistas em Cuiabá e Rondonópolis

Segurança do Estado

Durante o evento, o Superintendente de Recursos Hídricos da Sema, Luiz Henrique Noquelli, falou sobre a criação da Gerência de Segurança de Barragens, que realiza a classificação de barragens de água para usos múltiplos quanto ao dano potencial associado e à categoria de risco.

Noquelli explicou que a Resolução aprovada pelo Conselho Estadual de Recursos Hídricos (Cehidro), que regulamenta as barragens fiscalizadas pela Sema, foi publicada no Diário Oficial em 2017 e que no Estado foram verificados 258 mil espelhos d’água existentes nas propriedades rurais, por meio do Sistema Mato-grossense de Cadastro Ambiental Rural (Simcar).

“Na classificação de Dano Potencial Associado deverá ser considerada a existência de outras barragens no mesmo corpo hídrico e seus contribuintes que possa impactar ou sofrer impacto no caso de rompimento de algumas barragens”, afirmou Noquelli.

Para emissão da Portaria de Classificação da barragem a equipe técnica da Sema fará a análise dos documentos e peças técnicas apresentadas e, em caso de dúvida, poderá solicitar mais informações e/ou vistoria prévia in loco. A portaria conterá a descrição da Categoria de Risco, o Dano Potencial Associado e as atividades com o devido prazo e periodicidade que o empreendedor deverá realizar. 

Leia Também:  Profissionais são indispensáveis na política de educação e não medem esforços

Fonte: GOV MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mato Grosso

Museu de História Natural Casa Dom Aquino dobrou número de visitantes em 2019

Publicado

Na era digital, ir ao museu até parece ser coisa do passado, mas será que é? O Museu de História Natural Casa Dom Aquino é um patrimônio histórico de 177 anos localizado em Cuiabá, que conta a pré-história de Mato Grosso por meio de fósseis e artefatos arqueológicos e vem mostrar que os museus ainda fazem parte do cotidiano da população. Em 2019, o equipamento cultural recebeu 5.607 visitantes de Mato Grosso, outros estados e países.  O número representa um aumento de 102% em relação ao ano de 2018, em que o Museu recebeu 2.778 visitantes.

Os museus têm um importante papel para a sociedade. Eles são capazes de informar e educar com exposições, oficinas, atividades recreativas e até mesmo usando os meios digitais como vídeos e outras opções interativas. São espaços ideais para despertar a curiosidade, estimular a reflexão e o debate, e criar uma conexão entre passado, presente e futuro.

Para a arqueóloga e presidente do Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (ECOSS) – que faz o gerenciamento do museu, Suzana Hirooka, o Museu de História Natural Casa Dom Aquino tem conquistado a preferência das pessoas, em especial da comunidade escolar. Isso porque, ela explica, a visita é uma atividade extra classe que contribui muito para a fixação de conteúdos didáticos como dinossauros, evolução, biologia e meio ambiente, e os professores já colocam dentro das suas atividades anuais essa visita, auxiliando para a formação dos alunos.

Leia Também:  Detran lança último leilão do ano e oferta mais de mil veículos

Em 2019, o Museu de História Natural Casa Dom Aquino recebeu 3.654 estudantes vindos de 94 instituições de Ensino, de várias cidades de Mato Grosso. Entre elas estão Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Rosário Oeste, Campo Novo dos Parecis, Araputanga, Diamantino e Rondonópolis, além de estudantes de outros estados.

O museu também recebeu a visita de 1.953 turistas de Cuiabá e municípios do interior de Mato Grosso, além de cidades de outros estados, como Maceió (AL), Porto Velho (RO), Recife (PE), Salvador (BA), Dourados (MS), João Pessoa (PB), São Paulo (SP), Goiânia (GO), Brasília (DF). Outro público são os visitantes norte-americanos e canadenses, totalizando 5.607 pessoas durante todo o ano.

Para 2020, o museu está preparando grandes eventos, como o Encontro Indígena, a Primavera dos Museus, oficinas e visitas escolares guiadas que podem ser agendadas pelos telefones (65) 3634-4858 e 3052-8062 ou pelo e-mail [email protected] .

Serviço:

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino é um equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Está aberto ao público de quarta a domingo, das 8h às 18h, com ingressos a R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Endereço: Avenida Beira Rio, nº 2000, bairro Dom Aquino, Cuiabá.

Leia Também:  Ordem judicial que deu fim à garimpo ilegal decorre de investigação da PF

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

Warlindo Carneiro Filho: Presidente da Confederação Brasileira de Atletismo vem à Cuiabá para inauguração do COT UFMT

Publicado

Marcada para o fim da tarde da próxima terça-feira (28.01), às 18h30, em Cuiabá, a cerimônia de lançamento do Centro Olímpico de Treinamento da Universidade Federal de Mato Grosso (COT UFMT) contará com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Warlindo Carneiro Filho.

À frente da Confederação desde 2017, o professor Warlindo, mestre em Ciências do Desporto, Exercício e Saúde pela Universidade do Porto, em Portugal, possui um histórico profissional dedicado ao ensino, com forte atuação no atletismo de alto rendimento.

Em uma breve entrevista, uma das maiores autoridades do atletismo brasileiro na atualidade falou das possibilidades que se iniciam com a chegada do COT UFMT, sobre o desempenho dos atletas mato-grossenses e traçou caminhos a serem seguidos para o incentivo a jovens atletas. Confira!

O que significa para o atletismo brasileiro, um novo complexo esportivo de padrão internacional na região central do Brasil?

Warlindo – Significa um sonho realizado, resultado de vários anos de luta. Mostra que o atletismo brasileiro ocorre em todas as regiões do país. Temos pistas em Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, Tocantins… Mês que vem inauguraremos ainda em Mato Grosso do Sul. A alegria que experimento agora não tem dimensão, me sinto muito feliz e realizado quando penso na possibilidade de poder levar os Campeonatos Brasileiros e até Sul-Americano para Cuiabá, uma capital com público entusiasmado e que gosta muito de atletismo.

Leia Também:  Sefaz promove encontro com contabilistas em Cuiabá e Rondonópolis

Falando nisso, os atletas mato-grossenses têm resultados bem relevantes no atletismo nacional, correto?

Sim! Mato Grosso é uma das grandes potências brasileiras nas categorias de base, com atletas de várias cidades trabalhando muito sério, colecionando resultados importantes e histórias de sucesso: Sorriso, Barra de Garças, Cuiabá, Tangará da Serra, Araputanga, Várzea Grande. Com conquistas e participações importantes em olimpíadas, campeonatos sul-americanos… Só para citar a mais recente conquista de Mato Grosso, Sivirino Souza dos Santos, de Barra do Garças, foi treinador-chefe da delegação brasileira para o sul-americano de Cross Country, no Equador, ano passado, e campeão da Copa Brasil de Cross Country, em 2020.

Diante de resultados tão importantes e com um centro de treinamento novinho, quais as chances de um Campeonato Brasileiro de Atletismo sediado em Cuiabá?

As chances são grandes, só depende do apoio das autoridades e patrocinadores privados.

Fale um pouco sobre a atual fase do atletismo brasileiro…

Estamos numa boa fase do atletismo brasileiro. Vivendo agora um momento sem igual no esporte. O mais importante é que temos bons parceiros, clubes e prefeituras investindo no atletismo. O trabalho dos professores de educação física nas escolas é muito importante também.

Leia Também:  Seplag realiza workshop de Gestão da Informação

E como se dá essa relação entre a escola e o atletismo?

Muitas escolas trabalham o atletismo nas aulas de educação física, graças ao programa do EaD (Ensino a Distância) de atletismo na escola. O habitat correto da criança é a escola, então é lá que temos que investir esforços.  Mato Grosso tem muito forte, o atletismo nas escolas, isso é fundamental. Assim, sempre vamos ter garotos sendo revelados, nossos futuros campeões.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana