conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola Técnica de Tangará está com 120 vagas abertas para cursos de Formação Continuada

Publicado

A Escola Técnica de Tangará da Serra está com 120 vagas abertas para cursos de Formação Inicial Continuada e Atualização Profissional. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas presencialmente, das 08h às 11h, das 13h às 17h e das 19h às 22h, até o dia 13 de setembro, na unidade de ensino.

Os cursos oferecidos são: Agricultor Familiar, Cafeicultor, Condutor de Turismo em Espaços Culturais, Aperfeiçoamento em NR 31.8, Redação e Oratória. Todos no período noturno.

Para os cursos de Agricultor Familiar, Cafeicultor, Condutor de Turismo em Espaços Culturais e Aperfeiçoamento em NR 31.8 o candidato deve ter no mínimo o ensino fundamental incompleto e ter idade mínima de 16 anos completos na data da matrícula.

Já para o curso de aperfeiçoamento em Redação e Oratória o candidato deve estar cursando ou ter o Ensino Médio completo e ter idade mínima de 16 (dezesseis) anos completos na data da matrícula.

Os documentos necessários para a inscrição são:

a) Carteira de Identidade (RG)

b) Cadastro de Pessoa Física – CPF

Leia Também:  Construção do raio 6 e climatizadores nas celas devem aliviar gargalos na PCE

c) Comprovante de endereço atualizado.

Para mais informações acessar o edital aqui.

Fonte: GOV MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mato Grosso

Veículos novos serão utilizados na regularização fundiária do interior

Publicado

Cinco novos veículos vão reforçar as ações de regularização fundiária executadas pelo Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). As caminhonetes locadas com recursos do Programa Terra a Limpo foram entregues na manhã desta quarta-feira (22.01), no Palácio Paiaguás. 

Conforme o presidente do Intermat, Francisco Serafim, os veículos são apenas uma parte do que o governo pretende investir para regularizar as áreas de domínio público, sejam elas federais, ou do Estado. 

“Com essa medida estamos dando condições para o trabalho. Estamos concedendo também combustível, óleo diesel, para as caminhonetes, e diárias para os técnicos do Incra realizarem este serviço. Estamos ajudando o cidadão mato-grossense do interior, já que um dos maiores problemas sociais do estado é a falta de regularização”, explica o presidente. 

Quatro caminhonetes entregues são do modelo Amarock, com tração 4×4, e uma delas do modelo Chevrolet S10, todas com manutenção preventiva e corretiva adequadas para trânsito em áreas de difícil acesso, como assentamentos e glebas rurais do interior do estado. O investimento na locação é de R$ 243 mil, em um contrato de 12 meses de atividade. 

Leia Também:  Querência é primeiro município a ter plano de agricultura familiar e indígena

“Mais que os veículos, são os custos e as diárias para os técnicos do Incra que deverão correr todo o estado de Mato Grosso, com o único objetivo de beneficiar as pessoas que estão há muitos anos aguardando a sua regularização e até hoje não conseguiram. Isso foi apenas o início. Queremos limpar a fila de espera de títulos, e deixar esta pauta zerada nesta gestão”, afirma o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Representando a bancada federal, o deputado federal Nelson Barbudo, elogiou a destinação dos recursos para estruturar os órgãos responsáveis pela política fundiária. “Quero agradecer ao governador, e ao pessoal que trabalhou incansavelmente para obter esse recurso, estamos dando continuidade a um trabalho. A celeridade é o mais importante. Precisamos que este recurso ajude a dar rapidez a nossa tão sonhada reforma fundiária”.

Conforme o superintendente do Incra de Mato Grosso, Ivanildo Teixeira, são beneficiados pelos recursos do Terra a Limpo mais de 180 assentamentos do interior do estado. “É um recurso que chegou em boa hora, a frota do Incra é antiga, o que não nos possibilita andar grandes distâncias. Os veículos serão utilizados tanto para a fiscalização do georreferenciamento, bem como vistoria para titulação dos assentados”, conta.

Leia Também:  "Ensinar história afro-brasileira é ensinar a história do Brasil", afirma pesquisador

Terra a Limpo O programa prevê um investimento de R$72,9 milhões em Mato Grosso, com o objetivo central de promover a resolução de conflitos, e a segurança jurídica pela posse da terra, beneficiando famílias de agricultores de 87 municípios.

O programa foi instituído pelo Decreto nº 1.560, de 29 de junho de 2018, sob a coordenação central da Casa Civil, com a implementação da política fundiária no estado realizada pelo Intermat, em parceria de diversos órgãos estaduais.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

Casa Dom Aquino está com inscrições abertas para curso de dança africana

Publicado

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino abre inscrições para oficina de dança afro house e kuduro com Hermínio Nhantumbo. As atividades iniciam dia 05 de fevereiro e ocorrem todas as quartas-feiras, quintas-feiras e sábados, sempre das 17h30 às 18h30.

Aos interessados, as inscrições seguem abertas até o final do mês de janeiro e podem ser realizadas pela internet (inscrições aqui!). O valor da matricula é de R$20 e a mensalidade custa R$100.

Natural da cidade de Matola, em Moçambique, Hermínio, que também é artista plástico, faz parte da Companhia Municipal de Canto e Dança da Matola e disse que está se sentindo em casa em Cuiabá.

“Brasil e Moçambique têm uma relação histórica muito forte.  Alguns escravos que chegaram aqui saíram de lá, então temos muitas coisas semelhantes, como a língua, apesar de algumas diferenças, danças, comidas, enfim. Estou me sentindo em casa”, afirmou.

Desde 2003, Hermínio estuda dança contemporânea, danças tradicionais de Moçambique, trabalhando como coreógrafo e dançarino, promovendo também oficinas de dança no Brasil e no mundo.

Leia Também:  Querência é primeiro município a ter plano de agricultura familiar e indígena

Kuduro

Trata-se de um estilo musical dançante e muito agitado que surgiu em Angola. Recentemente o ritmo ganhou as pistas de dança mais alternativas do Brasil e, há pouco tempo, uma versão mais pop e aguada foi escolhida como música-tema da novela Avenida Brasil, da Rede Globo.

De acordo com Tony Amado, autoproclamado criador do Kuduro e conhecido como o “Rei do Kuduro, o gêner – que, como o nome sugere, é um neologismo para “bunda dura”– mistura elementos eletrônicos com o folclore do país africano.

A dança é agressiva e agitada como os golpes de Van Damme. Basicamente, o sujeito apoia as mãos nos quadris e abre e fecha os braços freneticamente enquanto flexiona o joelho para dentro e fora das pernas. As letras mesclam português com dialetos locais e falam do cotidiano pobre e de sexualidade. Sim, como o funk carioca.

Curiosidade! Ainda de acordo com Tony Amado, a ideia da dança surgiu depois de ver o filme O Desafio do Dragão (1989), em que Van Damme aparece num bar, embriagado, dançando com um estilo pouco habitual para aquela época.

Leia Também:  "Ensinar história afro-brasileira é ensinar a história do Brasil", afirma pesquisador

Serviço

Casa Dom Aquino abre inscrições para curso de dança africana

Horário do curso:  quartas-feiras, quintas-feiras e sábados, sempre das 17h30 às 18h30

Local: O Museu de História Natural Casa Dom Aquino está localizado na Avenida Beira Rio, nº 2000, bairro Dom Aquino, Cuiabá (MT).

Informações: (65) 3634-4858 / 3052-8062 / [email protected]

Inscrições: https://bit.ly/2tFdgCY

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana