conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola Estadual implanta clube do xadrez para melhorar aprendizagem dos alunos

Publicado

Conhecido pelos vários benefícios a quem o pratica, o xadrez vem conquistando cada vez mais espaço dentro das instituições de ensino, como parte do planejamento pedagógico. Quem também entrou nessa partida, que vai muito além do jogo, foi a Escola Estadual Professora “Julieta Xavier Borges”, no município de Barra do Bugres (165 km de Cuiabá no sentido leste).

O sonho antigo da gestão da unidade escolar se tornou realidade no dia 13 de maio, com a implantação de um Clube do Xadrez. O evento ocorreu na Biblioteca Integradora e contou com a presença do idealizador do projeto, o professor de matemática Jonhy Sylla, que, voluntariamente, coordena o clube, em conjunto com o monitor Joelson da Silva Souza, aluno do 8º ano B.

O Clube do Xadrez é um polo de ensino da modalidade, ligado ao Programa de Massificação do Xadrez no Estado de Mato Grosso, projeto apoiado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. A iniciativa tem apoio do Programa de Ampliação do Acesso ao Esporte e Lazer, do Fundo de Desenvolvimento Desportivo (Funded-MT).

Há alguns anos, a pedagoga Sônia Reche iniciou, na escola, o projeto de xadrez, quando alunos ensinavam outros alunos, facilitando, desta forma, a implantação do Clube do Xadrez.

Uma história com muitos personagens principais. Um deles é o professor Cleiton Marino Santana, presidente da Federação Mato-Grossense de Xadrez (FMTX) e diretor da Escola da Escola Arena da Educação José Fragelli.

Também foi imprescindível na implantação do projeto, o professor Douglas Manzan, responsável pela adesão da FMTX ao Clube do Xadrez e por se deslocar até a Arena da Educação em buscas dos kits.  

A Federação disponibilizou tabuleiros com peças em tamanho profissional, relógios de marcação de tempo e material didático para as aulas. Alguns dos alunos, que estão participando do projeto, receberam um tabuleiro e jogo de peças para treinar em casa.

No momento, segundo a diretora da escola, Andreia Rodrigues Geres, o Clube do Xadrez conta com 40 inscritos. “Os integrantes do clube, de diversas turmas do fundamental II da unidade, se reunirão semanalmente, com agenda fixa de dia e horário, para estudar as cartilhas, treinar as jogadas, aprimorar os conhecimentos e se preparar para futuros eventos”, disse.

Andréia observa que este trabalho é de extrema importância nas escolas, pois, além de todos os seus benefícios na educação, ajuda no desenvolvimento das habilidades cognitivas e não-cognitivas dos alunos. “É um ótimo jogo para aprender a conviver em harmonia com os demais colegas e pares”.

Outro destaque é o empenho dos pais ou responsáveis em incentivar seus filhos na participação e comprometimento em mais essa iniciativa da escola. “Já tínhamos o Clube do Livro em plena atividade. A escola parabeniza a todos os envolvidos, que doaram o seu tempo e o conhecimento para proporcionar essa formação integral, propondo benefícios incalculáveis aos estudantes”, concluiu a diretora.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mato Grosso

Fiscalização no raguaia apreende apetrechos e armadilhas de pesca predatória

Publicado

A Polícia Civil realizou neste fim de semana em Ponte Branca, no sul do estado, uma fiscalização para inibir a pesca predatória no rio Araguaia. A Delegacia de Alto Araguaia recebeu informações de que cardumes de peixes estavam chegando ao rio, em Ponte Branca, e pescadores da região se programavam para efetuar pesca predatória e proibida no local.

O local é conhecido por ser uma armadilha natural para os peixes, pois ao subirem o rio, no ciclo de reprodução, chegam a um ponto onde ocorre um estreitamento, em um canal de pouco mais de 25 metros de largura. Logo acima, há uma cachoeira impedindo que continuem o trajeto, se acumulando no local, muitas vezes cansados.

Nesse ponto, os pescadores se aproveitam e, utilizando apetrechos proibidos, realizam a pesca predatória e criminosa. Muitos peixes são mutilados, machucados e descartados no local.

A equipe da Delegacia de Alto Araguaia foi ao local nestas sexta (12) e sábado (13.08) e, durante a fiscalização, foram apreendidas armadilhas e apetrechos proibidos para a pesca, além de abordar e conscientizar os pescadores.

O delegado Marcos Paulo Batista destaca que as diligências ocorrerão periodicamente, visando garantir a preservação das espécies e do Rio Araguaia.
“É preciso que a comunidade local se conscientize e deixem de praticar este crime ambiental, em condições tão desfavoráveis para as espécies de peixes. Além de correrem o risco de serem presos em flagrante, responderem processo criminal e pagarem multas elevadas, farão com que espécies de peixes sejam extintas no Araguaia”.

A Lei Ambiental 9.605/98, conforme o artigo 34, parágrafo III, combinado com a lei estadual que dispõe sobre a política de pesca no Estado de Mato Grosso, veda expressamente a pesca nestas condições, com pena de detenção de um a três anos, além de multa

Continue lendo

Mato Grosso

Projeto que leva ‘banho solidário’, alimentos e assistência a pessoas em situação de rua é retomado

Publicado

As atividades da associação voluntária ficaram suspensas durante a pandemia. O projeto leva também serviço de corte de cabelo e serve refeições a essas pessoas.

Após dois anos com as ações suspensas por causa da pandemia da Covid-19, a Associação Beneficente Banho Solidário Cuiabá volta com o projeto que leva banho, corte de cabelo, roupas e calçados e refeições para pessoas em situação de rua em Cuiabá. O grupo pede doações e novos voluntários para que as ações continuem chegando às ruas.
O projeto funciona uma vez no mês, aos sábados. As ações começam às 16h e vão até às 20h.

O banho solidário funciona em um trailer com dois banheiros com chuveiros. No trailer, são disponibilizados produtos de higiene pessoal como toalhas e sabonetes para pessoas em situação de rua.

Cortes de cabelo são feitos na ação.

Os voluntários se dividem em uma equipe para corte de cabelo, outra para selecionar e separar as roupas que serão doadas e outra que cuida da alimentação.
É servido um lanche no início da ação e no final, às 19h30, é servido o jantar.
O projeto foi fundado em 2016 pelos irmãos Alex Vieira Passos e Heraldo Vieira Passos Júnior e tomou corpo se transformando em um Associação, hoje tendo como coordenadora geral Marta Costa .

Marta Costa, conta que atualmente cerca de 20 voluntários fixos atuam no projeto e outros participam apenas esporadicamente. “Precisamos muito de barbeiros ou cabeleireiros para corte de cabelo dos moradores de rua. Nós temos as máquinas de corte e os equipamentos, porém não temos muitos voluntários para essa parte do projeto”, afirma.

O jantar é servido no fim de cada ação .

Marta também relata que a associação precisa de doação de alimentos para preparar o jantar, doações de roupas e calçados em bom estado de conservação e recursos financeiros para custear as despesas com transporte de equipamentos e materiais de manutenção.
O próximo Banho Solidário está previsto para ser realizado no dia 20 de agosto. Segundo a coordenadora, a ação é feita uma vez no mês porque demanda muita estrutura e recursos.
“Precisamos do combustível, transportar o trailer e a caixa d’água, além de cinco veículos só para carregar a estrutura, como tendas, mesas e cadeiras”, explica.

“Vemos que é o lugar onde há mais demanda de pessoas em situação de vulnerabilidade, em situação de rua”, diz.
Durante a pandemia da Covid-19, as ações foram suspensas.

“Os nossos voluntários, em sua maioria, são idosos, então ficamos com receio. Alguns deles tiveram Covid e decidimos suspender as ações. Agora, retomamos o projeto”, diz.

O projeto foi fundado em 2016 pelos irmãos Alex Vieira Passos e Heraldo Vieira Passos Júnior e tomou corpo se transformando em um Associação, hoje tendo como coordenadora geral Marta Costa .

Marta Costa, conta que atualmente cerca de 20 voluntários fixos atuam no projeto e outros participam apenas esporadicamente. “Precisamos muito de barbeiros ou cabeleireiros para corte de cabelo dos moradores de rua. Nós temos as máquinas de corte e os equipamentos, porém não temos muitos voluntários para essa parte do projeto”, afirma.

_______

Para quem quer ajudar, as doações podem ser feitas na Imobiliária AB3, na Avenida das Torres, Bairro Santa Cruz, em Cuiabá, das 8h as 17h, de segunda a sexta-feira. Para doações via transferências e outras informações o contato é (65) 99211-6563.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana