conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola de Saúde Pública investe na qualificação de agentes indígenas de saúde e de saneamento

Publicado

A Escola de Saúde Pública (ESP-MT), órgão ligado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), concluiu a primeira formação deste ano, de docentes e supervisores que serão responsáveis por qualificar Agentes Indígenas de Saúde (AIS) e de Saneamento (Aisan) na modalidade de educação permanente em etapas presenciais de curso, seguidas de supervisão em área, com 40 horas por aula.

Essa capacitação pedagógica contou com a participação de 45 candidatos a docente e, além disso, houve a participação dos pontos focais dos distritos e diretores. A oficina foi conduzida pelos coordenadores pedagógicos da Escola de Saúde Publica e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Conforme informou a diretora da ESP-MT, Silvia Aparecida Tomaz, a continuidade da formação de docentes e supervisores ocorrerá no Curso de Aperfeiçoamento na Modalidade à Distância, com carga horária de 180 horas.

“A capacitação tem como alicerce as premissas de relação educativa, que se dá entre sujeitos adultos, autônomos e passa pelo seu contexto sociocultural de vida. A apropriação de conteúdos é progressiva, sucessiva e crítica, e na realidade do trabalho, como princípio educativo organizador da ação pedagógica”, pontuou.

Leia Também:  Empaer e Incra debatem acordo de cooperação técnica para regularização fundiária no Estado

Objetivos da Oficina

A oficina executada pela ESP-MT tem como objetivo o desenvolvimento da formação pedagógica de docentes e supervisores para qualificação dos AIS e AISAN; a discussão da formação de AIS e AISAN em contexto intercultural; a apresentação do cotidiano de trabalho e das ações de saúde como espaços de ensinar e aprender; a execução da formação pedagógica dos profissionais das diversas áreas do conhecimento inseridos no processo ensino-aprendizagem – reafirmando, desta forma, a importância da ética, da humanização, da cidadania e da capacidade de reflexão-ação sobre problemas existentes, além de formular estratégias pedagógicas para o planejamento das aulas.

Fonte: GOV MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mato Grosso

Mais de 1,2 mil pessoas privadas de liberdade farão Enem em Mato Grosso

Publicado

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será aplicado a 1.218 pessoas privadas de liberdade em Mato Grosso, sendo 1.166 do Sistema Penitenciário e 52 adolescentes do Sistema Socioeducativo. As provas serão aplicadas nos dias 10 e 11 de dezembro de 2019. Esta modalidade é chamada de Enem PPL e oferece a oportunidade tanto para adultos quanto jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade.

Do Penitenciário, estão inscritos 1.166 reeducandos de 39 unidades penais. Este número é 13% maior que o do ano passado, que registrou 1.028 inscrições. O objetivo é viabilizar a avaliação do desempenho escolar ao final da Educação Básica e o acesso à Educação Superior, além de contribuir para elevar a escolaridade da população prisional.

De acordo com dados do Núcleo de Educação nas Prisões (NEP) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), o Sistema Penitenciário possui atualmente 3.904 reeducandos matriculados no Ensino Básico de Mato Grosso, e 16 cursando o Ensino Superior.

Atualmente, 673 pessoas privadas de liberdade estão aptas a concorrerem às vagas do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), Programa Universidade para Todos (Prouni), entre outras instituições que ofertam graduação. O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação (MEC), por meio do qual as instituições públicas oferecem vagas a candidatos participantes do Enem.

Leia Também:  Rotam forma 36 policiais no curso da Rotam nesta segunda-feira (22)

A coordenadora do NEP, pedagoga Fabiana Flávia de Magalhães Nascimento, explica como é feito o encaminhamento dos aprovados. “O quantitativo de matriculados é acompanhado a cada chamamento das universidades públicas e fazemos a sensibilização dos diretores e responsáveis pedagógicos das unidades, para a efetivação da matrícula no curso em que a pessoa foi aprovada”.

No Socioeducativo, os 114 adolescentes em conflito com a lei estudam, sendo que 52 estão aptos a fazerem o Enem. A coordenadora de Atendimento Socioeducativo, Anna Marcia Cunha, frisa que o acompanhamento continua, caso algum dos inscritos ganhe liberdade na véspera. “Na semana da data da prova, se acontecer de adolescentes saírem, a Gerência do Egresso entrará em contato, reforçando sobre a importância de fazer as provas”.

Ao longo do ano, os jovens fazem quatro simulados com questões objetivas no formado das provas do Exame Nacional, abrangendo todas as disciplinas. Além disso, dentro da disciplina de Língua Portuguesa há o reforço em noções de redação.  

Sobre o Enem PPL

Desde 2011, o Enem PPL é realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Leia Também:  Em ação conjunta, Gefron e PF apreendem 288 quilos de drogas em Poconé

As provas têm o mesmo nível de dificuldade do Enem regular. A única diferença é a aplicação dentro de unidades prisionais, incluindo penitenciárias, cadeias públicas, centros de detenção provisória e instituições de medidas socioeducativas. A aplicação ocorre sempre em data posterior ao Exame regular e em dias úteis.  

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

PM traça plano de segurança para ‘Parada da Diversidade Sexual’

Publicado

A Polícia Militar, por meio do 1º Batalhão, traçou um plano de segurança para a ‘Parada da Diversidade Sexual’ que será realizada na tarde deste sábado (16.11), em Cuiabá.

Desde as 14h, início da concentração na Praça Ipiranga, até o período noturno nos shows na orla do Porto, haverá policiais militares atuando na segurança. Equipes acompanharão os manifestantes em todo o percurso como forma de garantir a segurança dos participantes e daqueles que circulam nas vias públicas.

O comandante do 1º BPM, tenente-coronel Marcos Antônio Guimarães, não citou número de policiais, mas observou que o plano tem efetivo e reforço similar ao de outras manifestações públicas dessa proporção e das ‘Paradas’ de anos anteriores.

Fonte: GOV MT
Leia Também:  Mato Grosso oferta 1.444 vagas de emprego pelo Sine
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana