conecte-se conosco


Mato Grosso

Equipe de saúde realiza testes rápidos nos reeducandos da Penitenciária Central do Estado

Publicado


.

Profissionais de Saúde do Sistema Penitenciário começaram a aplicar testes rápidos nos reeducandos da Penitenciária Central de Cuiabá (PCE), nesta quarta-feira (15.07). O exame é para detectar casos de Covid-19 dentro da unidade penal em presos sintomáticos e amostragem de cada raio de pessoas assintomáticas. Ao todo, o Governo do Estado disponibilizou mais de cinco mil testes para serem utilizados pela população carcerária de Mato Grosso.

Desde o início da pandemia, o Sistema Penitenciário do Estado tem atuado no sentido de prevenir a contaminação e controle da doença nas unidades penais. Como medida preventiva foram adotados protocolos de atuação, através de notas técnicas orientativas, plano de contingenciamento e demais normativas das áreas técnicas da saúde, além da distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

A coordenadora de Saúde do Sistema Penitenciário, Lenil da Costa Figueiredo, ressalta que esta ação na PCE é mais uma das que já vem sendo realizada no Estado. “Iniciamos um processo rigoroso de triagem de quem adentra ao sistema e estamos monitorando os reeducados com sintomas e disponibilizando medicamentos e testes rápidos. Nosso trabalho visa também uma atuação preventiva”, frisa.

Desde o início da pandemia até hoje nenhum recuperando da PCE precisou ser hospitalizado devido a Covid-19 e não houve nenhuma morte.

“O trabalho preventivo que fizemos tratando logo no início os presos sintomáticos, sem esperar que agravasse fez toda diferença. Fizemos isolamento de celas, de raios se tivesse presos em mais celas com sintomas, para evitar a propagação na unidade. Fizemos um grande esforço junto com a equipe de saúde para manter o controle da doença dentro da unidade. Como a ação foi rápida desde o início, nenhum preso daqui precisou ser internado”, destacou o diretor da PCE, Agno Ramos.

Dentro da PCE há uma unidade de saúde e os profissionais atuam de segunda a sexta-feira, mas desde o dia 04 de julho, passou a trabalharem também aos fins de semana, caso haja necessidade de atender presos que estejam com suspeita ou casos confirmados da doença.  

Covid-19 no Sispen

Dados do Sistema Penitenciário, atualizados em 13 de julho, apontam no Sistema Penitenciário de Mato Grosso 59 reeducandos aguardam resultado do teste rápido. Outros 179 casos foram confirmados, 309 testaram negativo, 104 se curaram e dois morreram.

Mato Grosso conta com pelo menos 11,3 mil pessoas presas, entre homens e mulheres, distribuídos em 48 unidades penais.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Emanuele de Almeida é nomeada e assume a Presidência do Indea-MT

Publicado


A servidora Emanuele Gonçalina de Almeida (39 anos) foi nomeada presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (INDEA MT). A nomeação foi publicada em edição extra do Diário Oficial desta quarta-feira (20.01).

Ela é advogada, concursada e trabalha há sete anos no órgão de defesa, exercendo anteriormente o cargo de diretora administrativa.

A nova presidente tem como objetivo dar continuidade ao trabalho iniciado no Indea na gestão do governador Mauro Mendes, valorizar o servidor do Instituto e trabalhar de forma democrática com a área técnica.

Emanuele também pretende seguir coma implantação das ações administrativas, focando na desburocratização e descentralização do órgão, dando mais agilidade às demandas dos produtores rurais mato-grossenses.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

Publicado


A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá (DHPP) esclareceu o homicídio de José Carlos Ribeiro, 50 anos, ocorrido no dia 25 dezembro, no bairro Altos da Glória, na capital. A pessoa investigada como autora do crime, de 30 anos, foi presa na segunda-feira (18) pela Polícia Militar, no Residencial José Carlos Guimarães, em Várzea Grande, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Comarca da Capital.

A vítima foi encontrada morta na cama, em sua residência, e o corpo apresentava lesões causadas por instrumentos contundente e cortante. Um pedaço de madeira, com um prego na ponta, foi encontrado no local.

Com o início das investigações abertas pela DHPP, a equipe coordenada pelo delegado Caio Fernando Albuquerque coletou informações de que no dia do crime uma pessoa monitorada por tornozeleira eletrônica esteve na residência da vítima.

Após ser identificada, a investigada foi ouvida em depoimento na DHPP e declarou como cometeu o crime. Segunda ela, três meses antes do fato, quando ainda não tinha relacionamento íntimo com José Carlos, estava tomando cerveja com a vítima junto com a sobrinha dela, de 14 anos. Logo após, saiu da casa para comprar e fazer uso de entorpecentes, quando momento depois sua sobrinha a procurou chorando e dizendo que a José Carlos havia tentado violentá-la sexualmente.

A investigada retornou então à casa da vítima para tomar satisfação do ocorrido, mas o homem negou o ato de violência, embora a adolescente tenha confirmado o abuso. Após isso, ainda segundo depoimento da investigada, ela decidiu que mataria a vítima e pediu que a adolescente não comentasse a ninguém o ocorrido e que resolveria a situação.

Conforme narrado no depoimento, vendo que a vítima tentava uma aproximação, a investigada começou a ter encontros amorosos com José Carlos e afirmou ao delegado que passou a fazer isso para aproveitar a oportunidade e vingar o que ocorreu com sua sobrinha. Em um dos encontros, após se relacionarem, ela golpeou a vítima com o pedaço de madeira e com uma faca.

“Os elementos de prova colhidos durante as diligências comprovam que não houve homicídio privilegiado – quando a vítima provoca o cometimento do crime pouco antes de sua prática. Mas sim, que o crime foi motivado por vingança, configurando a qualificadora de torpeza na medida em que, premeditadamente, o autor planejou a ação homicida cerca de três meses depois do referido comportamento da vítima. Além disso, ficou configurada a qualificadora de impossibilidade de defesa pois, ao que tudo indica, ao contrário da versão da investigada, a vítima dormia quando foi golpeada”, explicou o delegado Caio Albuquerque.

Com base nos elementos coletados na investigação, o delegado representou à Justiça pela prisão preventiva da investigada. O inquérito segue para conclusão e ela será indiciada por homicídio qualificado.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana