conecte-se conosco


Carros e Motos

Engenheiro brasileiro converte Ford Ranger 95 em veículo elétrico

Publicado

Ford Ranger convertida para funcionar com motor elétrico sendo carregada ao lado do Audi E-Tron
Arquivo pessoal

Ford Ranger convertida para funcionar com motor elétrico sendo carregada ao lado do Audi E-Tron

Carros elétricos cada vez despertam mais interesse dos consumidores, apesar do alto custo, em alguns casos a troca por modelos híbridos até faz sentido. Mas, que tal transformar um carro em elétrico por curiosidade e paixão?

Foi exatamente isso que o Engenheiro elétrico Henderson Martins, colecionador de picapes da linha Ranger fez com um modelo 1995 há cerca de dois anos, quando decidiu unir sua paixão pela picape ao seu trabalho em uma companhia de energia solar.

O engenheiro afirma que a idéia nasceu após uma viagem à Alemanha, onde teve contato com carro elétrico e voltou fascinado. Após anos de estudo, aplicou seu conhecimento à picape da Ford.

Ford Ranger recebeu investimentos equivalentes a R$ 80 mil para ser convertida para ser 100% elétrica
Arquivo pessoal

Ford Ranger recebeu investimentos equivalentes a R$ 80 mil para ser convertida para ser 100% elétrica

Henderson se preocupou em ter o máximo de cuidado possível e a Ranger foi montada utilizando padrões norte-americanos e europeus de segurança nos motores, baterias e entrada de carregador , que é do Tipo 2, comum na Europa e o mais encontrado nos eletropostos no Brasil.

A conversão não foi barata, o engenheiro afirma ter gastado cerca de R$ 80 mil para a conversão total na época, mas agora, o valor superaria a faixa dos R$150 mil. A Ranger prateada é equipada com uma bateria de 66kWh, que sozinha custa US$ 12 mil (cerca de R$ 65 mil na conversão direta).

As fabricantes afirmam que o que o maior custo em um carro elétrico vem das baterias, e a Ranger de Henderson comprova isso. Segundo o engenheiro, o carro era utilizado diariamente pelas ruas de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, mas agora está encostado por um motivo muito especial.

O engenheiro afirma que irá instalar um motor de Tesla na picape, mas não revelou os custos, nem a potência do motor comprado.

Ford F-100 Eluminator é outra picape da marca norte-americana convertida  para funcionar com motor elétrico
Divulgação

Ford F-100 Eluminator é outra picape da marca norte-americana convertida para funcionar com motor elétrico

Antes, Henderson afirmava que conseguia rodar uma média de 300 km com uma carga completa , e não pagava nada pela carga, já que possui um posto de recarga na frente de sua empresa, e utiliza energia solar para carregar a Ranger .

Podemos dizer que Henderson se adiantou à própria Ford , que anunciou a F-150 Lightning , sua primeira picape elétrica no ano passado, e recentemente criou a F-100 Eluminator .

O nome é por conta do motor elétrico da picape, que é o mesmo que equipa o Mustang Mach-E e gera 281 cv. É comercializado nos Estados Unidos por cerca de US$ 4,300 (R$ 23,600).

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carros e Motos

Fim de uma era: Dodge aposenta Challenger e Charger a combustão

Publicado


Dodge Charger e Challenger serão aposentados e a marca focará apenas em modelos eletrificados
Reprodução

Dodge Charger e Challenger serão aposentados e a marca focará apenas em modelos eletrificados

“O Dodge Charger e o Dodge Challenger, na forma atual, estão chegando ao fim”, diz o comunicado de imprensa em anexo. “Estamos comemorando o fim de uma era – e o início de um novo e brilhante futuro eletrificado – permanecendo fiéis à nossa marca”, disse Tim Kuniskis, CEO da marca Dodge.

Aos fãs dos icônicos muscle cars norte-americanos só resta se conformar até a Dodge fabricar outros modelos que estarão cada vez mais íntimos na era da eletrificação.   E seus modelos 100% a combustão farão parte de uma era gloriosa para puristas e fãs da marca.

A empresa revelou que vai mostrar um muscle car totalmente elétrico em 2024 e para “servir de consolo” aos puristas ou “reforçar o espírito Dodge”, a empresa vai retornar com o estilo tradicional da grade retangular do Charger de 1968 a 1970 , juntamente com o l ogotipo triangular que estampava os seus carros até o início do anos 80.

Desenvolvido para aplicações de seis e oito cilindros com tração traseira ou nas quatro rodas, a plataforma LX serviu de base também ao Demon , um muscle car surgido em 2018 e marcou a era com o Challenger com seus mais de 800 cv de potência e que serviu a frota da polícia local.

A fábrica de Brampton, onde o Challenger e o Charger são fabricados atualmente, “será reequipada e totalmente modernizada” em 2024.

A instalação adotará uma arquitetura de veículo ainda não divulgada que apoiará os planos de eletrificação da Dodge . A produção deve ser retomada até 2025, e até agora não foi revelado quais veículos que serão produzidos na unidade de Brampton.

A plataforma LX é a plataforma automóvel de tração traseira em tamanho real da Chrysler , introduzida em 2004 para o modelo de 2005 e em breve, vai celebrar seu 20º aniversário marcando o fim de mais um capítulo da história da Dodge.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Peugeot 208 Style 1.0: compacto mostra economia com estilo

Publicado


Peugeot 208 Style: versão 1.0 mais equipada da linha tem detalhes pintados de preto e faróis de LED de série
Carlos Guimarães/iG

Peugeot 208 Style: versão 1.0 mais equipada da linha tem detalhes pintados de preto e faróis de LED de série

Já faz algum tempo que carro com motor 1.0 deixou de ser “popular” no Brasil. Todos ficaram bem mais sofisticados na comparação da época em que surgiu o termo (no início dos anos 90) e a maioria já está na faixa dos R$ 80 mil atualmente. Entre as opções que temos no mercado, uma das mais estilosas é o Peugeot 208 Style 1.0, que vem equipado com motor de três cilindros, da Fiat.

Foi o “pulo do gato” da Peugeot ter lançado a nova versão Style 1.0 (R$ 83.990) com o conjunto mecânico usado pela Stellantis nos modelos da Fiat. O carro consegue aliar o desenho estiloso do 208 com alguns itens exclusivos por um preço que fica bem próximo de hatches compactos 1.0 tradicionais no Brasil, como Chevrolet Onix LT (R$ 78.990) e Hyundai HB20 Comfort 1.0 (R$ 79.990).

Se você não faz muita questão de espaço interno, a partir de entre R$ 3 mil e R$ 4 mil a mais que as versões mais comuns de Onix , HB20 , Polo , entre outros, dá para levar um hatch compacto 1.0 aspirado que foge do convencional, além de um pouco mais arrojado e agradável aos olhos.

Entre outros itens, o 208 Style vem com logo “Style” nas colunas traseiras, rodas de aro 16 pintadas de preto e calçadas com pneus 195/55 16R (10 mm a mais largos que os dos rivais), teto solar panorâmico, bancos de tecido exclusivo e tela de 10,3 polegadas da central multimídia.

Pela aparência caprichada, os mais desavisados nunca vão advinhar que o 208 Style vem com motor 1.0 aspirado, de três cilindros. Para quem dá bastante importância para a questão do estilo, o carro é um prato cheio. Mas saiba que dirigir um hatch 1.0 sem ajuda de sobrealimentação exige cautela e reduções de marcha para extrair alguma agilidade em situações como ultrapassagens e em subidas.

São 75 cv e 10 kgfm de torque a 3.250 rpm, números suficientes para acelerar de 0 a 100 km/h em razoáveis 13,4 segundos e atingir 162 km/h, diz a fabricante. Na prática, mesmo com duas válvulas por cilindro, o que ajuda a dar mais força em rotações mais baixas, você vai precisar usar o câmbio manual de cinco marchas o tempo todo para conseguir o máximo de desempenho do 208 Style . E os engates nem sempre são fáceis, principalmente a marcha à ré e nas reduções.

Quando o assunto é economia de combustível, o Peugeot 1.0 Style não faz feio. De acordo com dados do Inmetro, o carro faz 9,6 km/l de etanol na cidade e 11 km/l na estrada, números que passam para 13,6 km/l e 15,5 km/l com gasolina, respectivamente. Com tanque de 47 litros ( Onix tem 44 litros e o HB20 , 50 litros), o 208 pode rodar até 729 km com gasolina na estrada, ainda levando em conta as medições do Inmetro.

Acelere e o ponteiro do contagiros vai se movendo no sentido contrário do velocímetro, outro ponto “diferentão” do 208 Style se comparado aos principais rivais 1.0 do mercado. A posição de dirigir também foge do convencional. Com volante achatado tanto na parte de cima quanto na de baixo (com regulagem de altura e profundidade) e o cluster elevado, o motorista assume um jeito mais esportivo e que condiz com a disposição do carro em contornar curvas, embora não tenha fôlego de sobra ao pisar no acelerador.

O ronco característico do motor 1.0 Firefly , de três cilindros, chega a ser instigante à medida que vai ganhando rotação. Bom também é que o 208 Style mostra outros comandos bem acertados, como freios, direção e suspensão, o que o torna agradável de dirigir. Apenas alguns itens ligados à ergonomia poderiam melhorar, como os controles básicos do ar-condicionado acessíveis apenas pela tela do sistema multimídia e não por botões no painel.

Aliás, tanto a tela quanto o sistema evoluíram na linha 2023, com melhor resolução e mais velocidade de resposta aos comandos. Porém, continua sem o pareamento sem fio , algo que vem se tornando comum nos carros novos, até mesmo os mais simples. Em contrapartida, há carregador de celular por indução de série, ao contrário da maioria dos rivais. O que também chama atenção é o conjunto ótico de LED, com luzes diurnas bem estilosas, incluindo os chamados”dentes de sabre” no para-choque dianteiro.

Peugeot 208 Style vem com bancos revestidos de tecido exclusivo, com detalhes azuis e tela de 10,3 polegadas
Divulgação

Peugeot 208 Style vem com bancos revestidos de tecido exclusivo, com detalhes azuis e tela de 10,3 polegadas

Feito na Argentina, o 208 Style 1.0 não é um dos hatches compactos mais espaçosos disponíveis no Brasil, com entre-eixos de medianos 2,54 metros e porta-malas de 265 litros, ligeiramente menor que os 275 litros do Onix e que os 300 litros do HB20 .

Entretanto, por causa do teto solar panorâmico , o interior parece mais arejado, deixando claro que a pegada do modelo da Peugeot é sair um pouco do convencional e dar mais sabor ao segmento.

Conclusão

Demorou um pouco para o 208 da nova geração se tornar realmente atraente no Brasil. Mas com a chegada das novas versões com motor 1.0 fireFly, o carro passou a ter mais apelo, principalmente na Style 1.0 que avaliamos. Se estiver disposto a investir um pouco mais no que pagaria em hatch compacto 1.0 aspirado convencional, o modelo da Peugeot é (finalmente) uma opção interessante.

Ficha Técnica

Peugeot 208 1.0 Style

Preço: a partir de R$ 83.990

Motor: 1.0, três cilindros, flex

Potência: 71 cv (G) / 75 (E) a 6.000 rpm

Torque: 10 kgfm (G) / 10,7 kgfm (E) a 3.000 rpm

Transmissão: Manual,  cinco marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambor (traseiros)

Pneus: 195/55 R16

Dimensões: 4,06 m (comprimento) / 1,74 m (largura) / 1,45 m (altura), 2,54 m (entre-eixos)

Tanque: 47 litros

Porta-malas: 265 litros

Consumo etanol: 9,6 km/l (cidade) / 11 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 13,6 km/l (cidade) / 15,5 km/l (estrada)

0 a 100 km/h:  13,4 s

Máxima: 162 km/h

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana