conecte-se conosco


Educação

Enem serve de acesso ao ensino superior no Brasil e em Portugal

Publicado


O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começou a ser aplicado no último domingo (21) e segue no próximo dia 28. Trata-se do maior exame de acesso ao ensino superior do país. Com as notas em mãos é possível concorrer a vagas em instituições públicas e privadas em todo o Brasil e também em instituições estrangeiras. 

Agenda_Enem_2021_segundo_dia Agenda_Enem_2021_segundo_dia

Agenda_Enem_2021_segundo_dia – Arte/Agência Brasil

Um dos principais programas federais que utilizam a nota do Enem é o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona estudantes para vagas em instituições públicas de ensino superior. Para concorrer, os candidatos não podem ter tirado zero na prova de redação. O Sisu geralmente tem duas edições no ano. A primeira delas ocorre em janeiro do ano seguinte à aplicação do Enem.

Por causa da pandemia, o calendário do Sisu 2021 foi atípico. Com as aulas suspensas para evitar a propagação do novo coronavírus, as universidades precisaram adaptar os períodos letivos. A expectativa é que, em 2022, o cronograma comece a ser regularizado. 

O Programa Universidade para Todos (ProUni), por sua vez, seleciona estudantes para bolsas de estudos em instituições privadas de ensino superior. As bolsas podem ser integrais, de 100% da mensalidade, ou parciais, de 50%. Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais, a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. É preciso também não ter zerado a redação do Enem e ter obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas das provas. 

Assim como o Sisu, o ProUni tem duas edições no ano. Em 2021, o ProUni também foi atípico por causa da pandemia. A primeira edição do programa utilizou as notas do Enem 2019, para que o calendário não sofresse impacto. As notas do Enem 2020, cujas provas ocorreram em janeiro e fevereiro deste ano, foram usadas na segunda edição do ProUni 2021. 

Agora, o programa deverá ser normalizado. Os estudantes que fizeram o Enem 2021 poderão concorrer às bolsas do ProUni 2022. O ProUni geralmente ocorre após o Sisu. 

A nota pode também ser usada para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que oferece recursos a condições mais atrativas que as disponíveis no mercado.

Além dos processos seletivos conduzidos pelo governo federal, as instituições de ensino públicas e privadas têm liberdade para usar as notas em processos próprios. Os candidatos podem checar nas instituições onde têm interesse em estudar quais são os critérios adotados. 

Instituições de ensino estrangeiras também utilizam as notas do Enem em processos seletivos. Atualmente, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) tem convênio com 51 instituições de ensino em Portugal. Cada instituição define as regras e os pesos para uso das notas. A lista das instituições está disponível no portal do Inep.  

Enem 2021

No primeiro dia do Enem, os candidatos fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Ao todo, dos 3,1 milhões de inscritos, 74% compareceram ao exame. No segundo dia, os participantes farão as provas de matemática e ciências da natureza. Por causa da pandemia, o exame adotou uma série de medidas de segurança.  

Questões do Enem

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) tem uma programação intensa de cobertura do Enem, com dicas e correção de provas. Mais informações estão disponíveis aqui. Para testar os conhecimentos, os estudantes podem acessar gratuitamente o Questões Enem, um banco que reúne todas as questões do Enem de 2009 a 2020. No sistema, é possível escolher quais áreas do conhecimento se quer estudar. O banco seleciona as questões de maneira aleatória.

Acompanhe a cobertura da Agência Brasil sobre o Enem 2021:

Enem 2021

Edição: Graça Adjuto

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Lei que garante bolsas para docentes da educação básica é sancionada

Publicado


O presidente Jair Bolsonaro sancionou hoje (26) o Projeto de Lei  nº 31, que garante verbas de R$ 135 milhões para pagar bolsas de formação para professores da educação básica. Os recursos serão destinados ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e ao programa Residência Pedagógica, além de outras ações voltadas à educação básica, como o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) e o Programa de Mestrado Profissional para Professores da Educação Básica (ProEB).

“A transformação do projeto em lei significa tranquilidade para milhares de bolsistas. Para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), é o que faltava para que fechássemos 2021 honrando os compromissos com a formação de professores para a educação básica”, afirmou Cláudia Queda de Toledo, presidente da instituição. “Estamos empenhados na recomposição orçamentária para que, no ano de 2022, consigamos pagar tudo em dia e sem precisar de créditos adicionais”, afirmou.

As verbas garantem o pagamento das bolsas dos programas até dezembro de 2021. O dinheiro complementa as verbas autorizadas pela Lei  nº 14.241 de 2021, sancionada na última segunda-feira (22) e que foi alocada para o pagamento de bolsas referente ao mês de setembro e outubro.

Edição: Valéria Aguiar

Continue lendo

Educação

FAO apresenta projeto de alimentação escolar na América Latina

Publicado


A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) vai apresentar hoje (26) no Green Rio, na Marina da Glória, o projeto Consolidação de Programas de Alimentação Escolar na América Latina e no Caribe, uma iniciativa de cooperação técnica internacional com o governo brasileiro que trabalha para fortalecer as políticas de alimentação escolar na região.

Os programas de alimentação escolar atendem a cerca de 85 milhões de estudantes na América Latina e no Caribe. Além de melhorar a qualidade da alimentação das crianças, a iniciativa fortalece a cadeia de agricultura familiar local, uma vez que incentiva os países a adquirir alimentos dos pequenos agricultores por meio de compras públicas.

Para a coordenadora do projeto, Najla Veloso, a alimentação escolar é uma estratégia de enfrentamento do sobrepeso e da obesidade e representa a possibilidade de educar para uma nova cultura alimentar. “Esse painel promoverá também a reflexão sobre as ações em andamento e as necessárias mudanças nessa política para a transformação dos sistemas alimentares.”

Segundo a (FAO), a região é a mais cara para se alimentar de forma saudável, sendo uma realidade inalcançável para 113 milhões de pessoas.A falta de acesso a dietas saudáveis e a baixa qualidade da alimentação trazem impactos negativos e elevam a probabilidade de deficiências, aumentando o sobrepeso e a obesidade, assim como doenças crônicas não transmissíveis.

Importante evento para consolidar o Brasil como um país estratégico no cenário da bioeconomia mundial, o Green Rio está de volta presencialmente à Marina da Glória, no Rio de Janeiro, hoje (26) e amanhã (27) e também terá transmissão online, possibilitando a todos os interessados acompanhar os debates do evento.

O Green Rio teve sua primeira edição em 2012, quando foi um evento paralelo da Conferência Rio+20. Ao longo desses oito anos, o evento se firmou como plataforma de negócios sustentáveis que reúne expositores, palestrantes e representantes da economia verde e do setor orgânico. Este ano, o Green Rio tem atividades presenciais e transmissões online.

Edição: Nádia Franco

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana