conecte-se conosco


Internacional

Em meio a protestos, Evo Morales renuncia à presidência da Bolívia

Publicado

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou hoje (10), em um pronunciamento transmitido a partir da cidade de Cochabamba, sua renúncia ao cargo, em meio à escalada dos protestos que se seguiram à eleição de 20 de outubro no país.

Ao lado de Morales, o vice-presidente Alvaro García Linera também anunciou que deixa seu posto. Posteriormente, o ex-presidente boliviano falou sobre o assunto em suas redes sociais.

“Queremos preservar a vida dos bolivianos”, disse Morales no pronunciamento. Ele disse que decidiu deixar o cargo “para que não continuem maltratando parentes de líderes sindicais, prejudicando a gente mais humilde. Estou renunciando e lamento muito esse golpe”.

Imagens de TV mostraram oposicionistas comemorando nas ruas de La Paz. A pressão sobre Morales aumentou depois que o comandante das Forças Armadas bolivianas, William Kaiman, sugeriu, na tarde deste domingo, que Morales renunciasse para permitir a “pacificação e a manutenção da estabilidade, pelo bem da nossa Bolívia”.

Leia Também:  Manifestações continuam a paralisar Hong Kong

Mais cedo, Morales havia anunciado a realização de novas eleições e a substituição dos integrantes do Tribunal Superior Eleitoral boliviano, mas não conseguiu melhorar os ânimos dos adversários. Na ocasião, ele disse que sua “principal missão é proteger a vida, preservar a paz, a justiça social e a unidade de toda a comunidade boliviana”.

O anúncio da nova eleição foi feito depois de a Organização dos Estados Americanos (OEA) ter divulgado um informe sobre uma auditoria do processo eleitoral, em que o órgão recomendou a realização de um novo pleito.

Antes da renúncia de Morales, a imprensa boliviana noticiou a realização neste domingo de diversos ataques a residências, incluindo casas de familiares de Morales, e a prédios públicos. No Twitter, o ainda presidente havia denunciado que “fascistas” tinham incendiado a casa dos governadores de Chuquisaca y Oruro, e também de sua irmã, Esther Morales, em Oruro. Emissoras de rádio e TV estatais, como a Bolívia TV, foram alvo de protestos.

Depois que manifestantes atacaram a sua casa, o presidente da Câmara dos Deputados, Víctor Borda, também renunciou ao cargo neste domingo.

BOLIVIA-ELECTION_MORALES_RESIGNATION

Evo Morales durante transmissão televisiva da renúncia – Reuters/Direitos Reservados

Eleição polêmica

As eleições presidenciais bolivianas ocorreram em 20 de outubro. Morales obteve 47,07% dos votos, enquanto seu principal concorrente, Carlos Mesa, alcançou a 36,51%. Pelas regras eleitorais bolivianas, Morales foi declarado eleito, por ter obtido mais de 10% de votos além de Mesa.

Leia Também:  Trump cruza a fronteira e se encontra com líder da Coreia do Norte

A apuração dos votos, no entanto, foi acompanhada por polêmica, com acusações de ambos os lados. Uma missão de observação da Organização dos Estados Americanos (OEA) apontou problemas como a falta de segurança no armazenamento das urnas e a suspensão da apuração.

Diante da polêmica, Morales e líderes oposicionistas sugeriram que a Organização dos Estados Americanos (OEA) auditasse o resultado das eleições – e Morales convidou países como Colômbia, Argentina, Brasil e Estados Unidos a participarem do processo. Desde então, os protestos populares se acirraram, com oposicionistas chegando a estabelecer um prazo para que Morales deixasse o cargo.

*Com informações da agência de notícias Télam*Matéria atualizada às 21h para acréscimo de informações

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Internacional
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Internacional

Número de mortos em terremoto na Turquia aumenta para 29

Publicado

Chega a 29 o número de mortos no terremoto de sexta-feira (24) na Turquia. O abalo provocou mais de mil feridos.

O tremor de terra, de magnitude 6,8 na escala de Richter, atingiu a região de Elazig, no leste do país.

As buscas por sobreviventes continuam. O terramoto de magnitude 6.8 na escala Richter foi seguido por mais de 400 réplicas de menor intensidade.

Segundo as autoridades locais, há mais de 1.400 feridos.

As equipes de resgate trabalham sob frio intenso, com temperaturas negativas.

O terremoto destruiu 30 prédios em áreas seriamente afetadas.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o tremor que atingiu Elazig ocorreu às 20h55, hora local.

O ministro do Interior da Turquia, Suleyman Soylu, disse que cerca de 30 pessoas estão debaixo dos escombros de prédios que desabaram com o terremoto.As equipes de resgate devem continuar as buscas por toda a noite.

*Com informações das agências de notícias RTP, de Portugal, e NHK, do Japão

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Internacional
Leia Também:  Promotores iniciam investigação sobre causas do incêndio em Notre-Dame
Continue lendo

Internacional

Número de infectados por novo coronavírus chega a quase 1.300 na China

Publicado

Autoridades do setor de saúde da China afirmam que o número de mortos por um novo tipo de coronavírus aumentou para 41, e com centenas de casos adicionais de infecção, o total de infectados chega a quase 1.300 em todo o país.

A Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves.

Novos casos de infecção estão sendo confirmados em todo o mundo. Autoridades na França anunciaram ter registrado os três primeiros casos na Europa.

A ministra da Saúde da França disse que dois pacientes estão em Paris, e o outro, na cidade de Bordeaux.

Autoridades australianas confirmaram também o primeiro caso de infecção no país. O paciente seria um homem na casa dos 50 anos, que está visitando Melbourne. Ele é um morador da cidade de Wuhan, onde teve início o surto do vírus.

Os feriados do Ano Novo Lunar na China, com a duração de uma semana, tiveram início na sexta-feira. O fato está aumentando a preocupação sobre o alastramento do vírus, uma vez que centenas de milhões de pessoas viajam para ver seus familiares e amigos.

Leia Também:  Manifestações continuam a paralisar Hong Kong

Autoridades chinesas estão adotando medidas para lidar com os temores, isolando várias cidades e fechando famosos pontos turísticos e locais de entretenimento. O parque temático Disney Resort, de Xangai, e a Cidade Proibida, em Pequim, estão temporariamente fechados.

*Agência Públilca do Japão

Edição: Narjara Carvalho

Fonte: EBC Internacional
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana