conecte-se conosco


Economia

Em meio à campanha, Petrobras reforça previsão por deflação em agosto

Publicado

Nova redução do preço da gasolina reforça previsão de deflação em agosto, em meio à campanha
Sophia Bernardes

Nova redução do preço da gasolina reforça previsão de deflação em agosto, em meio à campanha

redução de 3,88% no preço da gasolina vendida pelas refinarias da Petrobras anunciada nesta quinta-feira (29) , o segundo corte no custo para as distribuidoras reajuste negativo em menos de duas semanas, leva economistas a refazerem novamente as contas para projeções de inflação neste ano.

Os cálculos reforçam a expectativa de IPCA negativo em agosto, configurando deflação em meio à campanha eleitoral. A inflação é um dos principais obstáculos identificados pela campanha de reeleição do presidente Jair Bolsonaro para avançar nas pesquisas.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Nos últimos meses, Bolsonaro vem pressionando a empresa a evitar reajustes, que minam sua popularidade. Trocou o comando da estatal, enquanto o Congresso aprovou projetos para desonerar combustíveis e contornar regras fiscais e eleitorais para conceder novos benefícios, como um auxílio amenizar o custo dos combustíveis para caminhoneiros e taxistas. Ontem a Petrobras definiu que o seu Conselho de Administração, onde o governo tem maioria, vai “supervisionar” decisões de reajustes tomadas pela diretoria da empresa. 

Analistas explicam que o alívio no preço do combustível nas refinarias, que deve chegar às bombas dos postos, não terá efeito sobre o IPCA de julho, uma vez que a coleta da pesquisa realizada pelo IBGE se encerra nesta quinta-feira, dia 28. Mas a redução deve impactar em cheio o IPCA de agosto, quando também serão sentidos os efeitos residuais do reajuste anterior de 4,9%, concedido no dia 19 de julho.

O corte no preço do combustível reforça a expectativa de uma deflação em agosto. Isso porque alguns economistas já colocaram na conta uma possível retração nos preços dos serviços de telecomunicações, por conta da redução do ICMS sobre o setor provocada pela aprovação no Congresso de um projeto que limita o imposto estadual sobre serviços considerados essenciais, o que puxaria para baixo o indicador no mês. 

André Braz, economista e pesquisador do Ibre/FGV, explica que a gasolina compromete, em média, quase 7% do orçamento das famílias, e que mudanças no preço do combustível não são desprezíveis sobre o índice oficial de inflação, embora impactem menos em cadeia do que o diesel que é usado no frete e nos ônibus pelo transporte público.

Alívio de 4% para os motoristas

Braz prevê um alívio, entre julho e agosto, de 4% no preço da gasolina pago pelos motoristas nas bombas nos postos de combustíveis, considerando os dois últimos reajustes concedidos na refinaria. Ele calcula uma redução de 0,25 ponto porcentual no IPCA de agosto.

“Esperávamos uma inflação de 0,3% em agosto, mas se a gasolina recuar tudo isso, a inflação de agosto fica próxima da estabilidade. E corre o risco de o IPCA ficar no campo negativo se outras variáveis importantes apresentarem queda, como é possível que aconteça com a parte de telecomunicações, que também teve redução do ICMS e ainda não teve efeito em junho e no IPCA-15 de julho”, diz Braz, que prevê a inflação no ano caindo de 7,5% para em torno de 7,2%.

Economista prevê IPCA de -0,22% em agosto

Mirella Hirakawa, economista sênior da AZ Quest, diz que o anúncio de reajuste pela Petrobras foi de certa forma inesperado para o mercado, uma vez que os números da Abicom, associação que reúne importadores de combustíveis, indicavam defasagem positiva da gasolina em relação ao preço internacional do petróleo, referência da política de precificação da Petrobras.

A economista já previa deflação de 0,05% no IPCA de agosto por conta da redução de 4% no preço da gasolina nas refinarias a partir do dia 20 de julho e da possível queda nos preços no setor de telecomunicações. Agora, ela projeta deflação de 0,22%.

A queda no preço da gasolina teria um impacto de -0,14 ponto percentual sobre o índice, enquanto o etanol deve contribuir com -0,3 p.p. em agosto.

“Antes esperávamos IPCA para 2022 de 7,3%, agora a expectativa é de 7,1% no ano. Essas medidas de redução de impostos e, agora, as reduções de preços de combustíveis corroboram para uma inflação que começa a convergir em direção à meta. Fica mais difícil ter novos picos de inflação.”

Na Ativa Investimentos, a projeção para o IPCA de agosto que estava zerada foi reduzida para -0,15%. No ano, a estimativa de inflação se manteve em 6,7%.

“Estamos reapurando a metodologia, visto que nem o corte de hoje nem o corte anterior estava previsto, mas aparentemente eles (Petrobras) estão considerando algumas outras coisas que nós não considerávamos anteriormente”, explica Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos.

Redução do combustível para aviões deve baratear passagens

Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos, explica que uma redução no preço do querosene de aviação (QAV), também anunciada ontem pela Petrobras, precisa se perenizar por 70 a 80 dias para influenciar a coleta do IPCA, visto que o IBGE faz uma pesquisa dos preços de passagens aéreas com 70 dias de antecedência.

“Precisaríamos assistir isso se perenizando para que o custo lá na frente fique menor e as companhias repassem isso para um horizonte mais longínquo. Só que, mais relevante que o próprio preço do combustível, um alívio na demanda é que pode ser responsável por uma potencial queda nos preços de passagens aéreas”, explica Sanchez, ao elencar que a inflação, inadimplência e o custo de captação do crédito estão elevados.

Fonte: IG ECONOMIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Assembleia da Petrobras avalia nomes para Conselho de Administração

Publicado

 A Petrobras realiza agora à tarde Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de acionistas para eleger oito membros do Conselho de Administração. Além do atual presidente da estatal, Caio Paes de Andrade, estão confirmados na lista o secretário executivo da Casa Civil da Presidência da República, Jônathas Assunção Salvador Nery de Castro, e o procurador-geral da Fazenda Nacional, Ricardo Soriano de Alencar.

Os nomes de Castro e Alencar, indicados pelo acionista majoritário, ou seja, a União, foram excluídos da lista em julho passado, porque o Comitê de Elegibilidade (Celeg) da companhia apontou a existência de conflito de interesse para que ocupassem assento no colegiado, ao mesmo tempo em que exerceriam cargo no governo federal.

Entretanto, nos dias 11 e 15 deste mês, a Petrobras recebeu ofícios dos ministérios da Economia e de Minas e Energia, respectivamente, que ratificavam a indicação, pelo acionista controlador, de Alencar e Castro para o Conselho de Administração da empresa, a ser submetida à AGE convocada para esta sexta-feira.

A assembleia será online, por meio de plataforma digital, conforme estabelecido no edital de convocação e manual de participação na reunião de acionistas, no último dia 19 de julho.

A lista para integrar o Conselho da Petrobras foi divulgada pelo Ministério de Minas e Energia no dia 9 de junho, composta por Caio Mario Paes de Andrade (atual presidente da empresa), Gileno Gurjão Barreto (indicado para presidir o Conselho de Administração), Ricardo Soriano de Alencar, Edison Antonio Costa Britto Garcia, Jonathas Assunção Salvador Nery de Castro, Ieda Aparecida de Moura Gagni, José João Abdala Filho, Marcelo Gasparino da Silva, Ruy Flaks Schneider e Márcio Andrade Weber.

A Petrobras informou, por meio da assessoria de imprensa, que o resultado da assembleia deverá ser divulgado ainda hoje, após o fechamento do mercado financeiro.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Economia

Continue lendo

Economia

Cuiabá encerra a semana com 855 vagas de emprego com salários de até R$ 7 mil; veja funções e benefícios

Publicado

Para quem busca uma oportunidade no mercado de trabalho, o Sine Municipal, coordenado pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, disponibilizou nesta sexta-feira (19), mais de 850 vagas de emprego em diversas áreas de atuação.

As oportunidades são para os cargos de: agente de vendas de serviços, ajudante de obras, analista de planejamento financeiro, atendente de balcão, auxiliar de limpeza, balconista de açougue, borracheiro, carpinteiro, conferente de carga e descarga, eletricista, eletrotécnico, engenheiro civil, garçom, gerente comercial, motorista de caminhão, operador de caldeira, serralheiro, técnico de edificações, vendedor interno, entre outas vagas.

Para se candidatar basta baixar o aplicativo “Sine Fácil” ou acessar a página virtual do Emprega Brasil (empregabrasil.mte.gov.br). O candidato pode ainda se dirigir a unidade do Sine no Coxipó ou no Shopping Popular, com os documentos pessoais.

Nesta sexta-feira, a van do Sine da Gente, que integra o programa Pra Frente Cuiabá, leva atendimento aos moradores do bairro Altos do Parque. A equipe se posiciona no espaço da EMEB Clóvis Hugueney Neto, localizada na Avenida I, Quadra 21, Lote 30, oferecendo os serviços de encaminhamento de vagas de emprego, Carteira de Trabalho Digital e orientação no Seguro de Desemprego, das 9h às 12 e 13h às 16h.

Canais de atendimento Sine Municipal de Cuiabá:

Sine Shopping Popular: das 9h às 17h

Telefone e Whatsapp: (65) 3664-1503/ 99251-7480

Sine Coxipó: das 7h às 17h

Telefone e Whatsapp: (65) 3675-3113/ 99337-2799

Sine da Gente (Sine móvel): toda semana em um bairro diferente de Cuiabá.

Os empregadores que desejarem anunciar suas vagas no Sine podem entrar em contato pelos telefones (65) 3645–7216 ou (65) 3645-7237, pelo whats (65) 99255–2450 ou pelo e-mail [email protected].

PLANILHA DE VAGAS 19-08-2022

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana