conecte-se conosco


Política MT

Em live e café da manhã com a família, Reinaldo lança campanha falando em projetos, futuro e mudanças profundas para o Estado

Publicado

DA REDAÇÃO/ASSESSORIA

O candidato ao Senado Federal pelo Partido Social Cristão em Mato Grosso, Reinaldo Morais, lançou, oficialmente, na manhã deste domingo (27), a sua campanha para a eleição suplementar que será realizada no próximo dia 15 de novembro.

Em casa, ao lado da família, o empresário compartilhou em uma live durante o café da manhã familiar. Reinaldo, agradeceu o apoio e falou sobre a necessidade em atender a esse chamado para contribuir com Mato Grosso e com a nação no Senado Federal.

Reinaldo é um empreendedor nato, iniciando a sua vida de trabalhador ainda muito jovem, tendo sucesso no ramo de nutrição animal e frigoríficos. Hoje, orgulha-se em ser gerador de mais de 1000 empregos diretos e afirma estar preparado para representar o estado no Congresso.

“Minha vida sempre foi pautada no trabalho, ética, respeito à família e a Deus. Tenho uma vida de serviços prestados e me sinto preparado para atender a esse chamado e dar a resposta que a população de Mato Grosso quer, que é a continuidade do trabalho que a senadora Selma Arruda iniciou e assim fazer a diferença no Congresso, como sempre fiz em minha vida”, disse o candidato.

Reinaldo Morais ressalta que a sua candidatura é a única que vai tornar possível a continuidade ao trabalho desenvolvido por Selma Arruda enquanto esteve no Senado. “Nós queremos fazer um embate real contra a corrupção, criar políticas públicas para geração de emprego e renda, para que de fato aconteça a valorização da família mato-grossense e assim trazer mais dignidade para a população. Precisamos romper com a velha política, dar oportunidade a novos nomes e por isso me coloco nessa disputa, para integrar o bloco Muda Senado, muda Mato Grosso, muda Brasil”, afirmou o candidato pelo PSC.

Eleita senadora da República com 678.542 votos, nas eleições de 2018, a ex-juiza Selma Arruda foi enfática em declarar o seu apoio ao projeto de Morais, como uma forma de dar prosseguimento ao seu legado.

“Essa vaga no Senado era minha. Fui eleita legitimamente com quase 700 mil votos. É por isso que eu estou aqui hoje. Eu valorizo isso muito essa conquista em minha vida. É como aquela coisa que você ama muito, que você tem muito carinho e só daria para alguém muito especial. Então, esse apoio é muito especial. Não iria dá-lo a qualquer pessoa. Por isso eu apoio o amigo Reinaldo Morais, que é uma pessoa íntegra, trabalhadora e que vai ter condições de dar continuidade ao trabalho que eu iniciei”, disse Selma Arruda durante Convenção Partidária.

Suplentes

O primeiro suplente, Gilberto Cattani, é de Nova Mutum, filiado ao Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB-MT), que formou uma aliança com o PSC para dar mais visibilidade nas eleições de 2020. Cattani é representante da agricultura familiar e grande referência no bloco patriota bolsonarista de Mato Grosso.

O segundo suplente, Neles Farias, é de Rondonópolis, filiado ao PSC, é empresário e foi por duas vezes presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas local

publicidade
1 comentário

1 comentário

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Decreto do governo estadual determina “fecha tudo” a partir das 19 horas em todos os municípios

Publicado

Governador Mauro Mendes, presidente da AL, Max Russi e o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo durante reunião virtual com prefeitos [Foto – Maike Toscano]

Em uma rápida fala com a imprensa, no início da tarde desta segunda-feira (1), o governador Mauro Mendes (DEM), falou das medidas que serão adotadas em Mato Grosso para o combate do coronavírus e evitar um colapso no sistema público de saúde.

“O governo conseguiu segurar a ocupação dessas taxas da ocupação de UTIs, mas chegamos no limite. Lamentavelmente temos que adotar aquilo que o Brasil inteiro está fazendo, o mundo inteiro já fez, que é diminuir a circulação de pessoas para diminuir a situação do vírus”, disse Mendes.

Conforme o governador, “essas medidas ainda não são um lockdow geral, o fecha tudo, mas vai funcionar das 5 da manhã até as 19 horas, neste horário as atividades permanecem normais. A partir das 7 da noite até as cinco da manhã, só farmácias e equipamentos da saúde e postos de combustíveis”.

“O sistema delivery vai poder funcionar até às 22 horas, mas a partir das 19 horas, todos terão que fechar. E a partir das 21 horas vai existir o chamado toque de recolher, a polícia vai estar nas ruas, com barreiras, nas principais cidades, onde nós tivermos força policial para isso”, explicou o governador democrata.

Segundo Mauro Mendes, “os prefeitos participaram conosco de uma grande reunião, onde nós informamos isso, o Ministério Público vai estar fiscalizando. Eu espero que a população compreenda. Lamentavelmente, essa semana vamos chegar, provavelmente, a quase 100% da ocupação de nossas UTIs. Se não frearmos o vírus teremos muita perda de vidas”.

Mendes explicou que ainda hoje encaminha, em regime extraordinário, um projeto de lei para a Assembleia Legislativa, com as novas medidas. “Nesse projeto estará contida a possibilidade de multa para quem descumprir. Teremos multas pesadas que não gostaríamos de aplicar. Mas quem descumprir será multado”.

Sobre a questão da vacina, Mauro Mendes observou que “essa sempre foi uma responsabilidade do Ministério da Saúde. O governo compra e manda para os governos estaduais. A do coronavírus é uma corrida mundial. Independente do governo federal, eu estou tentando comprar há mais de um mês, já falei com vários laboratórios. Amanhã mesmo estamos indo em Brasília para uma reunião com os demais governadores e a presidência, para tentar um acordo com o fabricante da vacina Sputnik”.

 

 

Continue lendo

Política MT

Aglomeração vai gerar multa de até R$ 60 mil e fechamento do estabelecimento por três meses em Cuiabá

Publicado

O projeto do Executivo foi encaminhado nesta segunda-feira para a Câmara Municipal [Foto – Luiz Alves]

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, encaminhou em regime de urgência especial nesta segunda-feira (1) à Câmara Municipal, o  Projeto de Lei que prevê penalidades e sanções para pessoas e estabelecimentos comerciais de qualquer natureza que descumprirem o decreto  nº 7.849 de 20 de março de 2020 que impõe uma série de medidas emergenciais e temporárias para combater a proliferação da Covid-19 na Capital.

O PL foi entregue às 11h30 – pelo secretário de Governo Luis Claudio de Castro Sodré, juntamente com os vereadores líder e vice-líder do prefeito, Marcrean Santos e Kassio Coelho ao presidente do Legislativo Municipal, Juca do Guaraná.

“Como o vereador Juca do Guaraná Filho disse aqui, o bom comerciante não precisa se preocupar, aquele que cumpre as normas não precisa se preocupar, mas aquele que descumpre precisa, porque nós vamos ser bem rígidos. Hoje não cabe mais nós penalizarmos o setor produtivo. Nós já aprendemos que temos que usar máscara, higienizarmos as mãos, o que acontece é que algumas pessoas não estão nem ai, e a gente vai justamente atuar nessa vida noturna bem agitada, Nós já fizemos isso, mas não tínhamos o instrumento da penalização e isso é necessário. Nós somos contra o lockdown e a favor de um possível toque de recolher para amenizar a incidência da contaminação da COVID-19 em Cuiabá”, comentou o secretário de Governo.

Conforme o Projeto de Lei, foram verificadas recentemente diversas situações de desobediência às medidas de biossegurança para conter o avanço da doença.  “Queremos  restabelecer o cumprimento de tais importantes determinações sanitárias. É importante que a sociedade continue respeitando o decreto que impõe as medidas de segurança e os estabelecimentos, principalmente os de  eventos, que tenham consciência do problema que a aglomeração pode causar. Eu peço para a população que continue tendo cautela com relação a esta doença”, disse o prefeito.

Aos infratores, pessoas físicas e/ou jurídicas que infringirem qualquer das medidas de biossegurança devidamente editadas pelo Poder Executivo Municipal, destinadas ao enfrentamento da Covid, serão aplicadas as seguintes penalidades: advertência, multa que varia entre R$ 3 a R$ 60 mil, medida de suspensão imediata da atividade e/ou evento, medida de interdição temporária por 90 dias do estabelecimento e/ou atividade.

As penalidades podem ser aplicadas isoladas ou cumulativamente, dependendo da gravidade da infração. Ainda, a retomada do funcionamento das atividades e/ou eventos que foram objeto das medidas deve ser precedida da emissão de Termo de Levantamento (de suspensão ou de interdição temporária), de competência da autoridade julgadora.

Com relação a multa, o valor vai depender da gravidade da infração, a ser mensurada pelo agente público no momento da autuação. Será levado em conta também a situação econômica e grau de instrução do infrator.

Quanto aos estabelecimentos comerciais será levado em consideração a quantidade de pessoas presentes no local,  eventual reincidência na prática da infração, desrespeito ou desacato a autoridade administrativa, quando no exercício das atribuições previstas nesta Lei e obstrução ou tentativa de dificultar a ação fiscalizadora das autoridades administrativas no exercício de suas funções.

Ainda, será considerada a penalidade em seu valor máximo, quando se tratar de atividades econômicas e/ou eventos de qualquer espécie, em que se constate a presença de mais de 50 pessoas, realizados em espaços públicos e/ou privados em inobservância das medidas de biossegurança.

O autuado poderá  substituir o valor da multa aplicada, pela doação de cestas básicas em favor do Poder Executivo Municipal, em quantidades e valores que correspondem à penalidade aplicada, com desconto de 50% (cinquenta por cento), no prazo de 10 (dez) dias úteis contados da autuação.  O autuado pode também optar pelo  pagamento voluntário da multa no prazo de até 5 dias contados da autuação,  o recolhimento do valor se dará com desconto de 30% do seu respectivo valor.

Conforme o projeto, os responsáveis pela realização dos eventos e os proprietários dos estabelecimentos comerciais, são responsáveis pela aplicação das medidas de biossegurança pelos clientes e demais frequentadores do ambiente, não se eximindo em qualquer hipótese da responsabilidade pelo descumprimento das medidas impostas.

As fiscalizações rotineiras continuarão a cargo da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Sorp), juntamente com  a Polícia Militar e de agentes municipais da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e da Vigilância Sanitária.

 

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana