conecte-se conosco


Várzea Grande

Educação promove segunda etapa de formação para articuladores e monitores do programa ETA

Publicado


A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Smecel), por meio da Superintendência Pedagógica, promoveu entre os dias 19 e 23 a segunda etapa de formação “Compartilhando práticas, tecendo saberes” para os articuladores e monitores do Programa Escola em Tempo Ampliado (ETA). Participaram da formação cerca de 130 articuladores e monitores que atuam nas 28 unidades de ensino que atendem ao ETA.

Segundo a coordenadora do programa ETA, Samira Untar, o objetivo da formação foi alinhar sobre o funcionamento do programa, discutir sobre o trabalho realizado no primeiro semestre e ajustar com os articuladores e monitores as atividades e rotinas do programa para o segundo semestre.

Os participantes receberam formação sobre as oficinas de Música, Dança, Esporte e Teatro, Letramento, Apoio à Aprendizagem e Raciocínio Lógico. Foi abordado ainda o planejamento e como trabalhar as atividades do programa ETA na estrutura do Documento de Referência Curricular de Mato Grosso (DRC-MT). A formação também focou no trabalho em equipe e promoveu dinâmicas entre os participantes.

O programa ETA beneficia cerca de 2 mil estudantes do 4º ao 9º ano de 28 unidades de ensino. Esses alunos passam o dia na escola, sendo que pela manhã seguem a matriz curricular normal, período regular, de acordo com o ano que frequentam, e à tarde têm ocupação e atividades na escola, aprimorando seu próprio aprendizado. Os alunos têm atividades no contraturno escolar com aulas de reforço em letramento, raciocínio lógico, oficinas de dança, informática, horta, artesanato, teatro e atividades esportivas.

O secretário Silvio Fidelis lembrou que, por conta da pandemia da Covid-19, o programa ficou paralisado por alguns meses e retomou suas atividades presenciais em maio deste ano com 50% da sua capacidade de atendimento, sempre no período da tarde. “No próximo mês vamos retornar com as aulas presenciais, no sistema híbrido, em todas as unidades de ensino da rede municipal e o ETA continuará ofertando as oficinas aos alunos, pois entendemos que elas são essenciais para contribuir com a melhoria do processo ensino-aprendizagem, principalmente as oficinas de apoio à aprendizagem, letramento e raciocínio lógico”, ressaltou o secretário, acrescentando que o retorno das oficinas foi feito em acordo com os pais dos alunos.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Várzea Grande

Prefeito e secretário de Saúde lamentam morte do diretor da UPA Ipase

Publicado


O prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, e o secretário municipal de Saúde, Gonçalo de Barros, registram com profundo pesar a morte neste sábado (25), do médico George da Costa Melo, de 39 anos.

George era diretor da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ipase, em Várzea Grande, e, estava internado desde o dia 08 de agosto após ser vítima de um acidente de avião. O médico e outras três pessoas voltavam de uma pescaria, porém após a decolagem em Porto Jofre, no Pantanal, sentido Cuiabá, a aeronave caiu por falta de combustível.

No período em que ficou hospitalizado, familiares e amigos chegaram a fazer campanha de doação de sangue para ajudar na recuperação. Porém, o quadro de saúde se agravou na manhã deste sábado e ele não resistiu aos ferimentos provocados pela queda da aeronave.

“Com muita tristeza recebi a notícia da morte precoce do médico George da Costa Melo, que muito contribuiu com a saúde pública de Várzea Grande. Quero deixar meus sinceros sentimentos de pesar à toda família, colegas de trabalho e todos que com ele conviveram. Que Deus possa dar o conforto neste momento de dor”, externou Kalil Baracat.

O secretário de Saúde, Gonçalo de Barros pontuou que George “era um profissional dedicado e comprometido. Todos os colegas de trabalho estão abalados. Expressamos nossa solidariedade aos familiares, amigos e à população da cidade. É uma perda irreparável”.

Continue lendo

Várzea Grande

Famílias carentes da região do grande Cristo Rei recebem doações de roupas

Publicado


Para muitas famílias carentes a alimentação é mais que uma necessidade básica, o salário muitas vezes não dá para comprar o essencial, e o vestuário acaba se tornando um item de luxo. Pensando nisso, a direção do Centro de Referência em Assistência Social – CRAS – do bairro Cristo Rei, resolveu instalar na sede do órgão o ‘Guarda Roupa Solidário’, dando àqueles que precisam a oportunidade de levar para casa, peças de roupas (usadas, porém em boas condições).

Como explica a gerente do CRAS – Luciene da Silva Amaral, o ‘Guarda Roupa Solidário’ é um projeto que visa auxiliar famílias em extrema vulnerabilidade, que precisam de roupas e não tem condições de comprar se quer uma peça de vestuário. “Cada pessoa tem direito a cinco peças, e havendo a necessidade, podem levar um número maior. As roupas são doadas pela comunidade em geral, e a partir da entrega são colocadas em araras e varais e já podem ser retiradas sem que haja necessidade de cadastro ou inscrição”.

Luciene Amaral disse ainda que todos os dias o CRAS recebe essas doações, mas que os vestuários não ficam lá por muito tempo porque todos os dias tem uma família de um bairro do Cristo Rei, e de outras regiões à procura das peças de roupas. “As roupas infantis são as que mais têm saída, uma vez que as crianças crescem rápido e acabam perdendo as roupas com mais facilidade. Bermudas também saem bastante, aliás, tem aumentado muito a procura por roupas masculinas e eles próprios têm vindo ao CRAS para fazer a seleção da peça. Antes, a presença no local era de mulheres e crianças. Agora o público masculino tem sido percebido por vários dias da semana”.

A Secretária de Assistência Social, Ana Cristina Vieira, destaca a importância do projeto, que além de alcance social, pois beneficia aqueles que realmente necessitam, é um ato de solidariedade, que foi ampliada, principalmente, neste período de pandemia, onde muitas famílias que já eram consideradas carentes foram afetadas ainda mais, tendo as suas necessidades aumentadas, ao ponto de não terem o que comer e vestir.

“Temos oferecido cestas básicas e agora estamos também com esse projeto de distribuições de roupas, que à princípio está sendo realizado na CRAS do bairro Cristo Rei, mas a nossa intenção é levar para outras unidades, por isso é essencial que a população que tenha condições de doar, que faça a sua doação na unidade ou quem não puder levar que ligue informando a sua localização, que a nossa equipe irá buscar”, explicou a secretária destacando que ajudar quem precisa nunca sai de moda.

Moradora do bairro da Manga, a aposentada Valdeci Pereira Matias, é usuária do CRAS – do Cristo Rei – e recebe mensalmente uma cesta básica que atende as necessidades de sua família. Sem condições de comprar roupas novas, ainda que a preços acessíveis, ela é uma que se dispõe desse benefício, e sempre vai à unidade à procura de peças para ela e seus netos. “Já levei para casa diversas roupas para mim e meus netos. São peças semi novas e que nos ajudam uma vez que não temos dinheiro para comprar. É importante que programas como esse existam, porque o que não serve mais para uns, serem para outros”.

A dona de casa, Georgina Maria Damaceno também já levou para casa várias peças e sempre volta para ver o que pode ser usado por ela, e pela família. “Para o pobre a prioridade é ter comida no prato, mas também não podemos sair sem roupas por aí, daí a importância desse projeto que beneficia aqueles que mais precisam. É necessário que quem tem mais possa ajudar a quem nada tem, por isso eu peço que se você tem roupas sem uso em seu guarda roupa, que faça a sua doação a este posto de atendimento que com certeza fará a felicidade de quem mais precisa”, pontuou.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana