conecte-se conosco


Várzea Grande

Educação promove curso de boas práticas para merendeiras da rede municipal de ensino

Publicado

A secretaria municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer em parceria com a secretaria municipal de Saúde e da secretaria estadual de Educação, capacitou entre os dias primeiro a 7 de outubro, profissionais de Apoio Administrativo em Nutrição Escolar (merendeiras), pertencentes as 87 escolas municipais e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) da rede de ensino de  Várzea Grande. O curso de atualização de boas práticas para apoio em nutrição escolar foi realizado no anexo I da Educação Municipal e beneficiou cerca de 200 profissionais, sendo divididas em duas turmas. 

A capacitação tem como objetivo qualificar as merendeiras a preparar, armazenar de forma adequada, higiênica e segura os alimentos como explica o secretário municipal de Educação Silvio Fidelis. “O curso prevê a capacitação e qualificação das auxiliares de merenda escolar do município, na intenção de ensinar e auxiliar a elas no processo de manipulação de alimentos com qualidade, de segurança alimentar. O importante hoje na alimentação é você produzir alimento seguro, onde a pessoa/consumidor e neste caso nós estamos falando de crianças, que elas possam se alimentar, com a garantia que não vão adquirir doenças por uma manipulação incorreta e inadequada, além de cumprirmos com a legislação, sendo este curso uma norma preconizada pela ANVISA, que é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária,” explicou o secretário.  

Leia Também:  Saúde intensifica ações no reforço à campanha contra a gripe

Ainda para o secretário de Educação ,Silvio Fidélis, o curso é importante para que a gestão consiga instituir e manter as boas práticas no manuseio dos alimentos no âmbito escolar. “É um ótimo aprendizado sobre cardápio, armazenamento dos alimentos e os cuidados nutricionais. Tudo que precisamos garantir para manter a qualidade da merenda escolar que hoje temos na nossa rede escolar e oferecer o melhor atendimento nesse setor”, acentuou.

A nutricionista Mônica Aparecida Gonçales, uma das facilitadoras do curso, explicou que a abordagem principal esteve relacionada ao trabalho das merendeiras. “Falamos desde o preenchimento de registro de controle até as boas práticas de manipulação dos alimentos e os hábitos saudáveis, além das normas vigentes por lei na segurança alimentar. São instruções necessários e que fazem parte do dia-a -dia dessas profissionais”, disse ela.

A Superintendente Operacional do Sistema Escolar,  Ednir Maria de Almeida, acrescenta que a capacitação é uma espécie de reciclagem. “Todo ano realizamos treinamentos como esse, renovando as técnicas repassadas às servidoras agregando conhecimento e troca de experiências entre elas. Esperamos com este curso possamos evitar o desperdício, com a melhora do aproveitamento e manuseio dos alimentos e o descarte das sobras, uma questão ambiental séria que impacta a todos e que tem trazido problemas para a manutenção das escolas, exatamente por causa desse mau descarte que acaba levando restos para os ralos e consequentemente esgotos, e acima de tudo a segurança alimentar dos alunos”, disse a superintendente. 

Leia Também:  Mutirão para negociação de dívidas fiscais em Várzea Grande vai até amanhã 18

Ednir  Maria de  Almeida pontuou ainda o interesse das servidoras na capacitação. “Dividimos em duas turmas, uma no dia primeiro e hoje estamos finalizando com a segunda turma .“ Duvidas foram esclarecidas e as regras afiançadas.Sempre é bom relembrar as práticas de higiene e manipulação dos alimentos. O interesse foi grande por parte das merendeiras, o que melhora no seu dia-a dia , na execução do seu trabalho . E no dia 30 desse mês é comemorado o Dia da Merendeira, em alusão a data  iremos realizar uma grande comemoração para nossas servidoras que merecem esse reconhecimento pelo excelente trabalho que desempenham em nossas unidades”, finaliza a superintende. 

“Troca de ideias e potencialização dos nossos conhecimentos”, foi a colocação usada pela servidora, Edilhiane de Jesus Silva, que esteve presente na capacitação,  “Ações como essa fazem toda a diferença para o nosso trabalho que apesar de ser rotineiro, necessita de atualização no aprendizado. Mais do que conhecimento trocamos experiências umas com as outras, o que nos permite executar um trabalho cada vez mais de qualidade”, disse a merendeira.  

Por: Letícia Kathucia – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Várzea Grande

Fiscalização registra aumento de autuações na proteção do meio ambiente

Publicado

De janeiro a setembro deste ano, o setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável de Várzea Grande registrou 39 notificações, 28% a mais que nos 12 meses de 2018. Entre as principais causas de notificações estão invasões de Áreas de Preservação Permanente (APPs), lava jatos e serralherias sem licenciamento ambiental para funcionamento, poluição sonora, descartes irregulares de entulhos, denúncias de maus tratos contra animais, podas de árvores irregulares, incêndios urbanos criminosos em terrenos vazios ou no próprio quintal da casa, entre outras.

De acordo com a Secretária Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável, Helen Farias, as atividades de fiscalização são fundamentais para a preservação ambiental, uma vez que este tipo de ação tem como principal missão controlar os impactos ambientais causados por atividades produtivas das mais diferentes naturezas. “Tendo em vista o leque de atuação da nossa fiscalização, e a necessidade de se fazer cumprir uma legislação específica que é o Código Municipal de Meio Ambiente, é que na maioria das vezes realizamos as vistorias ou atendimentos a denúncias em parceria com o Juizado Volante Ambiental – Juvam, e, a Polícia Militar de Proteção Ambiental”, explica a secretária.

Leia Também:  Mutirão para negociação de dívidas fiscais em Várzea Grande vai até amanhã 18

Ainda segundo a gestora, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável entende que a fiscalização ambiental “consiste no dever que o Poder Público tem de fiscalizar as condutas daqueles que se apresentem como potenciais ou efetivos poluidores e utilizadores dos recursos naturais, de forma a garantir a preservação do meio ambiente para a coletividade”, detalha Helen Farias.

O coordenador de Fiscalização Municipal, Edipson Morbeck Júnior, atenta para o fato de que a “fiscalização ambiental busca induzir a mudança do comportamento das pessoas por meio da coerção e do uso de sanções, pecuniárias e não-pecuniárias em conformidade com a legislação evitando danos ambientais. Em outras palavras, temos como objetivo a mudança de hábitos das pessoas, sejam físicas ou jurídicas, visando a correção de posturas e atividades potencialmente lesivas ao ambiente, garantindo assim, a integridade ambiental”, destaca o coordenador ressaltando os casos que são encaminhados para audiências de conciliação junto ao Juvam.

Edipson Morbeck Júnior lembra também que em casos de flagrante delito, é necessário o encaminhamento para a Delegacia do Meio Ambiente (Dema) para instauração de processo criminal. “O termo ‘fiscalização ambiental’, na maioria das vezes, é entendido como uma medida punitiva aplicada por órgãos fiscalizadores, que possui o poder de aplicação de multas, resultando em prejuízos financeiros para as organizações. No entanto, se trata de um conjunto de medidas de controle visando a proteção da integridade ambiental. Portanto, ao contrário do que muitos julgam, a fiscalização não tem como objetivo apenas a aplicação de multas, sendo estas, apenas uma ferramenta utilizada pela fiscalização punitiva. Na maioria das vezes trabalhamos com a prevenção”, completa.

Leia Também:  Nota de Pesar

Por: Rafaela Maximiano – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Continue lendo

Várzea Grande

Começa hoje em Várzea Grande a aplicação da Prova Brasil

Publicado

A Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande começou a aplicar nesta segunda-feira, 21, e vai até dia 1º de novembro a prova do Sistema de Avaliação de Educação Básica – Saeb nas escolas de todo o Brasil. A avaliação é feita a cada dois anos, e para 2019 a novidade é a avaliação amostral, que será aplicada aos alunos do 2º ano de toda a rede. O intuito é avaliar o nível de alfabetização dos alunos. 

Todas as escolas que possuem o ensino fundamental entre municipais, estaduais e privadas de Várzea Grande farão a prova.

O Saeb é aplicado a cada dois anos e permite produzir indicadores educacionais das escolas do Brasil. O exame também permite avaliar a qualidade, a equidade e a eficiência da educação praticada nos diversos níveis governamentais. As avaliações de Português e Matemática serão aplicadas para todos os estudantes de 5º e 9º anos.

Para essa edição de 2019, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep – trouxe algumas inovações na realização da prova. Uma amostra de estudantes do 9º ano de escolas públicas fará os testes de ciências da natureza e ciências humanas com referência na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada em 2017. 

Leia Também:  Mutirão para negociação de dívidas fiscais em Várzea Grande vai até amanhã 18

A Base Curricular também será a referência para a avaliação dos alunos do 2º ano do ensino fundamental, que também participarão pela primeira vez, com a finalidade de avaliar o nível de alfabetização dos alunos.

O secretário Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande ressalta o empenho do município na colaboração e realização da prova para as melhorias na qualidade do ensino público do nosso município e diz que a aplicação da prova faz parte do conjunto de estratégias contidas no Plano Municipal de Educação para garantir o avanço gradativo do processo de ensino e aprendizagem na rede pública do município.

“É fundamental que todos os alunos participem. Com os resultados da avaliação, as secretarias e o INEP têm um diagnóstico da Educação e podem detectar desigualdades nas escolas. Quanto mais estudantes fizerem, mais dados teremos para compor o Inep e melhorar a educação”, explica o gestor da pasta. 

Por: Letícia Kathucia – Secom/VG

Fonte: Prefeitura de Várzea Grande
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana