conecte-se conosco


Opinião

EDUARDO PÓVOAS – Capitão “te” cuida

Publicado

Escrevi cerca de dois meses antes da eleição presidencial que o candidato Jair Bolsonaro não era nenhuma Brastemp e muito menos um Posto Ipiranga.

Com os candidatos pretendentes à vaga de Presidente da República, tinha e tenho até hoje a certeza de que o Capitão seria o menos ruim para o Brasil.

Não quero falar sobre os outros, faça o seu juízo que eu respeito, porem nenhum deles a não ser o Capitão convenceria a ter meu voto.

Diziam amigos meus que Bolsonaro não era preparado, não era culto, não era isto ou não era aquilo. Pouco me interessava se preparado ou culto era o Capitão, pois já tivemos um cultíssimo que na minha ótica “asfaltou” o caminho para o PT chegar ao poder, e outro sabiamente inculto, deixando nosso país ser “inquilino” das principais páginas policiais do planeta.

Cheguei à eleição passada, tendo a absoluta certeza de que o Brasil não precisava mais de um Presidente culto ou de um inculto, precisava de um Presidente Macho (com M maísculo).

Aí brota o Capitão, mais grosso que papel de embrulhar prego, e já sabendo de algumas posições sua no Congresso, penso eu: “taí o cara”!

Mas, confesso-lhes que nunca soube que seus filhos interferiam tanto na sua vida pública. Uma coisa é ser Deputado Federal, outra é ser chefe de um poder.

Capitão, seus filhos enquanto atiram para Bebianos, Olavos e Mourões da vida (embora este seja o segundo do país), parece estar tudo bem. Parecem aceitar a desculpa de que “é sangue do meu sangue”.

Mas cuidado com o giro dessa metralhadora pois pode fugir de controle.

A hora que a metralhadora desses seus “meninos” virar no sentido do Congresso Nacional, não tenha dúvida Capitão, sua faixa presidencial começará a cair do seu peito.

Eu não votei, ninguém votou nos seus filhos, uma nação de duzentas e vinte milhões de pessoas, ávida por voltar as trilhos da decência e da probidade, está começando a se preocupar com o cargo que a duras penas lhe demos.

Tá na hora de colocar o uniforme do Jardim de Infância nos seus garotos, encher a lancheira deles e encaminha-los para a escola.

Amor e afeto a um pai tem-se diferentes maneiras de ser expressado, e agressão não é a melhor forma para tal.

Nós que aí te colocamos, esperamos, isto sim, que o senhor nos devolva um país digno de criarmos filhos e netos.

Este é um alerta, se o senhor não acreditar, salve este artigo em uma pasta no seu computador para que, se continuarem seus filhos a interferir no seu governo e o senhor achar que “sangue do meu sangue” pode fazer isso, abra-o em um futuro breve.

EDUARDO PÓVOAS PÓS GRADUADO PELA UFRJ.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Opinião

LÍCIO MALHEIROS – Anacronismo

Publicado

Anacronismo é um erro cronológico, expressado na falta de alinhamento, consonância ou correspondência com uma época. Ocorre quando pessoas, eventos, palavras, objetos, costumes, sentimentos, pensamentos ou outras coisas que pertencem a uma determinada época são erroneamente retratados noutra época.
Em outras palavras, o anacronismo é uma forma equivocada onde tentamos avaliar um determinado tempo histórico à luz de valores que não pertencem a esse mesmo tempo histórico. Por mais que isso pareça um erro banal ou facilmente perceptível, devemos estar atentos sobre como o anacronismo interfere no nosso estudo da História.
A analogia que faço, tem como vertente, um processo histórico que norteia a política brasileira.
Neste momento estamos voltados, a nossa Egressa Casa de Leis, a Câmara Municipal de Cuiabá, que infelizmente tornou-se, alvo de sucessivas lambanças, protagonizadas por alguns vereadores, que no afã de proteger o Executivo Municipal, acabaram se expondo ao ridículo.
Infelizmente, algumas atitudes pouco ortodoxas cometidas por parte de alguns vereadores, acabou rotulando a Câmara Municipal de Cuiabá, com a pecha de “Casa do Horror”, a denominação não é minha, ela vem do povo.
A Câmara Municipal de Cuiabá, foi criada em 1 de janeiro de 1727, é composta atualmente por 25 vereadores, número máximo estabelecido pela Constituição de 1988.
Ao longo de sua história, o  Legislativo cuiabano chegou a ficar mais de meio século – desde a data de instalação – sem decidir por perda de mandato de parlamentar e os recentes casos entram para a história da instituição.
Três vereadores de Cuiabá  tiveram os mandatos cassados após escândalos de supostas fraudes e quebra de decoro parlamentar, em apenas um período de cinco anos, na Câmara Municipal.
São eles, João Emanuel (PSD), Lutero Ponce (MDB) e Ralf Leite (sem partido na época), todos foram cassados, pesando contra eles, falta de decoro parlamentar;  os motivos que os levaram a cassação,  a  população sabe.
Não conheço o vereador Abílio Junior (PSC), e nem tão pouco tenho procuração para defendê-lo, ouço muito o clamor das ruas, as pessoas no geral estão revoltadíssimas, com esse processo de cassação, embasado em cobranças sistemáticas por parte do vereador Abílio Junior (PSC) contra ações e desmandos praticados pelo Executivo Municipal.
Talvez, por falta de ressonância ou assimetria, com seus pares no que tange as cobranças e fiscalizações do Executivo Municipal; o mesmo use de todos os elementos e prerrogativas constitucionais para apurar irregularidades, tanto do Executivo  Municipal, como de seus pares.
Estamos confiantes, independentemente de bancada política, ou de grupo político, esperamos de coração, que haja bom senso e discernimento por partes de alguns vereadores, sobre o que é decoro parlamentar, e o que é perseguição política.
O vereador, sargento Joelson (PSC), sentido a ira da população que o elegeu, mudou seu posicionamento quanto à votação secreta da possível cassação do Abílio, como também, pela votação contraria a cassação de um justo, que apenas fez valer, as suas prerrogativas constitucionais de vereador, cobrando de forma exaustiva de todos indistintamente, tendo em alguns momentos, que cortar na própria carne.
No processo de cobrança pelo mesmo, pode ter havido excesso no decorrer das cobranças, porém ele, sempre se posicionou a favor das pessoas mais humildes, que estão na ponta desse processo sórdido e nefasto, como a falta de medicamentos nas farmácias, no PS, UPAs, e Policlínicas.
Principalmente nas Policlínicas, as pessoas mais humildes reclamam  a falta de medicamentos e até mesmo de médicos em áreas específicas, uma delas, a mais sentida  Psiquiatria.
Só existe, uma maneira de melhorar e humanizar literalmente esse atendimento, através de cobranças sistemáticas dos nossos, legítimos representantes os vereadores.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

Continue lendo

Opinião

JOSÉ DE PAIVA NETTO – Não atrair problemas já afastados por Deus

Publicado

Em Seu Santo Evangelho, segundo Mateus, 12:43 a 45, Jesus nos dá uma lição de segurança espiritual, que serve inclusive para as nações e jamais deve ser esquecida em tempos de grande perturbação íntima:

A estratégia de satanás

43 Quando um espírito imundo sai de um homem [ou de uma mulher], passa por lugares áridos, procurando descanso.

44 Como não o encontra, diz: — Voltarei para a casa de onde saí. Chegando, encontra a casa desocupada, varrida e adornada.

Essa alma — conforme escrevi em A Missão dos Setenta e o “lobo invisível” (2018) — é um homem ou uma mulher, desencarnados ou não, em situação espiritual precária.

45 Então, vai e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando, passam a viver ali. E o estado final daquele homem [ou daquela mulher] torna-se pior do que o primeiro. Assim acontecerá a esta geração perversa.

A Caridade de Deus afasta de nosso caminho os mais variados problemas de ordem espiritual, psíquica, emocional e de natureza material. Ainda em A Missão dos Setenta e o “lobo invisível”, chamo a atenção para o fato de que o Divino Amigo, Jesus, afasta de milhões e milhões pelo mundo o espírito obsessor, que, por sua vez, sai por aí arrependido, mas é um remorso falso. Vejam o que ocorre, no versículo 45, “(…) vai e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele (…)”.

Isso se dá por causa da invigilância em torno de um dos preceitos fundamentais do Mundo Invisível: a Lei de Atração. A sintonia com determinadas classes de entidades só pode nos fazer mal. Porém, se ela for estabelecida com os Maiores da Espiritualidade, irá nos engrandecer o coração e a Alma, o que impacta diretamente na saúde espiritual, moral, social, financeira e física das nações.

Em sua sabedoria, o povo nos ensina: “Cérebro desocupado é oficina do diabo”.

E o “lobo invisível”, espírito obsessor, por não possuir a vestimenta carnal, anda pelo mundo com liberdade relativa, levando em conta que apenas se aproxima de alguém quando se estabelece com esta pessoa sintonia de sentimentos e atos, quando descobre brechas, isto é, se instala na casa vazia, anteriormente limpa pelo Celeste Taumaturgo. Daí ser fundamental reeducar, à luz da Espiritualidade Superior, os nossos canais psíquicos, mantendo-os sanados e desobstruídos, com a elevação do nosso pensamento, nossas palavras e nossas ações (a Sintonia Tríplice com Jesus) voltados à Bondade, à Generosidade, à Fraternidade Ecumênica, à Verdade e à Justiça Divinas; enfim, ao Amor Crístico, sintetizado no Novo Mandamento do Condutor de nossas vidas — “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35).

Dessa maneira, firmaremos a ligação psicoespiritual permanente com os mais sublimes sentimentos, com nossos Anjos da Guarda, Guias Espirituais, Numes Tutelares, Almas Benditas, Espíritos Luminosos, que podem livrar-nos desse vilão, e permaneceremos atuantes no trabalho do Bem. Trata-se de elevadíssima lição da Cidadania Espiritual, que o Cristo Estadista nos oferece.

Jamais nos esqueçamos de que compete a nós não trazermos de volta os problemas que Deus afasta de nosso caminho.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor. [email protected] – www.boavontade.com

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana