conecte-se conosco


Opinião

EDUARDO CHILETTO – Mato Grosso e a Parceria de Ação em Economia Verde (PAGE)

Publicado

Nos últimos anos o Brasil, através do Estado de Mato Grosso, tem se beneficiado economicamente com o crescimento de seu grande setor agrícola. Na atual gestão, o governo tem trabalhado para aumentar o valor agregado das commodities agrícolas e ao mesmo tempo reduzindo os desafios ambientais associados a esse crescimento.

Além disso, está atento a questões sociais significativas, diminuindo expressivamente as condições de trabalho precárias e distribuição de renda desigual, tão graves e intensas que não foram sanadas em gestões anteriores.

Nesse esforço, conta com o apoio do setor privado, além do apoio da ONU através da Parceria de Ação em Economia Verde (PAGE), que tem oferecido suporte a setores estratégicos como a agricultura familiar, turismo sustentável e planejamento e ordenamento territorial, entre outras políticas que vêm sendo fortalecidas.

Reconhecendo a importância de alcançar um crescimento sustentável inclusivo, tão propagado internacionalmente pela ONU, Mato Grosso, por meio da Assessoria Internacional da Casa Civil, optou por enfrentar os desafios de promover o desenvolvimento sustentável estimulando atividades econômicas com o uso de novas tecnologias e esforços para manter e/ou reabilitar sua base de recursos naturais.

Se percebeu que a abordagem requer um processo de “descarbonização” da economia, mais eficiência energética, capacidade de planejamento e mão de obra qualificada. Esta estratégia se alinhou fortemente com os objetivos da ONU, em especial da Aliança de Ação para uma Economia Verde – PAGE.

Mato Grosso, por meio desta parceria, vem se beneficiando de vários instrumentos de planejamento em nível internacional para promover o desenvolvimento sustentável em todo o território, inclusive no Brasil.

Reformas temáticas e setoriais foram buscadas em uma variedade de áreas prioritárias, incluindo principalmente um novo processo de ocupação territorial, agricultura, agroindústria, turismo sustentável, energia renovável, regularização fundiária e empregos verdes, entre outros.

No entanto, veio a pandemia da Covid-19 e o governo estadual, em uma iniciativa arrojada e ágil, colocou a recuperação verde no centro do plano de recuperação econômica, inclusive com recursos a fundo perdido da PAGE recebidos do KFW (Banco de Desenvolvimento da Alemanha), reconhecendo a importância de investir em programas que tragam concomitantemente benefícios ambientais, sociais e econômicos significativos para a população.

A política de recuperação verde promovida pelo governo de Mato Grosso tem como foco o fortalecimento da agricultura familiar, que responde por 51% da força de trabalho de Mato Grosso, implementado por meio do Plano Estadual de Agricultura Familiar em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Secretaria de Meio Ambiente.

A PAGE está à frente da reformulação do Plano Estadual da Agricultura Familiar, o que reforça uma área que a PAGE em nível global já apoia ativamente. E as áreas de interesse elencadas pelo governo de Mato Grosso são o desenvolvimento da cadeia de valor da agroindústria, integração logística e comercial dos produtos da agricultura familiar, melhor assistência técnica e governança para apoiar uma recuperação econômica verde e inclusiva.

Esse esforço coletivo do Governo do Estado de Mato Grosso tem se concretizado com a atuação das secretarias de estado, parceiros privados, instituições de ensino superior e organizações não governamentais, inclusive com a atuação da Academia de Arquitetura e Urbanismo (AAU-MT).

Esta, junto com a UFMT, elaborou um Plano de Gestão para o Centro Histórico de Cuiabá, que se destina a promover a consciência social, ampliar a oferta de serviços e a formação profissional especializada, ao mesmo tempo em que está fomentando o desenvolvimento e a implementação de políticas mais inclusivas.

As ações visam favorecer a troca de conhecimentos e tecnologias, o diálogo entre as diversas experiências e as políticas públicas municipais e estadual, inclusive em âmbito global, contribuindo assim para a melhor implementação das iniciativas de Economia Verde em todo o nosso território.

Os frutos deste significativo trabalho em parceria PAGE/Governo de Mato Grosso já começam a aparecer em nível nacional. Mato Grosso passa a ser referência nos estados que compõem a Amazônia Legal, que solicitaram a parceria com a PAGE, por terem observado o profícuo trabalho desenvolvido para a transformação equitativa e sustentável das estruturas econômicas, obtendo a sustentabilidade ambiental, a geração de trabalho decente e a promoção do bem-estar humano.

Neste momento, só tenho a dizer parabéns Mato Grosso, pelo dinamismo!

Eduardo Chiletto, arquiteto e urbanista, presidente da Academia de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso (AAU-MT) 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Opinião

ANDERSON NOGUEIRA – Tecnologia como aliada dos pets

Publicado

Um tema que comumente aparece nas redes sociais e nos aplicativos de mensagem como pedido de ajuda é quanto ao desaparecimento de animais domésticos. Os pets se perdem por inúmeros fatores, incluindo incidente na hora do tutor sair de casa, falta de dispositivos de segurança adequados ou até mesmo em um ato de violência, a exemplo roubo ou furto.

Quem já teve um animal desaparecido conhece o tamanho do desespero. Isso porque, não importa o tamanho do engajamento para localizar o pet, há casos em que não há solução.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), apontam que o Brasil tem mais de 30 milhões de animais nas ruas, sendo aproximadamente 20 milhões de cães e 10 milhões de gatos. Dentro desta estatística somam-se os que nasceram nas ruas e, boa parte deles, foi abandonada ou se perdeu e nunca mais foi encontrada pelos tutores.

Uma das maneiras de evitar o sumiço do animal é colocar a identificação na coleira do pet. E para isso, a tecnologia é uma aliada. Em Cuiabá, já tem disponível esta ferramenta, por meio da Tag QR Code, que serve como localizador do animal.

Por meio desta ferramenta é possível inserir dados do pet (nome e informações vacinais) e do dono (contato telefônico). A coleira especial serve para cães e gatos e o encaixe da coleira é seguro e não sai com facilidade.

De posse do registro do tutor e do pet, a coleira está apta para marcar a geolocalização do animal (informações geográficas) e, em caso de desaparecimento, o proprietário é notificado se alguém acessou informações contidas na ferramenta. Todo o histórico da saúde do animal, consultas, vacina, cirurgia, dentre outras informações, ficam registrados na ferramenta.

A leitura da Tag de QR Code pode ser feita por qualquer dispositivo apto para esta tecnologia. E o melhor de tudo, essa ferramenta é acessível e proporciona mais segurança para os animais e os tutores.

Anderson Nogueira é médico veterinário há mais de 15 anos e atende na Clínica Veterinária Mato Grosso. 

 

 

Continue lendo

Opinião

VANESSA MORAES – O que favorece minha saúde auditiva?

Publicado

Alguns hábitos que envolvem a saúde auditiva são mais simples do que podemos imaginar. Porém, eles devem ser diários!

Seguem alguns para já colocarmos em prática desde já:

– Monitore os volumes dos sons da TV, da música, nunca deixando as pessoas ao seu redor escutar o som de seus fones. Limite o tempo de uso, quanto maior o volume, menor deverá ser  tempo de exposição;

-Faça a limpeza correta de seus ouvidos: com o dedo e uma toalha. O uso de cotonete é indicado para limpeza do nariz;

– Utilize protetor de som quando tiver que se expor a ambientes com ruídos excessivos. Isso até pode ser considerado um exagero, mas até mesmo uma exposição esporádica pode matar a célula auditiva;

-Faça os tratamentos adequadamente para infecções, otites, gripes até o final. Quando mal curadas podem levar a perda auditiva e também a outras complicações;

-Evite ficar muito tempo ao telefone, não somente pela intensidade do som, como também pelas ondas eletromagnéticas emitidas pelo aparelho que causam risco à saúde;

-Realize consultas periódicas com um otorrinolaringologista. Desconforto como zumbido e diminuição da audição merecem uma avaliação mais precisa.

-Alimente-se de forma saudável de 4 a 6 vezes por dia e evite o excesso de cafeína e alimentos muito doces ou muito salgados. Tome bastante água e pratique atividade física regularmente. As vitaminas B12, B9, A, C e E encontradas em alimentos saudáveis são essenciais para a manutenção da acuidade auditiva;

-Rejeite medicamentos sem prescrição. Alguns são prejudiciais e seu uso indiscriminado pode levar a perda auditiva irreversível como também ser nocivo à saúde do corpo em geral;

-Tenha momentos de silêncio. Possibilite descanso aos seus ouvidos. O ideal é que esses “repousos sonoros” sejam feitos de 1 a 2 vezes por dia.

As lesões auditivas ocorrem de maneira lenta e gradual e muitas vezes podem ser irreversíveis. Por isso, ao menor sintoma, faça um exame de audição.

Vanessa Moraes é audiologista – @fonovanessamoraes

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana