conecte-se conosco


Política MT

Eder afirma que candidatura é assunto para o futuro e foco é estruturar PTC para 2022

Publicado

Provável candidato a deputado estadual, ex-secretário de Fazenda avalia que quadro sucessório está aberto

O ex-secretário de Estado, Eder Moraes (PTC), disse que o partido vem se articulando para disputar as eleições de 2022 em Mato Grosso em todos os níveis. “Estou filiado ao PTC – Partido Trabalhista Cristão -, e quanto a uma possível candidatura, isso será decidido no futuro, no momento estou ajudando os companheiros a fortalecer a sigla com filiações na Baixada Cuiabana e em vários municípios do Estado”.

Homem forte nos governos de Blairo Maggi e Silval Barbosa, Eder Moraes vê o quadro aberto para 2022, no caso da sucessão do governador Mauro Mendes (DEM).  “O quadro para 2022 está aberto, vejo o atual governador como um gestor que tem qualidades, mas tem cometido pecados imperdoáveis pela população, no caso do VLT, por exemplo”.

Seguindo sua linha de raciocínio, Eder aponta o fato de o atual governo não “ter construído uma moradia popular sequer, pela demora injustificável para pagar o RGA dos servidores públicos, pela implicância com a Prefeitura de Cuiabá, ou seja, não está sendo estadista com Cuiabá, excesso de dispensa de licitações e compras elitistas e isso está pegando mal… não sei até que ponto poderá prejudicar sua reeleição. Está faltando transparência de fato”, declarou ao portal O Documento.

O ex-secretário de Fazenda vê no prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), um forte nome para a disputa. “Vejo Emanuel Pinheiro como forte candidato se vir para a disputar realmente, faz uma excelente gestão na Capital, com obras estruturantes, e isso reverbera no interior”, argumentou.

Para o seu partido, o PTC, Eder diz que a expectativa é trabalhar um bom plano de governo. “Estamos elaborando um plano de governo consistente e realista, um pouco diferente daquilo que usualmente os candidatos da majoritária ou partidos apresentam. Nosso foco é na qualidade de vida e equilíbrio econômico financeiro do Estado, sem contudo, explorar o contribuinte tão massivamente, ou seja, defendemos socializar a tributação, alcançando setores que contribuem menos por falta de eficiência tributária e em contrapartida diminuir a carga tributária para aqueles setores que estão com sua base saturada”, adiantou.

“Estamos elaborando políticas públicas que diminuam as distâncias sociais, que atenuem o abismo hoje existente entre especialmente o Agronegócio e os cidadãos, políticas que permitam o crescimento das atividades econômicas em todos os setores: indústria, comercio e serviços, mas para isso faz-se necessário um conjunto de ações que tragam a população economicamente ativa e aqueles sem oportunidades, para dentro do seio da geração de emprego e renda. Isso é uma mão dupla, pois quanto mais emprego e renda, haverá mais circulação de riquezas desde a pequena mercearia e os “pegue pagues”, até as grandes varejistas e atacadistas”.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Colegiado define na quinta o novo presidente do TCE; Maluf e Novelli são cotados e decisão será consensual

Publicado

Respeitadíssimo entre os integrantes dos poderes constituídos, o conselheiro, José Carlos Novelli, deve ser reconduzido a presidência do Tribunal de Contas do Estado, em reunião do colegiado que acontece na próxima quinta-feira (23)

A eleição para escolha da nova Mesa Diretora do Tribunal de Contas do Estado (TCE) deve ser definida na próxima quinta-feira (23), quando o presidente da Corte, Guilherme Maluf, colocará o tema em debate durante reunião do colegiado, composto por cinco conselheiros vitalícios.

Segundo fonte da coluna, dois nomes, José Carlos Novelli, e o próprio Maluf podem presidir o TCE no biênio 22/23. Mas independente do escolhido, a eleição não terá disputa e o novo gestor será apresentado ao final do encontro, em comum acordo, seguindo a tradição da Casa.

A princípio, Maluf tem interesse em se reeleger, mas não descarta também a possibilidade de recuar em favor de Novelli. Aliás, o ex-presidente do TCE é muito respeitado não apenas no meio político, mas também pela maioria dos servidores do órgão fiscalizador.

“O Maluf fez um excelente trabalho e está credenciado para seguir na presidência do TCE. No entanto, até por uma questão de justiça, o Novelli, pela sua história de vida, merece este voto de confiança. Uma coisa é certa, a decisão da próxima quinta-feira será unânime e harmônica”, finalizou a fonte.

Continue lendo

Política MT

Gisela diz que fez bem em rejeitar Emanuel, que teria que escolher um lado e que pode disputar Câmara Federal pelo Pros

Publicado

A presidente do Pros de Mato Grosso, advogada Gisela Simona, em entrevista ao Portal ODocumento, afirmou que a sua pré-candidatura à Câmara Federal, nas eleições de 2022, significa o fechamento de um ciclo que começou ainda em 2018, quando a advogada concorreu à mesma vaga e conquistou mais de 50 mil votos.

Segundo Simona, que disputou a eleição para a prefeitura de Cuiabá, em 2020, ficando em terceira colocada na disputa, sua postura no segundo turno da eleição que reelegeu o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), de apoiar o candidato Abílio Júnior (Podemos), não prejudica o seu projeto de disputar a Câmara Federal.

“Não vejo que houve em nenhum momento um erro ou que haja prejuízo. Pelo contrário, até pelos desfechos que estão acontecendo hoje dentro da gestão municipal fica notório que não tinha como apoiar o atual prefeito”, afirmou.

Conforme a líder partidária, “aqueles que acompanham nossa trajetória sabem que nós temos que ser coerentes com aquilo que achamos que é correto. E ser contra a corrupção é algo que sempre foi muito claro, não só nas nossas vidas como também nas nossas propostas”, declarou.

A líder partidária fez questão de destacar que a intenção do Pros é lançar chapas completas para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal nas eleições de 2022, com 16 pré-candidatos a deputado federal e 48 estadual. “Esse é o nosso propósito, estamos aguardando para ver se haverá mudança na legislação ou não. Nós estamos querendo sair com chapa cheia, com 16 candidatos a federal e 48 a estadual. Fizemos uma divisão do Estado por número de eleitores e vamos querer fazer um grupo bem heterogêneo com pessoas de todo Mato Grosso”, argumentou.

Questionada sobre nomes que estariam compondo as chapas de pré-candidatos, Gisela Simona desconversou. “Estamos mantendo tudo sobre sigilo, até mesmo para evitar o assédio de outros partidos. Mas estamos com um bom andamento. Terá muitos representantes da sociedade, diversos segmentos, ex-candidatos a prefeito no interior do Estado e algumas figuras conhecidas aqui em Cuiabá também”, completou

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana