conecte-se conosco


Policial

Dois novos delegados são empossados na Polícia Civil

Publicado


.

Assessoria | Polícia Civil-MT

Mais dois novos delegados de polícia foram empossados na manhã desta terça-feira (07.07), após nomeação do Governo do Estado e publicada no Diário Oficial no dia 30 de junho de 2020. Eles se integram à turma de 27 profissionais nomeados no mês de junho e que  irão reforçar os trabalhos da Polícia Civil de Mato Grosso.

João Paulo Firpo Fontes e Amanda Menuci tomaram posse em solenidade na Diretoria Geral da Polícia Civil, em Cuiabá. O ato foi realizado respeitando as medidas de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (Covid-19).

Os dois novos delegados de polícia iniciam o 16º Curso de Formação Técnico-Profissional, promovido pela Academia de Polícia Civil, com duração de 740 horas/aula. Além da qualificação teórica na unidade de ensino, os novos profissionais desenvolveram atividades nas delegacias de polícia. 

No projeto de formação, ministrado pela Academia de Polícia Civil, os novos servidores alternarão aulas telepresenciais e presenciais, com os cuidados previstos para evitar a contaminação pelo coronavírus. 

O diretor da Acadepol, delegado Welber Batista Franco, deu as boas vindas aos novos delegados, que a partir de hoje passam a ingressar o quadro de carreira da instituição e destacou o esforço da atual gestão de sensibilizar o Governo  sobre a necessidade da nomeação dos profissionais. 

O diretor falou da importância de chegar com o coração aberto para aprender, e que prontos, capazes e preparados possam levar com segurança os ensinamentos da Acadepol. “Vocês estão de parabéns pela investidura no cargo de uma missão tão nobre. A Academia espera por vocês para o início dos ensinamentos e que com magnitude possam desempenhar as funções de forma honrosa”, destacou o diretor Welber Batista Franco.

O delegado-geral adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, falou sobre a dimensão territorial de Mato Grosso, com cidades distantes e algumas com delegacias ainda fora das condições ideais.

“O interior é muito tranquilo e a melhor forma de iniciar a carreira, uma verdadeira escola de aprendizagem. Procurem sempre a sabedoria e a experiência, se relacionar bem e com respeito com a equipe formada por investigadores e escrivães, fundamentais para um trabalho de investigação com qualidade”, pontuou o delegado Gianmarco Capoani.

Para o delegado empossado João Paulo Firpo Fonte, natural do estado da Bahia, é com grande alegria que passa a integrar a Polícia Civil de Mato Grosso, após 14 anos atuando como escrivão da Polícia Federal.

“Sempre ouvi falar excepcionalmente bem da Instituição, e por toda essa receptividade que estou tendo, mesmo antes de ingressar na carreira, já percebi o nível de esforço e de integração da atual gestão da Polícia Civil em conseguir, no meio dessa pandemia a nomeação . Sempre foi um sonho e pelas referências que tive, tenho certeza que estou entrando na melhor Polícia Judiciária do Brasil. Quero poder contribuir, ajudar e servir à população”, agradeceu o empossado.

Participaram da solenidade os diretores Juliano Carvalho (Inteligência), Daniela Maidel (Execução Estraégica), Ana Paula de Faria Campos (Metropolitana) e o coordenador de Gestão de Pessoas, delegado Arnon Osny Mendes.

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Após perícia, mãe levanta suspeita sobre versão de que disparo que matou Isabela tenha sido acidental

Publicado

Patrícia Hellen cobra punição às pessoas envolvidas na morte da filha

UOL – Após perícia, imagens de circuito interno e depoimento da adolescente que fez o disparo, a mãe da adolescente Isabele, Patrícia Hellen Guimarães Barros, levantou suspeitas sobre a versão de disparo acidental como a causa da morte da filha, ocorrida na noite de 12 de julho, em um condomínio de luxo em Cuiabá. “As pessoas envolvidas nesse homicídio, elas têm que pagar pelo que elas fizeram”, afirmou a mãe da vítima.

As novidades do caso foram reveladas em reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, que mostrou várias contradições entre a versão apresentada, as conclusões da perícia e os depoimentos e circunstâncias envolvendo o fato.

Mãe questiona versão de disparo acidental

Segundo a versão da adolescente autora do disparo, o tiro foi acidental. Ela segurava numa mão a arma e com a outra abaixou-se em direção ao chão para pegar um tênis, momento em que ocorreu o tiro, que acertou a cabeça da adolescente.

“Como ela disparou no rosto da minha filha, a uma curta distância, em linha reta, com todo esse discurso no depoimento dela de que ela teria se desequilibrado?”, questiona a mãe da vítima.

Primeira chamada ao Samu diz que houve queda em banheiro 

Outro fato que chama a atenção é que houve duas chamadas para o Samu feitas por pessoas ligadas a autora do tiro, que também tem 14 anos, uma do

pai e outra da irmã mais velha dela.

O pai disse que Isabele havia caído num dos banheiros da casa e havia perdido muito sangue. A irmã mais velha disse que havia ocorrido um disparo acidental.

“Como uma pessoa com tal gabarito não consegue ouvir e distinguir que foi tiro ou não?”, questiona a mãe de Isabele.

Pais de autora do disparo colecionam armas

O pai e a mãe da jovem autora do disparo têm autorização para ter armas em casa pois são CAC´s, sigla para colecionadores, atiradores e caçadores. O namorado da autora do disparo, de 16 anos, foi quem levou a arma para a casa da adolescente. Ele disse que não havia projétil no tambor da pistola usada no incidente.

Esse depoimento é questionado pelo advogado da família de Isabele, Hélio Nishiyama. “Se ele não alimentou a arma, a única que pode ter feito isso é a jovem que efetuou o disparo”, disse.

Advogado da autora do tiro diz que foi acidente

O advogado da família da jovem autora do disparo nega que exista outra versão para o caso e que o disparo e a morte de Isabele foram acidentais.

Segundo Ulisses Rabaneda, advogado da família da adolescente autora do tiro, não houve intenção do pai em ocultar os fatos da polícia. De acordo com o defensor, se houvesse essa intenção, ele teria procurado o restante da família para armar uma versão.

Sobre a questão da arma estar ou não carregada, o advogado acredita que o namorado da jovem que efetuou o disparo se enganou. “O que tem de incontroverso é que a arma chega carregada e quando ele saiu, ela estava carregada”, disse.

Segundo a reportagem, mais de 20 pessoas já prestaram depoimento à polícia. Os celulares da autora do disparo e do namorado estão sendo periciados.

Jovem trocou de roupa após atirar

Outro fato que chamou a atenção da mãe de Isabele foi o fato de que a autora do disparo trocou de roupa após o disparo. “Como duas adolescentes tiveram ideia de tomar banho e trocar de roupa? Eu cheguei na casa dela de roupão. Eu estava chocada. Aquilo pareceu um teatro, uma encenação”, disse.

Em depoimento, a autora do disparo diz que não lembra o que fez logo após o tiro e nega ter tido qualquer discussão com a vítima.

Também chama a atenção o depoimento do enfermeiro do Samu que viu a mãe da autora do disparo mexendo em uma arma na mesa da sala e a alertou para que não fizesse aquilo, pois ali fazia parte da cena do crime. “Houve grave falha no isolamento do local do crime”, diz o advogado da família de Isabele.

 

Continue lendo

Policial

PRF apreende 20kg de pasta base em Cáceres e repressão ao tráfico de drogas segue forte em Mato Grosso

Publicado


.

Droga estava escondida em compartimentos adaptados no veículo

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu uma carga de aproximadamente 20kg de substância análoga à pasta base de cocaína, durante fiscalização na BR-070, em Cáceres.

Logo no começo de domingo (02), passados alguns minutos da meia noite, foi abordado o veículo VW/Saveiro, de cor vermelha, com placas de Ji-Paraná/RO e conduzido por um homem de 32 anos.

Ao fiscalizar o veículo, os PRFs encontraram a droga escondida em fundos falsos. O condutor disse que foi contratado em Goiânia/GO para buscar o entorpecente em Ji-Paraná e levar até Ilhéus/BA. Afirmou também que não conhece nenhum dos contratantes e que recebeu as informações por meio de mensagens de texto.

A ocorrência foi encaminhada para Polícia Civil de Cáceres.

Na semana anterior, a PRF já havia apreendido mais de 180 kg de pasta base, em uma ação conjunta com a Polícia Civil (veja aqui). Somadas, as apreensões passam de 200 kg e prejuízo ao narcotráfico fica na casa dos 25 milhões de reais.

SECOM PRF MT

Fonte: PRF MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana