conecte-se conosco


Carros e Motos

Divisão de motos BMW revela conceito que adianta novidades que virão até 2023

Publicado

A divisão de motos BMW apresentou o Vision DC Roadster, uma naked elétrica conceitual que remonta os modelos equipados com o motor boxer. Além disso, refina e confere mais personalidade à radical Vision Next 100, exibida três anos atrás. Essa moto anuncia o programa de eletrificação da BMW Motorrad, que até 2023, promete 25 novos veículos, sendo que 4 destes serão motos elétricas.

LEIA MAIS: Além da moto de 250 cc, Harley-Davidson deverá ter outras de baixo custo

Moto BMW
Divulgação

Precursora das motos BMW do futuro, com plano de eletrificação e chegada de novos equipamentos

A moto elétrica conceitual é equipada com baterias longitudinais, que substitui o bloco à combustão atual, com o motor elétrico situado logo abaixo. O que seriam os dois cilindros do motor boxer, são agora radiadores com ventiladores de refrigeração, que retraem quando a moto está estacionada. A releitura das motos BMW chega a remeter inclusive à época em que os motores tinham refrigeração a ar.

Segundo o chefe de design da BMW Motorrad: “O motor boxer é o coração da BMW Motorrad; um ponto forte de seu caráter. Mas a empresa também defende conceitos visionários de veículos com emissões zero. Em vista disso, uma questão que surge é: o que aconteceria se o motor boxer fosse ser substituído por um  elétrico? A Vision Bike mostra como podemos manter a identidade e a aparência icônica da BMW Motorrad de forma distinta, ao mesmo tempo em que apresenta um novo conceito de pilotagem”.

Leia Também:  BMW lança linha 2020 do X1 com retoques no desenho entre as novidades

LEIA MAIS: Honda Africa Twin chega à linha 2020 com nova versão e visual

Mescla do futuro com a tradição

BMW motos
Divulgação

Novidade faz alusão ao passado não só visualmente, como sensorialmente, ao dirigir, segundo a BMW

Mas apesar disso tudo, a marca manteve alguns elementos de design tradicional. Na frente há um garfo Duolever que se vê em BMW atuais, a cauda tem uma inclinação típica das corridas e as luzes são LEDs reproduzem a identidade das motos atuais. O quadro de alumínio é laminado, com grandes cortes que dão uma aparência leve, ao mesmo tempo em que também remetem ao visual clássico.

O resto da moto é construído em torno da peça central da bateria, apoiada em vigas. Segundo a BMW, a intenção visual por trás dessa escolha foi a de fazer parecer que elas estão flutuando. Quanto à transmissão, a energia é despejada ao solo através de um eixo, mas nenhuma especificação técnica sobre o trem de força foi revelado.

LEIA MAIS: Triumph acaba de lançar a Speed Twin 1200, esportiva com estilo clássico

Leia Também:  Google Maps lança modo de navegação específico para motocicletas
Harley-Davidson
Divulgação

Harley-Davidson LiveWire: moto elétrica que a BMW Vision terá que enfrentar logo de cara

Apesar de toda a questão visual que mistura nostalgia com futurismo, a ideia central era a de desenvolver uma moto segura. Os pneus, por exemplo, foram feitos pela Metzeler para incluir elementos fluorescentes que, assim como o próprio quadro, brilham no escuro. Além disso, a montadora projetou uma roupa de equitação, com proteção quase invisível, bem como elementos emissores de luz para chamar a atenção de outros na estrada. Há até uma mochila magnética.

A BMW diz que as vendas de veículos elétricos irão mais que dobrar até 2021 e saltarão mais de 30% nos próximos seis anos. Além de grandes avanços em relação ao hardware , a empresa também planeja novos saltos na tecnologia, revelando a próxima geração de condução autônoma para seus carros e o novo “ecossistema digital”, que conectará todos os seus veículos. Ao lembrar que a Harley-Davidson partilha de muitos desse objetivos, com a elétrica LiveWire batendo na porta, as motos BMW serão suas novas rivais no mercado do futuro.

Fonte: IG Carros
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

Hyundai Santa Cruz é vista camuflada em garagem antes da estreia

Publicado

source
Hyundai Santa Cruz arrow-options
Reprodução/AutoSpy

Hyundai Santa Cruz é vista cp, disfarces pesados, mas visual deverá ser arrojado diante das principais rivais

A Hyundai já testa a picape Santa Cruz que será lançada em 2021. O carro foi visto camuflado em uma garagem, como mostra a imagem acima do site  autospy.net. A novidade demorou para ter o projeto aprovado, mas agora segue a todo vapor e com vários traços do protótipo mostrado pela primeira vez no Salão de Detroit (EUA), em janeiro de 2015, ainda conforme a publicação.

 LEIA MAIS: Hyundai confirma produção de nova picape média, contra Hilux e S10

As rodas de cinco raios estão entre os detalhes importantes que a foto da picape revela. Mas ainda não se sabe se a estrutura monobloco da  Hyundai Santa Cruz será usada a base da próxima geração do Tucson ou do atual Santa Fe.

Também é possível notar repetidores dos piscas nas caraças dos retrovisores, capô abaulado e colunas pintadas de preto brilhante. Os pneus da unidade fotografada são da coreana Hankook. E o motor da versão de entrada que será vendida nos EUA deverá ser o 2.5, de quatro cilindros, mas também deverá ser oferecido o 2.3, turbinado e, pelo menos, uma versao a diesel mild híbrida.

Leia Também:  Google Maps lança modo de navegação específico para motocicletas

 LEIA MAIS:  Flagra! Novo Hyundai Tucson é visto em testes, ainda camuflado

A picape Hyundai Santa Cruz será fabricada nos Estados Unidos, fruto de um investimento de US$ 410 milhões na unidade de produção no Alabama. Vale lembrar que o mercado de picapes médias é o principal segmento na América do Norte, com destaque para a recordista de vendas Ford F-150 , a rival Chevrolet Silverado e a RAM 1500. A chegada da novidade ao Brasil ainda é uma dúvida.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros e Motos

Avaliação: Mercedes-AMG A 35 4MATIC é um foguete de bolso

Publicado

source

Motor Show

Mercedes A35 AMG amarelo arrow-options
Divulgação

Mercedes-Benz A35 AMG garante alegrar seu dia com um desempenho convincente para um pequeno esportivo


Muitos dizem, que “nos menores frascos estão os melhores perfumes”. E o Mercedes-AMG A 35 4 MATIC não contraria esse pensamento. Ele é o novo modelo da divisão de Affalterbach à venda no Brasil e chegou às concessionárias com preço de R$ 279.900 ou R$ 285.900 na versão Launch Edition.

LEIA MAIS: Aceleramos na pista o superesportivo Mercedes-AMG GT R de R$ 1,2 milhão

Nascido a partir da quarta geração do Classe A (W177), o “foguete de bolso” encanta pelo visual agressivo e o desempenho do novo motor 2.0 turbinado associado a câmbio de dupla embreagem e sete marchas para oferecer 306 cv de potência e 40,78 kgfm de torque.

Embora não seja um motor artesanal igual ao dos modelos 45, 63 e 65, a engenharia alemã aplicou o controle variável de válvulas CAMTRONIC, o processo de polimento dos cilindros CONICSHAPE®, que reduz o atrito interno, o gerenciamento inteligente do motor/óleo e o turbocompressor twin-scroll (duas entradas independentes para os gases de exaustão). Outras soluções estão no sistema de exaustão com flap e o cárter de alumínio fundido para diminuir o peso do veículo.

Não tão radical quanto o “irmão” Mercedes-AMG A 45 S de 421 cv e 51 kgfm , a palavra equilíbrio é a melhor que define o Mercedes-AMG A 35 4MATIC. Nosso primeiro contato aconteceu no Autódromo da Fazenda Capuava, no interior de São Paulo. Um traçado de 2.700 m de extensão, com 16 curvas e trechos de alta/baixa velocidade.

Leia Também:  Dodge Charger do filme “Velozes e Furiosos 7” vai à leilão nos EUA
ROCKET POCKET


Me acomodo nos bancos esportivos com formato concha e logo na partida sou recebido com um ronco grave e encorpado. De início, percebo trata-se de um carro aceso desde os giros mais baixos. O novo bloco (nomenclatura M260DE20) inaugurou a família de motores 35 em nosso mercado e o turbocompressor twinscroll possibilita uma elevação rápida dos giros com mínimo turbolag (aquele atraso antes do turbo encher).

 Audi RS3 Sedan: o pequeno notável. Confira a avaliação completa

A potência específica é de 153 cv/litro e os 1.555 kg possibilitam uma relação peso-potência de 5,08 kg/cv. Ou seja, um jato de andar que, segundo o fabricante, vai de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e atinge a velocidade máxima de 250 km/h (limitada eletronicamente). Apesar de todo o poderio mecânico, o Mercedes-AMG A 35 4MATIC é um carro obediente e previsível.

Estão disponíveis os modos de condução Comfort, Individual, Sport e Sport+ capazes de alterar alguns parâmetros, como as respostas do motor, do câmbio e da direção, por exemplo. A minha volta foi realizada no programa Sport+.

A direção possui o peso correto e é rápida ao esterço, enquanto a tração integral 4MATIC pode distribuir o torque até 50:50. O bom contato com o solo é mérito dos pneus de medidas 235/35 R19. Não só grudado no chão, como as suspensões mais firmes comparadas ao do Mercedes-Benz A 250 ajudam na dinâmica. É um carro que aponta a dianteira e contorna as curvas sem muito trabalho de braços e mínima rolagem de carroceria.

Leia Também:  Arrizo 5e exibe consciência da Caoa Chery no mundo dos carros elétricos

O câmbio AMG SPEEDSHIFT DCT 7G de dupla embreagem banhado a óleo trabalha de maneira eficiente e durante as trocas/reduções os “pipocos” emitidos mexem com os sentidos. Já quem quiser extrair todo o potencial, a função RACE-START (controle de largada) configura o carro para oferecer o máximo de aceleração.

LEIA MAIS: BMW M2 Coupé é brinquedo para gente grande

Ao final do nosso primeiro contato com o Mercedes-AMG A 35 4MATIC comprovamos que ele é um esportivo para o uso diário e ainda capaz de encarar um track day nos finais de semana.


FICHA TÉCNICA

Mercedes-AMG A 35 4MATIC
Preço básico: R$ 279.900 (R$ 285.900 na versão Launch Edition)
Carro avaliado: R$ 279.900
Motor: quatro cilindros em linha 2.0, 16V, turbo, injeção direta, duplo comando de válvulas com variador de fase na admissão e escape
Cilindrada: 1991 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 306 cv a 5.800 rpm
Torque: 40,78 kgfm a 3.000 rpm
Câmbio: automatizado de dupla embreagem, sete marchas
Direção: elétrica
Suspensões: Independente MacPherson (d) e multibraços (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: integral sob demanda
Dimensões : 4,436 m (c), 1,797 m (l), 1,405 m (a)
Entre-eixos: 2,729 m
Pneus: 235/35 R19
Porta-malas: 370 litros
Tanque: 51 litros
Peso: 1.555 kg
0-100 km/h: 4s7
Velocidade máxima: 250 km/h (limitada eletronicamente)
Consumo cidade: 9,2 km/l
Consumo estrada: 10,9 km/l
Emissão de CO2: 138 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Grande)

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana