conecte-se conosco


Carros e Motos

Divisão de motos BMW revela conceito que adianta novidades que virão até 2023

Publicado

A divisão de motos BMW apresentou o Vision DC Roadster, uma naked elétrica conceitual que remonta os modelos equipados com o motor boxer. Além disso, refina e confere mais personalidade à radical Vision Next 100, exibida três anos atrás. Essa moto anuncia o programa de eletrificação da BMW Motorrad, que até 2023, promete 25 novos veículos, sendo que 4 destes serão motos elétricas.

LEIA MAIS: Além da moto de 250 cc, Harley-Davidson deverá ter outras de baixo custo

Moto BMW
Divulgação

Precursora das motos BMW do futuro, com plano de eletrificação e chegada de novos equipamentos

A moto elétrica conceitual é equipada com baterias longitudinais, que substitui o bloco à combustão atual, com o motor elétrico situado logo abaixo. O que seriam os dois cilindros do motor boxer, são agora radiadores com ventiladores de refrigeração, que retraem quando a moto está estacionada. A releitura das motos BMW chega a remeter inclusive à época em que os motores tinham refrigeração a ar.

Segundo o chefe de design da BMW Motorrad: “O motor boxer é o coração da BMW Motorrad; um ponto forte de seu caráter. Mas a empresa também defende conceitos visionários de veículos com emissões zero. Em vista disso, uma questão que surge é: o que aconteceria se o motor boxer fosse ser substituído por um  elétrico? A Vision Bike mostra como podemos manter a identidade e a aparência icônica da BMW Motorrad de forma distinta, ao mesmo tempo em que apresenta um novo conceito de pilotagem”.

LEIA MAIS: Honda Africa Twin chega à linha 2020 com nova versão e visual

Mescla do futuro com a tradição

BMW motos
Divulgação

Novidade faz alusão ao passado não só visualmente, como sensorialmente, ao dirigir, segundo a BMW

Mas apesar disso tudo, a marca manteve alguns elementos de design tradicional. Na frente há um garfo Duolever que se vê em BMW atuais, a cauda tem uma inclinação típica das corridas e as luzes são LEDs reproduzem a identidade das motos atuais. O quadro de alumínio é laminado, com grandes cortes que dão uma aparência leve, ao mesmo tempo em que também remetem ao visual clássico.

O resto da moto é construído em torno da peça central da bateria, apoiada em vigas. Segundo a BMW, a intenção visual por trás dessa escolha foi a de fazer parecer que elas estão flutuando. Quanto à transmissão, a energia é despejada ao solo através de um eixo, mas nenhuma especificação técnica sobre o trem de força foi revelado.

LEIA MAIS: Triumph acaba de lançar a Speed Twin 1200, esportiva com estilo clássico

Harley-Davidson
Divulgação

Harley-Davidson LiveWire: moto elétrica que a BMW Vision terá que enfrentar logo de cara

Apesar de toda a questão visual que mistura nostalgia com futurismo, a ideia central era a de desenvolver uma moto segura. Os pneus, por exemplo, foram feitos pela Metzeler para incluir elementos fluorescentes que, assim como o próprio quadro, brilham no escuro. Além disso, a montadora projetou uma roupa de equitação, com proteção quase invisível, bem como elementos emissores de luz para chamar a atenção de outros na estrada. Há até uma mochila magnética.

A BMW diz que as vendas de veículos elétricos irão mais que dobrar até 2021 e saltarão mais de 30% nos próximos seis anos. Além de grandes avanços em relação ao hardware , a empresa também planeja novos saltos na tecnologia, revelando a próxima geração de condução autônoma para seus carros e o novo “ecossistema digital”, que conectará todos os seus veículos. Ao lembrar que a Harley-Davidson partilha de muitos desse objetivos, com a elétrica LiveWire batendo na porta, as motos BMW serão suas novas rivais no mercado do futuro.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

Quem tem coragem de mexer com o Volkswagen Gol?

Publicado


source
VW Gol
Divulgação

VW Gol 2020 ainda se mantém entre os modelos mais vendidos do Brasil, mesmo com poucas novidades

O Volkswagen Gol é um daqueles fenômenos do mercado de automóveis. Na mesma geração desde 2008 e enfrentando concorrentes (externos e até internos) mais atuais na mesma faixa de preço, o modelo segue como o mais vendido da marca alemã no Brasil e ainda figura como um dos hatches compactos mais populares do mercado.

LEIA MAIS: Novo Sandero automático enfrenta os rivais Gol e Onix. Qual vence?

De acordo com dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), o Volkswagen Gol fechou 2019 com 81.285 unidades emplacadas. Melhor resultado para o modelo desde 2016 e que colocou o compacto atrás apenas de Chevrolet Onix (241.214), Ford Ka (104.331), Hyundai HB20 (101.590) e do subcompacto Renault Kwid (85.117).

O mesmo bom resultado se repetiu no 1º semestre deste ano. Apesar dos efeito da pandemia do novo coronavírus, o Gol fechou os primeiros seis meses de 2020 com 24.827 unidades e manteve a 5ª colocação no ranking geral de emplacamentos.

Isso mesmo com uma oferta mais enxuta de versões, que é composta pela configuração de entrada 1.0 (R$ 51.210) e pela versão de topo 1.6, que na verdade podem ser consideradas duas: com o câmbio manual de cinco marchas e o motor 1.6 8V de 104 cv (R$ 62.600), ou o automático, de seis marchas (R$ 62.600), que é combinado ao mesmo motor 1.6 16V de até 117 cv usado no Polo.

LEIA MAIS: Fatos e curiosidades que você não sabia sobre o VW Gol, que chega aos 40 anos

Um dos méritos da Volkswagen para o modelo — e que ajuda a explicar esse desempenho no mercado — é o fato de o Gol ter envelhecido bem. Nesse período de 12 anos de presença no mercado, a atual geração passou por três renovações de visual (2012, 2016 e 2019).

Também houve mudanças na mecânica (com o motor 1.0 de três cilindros da família EA211) e no interior da cabine, com a adoção de um novo painel além da incorporação de equipamentos que passaram a ser exigidos pelo mercado nessa faixa de preço, como as centrais multimídia e o câmbio automático e, mais recentemente (ainda que por força da legislação) apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes do banco traseiro, além do Isofix.

VW Gol vai ter substituto?

SUV do Gol
Divulgação

SUV do Gol chegou a ter um teaser mostrado,mas os planos foram adiados e agora não há prazo estabelecido para ser lançado

Outro ponto que deve ser considerado é a força do nome Gol, com recém-completados 40 anos no mercado. Lançado em 2003, o Fox surgiu com a proposta de ser um substituto mais atual para o modelo veterano. Mesmo tendo “matado” inicialmente as versões mais caras do Gol, acabou não atingindo o mesmo sucesso e atualmente deve se encaminhar para o fim, vendendo quase três vezes menos.

Já o Polo de sexta geração, que chegou ao mercado brasileiro em 2017, foi planejado inicialmente para ser o substituto do Gol. Mas mais caro e sofisticado, acabou sendo posicionado acima, como um modelo premium.

Isso demonstra o desafio que representa para a Volkswagen brasileira o desafio de substituir o modelo que, mesmo sendo um dos mais antigos da sua linha atual, ainda é querido pelo público.

Em abril, numa entrevista para o site Automotive Business, o presidente da Volkswagen para a América Latina, Pablo Di Si, citou que o projeto do novo Gol, que estava previsto inicialmente para 2022, deve atrasar, por conta dos impactos financeiros provocados pela pandemia do novo coronavírus.

LEIA MAIS: Veja vídeo das versões esportivas nos 40 anos do VW Gol

Para manter o posicionamento como um modelo de entrada,, a  marca alemã deve abandonar a plataforma atual — que é exclusiva, um misto da PQ-24, do Polo de 4ª geração e do Fox, com a PQ-25 — e adotar uma nova plataforma no novo Volkswagen Gol . Rumores apontam para uma variação mais simples da modular MQB A0, empregada atualmente em Polo, Virtus, T-Cross e Nivus, e que está sendo desenvolvida na Índia, com o nome de MQB A0 IN.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Nissan Frontier Attack estreia novas opções de cores

Publicado


source
Nissan Frontier
Divulgação

Nissan Frontier Atrack na nova Cor Azul Cayman, uma das duas inéditas que passam a ser oferecidas pela marca japonesa

Mais vendida da picape média Nissan Frontier, a configuração Attack ganhou as opções de cores Azul Cayman e Cinza Grafite, que se somam na paleta que já trazia as tonalidades Branco Aspen, Preto Premium e Vermelho Alert.

LEIA MAIS: Nissan Frontier 2020 chega às lojas com novas cores e acessórios

Com preço de tabela de R$ 173.490, a Nissan Frontier Attack é a versão mais acessível da picape importada da Argentina equipada com a versão de 190 cv do motor 2.3 biturbo diesel. O propulsor é combinado com um câmbio automático de sete marchas e o sistema de tração 4×4.

LEIA MAIS: Trilhas, lama e florestas na Nissan Frontier, conhecendo a história do Brasil

Já a lista de equipamentos da Nissan Frontier Attack inclui sistema multimídia com tela de 8″ e compatibilidade com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay, controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas e o painel de instrumentos com tela multifuncional colorida de 5″.



Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana