conecte-se conosco


Opinião

JOSÉ DE PAIVA NETTO – Inimigo silencioso

Publicado

Numa excelente matéria produzida pelo programa Viver é Melhor!, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), o dr. Fadlo Fraige Filho, endocrinologista, presidente da ANAD (Associação Nacional de Assistência ao Diabético) e da FENAD (Federação Nacional de Associações e Entidades de Diabetes), trouxe importantes esclarecimentos sobre o perigo do diabetes e das doenças a ele correlacionadas.

Abordamos, mais uma vez, esse relevante tema por se tratar de assunto de saúde pública ainda não suficientemente difundido na população.

Passaporte

Acerca do impacto do diabetes na área da saúde, dr. Fadlo afirmou que “para a Organização Mundial da Saúde (OMS) o diabetes e a obesidade são duas epidemias de males crônicos. Ambas andam juntas porque a obesidade acaba sendo um passaporte para o diabetes. É um fator desencadeante para aqueles que geneticamente já têm a doença. São dois os tipos básicos de diabetes. O tipo 1, que se manifesta na infância e adolescência, é autoimune, não muito ligado à genética (5% a 10% de todos os diabéticos). Já de 90% a 95% dos doentes são do tipo 2, que se manifesta na fase adulta e geralmente vem com a obesidade: 80% deles são obesos. (…) A doença é silenciosa, evolui sem que percebamos. Você que é parente de diabéticos, ou que é obeso, tem hipertensão, tem de fazer seus exames periodicamente, porque é possível que você venha a desenvolver o diabetes”.

No Brasil, cerca de 13 milhões de pessoas estão com a doença, segundo informa a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). E os números não param. Houve um aumento preocupante no mundo, de acordo com dados da Federação Internacional de Diabetes (IDF). Somente no ano de 2017, foram estimados 425 milhões de diabéticos, o que corresponde a 8,8% da população planetária. Calcula-se que até o ano de 2045 esse número ultrapasse 629 milhões.

O exemplo do carro

Quanto à prevenção masculina, o especialista fez uma interessante analogia: “A mulher brasileira aprendeu a ter precaução com as doenças em geral. O ginecologista pede os exames e ela os faz. Já o homem não se previne. Costumo dizer que o brasileiro aprendeu a fazer manutenção do automóvel. Quer dizer, ele sabe fazer a revisão do carro. Contudo, nunca leva seu corpo ao médico para ver o seu colesterol, o seu açúcar… O diabetes é uma doença pouco conhecida em seus fundamentos. Se não tratada, a pessoa aparentemente não sente nada, mas ao fim de talvez 7, 8, 9 anos, sem tratamento adequado, ou às vezes sem um diagnóstico, pode se manifestar por complicações gravíssimas”.

Dados alarmantes

De acordo com a OMS, hoje, a cada cinco segundos, uma pessoa no planeta contrai o diabetes. E ainda consoante o endocrinologista, “é a primeira causa de cegueira e de amputações de membros inferiores no mundo. É também praticamente a primeira causa de insuficiência renal. Você tem em torno de 40% a 50% das pessoas que fazem hemodiálise – quando o rim vai à falência – diabéticas. Em 40% das coronariopatias que levam aos infartos, são indivíduos com diabetes. Tudo isso não é para assustar, mas para alertar. Podemos evitar todas essas complicações desde que tenhamos conscientização e saibamos nos tratar. (…) Eu tenho pacientes que já estão com 30, 40 anos de diabetes e não têm nenhum problema, porque se cuidam, se exercitam, fazem dieta”.

Sobremesa

Durante o programa, respondendo a uma telespectadora, que questionou se a sobremesa diária pode oferecer algum risco, explicou: “O doce, na realidade, acaba levando, de início, a um aumento de formação de gorduras, aumento de peso. Além do que é um alimento não saudável. É preferível, em vez de habitualmente comer doce, você se alimentar de frutas na sobremesa. É uma forma de prevenção da doença. Aliás, um estudo feito em 2002 pela Associação Americana de Diabetes mostrou exatamente isso; pegou pessoas que já tinham propensão à doença, fase inicial, que a gente chama de intolerantes à glicose ou pré-diabéticas, e dividiram-nas em três grupos: um fazendo dieta, exercícios; outro tomando remédios; e o outro apenas controle. Aquele grupo que fez dieta e exercícios foi o que mais se beneficiou no sentido de regredir a patologia. Então é possível prevenir a doença tipo 2, desde que você tenha uma vida mais saudável, uma alimentação pobre em açúcar, pobre em carboidratos, e evidentemente faça exercícios, mexa-se, isso é muito importante. (…) As frutas, as fibras e os vegetais são fundamentais na alimentação de uma forma geral, para equilibrar a quantidade de carboidrato”.

Fator de risco

Quanto à famosa “barriguinha”, o dr. Fadlo atestou tratar-se também de um fator de risco: “Já se sabe que ela é reflexo do acúmulo da gordura visceral. Aquela que é depositada não embaixo da pele, mas dentro das vísceras entre os intestinos, entre os órgãos internos. É a pior de todas porque, na realidade, a gordura visceral está relacionada muito mais com as complicações cardiovasculares, com infarto do miocárdio, derrame, porque ela produz citoquinas inflamatórias, que acabam levando a esses problemas”.

Eis a nossa contribuição para que mais e mais pessoas se conscientizem da real necessidade de cuidar da saúde. Somente assim poderemos vencer o diabetes, terrível e silencioso inimigo.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor. [email protected] — www.boavontade.com

 

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Opinião

ELIZEU SILVA – A decadência dos princípios e valores humano

Publicado

Você sabia que o dinheiro é um dos assuntos mais tratado na Bíblia? Sim! Aqueles que acreditam nela poderão ver que Deus pôs o dinheiro no mundo para suprir as nossas necessidades e é da vontade dEle que saibamos usar o dindinho com sabedoria por meio do trabalho honesto. Entretanto, não é bem isso que se vê no cotidiano da sociedade. Na tentativa de adquirir e estocar grana, terrenos, carros, bois, fazendas, e tudo de qualquer valor, o homem se mata entre si. Quando este se detém algum poder político na mão, consegue ir muito além, evidentemente. E ai, com toda certeza, os meios serão sempre sórdidos possíveis para tal. Basta relacionarmos as manchetes diárias dos principais jornais do país falando sobre o assunto. Nem mesmo o dinheiro destinado ao uso exclusivo para salvar vidas contra a Covid-19 é poupado. Até parece que o “ladrão de gravata” sai de si num desvario alucinante humano para obter aquilo que deseja com o coração carregado de orgulho e usura. E isso, na maioria dos casos, apenas para servir de infinitos degraus de uma escada vislumbrada do imaginável ápice de poder e glória. Esse amor pela autossuficiência humana por meio do dinheiro transformou numa loucura voraz. Aliás, a própria Bíblia se alerta sobre esse grande perigo de amarmos o dinheiro acima de outras coisas e exaltar a nós mesmos: Eclesiastes 5:10.

Mas será que tem alguém se importando pelo que diz as Escrituras Sagradas? Pressupõe que não, pois a ganância para alcançar um alvo a mais ou um objetivo financeiro tem levado muitos nessa prática de busca incessante do quanto mais, melhor! Essa mentalidade de sempre adquirir e acumular coisas é errônea, e serve apenas para tapar feridas da vida e ainda preceder contendas, desavenças possíveis e cruéis desgraças no meio dos seus descendentes. Para que isso aconteça, se espera apenas uma questão de tempo, já que ainda se vale a lei da semeadura: se plantou é obrigado a colher. Mas, muito se negam a enxergar isso achando que nunca acontecerá no meio dos seus. A Bíblia confirma isso em 1 Timóteo 6:10.

Todavia, essa pratica doentia é de fácil percepção no homem, mas não aceitável entre os justos. Claro, tem canalhas e canalhas, calculistas ao extremo que veem apenas pelo ângulo político/financeiro pelo qual o mundo caminhará, ou seja, por dias difíceis e muito mais tenebrosos que os atuais. E para suprir o pecado da roubalheira cauterizam no seu intimo de que os recursos que se tem, valerão naquele dia final, mesmo que foram mal adquiridos. De fato, os dias serão trabalhosos, porém, certo também é que a riqueza em bens materiais não dará um final promissor a ninguém. Ao contrário, é enganoso isso. Nada contra a riqueza de muitos, porem, que conquistem com honestidade e saibam administrar, até porque, tem outras recomendações divinas para isso, de que as riquezas acumuladas aqui não poderão ser levadas para onde os nossos corpos serão depositados um dia. É o fato mais democrático que já percebi. Esse lugar aguarda a todos: quer fartos em riquezas, quer aqueles que quase nada obteve. Sendo assim, os bens que aqui ficarão não passará de simples herança que serão disciplinadas e transmitidas a sucessores legais, e nesse interim, com toda certeza, poderá causar discórdia ou até coisa pior.

Infelizmente muitos ainda confundem herança com hereditariedade e legado. Ainda não se atentaram para aquilo que de fato poderá deixar para os filhos, netos, bisnetos e sucessores. Ora, além das suas características genéticas, poderá deixar algo bom como as boas histórias familiares, a crença espiritual, da prosperidade em família, e muitas outras. Permita que seja retratado sobre seus valores. Daqui nada se leva. Até as roupas que nos acolhe na urna (caixão), com o passar do tempo, também acabará no seio da terra. “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”, Mateus 6:19-21.

Enfim! Quando chegarmos naquele dia em que estaremos diante de Deus, e Ele fazer uma auditoria em nossa vida; um exame final. Será que os nossos princípios e valores humano serão aprovados para entrarmos na eternidade?

Elizeu Silva é jornalista em Mato Grosso

 

Continue lendo

Opinião

LÍCIO MALHEIROS – Crime Lesa-Pátria

Publicado

Sou patriota convicto, como tal defendo com unhas e dentes, a   nação em que nasci e pretendo morrer;  patriotismo   é o sentimento de orgulho, amor e devoção à pátria e aos seus símbolos como (bandeira, hino, brasão, riquezas naturais dentre outros).
A chamada em questão tem como premissa básica, resgatar a importância e respeito, pelos símbolos nacionais; assim como a permissividade, de manifestações pacificas e ordeiras, sem violência física e nem atos de vandalismo contra bens públicos (ou privados), tanto pró-governo como contrário a ele, isso é extremamente democrático e aceitável.
A “toda poderosa” no domingo (31), em um de seus programas televisivos o “show da morte”, na abertura do mesmo, a apresentadora como comumente faz, intitulou a manifestação pró-Bolsonaro de antidemocrática, porém nela estão contidas, senhoras de 90 anos, crianças, casais até cadeirantes.
Enquanto, a manifestação organizada por clubes de futebol, tendo como participantes torcidas organizadas de todos os times de futebol do país. A apresentadora em questão, a chamou de democrática e antifascista, porém este grupo desencadeou pancadarias, não apenas contra os  manifestantes pró-Bolsonaro, como também contra  a polícia.
A onda de manifestações continuou pelo Brasil, mais especificamente na República de Curitiba, na segunda-feira (01).
Agora, apenas os grupos contrários ao presidente Jair Bolsonaro,  marcaram pelas redes sociais, um protesto chamado de ato pacífico antifascista, que ocorreu por volta das 18 horas, em frente ao prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no centro da cidade.
Tudo muito bonito democrático, até este grupo se intitular “antifa” grupo que protesta nos EUA, suas crenças políticas são voltadas para a esquerda, às vezes extrema esquerda, vejam que belezura, quem está contra o governo Bolsonaro.
Os manifestantes caminharam até o Palácio Iguaçu, no Centro Cívico da cidade, a cerca de 2 km da UFPR, onde finalizaram o ato. Eram cerca de 1.200 manifestantes, segundo a Polícia Militar (PM).
O início da manifestação foi ordeira e  pacífica, gritavam palavras de ordem conta o presidente Jair Bolsonaro; não satisfeitos com a passividade da manifestação, deram início a uma verdadeiro quebra-quebra, contra prédios públicos e privados, atiraram pedras contra o prédio do  fórum cível de Curitiba, além de danificar equipamentos público do município, como em algumas estações-turbo e pontos de mobiliário urbano, e por ai vai, atos de vandalismo inconteste.
Vocês acham que a barbárie parou por ai, o pior está por vir. Que  são vândalos já sabíamos, agora, além de vândalos são antipatriotas; pasmem os senhores, não satisfeitos atearam fogo no símbolo máximo do nosso país,  a Bandeira Nacional, gritando palavrões ao dizer “Bolsonaro vai tomar no…….”, isso é democrático “toda poderosa”?
Tenho certeza, que cada cidadão de bem deste país, ao ver e ouvir essas sandices ditas por esses acéfalos,  pessoas ditas  civilizadas, isso dá uma revolta imensa, em cada um de nós que acreditamos em nosso país, e temos por ele, maior respeito e consideração, por ser chamada da ‘Pátria Amada Brasil’.
Pare o mundo, quero descer!

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana