conecte-se conosco


Economia

Dinheiro da aposta não serve só para premiar: quem ganha com recurso da loteria?

Publicado

source
loteria arrow-options
Reprodução/Shutterstock

Arrecadação de loterias não vai apenas para premiar vencedores

Ao contrário do que se pode pensar, nem todo o dinheiro arrecadado com as loterias vai para premiar os vencedores dos concursos. Desde 1962, é a Caixa Econômica Federal quem gere, explora e comercializa os jogos lotéricos no Brasil. Uma parte da arrecadação é destinada aos repasses sociais, que vão desde clubes de futebol até o Fundo Penitenciário Nacional (FUNPEN).

Leia também: Bolão vale a pena? Matemático dá dicas para ter mais chances na Mega-Sena

Segundo a Caixa, a arrecadação com todas as loterias em 2018 foi de R$ 13,8 bilhões. Desse montante, uma parcela foi destinada a saúde, educação, segurança, cultura, seguridade social e esporte.

Na Mega-Sena , a loteria mais famosa do Brasil, o prêmio bruto corresponde a apenas 43,35% da arrecadação. Desse percentual, 35% são distribuídos entre os acertadores dos 6 números sorteados (Sena); 19% entre os acertadores de 5 números (Quina); 19% entre os acertadores de 4 números (Quadra); 22% ficam acumulados e são distribuídos aos acertadores dos 6 números nos concursos de final 0 ou 5; e 5% ficam acumulados para a primeira faixa – sena – do último concurso do ano de final 0 ou 5 ( Mega da Virada ).

Leia Também:  Petrobras escolhe novo diretor de Transformação Digital e Inovação

Em 2018, a Mega arrecadou R$ 5,3 bilhões, dos quais 17,32% foram para a seguridade social e 9,26% para o Fundo Nacional de Segurança Pública , por exemplo.

A lei 13.756/2018 é responsável por determinar as instituições contempladas e quanto cada uma delas deve receber. A inclusão da segurança pública no “bolo” é recente, vem do governo do ex-presidente Michel Temer (MDB), que apresentou a Medida Provisória (MP) 846/2018, conhecida como “MP das Loterias”, e foi convertida na lei 13.756/2018.

Leia também: Já imaginou ganhar a Mega-Sena? Veja como prêmios são pagos com segurança

Confira a distribuição dos recursos da Mega-Sena em setembro de 2019

Esporte :

Ministério do Esporte – R$ 40.614.000;

Clubes de Futebol – R$ 4.193.000;

Comitê Olímpico Brasileiro – COB – R$ 28.628.000;

Comitê Paraolímpico Brasileiro – CPB – R$ 15.896.000; e

Confederação Brasileira de Clubes – CBC – R$ 8.048.000.

Educação :

Prêmios Prescritos Repassados ao FIES – R$ 34.758.000.

Cultura :

Fundo Nacional da Cultura – FNC – R$ 47.496.000.

Segurança :

Fundo Penitenciário Nacional – FUNPEN – R$ 16.503.000; e

Fundo Nacional de Segurança Pública – FNSP – R$ 152.289.000.

Seguridade :

Seguridade Social – R$ 284.438.000.

Saúde :

Fundo Nacional da Saúde – FNS – R$ 264.000.

Leia Também:  Saiba o que fazer se você não consegue pagar as parcelas de um imóvel na planta

“Outros” :

Fundo Nacional de apoio à Criança e Adolescente – FNDCA – R$ 75.000; e

Testes Especiais (APAE, Cruz Vermelha) – R$ 1.101.000.

Imposto de renda sobre prêmios pagos :

Imposto de renda sobre prêmios pagos – R$ 176.125.000.

Total de repasses : R$ 832.386.000.

Destinação de recursos das loterias é tema de uma série de projetos

Flávio Bolsonaro arrow-options
Pedro França/Agência Senado – 25.9.19

Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) propõe repassar recursos das loterias para a Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação

A destinação dos recursos, inclusive, é tema de projetos enviados à Câmara e ao Senado. Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), por exemplo, propõe, por meio do Projeto de Lei (PL) 3071/2019, a inclusão de mais uma entidade na lista de beneficiadas: a Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação. A medida ainda tramita no Senado.

Maria do Rosario (PT-RS) pretende realocar recursos das loterias para integrar o Fundo Nacional de Combate ao Câncer (FNCC). A proposta ainda prevê que o Fundo seja abastecido com dinheiro recuperado em ações de ressarcimento à União por corrupção.

Leia também: É hoje! Mega-Sena sorteia R$ 10,5 milhões em concurso deste sábado

A maior parte das proposições questiona os repasses às áreas esportivas e busca realocar esses recursos para áreas entendidas como “mais importantes”, tais como saúde, segurança pública e educação.

Fonte: IG Economia
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Economia

Bolsonaro diz que hoje Brasil é um país favorável a se investir e gerar empregos

Publicado

source
Presidente Jair Bolsonaro, do PSL arrow-options
Agência Brasil – Alan Santos/PR

Presidente Jair Bolsonaro, do PSL

O presidente Jair Bolsonaro comemorou, em sua conta no Twitter, a nova marca recorde do principal índice à vista da Bolsa brasileira, o Ibovespa, e o menor nível do risco Brasil em sete anos. Na sexta-feira (13), O Ibovespa fechou com valorização de 0,33%, aos 112.564,86 pontos, em nova máxima histórica, pelo segundo dia consecutivo. Já o Credit Default Swap (CDS) do Brasil caiu de 102,97 para 100,89 pontos, ficando no patamar mais baixo desde 7 de novembro de 2012 (100,25 pontos).

LEIA MAIS: Agora vai? Veja o que o governo e o mercado esperam de 2020

“Durante a recessão de 2015, o Risco Brasil, índice que acompanha a confiança dos investidores, chegou a quase 500 pontos. Ontem o Risco atingiu 100,89 pontos, o menor nível desde 2012, e a bolsa de valores fechou acima de 112 mil pontos, renovando sua máxima histórica”, escreveu o presidente .

De acordo com Bolsonaro , esses números sinalizam que “o Brasil é hoje um país favorável para se investir, fazer negócios e gerar empregos.”

Leia Também:  Segunda parcela do salário dos servidores estaduais será paga nesta sexta-feira; folha será quitada dia 19

Fonte: IG Economia
Continue lendo

Economia

WhatsApp: saiba como evitar golpes e desinformação

Publicado

source
Whatsapp arrow-options
shutterstock

Whatsapp é o app mais utilizado pelos brasileiros, diz pesquisa

O WhatsApp , segundo pesquisa realizada pela Câmara dos Deputados e Senado, é a principal fonte de informação dos entrevistados: 79% disseram receber notícias sempre pela rede social, que tem mais de 136 milhões de usuários no Brasil. Mas em era de ampla conectividade, a ferramenta, que poderia ser uma poderosa aliada, acaba virando isca para atrair os mais inocentes, dar golpe em lojistas, e espalhar vírus, além de disseminar informações falsas.

LEIA MAIS: Brasileiros devem comprar menos no Natal

Para se ter uma ideia, mais de R$ 500 milhões em fraudes foram evitadas no ecommerce no terceiro trimestre, segundo levantamento da ClearSale, companhia de segurança cibernética. Segundo a companhia, o tipo de fraude mais comum é usar dados de cartão de crédito de terceiros, sem que a pessoa saiba, o famoso roubo de dados. “Os celulares são os itens mais visados, pois são mais fáceis de serem revendidos”, informa a ClearSale.

E como não ter os dados roubados ? “É importante que o comprador verifique a procedência do site, desconfiar de grandes descontos para o pagamento em boleto e checar se o site é seguro e priorizar a compra por cartão de crédito, pois em caso de fraude é possível solicitar o estorno junto à operadora financeira”, aponta Omar Jarouche, diretor de Soluções da ClearSale. E acrescenta: “Quando o pagamento é feito via boleto ou transferência, dificilmente o comprador conseguirá reaver o dinheiro pago”.

Leia Também:  Presidente da Petrobras nega interferência do governo

Lojistas ‘levam o cano’

E as fraudes não se limitam ao consumidor, o lojista também acaba sendo vítima desse tipo de golpe. No caso de fraudes no comércio eletrônico (e-commerce), o prejuízo, quando é feita uma compra fraudulenta via cartão de crédito clonado, é do lojista. Então, é importante que a empresa tenha uma operação antifraudes, para evitar prejuízos. Isso porque o consumidor ao identificar uma compra não autorizada faz o estorno do valor e quem fica no prejuízo é o lojista.

Com o crescimento das atividades online, há também uma atenção maior das empresas para evitar que as fraudes ocorram. Levantamento realizado pela ClearSale aponta que R$ 500.939.672,12 em fraudes foram evitadas entre julho e setembro deste ano, 83% a mais do que o mesmo período de 2018, quando foram registradas mais de R$ 274 milhões. Para o levantamento foram analisados mais de R$ 4 bilhões em compras pela internet.

Na comparação por regiões, o Sudeste figura como a região com o maior valor de fraudes evitadas, 55%, e mais de R$ 92 milhões, seguido do Nordeste, 23%, Centro-Oeste e Sul, com 9% cada, e Norte, 5%. O levantamento analisou as compras realizadas pela internet, pagas com cartão de crédito e com valor máximo de R$ 100 mil, nos meses de julho, agosto e setembro de 2018 e 2019.

Leia Também:  Área de armazéns no Porto de Santos é leiloada por R$ 112,5 milhões

LEIA MAIS: Bolsonaro diz que Brasil é favorável para investimentos e empregos

“Atualizamos e ajustamos constantemente nossos modelos de análises antifraude, tanto com a utilização de novas tecnologias, como o uso de novos elementos de inteligência de estatística. Isso possibilita aprimorarmos o perfil de comportamento de compras dos clientes e a identificarmos vulnerabilidades nos processos de compras”, explica Omar Jarouche.

Objetos de desejo

A compra de celulares concentra o maior registro de tentativa de fraude, com 9,61%%, seguido por games, 6,36%, bebidas, 5,10%, eletrônicos, 4,66% e Itens de informática, 4,29%. Os produtos mais visados são aqueles com maior facilidade de serem repassados ao mercado paralelo, como os smartphones, categoria que conta com lançamentos constantemente e alta demanda dos consumidores.

“Para evitar que fraudes ocorram, é importante sempre manter boas práticas na internet e um olhar vigilante, como o uso de senhas fortes, checar a procedência de e-mails e de mensagens recebidas no celular”, destaca Jarouche.

Para não ser vítima de fraudes, o consumidor deve evitar realizar compras em sites suspeitos, e preferir o cartão de crédito como forma de pagamento. Ao optar por esse método em vez do boleto ou transferência bancária, o cliente consegue contestar a cobrança junto ao banco, o que não é possível com os outros métodos.

Fonte: IG Economia
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana