conecte-se conosco


Entretenimento

Dia do Orgulho LGBT: Confira os 10 filmes mais buscados na internet

Publicado


source

No próximo domingo (28) é Dia do Orgulho LGBT, data reconhecida e comemorada mundialmente desde 1969. Para celebrar, o iG Gente selecionou dez filmes que frizam como a representatividade importa. Os títulos da lista foram as produções de temática LGBT mais buscados pelos brasileiros na internet no último ano, de acordo com levantamento feito pelo SEMrush. 

1. “Azul é a Cor mais Quente”


O filme francês mostra a história de Adèle, uma adolescente que enfrenta os desafios da chegada da maturidade. Sua vida toma um rumo inesperado ao conhecer uma encantadora garota de cabelo azul, com quem começa uma intensa relação e uma viagem de descobertas e prazer. A produção francesa de 2013 foi o filme com temática LGBTI+ mais procurado na internet, com uma média de 54 mil buscas mensais.

2. “Me Chame pelo seu Nome”


O jovem Elio está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana. Mas tudo muda com a chegada de Oliver, um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai. O filme de 2017, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado, foi um dos com temática LGBTI+ mais procurados nos últimos 12 meses com, em média, 43 mil buscas.

3. “Moonlight”


O filme vencedor do Oscar apresenta três etapas na vida de Chiron, o personagem principal, explorando as dificuldades que ele enfrenta no processo de reconhecimento de sua própria identidade e sexualidade. A produção estadunidense de 2016 está em terceiro entre os filmes de temática LGBTI+ mais procurados, sendo buscado, em média, 37,9 mil vezes.

4. “Praia do Futuro”


Donato trabalha como salva-vidas, e seu irmão caçula tem grande admiração por ele, devido à coragem demonstrada ao se atirar no mar para resgatar desconhecidos. Um deles é Konrad, um alemão que muda por completo a vida do protagonista. O filme teve, em média, 28,6 mil buscas nos últimos 12 meses.

5. “Hoje eu Quero Voltar Sozinho”


O filme brasileiro foi buscado, em média, 16,7 mil vezes nos últimos 12 meses. Leonardo, um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. A chegada de Gabriel será um divisor de águas, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sobre sua sexualidade.

6. “Madame Satã”


Nas favelas do Rio de Janeiro da década de 1930, João Francisco dos Santos é várias coisas – filho de escravos, ex-presidiário, bandido, homossexual e patriarca de um bando de párias. O protagonista se apresenta no palco de um cabaré como a travesti Madame Satã. O filme brasileiro de 2002 teve 12,2 mil buscas.

7. “O Segredo de Brokeback Mountain”


Jack e Ennis se conheceram em Wyoming, nos Estados Unidos, no verão de 1963, quando se envolveram sexualmente. Depois, ambos se casaram e viveram com suas respectivas esposas. Eles não se veem por muitos anos, até que se reencontram e passam a viver como amantes. O filme de 2005, vencedor do Oscar de melhor diretor, foi o sétimo mais procurado segundo o levantamento, com 11,2 mil no último ano.

8. “Rafiki”


As jovens quenianas Kena e Ziki são grandes amigas e, embora suas famílias sejam rivais políticas, as duas continuaram juntas ao longo dos anos, apoiando uma a outra na batalha pela conquista de seus sonhos. A relação de amizade transforma-se em um romance que passa a afetar a rotina da comunidade conservadora em que vivem. O filme de 2018 ficou em oitavo no levantamento, com 9,4 mil buscas.

9. “Flores Raras”


Apesar de menos buscado que o anterior, com uma média de 7,8 mil buscas, “Flores Raras” é igualmente representativo. A obra lançada em 2013 nos leva ao ano de 1951, quando Elizabeth decide sair de Nova York para se aventurar no Rio de Janeiro, onde conhece o casal formado por Mary e Lota. Assim, a protagonista acaba se apaixonando.

10. “Meninos Não Choram”


O drama de 1999 conta a história de Brandon Teena, uma mulher que decide se passar por homem. Ela começa um caso de amor com uma mãe solteira da zona rural de Nebraska, nos Estados Unidos, e sofre trágicas consequências como resultado da descoberta de sua transexualidade. O filme, que rendeu a Hillary Swank o Oscar de melhor atriz, teve 3,2 mil buscas nos últimos 12 meses.

Fonte: IG GENTE

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Marcelo Cavalcanti celebra boa fase na e sucesso de série do Canal Brasil

Publicado


source
Marcelo Cavalcanti
Divulgação

Marcelo Cavalcanti


Aos 39 anos, Marcelo Cavalcanti é um dos nomes famosos no elenco de “Rua Que Sobe e Desce, Número Que Desaparece”, que tem roteiro e direção de Luiz Carlos Lacerda e é exibida pelo Canal Brasil. Sobrinho-neto de Maria Clara Machado e marido de Aline Fanju, que dá vida à manicure Maristela, de “Totalmente Demais”, da Globo, o carioca debutou na TV em “Malhação”, nos anos 2000. A partir daí, não parou mais e emendou um trabalho no outro. No YouTube, faz parte do premiado Aturando, que já acumula alguns prêmios, como o de melhor roteiro de comédia no Miami WebFest e o de melhor elenco e o de melhor comédia de esquetes no Rio WebFest.

Há oito anos, Cavalcanti criou o espetáculo de improvisação “5 Contra Nem 1”, que já contou com a participação especial de Mateus Solano, Nathalia Dill e Marcelo Adnet, entre outros artistas. Mas, por conta da pandemia do novo coronavírus, ele resolveu levar a ideia para a internet e integrá-la ao seu “Improlive”. Agora, todas às quintas-feiras, às 21h, apresenta ao vivo divertidas esquetes em seu perfil no Instagram, ao lado de dois convidados. Engana-se, porém, quem pensa que as novidades param por aí. O ator também pode ser visto na elogiada série de humor “Homens?”, escrita e estrelada por Fábio Porchat, no Comedy Central.

Fonte: IG GENTE

Continue lendo

Entretenimento

Leandra Leal se desculpa por postagem contra Bolsonaro: “Post equivocado”

Publicado


source
Leandra Leal fala sobre o terror nacional
Divulgação

Leandra Leal fala sobre o terror nacional “O Rastro”


A atriz Leandra Leal usou seu perfil no Twitter nesta quarta-feira (12) para criticar Bolsonaro, o desmatamento, o coronavírus e o racismo, mas a publicação acabou sendo alvo de muitas críticas: “Você só pode eliminar 1. Qual seria?”, escreveu Leandra Leal na legenda de uma montagem com o presidente brasileiro, uma floresta devastada, o vírus da Covid-19 e o policial que assassinou George Floyd, nos Estados Unidos.

Nos comentários, as pessoas criticavam a ‘brincadeira’ com assuntos tão sérios e ainda mais partindo de uma artista conhecida pelo seu engajamento político e social. Diante da repercussão negativa, Leandra, apagou o post e fez uma nova publicação pedindo desculpas e explicando o que quis dizer com o tweet deletado.

“O post anterior era uma crítica: o racismo estrutural foi um dos fatores que levou à eleição do atual governo, que por sua vez não conseguiu controlar a Covid e estimula o desmatamento. Todos são problemas seríssimos; não devem ser comparados e todos devem ser combatidos. Eu busco combater todos, inclusive em mim. A dor de quem sofre um desses problemas não é uma coisa que se possa medir. Foi um post extremamente equivocado e não deveria ter postado, por isso apaguei. Sinceramente, me desculpo e prometo tentar não errar outras vezes”, escreveu Leandra Leal.

Mas as críticas continuaram e atriz resolveu revidar: “Querido, entender um erro e se desculpar não é ser tchutchuca de ninguém. É evoluir”. Mais tarde ela completou: “Eu aprendi com a minha mãe a me desculpar pelos meus erros”, se referindo a Ângela Leal.




Fonte: IG GENTE

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana