conecte-se conosco


Internacional

Destino de Donbass será definido em Severodonetsk, diz Zelensky

Publicado

source
Destruição na cidade de Severodonetsk
Ansa

Destruição na cidade de Severodonetsk

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que o destino de Donbass, que compreende as regiões de Donetsk e Luhansk, no Leste, está sendo definido na batalha pelo controle de Severodonetsk, cidade que, há semanas, é foco dos combates entre russos e ucranianos.

“Severodonetsk continua sendo o epicentro do confronto em Donbass. Defendemos nossas posições, infligimos perdas significativas ao inimigo. Esta é uma batalha muito feroz, muito difícil. Provavelmente uma das mais difíceis desta guerra”, afirmou, em mensagem de vídeo. “Sou grato a todos e todas que lá se defendem. De muitas maneiras, o destino de Donbass está sendo decidido lá.”

Desde a mudança da estratégia russa, no final de março, os combates têm se concentrado na região Leste da Ucrânia, onde forças separatistas pró-Moscou já ocupavam parte do território desde 2014, quando eclodiu a guerra civil ucraniana. 

Para analistas, foi uma correção de curso por parte do Kremlin, que acumulou fracassos em seus planos iniciais de tomar grandes cidades, como Kharkiv e a própria capital, Kiev.

Contudo, a expectativa de vitórias fáceis também não se concretizou. Em Mariupol, cidade portuária na costa do Mar de Azov, foram necessárias semanas até que as forças russas quebrassem a resistência — em um dos episódios mais marcantes, combatentes ucranianos e civis se abrigaram por um longo período na central siderúrgica Azovstal, uma das maiores da Europa, até que um acordo de rendição fosse acertado.

Avanços em outras áreas do Leste também foram custosos e lentos, como na batalha de Severodonetsk. A cidade industrial hoje praticamente destruída não tem grande importância estratégica, mas sua tomada pelos russos, além da vizinha Lysychansk, marcaria a conquista da região de Luhansk por Moscou, uma das suas maiores vitórias no front.

Em entrevista à rede RBC Ucrânia, o governador pró-Kiev de Luhansk, Serhiy Gaidai, afirmou que os russos passaram à tática de devastação total ao se depararem com a resistência ucraniana, e com a perda de alguns pontos da cidade.

“Os russos estão destruindo tudo”, disse Gaidai. “Estão fazendo disparos com tanques e artilharia contra prédios residenciais.”

Por isso, afirma o governador, as tropas ucranianas precisaram fazer recuos estratégicos. Anteriormente, declarou que 90% das estruturas da cidade estavam destruídas, incluindo quase 70% das habitações.

“Nossas forças agora controlam apenas os arredores da cidade”,  declarou. “Mas o combate continua, estamos defendendo Severodonetsk. Não é possível dizer que os russos controlam totalmente a cidade.”

Lembranças da Euro 2012 Além dos combates, Zelensky lembrou de quando o país sediou a Euro 2012, em parceria com a Polônia, hoje uma de suas principais aliadas no conflito. Donetsk, desde 2014 sob controle dos separatistas, sediou uma das semifinais, entre Espanha e Portugal, na hoje desativada Arena Donbass, diante de 48 mil espectadores. O estádio também era casa do Shakhtar Donetsk, uma das equipes mais vitoriosas da Ucrânia, que passou a atuar em outras cidades.

“Apenas 10 anos se passaram, e parece que é um outro mundo”,  afirmou Zelensky. “Nossa Donetsk era uma cidade forte, orgulhosa e desenvolvida. E então veio a Rússia. Trouxe ideias inadequadas. Agora é uma cidade fantasma, que perdeu a maioria das pessoas, milhares de vidas e absolutamente todas as perspectivas.”

O presidente criticou notícias publicadas pela imprensa russa sobre planos para um campeonato com equipes de áreas ocupadas pela Rússia, como Kherson, Donetsk, Luhansk, Kherson e Crimeia, anexada em 2014, e de regiões separatistas da Geórgia. Para ele, são informações “absolutamente loucas”, que servem para intimidar os moradores dessas áreas.

“Apenas o retorno da Ucrânia, para nossa bandeira e nossa lei, significará novamente para esses territórios o retorno a uma vida normal”, afirmou. “Uma vida tranquila, segura, aberta ao mundo e, claro, a novas partidas de equipes internacionais na Arena Donbass.”

* Com informações de agências internacionais

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Internacional

Congresso do Equador rejeita impeachment de Guillermo Lasso

Publicado

Guillermo Lasso
Divulgação – 29.06.2022

Guillermo Lasso

O Congresso do Equador rejeitou na madrugada desta quarta-feira (29) uma moção de impeachment contra o presidente do país, Guillermo Lasso, que há mais de duas semanas enfrenta protestos diários por conta de suas políticas econômicas.

Para ser afastado, a votação precisa ter 92 votos favoráveis entre 137. No entanto, a oposição obteve apenas 80 e não conseguiu aprovar o impeachment, que tinha como base o artigo 130 da Constituição (casos de grave crise política interna).

Foram ainda 48 votos contrários e nove abstenções.

O texto, ligado ao partido de oposição Unes – do ex-presidente Rafael Correa – foi apresentado de três formas diferentes nas votações, mas nenhum obteve êxito. Os debates sobre o impeachment duraram 18 horas em duas sessões.

Pelo Twitter, Lasso comemorou que seu governo “conseguiu defender com sucesso a democracia e agora é hora de recuperar a paz”.

Analistas equatorianos, porém, ressaltam que a quantidade de votos favoráveis à destituição do mandatário foi muito acima do esperado: “apenas” 47 congressistas haviam assinado o texto que foi levado a debate e o total de votos foi quase o dobro.

Além dos problemas no Congresso, Lasso precisa lidar com os protestos que não param por todo o país e são liderados pela Confederação das Nacionalidades Indígenas (Conaie). Apesar de ter aceitado reduzir o preço dos combustíveis no país, as manifestações continuam a criticar a gestão da economia no governo e o alto custo de vida, especialmente, para os mais pobres.

 Na noite desta terça-feira (28), o governo anunciou uma interrupção nas negociações com os indígenas por conta da morte de um militar nos protestos. Até o momento, além do policial, um líder social também foi morto nas manifestações.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Guerra: Zelensky diz que Rússia ‘não deveria permanecer na ONU’

Publicado

Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky
Reprodução / CNN Brasil – 05.04.2022

Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que a Rússia não deveria permanecer na ONU (Organização das Nações Unidas). A declaração do mandatário ucraniano aconteceu num discurso no Conselho de Segurança da ONU, na terça-feira (28).

Zelensky também falou sobre ataque em um shopping na cidade de Kremenchuk, que matou 10 civis e deixou 40 feridos, na segunda-feira (27).

“Exorto-vos a privar a delegação de um Estado terrorista dos seus poderes na Assembleia Geral da ONU, e isso é possível. É necessário. Isso mesmo! Isso é justo! A Rússia não tem o direito de permanecer no Conselho de Segurança” , disse Zelensky.

Em seu discurso, Zelensky listou os ataques que a Rússia realizou na última semana. Entre os principais, está o bombardeio a um prédio residencial em Kiev.

“Em particular, um deles – em um complexo residencial na capital do nosso estado, em Kiev. Três andares de uma casa comum foram destruídos. Outro foguete explodiu no pátio de um jardim de infância comum”, afirmou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana