conecte-se conosco


Nacional

Deputados trocam empurrões e xingamentos em discussão sobre Previdência; assista

Publicado


Plenário da Câmara dos Deputados
Luis Macedo/Câmara dos Deputados – 24.4.19

Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão desta quarta-feira (24)

O plenário da Câmara dos Deputados voltou a ser palco de confusão entre parlamentares nesta quarta-feira (23). Durante sessão para votar projetos sobre a anistia a partidos políticos que descumpriram com a regra para candidaturas femininas, a discussão sobre as estratégias do governo para aprovar a reforma da Previdência veio à tona e o tempo fechou.

O tumulto teve origem em reportagem publicada hoje pelo jornal Folha de S.Paulo
, segundo o qual o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) se comprometeu a  liberar R$ 40 milhões em verbas para emendas parlamentares
àqueles que apoiarem o pacote de alterações nas regras para a aposentadoria. O acordo, ainda segundo o jornal, teria se dado em reunião na residência oficial do presidente da Câmara dos Deputados
, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O primeiro a tocar no assunto foi o deputado Glauber Rocha (PSOL-RJ). “Deputado que votou ontem já está sentindo o peso dos seus eleitores que não concordam que suas aposentadorias sejam retiradas”, afirmou Rocha, citando a  votação que sacramentou a primeira vitória do governo
em relação à reforma da Previdência
, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O governista Carlos Jordy (PSL-RJ) rebateu. “O deputado tem de se preocupar com a sua própria base em vez de fazer ataques sujos. Votamos pelo Brasil e, por isso, votamos a favor da Previdência”, assegurou.

O clima esquentou mesmo quando o deputado Aliel Machado (PSB-PR) tomou a palavra e acabou interrompido a gritos de “vagabundo”. 

“O governo ofertou R$ 40 milhões para comprar votos. O governo está ofertando cargos. O governo está acertando os deputados. Essa conversa aconteceu em reunião na casa do presidente. Estão se vendendo. Nós não vamos aceitar”, dizia Aliel.

“Não nos meça pela sua régua”, gritava o deputado José Medeiros (Podemos-MT), integrante da base aliada do governo. Em seguida, o deputado tentou arrancar o microfone das mãos de Aliel e teve início um empurra-empurra no plenário.

Os microfones foram desligados durante a confusão
e a sirene foi acionada para que os parlamentares corrigissem a postura – o que não se deu de imediato.

Assista ao vídeo da confusão na Câmara dos Deputados:


Após a confusão, o deputado Carlos Jordy pediu a palavra para rebater as afirmações de que o governo teria apromovido o que é conhecido no meio político como ‘toma lá, dá cá’. “Se há algum recebimento de recursos para votar a favor da reforma da Previdência, que se prove. Porque nenhum de nós recebemos um centavo por isso”, assegurou o governista.

Leia também: Maia cria comissão especial para discutir reforma da Previdência

O líder do PRB, deputado Jhonatan de Jesus (RR), assegurou que não participou de reunião sobre o suposto acerto do governo para aprovar a reforma na Câmara
. “A matéria fala de ‘líderes’, mas eu não fui consultado”, declarou.

*Com informações da Agência Câmara

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nacional

Viagra e próteses penianas: Bolsonaro minimiza aquisições do Exército

Publicado

Bolsonaro minimizou compra de Viagra pelo exército
Reprodução

Bolsonaro minimizou compra de Viagra pelo exército

Durante entrevista ao Flow Podcast,  Jair Bolsonaro minimizou a aquisição de 60 próteses penianas infláveis e 35 mil comprimidos de Viagra pelas Forças Armadas. O caso está sob investigação do Tribunal de Contas da União.

“Próteses penianas. Até brincando, foram poucas, foram 20 ou 30 [próteses]. Pô, no Exército só tem 20 brochas?! Também o comprimido Viagra: foram 300 mil comprimidos. Um cara normal vai usar uns 300 comprimidos por ano? Se botar 300 mil dividido por 300, só mil pessoas estão usando isso aí”, declarou o presidente.

“Agora, o Viagra e o Cialis são usados para outras coisas. Tanto é que não foi para combater a disfunção erétil, foi para outra coisa. E não tem mulher que tira o seio? Pois é, tem cirurgia para ela também. A prótese peniana, o elemento tem relação sexual e quebrou o instrumento dele”, ressaltou.

O presidente enfatizou ainda que cada ministro e ministério responde por esse tipo de compra. O chefe executivo do país deu ainda o exemplo de que a Força Aérea compra chiclete para mascar duranta os vôos por conta da pressão. “Não tem nenhum absurdo nessa questão aí.”

Polêmica em relação à compra de prótese peniana e Viagra

A polêmica em torno da aquisição do Viagra por parte do exército ganhou relevância após o deputado Elias Vaz (PSDB) e o senador Jorge Kajuru (Podemos), pedirem ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério Público Federal (MPF) que investigassem o motivo do Exército ter comprado 60 próteses penianas infláveis no valor de R$ 3,5 milhões.

Além das próteses, o deputado também apresentou ao Ministério da Defesa uma solicitação na qual pede explicações sobre os processos de compra de mais de 35 mil unidades de Viagra autorizada pelas Forças Armadas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Nacional

Dona de casa de repouso interditada é ré por maus tratos

Publicado

Policiais da 35ª DP (Campo Grande) interditaram, nesse domingo (7), a Casa de Repouso Laço de Ouro, após denúncias de maus-tratos contra idosos
Divulgação

Policiais da 35ª DP (Campo Grande) interditaram, nesse domingo (7), a Casa de Repouso Laço de Ouro, após denúncias de maus-tratos contra idosos

Vanessa da Silva Ferro Souza, dona da casa de repouso Laço de Ouro, interditada pela Polícia Civil, é ré por maus tratos desde abril de 2022. A denúncia do Ministério Público é sobre um caso que ocorreu em 2015, quando um idoso morreu após ser internado na unidade. De acordo com os promotores, a casa de repouso “expôs a perigo a vida e a saúde de pessoa sob sua autoridade, privando-o de cuidados indispensáveis. O idoso desenvolveu úlceras por falta de movimentação, higiene e alimentação inadequada”.

O caso foi levado à Polícia Civil na época após a filha do idoso ser alertada pelos médicos do Hospital Pedro II, em Campo Grande, para onde o paciente foi levado com escaras por toda extensão das costas.

“Em abril de 2015, quando a filha foi visitar seu pai o encontrou em estado deplorável com o corpo coberto de escaras, sem roupas e sujo de fezes. O boletim de Atendimento Médico descreve diagnóstico desnutrição, desidratação, maus tratos, pneumonia. A vítima desenvolveu um quadro de infecção generalizada que evoluiu a óbito”, diz trecho da denúncia

O Ministério Público não respondeu se pediu o fechamento da casa de repouso ou o porquê de não ter feito, apesar da denúncia que aponta maus tratos. Procurada no final da tarde desta segunda-feira, a Polícia Civil ainda não respondeu os contatos da reportagem.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana