conecte-se conosco


Nacional

Deputado suspeito por assassinato compõe nova Comissão de Ética da Alerj

Publicado


source
O deputado estadual Vandro Lopes Gonçalves, Vandro Família (SD), é suspeito da morte de um opositor
Divulgação

O deputado estadual Vandro Lopes Gonçalves, Vandro Família (SD), é suspeito da morte de um opositor

A nova composição da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) conta com o  deputado Vandro Família (Solidariedade) em seus quadros. O parlamentar já foi alvo de pelo menos duas operações policiais e é suspeito de ser o mandante do assassinato de um adversário político. A informação foi originalmente publicada pela TV Globo.

Em 2012, Vandro Família foi preso e denunciado pelo Ministério Público no âmbito de uma operação que o apontava como chefe de uma milícia que atuava em Magé, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Na ocasião, ele foi denunciado por homicídio qualificado.

Sete anos mais tarde, em 2019, ele foi apontado como suspeito de ter sido o mandante do assassinato de Paulo Henrique Dourado Teixeira, o Paulinho P9, seu adversário político.

Em março deste ano, Vandro Família foi reeleito presidente da Comissão de Obras Públicas da Alerj.

O deputado afirma que as acusações contra ele foram “plantadas pela oposição” do município de Magé, onde ele chegou a ser vice-prefeito. Vandro Famiília também lembrou que não foi condenado nesses processos.

Você viu?

Pelo regimento interno da Alerj, a composição da Comissão de Ética deve mudar a cada dois anos. Até hoje, a Casa não julgou Vandro Família nos processos que correm contra ele.

Questionada, a Alerj não respondeu quais são os critérios adotados para aceitação dos membros do seu Conselho de Ética. O Conselho é responsável por analisar processos contra os deputados e casos em que o decoro seja quebrado.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Vídeo: jovem cai de bicicleta ao ser assediada por homem em veículo

Publicado


source
A jovem estavam andando de bicicleta quando um carro passou bem próximo e a apalpou
Reprodução/redes sociais

A jovem estavam andando de bicicleta quando um carro passou bem próximo e a apalpou

Andressa Lustosa, estudante de direito de 25 anos, foi assediada enquanto andava de biclicleta no município de Palmas, no Paraná. A jovem publicou um vídeo de câmeras de seguranças que capturaram o momento do assédio. 

No registro, é possível ver o momento em que o carro se aproxima de Andressa e o passageiro colocar a mão para fora do veículo e apalpa o corpo da jovem. Ao ser tocada, Andressa se desequilibra e cai: 

“Infelizmente, foi muito pior do que eu imaginava! Nós mulheres não temos um minutos de paz!! Sai de casa para andar de bicicleta e volto toda machucada pra casa por uma atitude covarde dessas! Todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas.. estou bem, só quero que paguem pelo o que fizeram. COMPARTILHEM!!”, escreveu em publicação. 

Andressa está bem, apenas com um ferimento no ombro devido a queda e espera encontrar o responsável pelo ato o mais rápido possível. 

Continue lendo

Nacional

Rio: PM suspeito de ferir grávida diz que atirou após homens tentarem tomar arma

Publicado


source
 Local onde ocorreu o dispaaro, em Petrópolis, no Rio
Reprodução/Google Street View

Local onde ocorreu o dispaaro, em Petrópolis, no Rio

O policial militar que se envolveu numa  confusão no último domingo em um bar no bairro Meio da Serra, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, disse em depoimento à Polícia Civil que atirou após homens que estavam no local terem tentado pegar a sua arma. Cinco pessoas ficaram feridas por estilhaços após o militar, que estava de folga, ter feito ao menos um disparo. Uma das vítimas é uma grávida de 19 anos. O caso está sendo investigado pela 105ª DP (Petrópolis).

Em seu depoimento, o policial ainda alega que deu um tiro de alerta no chão. No entanto, as vítimas afirmam que o militar estava descontrolado e já chegou ao local atirando. As informações iniciais são de que a confusão começou após uma discussão por causa do som alto no bar. A grávida afirma que no local era realizado o seu chá de bebê.

Em nota, a Polícia Civil informou que a delegacia de Petrópolis instaurou inquérito para apurar as circunstâncias dos disparos efetuados pelo policial. Testemunhas e vítimas estão sendo ouvidas e os investigadores buscam câmeras de segurança para esclarecer o que ocorreu. Ainda de acordo com a polícia, as vítimas sofreram lesões sem gravidade e têm estado de saúde estável.

Leia Também

A grávida foi levada para o Hospital Alcides Carneiro, em Petrópolis, e continuava internada até a noite desta segunda-feira. Ainda não há informações atualizadas sobre seu estado de saúde.

O policial militar é lotado no 26ª BPM (Petrópolis) e trabalha no fórum da cidade. Segundo informações da PM, após a confusão, ele se apresentou ao comando do batalhão e um Inquérito Policial Militar (IPM) foi aberto.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana