conecte-se conosco


Política MT

Deputado descarta privatização do DAE, reage a ataques e revela que recebeu propostas para desistir de candidatura

Publicado

Conforme Emanuelzinho, candidatura está sendo bem recebida pela população

O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o Emanuelzinho, candidato do partido à sucessão da prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos (DEM), disse a jornalistas, durante o ato de lançamento da sua candidatura, que está confiante na disputa, “sentindo o coração da população bater com o nosso”. Emanuelzinho garantiu que vai atacar de frente o problema de abastecimento de água na cidade.

“Quero água regular, limpa, todos os dias na casa do cidadão, o normal é, água dia sim, dia sim. Não pretendemos privatizar a água em Várzea Grande. Basicamente, só 25% da população têm hidrômetros. A gente não quer aumentar a tarifa sem oferecer água para a população”.

“Primeiro – acrescentou – a gente oferece o serviço para depois querer cobrar, e não inverter a relação. Por isso que a gente quer blindar o DAE. A gente quer fazer uma blindagem do DAE, para ser superavitário, e onde 50% da sua despesa não seja com pessoal, mas com infraestrutura para que a água chegue com qualidade e limpa”, declarou.

Segundo o candidato do PTB à prefeitura, a campanha entra nos últimos 30 dias. “A população está entendendo e acolhendo as nossas propostas e a campanha só crescendo, tomando corpo e a população confiando. Nossa intenção de voto só cresce, estamos confiantes na vitória para construir um novo tempo na Várzea Grande, onde a gente resolva problemas estruturais e traga a modernidade junto com a tradição”, comentou.

Questionado sobre ataques por parte dos adversários, o petebista foi direto: “quando for ataques pessoais não vou nem dar bola. Minha conversa é com a população, quando for ataques de trabalho, vou mostrar o que eu já fiz por Várzea Grande em um ano e meio e que os outros tiveram a oportunidade a vida toda e não fizeram”.

“Se lá atrás pediram para eu recuar, inclusive com propostas, é porque tem alguma ameaça. Ameaça tem, é para que Várzea Grande saia do trivial, saia do retrocesso e tenha o caminho da modernidade. Para isso, vou trabalhar propostas em três esferas, praticamente, a primeira, da água. Segundo ponto, saúde pública, informatizar e garantir que as pessoas não tenham falta de medicamentos, e tenham um atendimento rápido e eficiente. Terceiro, geração de emprego e o desenvolvimento de uma nova matriz econômica para Várzea Grande, para que possa incluir a cidade no desenvolvimento do Estado de Mato Grosso”, completou.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Lei de desvinculação do Corpo de Bombeiros da PM em Mato Grosso completa 26 anos

Publicado

Lei Complementar de Romoaldo Júnior, garantiu autonomia administrativa e financeira ao órgão, hoje é subordinado ao Governador do Estado e vinculado a Sejusp

No dia 28 de outubro de 1994, há exatos 26 anos, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, desvinculava-se da Polícia Militar, por meio de Lei Complementar nº 32, de 10 de outubro de 1994 (D.O. 10.10.94), de autoria do deputado estadual Romoaldo Júnior (MDB). A separação garantiu autonomia administrativa e financeira ao órgão que hoje é subordinado hierarquicamente ao Governador do Estado e vinculado à Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Em visita ao gabinete do parlamentar, o tenente-coronel, Dércio Santos da Silva, coordenador geral do Comitê Temporário Integrado Multiagências de Coordenação Operacional de Mato Grosso (Ciman) e diretor adjunto operacional do Corpo de Bombeiros – disse que a lei garantiu amparo e legitimidade à corporação, permitindo até mesmo, concurso exclusivo na área.

Aprovado na primeira turma de bombeiros de Mato Grosso, chamada de ‘Turma Pioneira’ do CBMMT, o tenente-coronel disse que o concurso foi uma grande oportunidade que se abriu para vários tenentes temporários do Exército Brasileiro, inclusive para ele.

“O deputado Romoaldo é um político visionário, graças à propositura dele, foi realizado o concurso que ocorreu dois meses após a promulgação da lei“, reconheceu Dércio que está à frente da batalha contra os incêndios florestais em Mato Grosso e, em destaque, na Operação Transpantaneira II de combate ao fogo em todo o Pantanal mato-grossense, considerado um dos maiores da história.

 

Continue lendo

Política MT

Com investimento de R$ 9,5 bilhões, Mais MT vai gerar 52 mil novos empregos em todo o Estado, diz Mauro Mendes

Publicado

Levantamento foi feito pela Secretaria de Estado de Fazenda, com base em metodologia do BNDES [Foto – Marcos Vergueiro]

Programa Mais MT, que prevê recursos de R$ 9,5 bilhões em investimentos nesta gestão (2019-2022), vai gerar mais de 52,4 mil empregos em Mato Grosso.

A afirmação é do governador Mauro Mendes, que lançou o pacote de obras e ações nesta semana. O Mais MT é dividido em 12 grandes eixos estruturantes: Segurança; Saúde; Educação; Social e Habitação; Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda; Infraestrutura; Turismo; Cultura, Esporte e Lazer; Simplifica MT; Eficiência Pública; Meio Ambiente; Agricultura Familiar e Regularização Fundiária.

“O Programa Mais MT vai gerar 52 mil novos empregos em todo o estado de Mato Grosso. Esses dados foram levantados pela Secretaria de Estado da Fazenda, que usou a metodologia do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social], que é a metodologia utilizada para calcular o impacto dos investimentos na geração de empregos. São empregos, diretos, indiretos e gerados pelo efeito-renda”, destacou o governador.

Conforme o levantamento, o setor da construção será o maior beneficiado, com a previsão da criação de 40.400 novos postos de trabalho. Em seguida está o ramo de comércio (atacado e varejo), com 4.642.

Também estão previstos milhares de novos empregos relacionados a serviços de arquitetura, engenharia, testes/análises técnicas, pesquisa e desenvolvimento (2.998); na fabricação de máquinas, equipamentos, móveis e produtos de indústrias diversas (2.232); e no desenvolvimento de sistemas e outros serviços de informação (2.132).

“É um número gigantesco de empregos que estão sendo gerados nas obras públicas, na construção de hospitais, rodovias, nos investimentos na área do Turismo e em todos os investimentos que nós faremos. Teremos uma capacidade gigante de gerar empregos”, pontuou o governador.

Mauro Mendes registrou que a maior parte desses investimentos já está com dinheiro garantido em caixa, uma vez que a atual gestão conseguiu consertar o Governo após uma série de ajustes, como a reforma administrativa, corte de gastos, renegociação de dívidas, combate à sonegação, novo Fethab, LRF Estadual e a revisão dos incentivos fiscais.

“O Governo do Estado passou os últimos dez anos no prejuízo, no vermelho, ou seja, gastando mais do que arrecadava. Desde 2009 Mato Grosso gasta mais do que arrecada. Mas em 2019 foi o primeiro ano, depois de dez anos, que Mato Grosso fechou no azul, ou seja, sobrou dinheiro. E é esse dinheiro que sobrou que vamos usar para fazer escola, fazer rodovia, fazer hospitais… Para o cidadão, é isso que importa”, completou.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana