conecte-se conosco


Política Nacional

Deputado critica oposição por usar ministro da Educação para desestabilizar governo

Publicado

Para o deputado Pedro Lupion (DEM-PR), a oposição está usando o ministro como “cavalo de Troia” para tentar desestabilizar o governo. “Educação é planejamento. Hoje, vejo que o senhor se porta da melhor maneira possível nesse embate”, afirmou.

Apesar do contingenciamento que atinge várias universidades do Paraná, ele ressaltou que todos os deputados de seu estado foram atendidos para falar do tema.

Diálogo O líder do Cidadania, deputado Daniel Coelho, lamenta a falta de comunicação entre os vários setores do governo. “Se não houver mais dinheiro no fim do ano, estamos aqui para aprovar mais recursos e mudar as prioridades”, afirmou.

“O Cidadania apoiou o Coaf no Ministério da Justiça, é a favor da reforma da Previdência, mas não apoia esse contingenciamento na Educação. É melhor o senhor ouvir o sentimento dessa Casa”, afirmou.

Coelho lembrou que não foi invenção a questão sobre a “balbúrdia” nas universidades e sim uma fala do ministro. Sobre o telefonema do presidente, Coelho informou que Jair Bolsonaro disse “claramente” a todos os deputados presentes à reunião no Planalto “que não haveria mais contingenciamento”.

Leia Também:  Subcomissão vai analisar plano de trabalho sobre a Usina de Belo Monte

Em resposta ao deputado, Abraham Weintraub disse que o presidente da República pode ter trocado a palavra corte por contingenciamento.

O debate prossegue no Plenário da Câmara.

Mais informações a seguir

Fonte: Agência Câmara Notícias
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política Nacional

Russomano pode abrir mão de candidatura própria para ser vice de Covas em 2020

Publicado

source
Celso Russomanno arrow-options
Reprodução/Facebook

Celso Russomanno concorreu à prefeitura da capital paulista em 2012 e 2016.

O presidente nacional do Republicanos (antigo PRB), Marcos Pereira, afirmou nesta segunda-feira que uma indicação do deputado Celso Russomanno para ser vice do prefeito Bruno Covas (PSDB) na próxima eleição está em “maturação” nos dois partidos. Russomanno é apontado hoje por aliados de Covas como o melhor nome para ocupar a vaga. Pouco antes de descobrir um câncer, o prefeito recebeu o deputado em seu gabinete.

Leia também: Exames indicam melhora de Bruno Covas e câncer em estágio de cicatrização 

“É um assunto que está em maturação. Precisa ser debatido e decantado em ambas as legendas “, afirmou Pereira. O dirigente do Republicanos almoçou nesta tarde com o governador João Doria. Entre outros assuntos, eles trataram das eleições municipais em 2020. Na semana passada, Doria se reuniu com Covas .

“Avaliamos também 2020 , alianças e possibilidades para as eleições municipais dada a capilaridade do partido”. disse Doria. Apesar de não descartar a possibilidade de o Republicanos ter o vice do prefeito, Pereira disse que não é hora para decisões. O Republicanos é aliado de Covas e Doria na prefeitura e governo do estado, respectivamente.

Leia Também:  Regra para escolha de dirigentes do Cade pode mudar; texto prevê lista tríplice

“As decisões devem acontecer lá para julho e agosto. Esse é um tema que está sendo guardado para o momento oportuno porque quem tem tempo não tem pressa”, afirmou.

Russomanno aparece em destaque em pesquisas de intenção de voto para a prefeitura de São Paulo. Ele já disputou as eleições de 2012 e 2016, chegou a liderar a disputa mas nunca chegou ao segundo turno.

As chances de Covas disputar uma candidatura à reeleição aumentou depois da entrevista da equipe médica que o assiste num tratamento contra um câncer nesta segunda-feira. Os médicos disseram que o prefeito teve uma melhora e o tumor regrediu.

Leia também: ‘Joice não acrescenta, é só modinha’, diz líder do PSDB sobre chapa com Covas 

Outro nome mencionado para ser vice de Covas é a deputada Joice Hasselmann (PSL). Doria já disse que gostaria que prefeito e a ex-aliada do presidente Jair Bolsonaro se aproximassem.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Moro diz que corrupção prejudica a confiança na democracia

Publicado

source

Agência Brasil

Sergio Moro arrow-options
Agência Brasil

Declaração foi dada durante seminário organizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse hoje (9), em Brasília, que a corrupção prejudica a confiança dos cidadãos na legitimidade das instituições republicanas e democráticas. Para ele, o fortalecimento dos órgãos públicos de controle é fundamental para desestimular agentes públicos e privados a se corromperem, subornando ou aceitando propina para obter vantagens econômicas.

Leia também: Forças Armadas são a grande âncora do governo, diz Bolsonaro

“Dentro de uma democracia plural sempre pode haver divergências sobre o que é interesse público. Ainda assim, o cidadão confia que o agente público faça a coisa certa, perseguindo o interesse público. A corrupção mina esta confiança e a legitimidade das instituições”, disse Moro ao discursar durante seminário realizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por ocasião do Dia Internacional Contra a Corrupção.

O evento contou com pronunciamentos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, e da Controladoria Geral da União (CGU), Wagner Rosário, além de outras autoridades.

Ministro condena corrupção

Durante seu discurso, Moro afirmou que a corrupção compromete o bem-estar da sociedade e o desenvolvimento econômico do país. “Em último nível, [o crime] afeta a autodeterminação e a confiança no regime democrático. Neste quadro, não existe alternativa, senão um combate firme e determinado contra a corrupção”, afirmou Moro, criticando governos anteriores.

“Houve um nível de corrupção tão disseminado que acabou afetando a própria estabilidade de governos anteriores”, acrescentou o ministro, sem citar nomes, e destacando a importância dos órgãos de controle.

“Nenhum dos escândalos revelados no âmbito da Operação Lava Jato foi detectado por controles internos ou externos que já existiam”, afirmou o ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), onde foram julgados alguns dos principais investigados pela força-tarefa Lava Jato.

Leia também: PGR deve cortar cerca de 50 assessores que atuam nas investigações da Lava Jato

“Temos que fortalecer os mecanismos de controle, que têm que ser efetivos. Não podemos confiar apenas em nossas virtudes. Não vivemos no mundo dos anjos. Pessoas são falhas e, eventualmente, se desvirtuam”, declarou Moro , afirmando que, no âmbito do Ministério da Justiça, os expedientes de controle internos e externos “têm funcionado”, com os órgãos de controle vinculados ao ministério funcionando com “completa independência”.

Fonte: IG Política
Leia Também:  Jornalistas apontam educação como forma de combater notícias falsas
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana