conecte-se conosco


Política MT

Deputado cobra revitalização de estrada em região produtiva do Araguaia

Publicado

Nesse ano foi sancionada pelo governo do estado a Lei n° 10.890, de autoria do deputado Max Russi. Essa proposta tornou de utilidade pública a Associação dos Pequenos Produtores Rurais do Distrito de Espigão do Leste.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Os problemas estruturais da MT-322 em Espigão do Leste, distrito de São Félix do Araguaia, têm tirado o sossego dos moradores daquela região. As consequências negativas têm afetado, principalmente, as atividades ligadas à agropecuária. Ciente dessa demanda, o deputado Max Russi (PSB) pediu, nesta semana, por meio da Indicação 5033/2019, a recuperação asfáltica da rodovia estadual.

As péssimas condições da via urbana foram reforçadas pela prefeita do município, Janailza Taveira Leite. “Esse trecho precisa de uma urgente recuperação, por se tratar de um trajeto de veículos de carga pesada, usados no transporte agrícola”, argumentou.

Os efeitos negativos, que poderão ser ocasionados pela falta de manutenção daquela rodovia, levaram a prefeita a formular o pedido ao parlamentar. Segundo ela, as implicações impactam a vida não só dos motoristas, mas principalmente dos pedestres. “No período da seca, a poeira torna-se um problema de saúde pública, causando até doenças respiratórias em crianças e idosos”, alertou.

Leia Também:  Selma critica filhos de Bolsonaro, defende o presidente e reafirma que abre vaga ao suplente antes do recesso

O deputado Max Russi assegurou que vai reforçar essa cobrança junto à Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra). “Esse é o tipo de assunto que sempre tenho falado na tribuna. Algumas vias estão muito desgastadas, até devido ao alto número de tráfego para escoamento de insumos da agroindústria. Por isso, estou cobrando essas obras e creio que a Sinfra logo tomará providências”, afirmou.

Região produtiva – Espigão do Leste está localizado às margens da rodovia BR-080, no nordeste de Mato Grosso, e pertence ao município de São Félix do Araguaia, a 1.159 km de Cuiabá. A região apresenta um grande potencial produtivo e estratégico.

Neste ano, foi sancionada pelo governo do estado a Lei n° 10.890, de autoria do deputado Max Russi. Essa proposta tornou de utilidade pública a Associação dos Pequenos Produtores Rurais do Distrito de Espigão do Leste. A intenção é promover a comercialização conjunta da produção dos associados, assim como a aquisição de insumos agropecuários e bens de consumo.

Fonte: ALMT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Governo apresenta reforma da previdência semelhante à de Bolsonaro; Conselho de Poderes pede vista à proposta

Publicado

A reforma zera o déficit da previdência estadual já em 2020, e possibilita que a previdência possa fazer investimentos para pagar as aposentadorias no futuro [F- Christiano Antonucci]

O governo apresentou ao Conselho da Previdência de Mato Grosso, a proposta de reforma estadual que prevê mudanças que seguem o molde da reforma da previdência nacional, recém promulgada pelo Congresso Nacional. A reunião que aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), no Palácio Paiaguás, contou com a presença de chefes dos Poderes, e representantes de servidores.

O principal ponto da reforma prevê o aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%. Conforme o governador Mauro Mendes, a mudança deverá ser feita obrigatoriamente, já que nenhum estado poderá manter para os servidores uma contribuição menor do que a do governo federal. Ao todo, 15 unidades da federação já ajustaram a alíquota.

“Se não fizermos os ajustes aqui colocaríamos o governo de Mato Grosso em uma situação de inadimplência, o que traria sérias consequências ao Estado, como a vedação de recebimento de recursos do governo federal”, fala sobre o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP).

Leia Também:  Ex-presidente da ALMT é condenado a 21 anos de prisão e terá que devolver R$ 5 milhões

Pediram vista do projeto os conselheiros José Antônio Borges, do Ministério Público; Orlando Perri, do Tribunal de Justiça; Carlos Roika, representante dos segurados da Defensoria Pública; Lázaro da Cunha Amorim, dos segurados do MP; e Luiz Cláudio Scheffer, dos segurados do Executivo. Após nova apreciação do Conselho, a proposta seguirá para a Assembleia Legislativa.

O governador ressalta a necessidade da urgência da pauta para que o Estado possa recuperar o mais breve possível o equilíbrio fiscal. A reforma deve conter o déficit da previdência que acumula um saldo negativo de R$ 1,3 bilhão ao ano, conforme estudo apresentado pelo presidente do Mato Grosso Previdência (MT Prev), Elliton Souza.

Na ocasião, o deputado João Batista reconheceu os avanços do governo que possibilitaram uma melhora da situação financeira do Estado, e afirmou que os servidores concordam que deve haver mudança para garantir a aposentadoria no futuro, mas que precisam de participar desse processo de discussão em torno da reforma da previdência.

Outras opções apresentadas, como corte de investimentos, congelamento do duodécimo dos Poderes, aumento de impostos, ou diminuição das aposentadorias, não seriam suficientes pra cobrir o valor necessário para pagar os aposentados e pensionistas.

Leia Também:  “Não existe moeda de troca envolvendo Cuiabá”, diz Pinheiro ao negar acordo para ter apoio do DEM em 2020

O presidente conta que, mesmo antes da aprovação da reforma nacional, quando a Emenda Constitucional 103 de 2019 ainda estava em tramitação, a equipe do MT Prev começou os estudos de impacto aplicando as mesmas regras federais no Estado. Os resultados foram apresentados na reunião do Conselho.

“A potência econômica da reforma no Estado geraria um valor de R$ 25 bilhões acumulados ao longo dos próximos dez anos. Ou seja, no ano de 2020, já zeraríamos o déficit financeiro da reforma, e sobraria algo na ordem de R$ 600 milhões para ser investido”, afirma sobre os relatórios financeiros.
No entanto, ao final de 10 anos, com o número de aposentados que deve superar o que o número de ativos até 2023, e conforme a projeção, a previdência voltará a apresentar déficit acumulado de R$ 6 bilhões. Sem a reforma, o montante chegaria a R$ 31 bilhões em 10 anos.
O Conselho de Previdência é o órgão de deliberação superior da Previdência Estadual, vinculado ao Governador do Estado, tendo por finalidade assegurar o regime de previdência de caráter contributivo e solidário, garantindo o equilíbrio financeiro e atuarial. Tem cadeira no Conselho os chefes dos Poderes, e representantes dos segurados.

Continue lendo

Política MT

Deputado não garante se sairá do PSL para acompanhar Bolsonaro, mas diz que seguirá apoiando

Publicado

Silvio Fávero diz que buscará segurança jurídica para decidir sobre saída ao não da legenda

Ao contrário do deputado federal Nelson Barbudo (PSL), que pretende acompanhar o presidente Jair Bolsonaro em uma nova sigla partidária, a Aliança pelo Brasil, o deputado Silvio Fávero (PSL), vê que o momento exige cautela e que é preciso buscar segurança jurídica para decidir sobre essa questão.

“Nós vamos fazer uma reunião com todos os presidentes do partido no Estado e vamos levar a situação atual. Independente de partido, nós seguiremos em apoio ao Bolsonaro. Vamos conversar com todos, não podemos virar as costas. Só depois tomaremos uma decisão”, disse o parlamentar.

Conforme Sílvio Fávero, o PSL está estruturado atualmente em 102 municípios de Mato Grosso. “Temos cerca de 40 pré-candidatos a prefeito e mais de 150 pré-candidatos a vereador. Como fica tudo isso?. Temos que dar resguardo a esse pessoal que acreditou no PSL”, diz.

Fávero confirmou que qualquer decisão de mudança, conforme o presidente regional da agremiação no Estado, o deputado federal Nelson Barbudo, só será tomada depois que o novo partido estiver pronto para receber os seus integrantes.

Leia Também:  Sinfra abre investigação contra empresa que não teria executado contrato de R$ 50 milhões

“Também não sabemos se vai haver tempo hábil para criar um novo partido. E tem outra situação, será que o presidente nacional não pode pedir a cadeira, que pertence ao partido?”, questionou. O deputado adiantou que presidente e senador estão imunes, podem deixar uma sigla e migrar para outra, “mas e o deputado?. Se eu sair, o Nelson Barbudo também, que segurança jurídica nós que temos. O momento é de aguardar e buscar as seguranças jurídicas”, opinou.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana