conecte-se conosco


Política MT

Deputado Claudinei visita Cadeia Pública de Jaciara

Publicado


Deputado Claudinei com os servidores da Cadeia Pública de Jaciara e Conselho da Comunidade

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Uma das atividades do reeducandos é na horta dentro da unidade

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) conheceu as instalações e os projetos de ressocialização desenvolvidos na Cadeia Pública de Jaciara, no início do mês de junho. O diretor e policial da unidade, Ricardo Simplício dos Santos, e o presidente do Conselho da Comunidade, Giovani Bianchi, recepcionaram o parlamentar e passaram as informações sobre a instituição.

Atualmente, a unidade conta com 109 recuperandos que realizam atividades de capacitação e profissionalização para o mercado de trabalho, após cumprirem a pena judicial. Dentre essas atividades, estão a horta, marcenaria e artefato de concreto. “Conheci de perto os trabalhos desenvolvidos com os presos e é de suma importância investir nestes projetos para que os presos possam trabalhar, ter uma atividade dentro e fora. Este é um modelo que está dando certo. Me coloquei à disposição para contribuir com as iniciativas da unidade”, declarou o parlamentar.

Projetos

De acordo com Ricardo, há uma expectativa para a elaboração e execução de dois importantes projetos que vão necessitar de recursos, sejam por meio do Poder Judiciário ou com emendas parlamentares . Um deles é a reforma de um espaço para ser instalado a sala de corte e costura. “Já conseguimos máquinas de costura pela Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso [Sesp] por meio de parcerias. Ano passado, fizemos de forma improvisada 7,6 mil máscaras confeccionadas e doadas à população, mas precisamos adequar o ambiente para continuar essa atividade”, explica o diretor.

Outro projeto almejado é a construção de uma padaria, onde já foi realizado o levantamento dos custos da parte estrutural – na ordem de R$ 120 mil. “Infelizmente não terá como somar este projeto neste ano, pois as minhas emendas já foram destinadas. Mas a gente pode programar para o final deste ano, para quem sabe, ano que vem, colaborar com recursos para este importante projeto”, diz Claudinei.

Simplício explica que a Cadeia Pública recebe internos de Jaciara, Dom Aquino e Campo Verde. “Quem sabe, em um futuro próximo, teremos condições também de receber os recuperandos de Juscimeira. Assim, melhoraria a logística e reduziria as despesas para o Estado, trazendo para eles uma possibilidade de reinserção no mercado de trabalho e na sociedade”, frisou.

Valorização Salarial

Em um momento da visita, Claudinei se reuniu com os outros servidores e, juntos, debateram sobre a luta para o enquadramento e valorização salarial dos profissionais do sistema penitenciário. “Eu visitei 13 polos regionais que envolvem 129 municípios. Visitamos todas as cadeias e uma das reivindicações era a valorização salarial. Os policiais penais já conquistaram muita coisa, como a aprovação da PEC para a carreira da polícia penal, e logo terão um Estatuto. Infelizmente, estes servidores estão com os salários muito aquém de outros que arriscam suas vidas frente a frente com a bandidagem. Eles enfrentam a periculosidade dentro do Sistema Penitenciário. Estamos na luta! Não tem politicagem, venho da segurança pública e entendo bem a realidade”, disse.

O diretor agradeceu a presença do parlamentar e a preocupação com Jaciara, sendo um dos municípios que ele atuou como delegado da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC). “Estamos ainda na luta para implantar outros meios de ressocialização aos reeducandos para evitar que cometam outros delitos. Para que saiam com um trabalho definido, voltem para as suas famílias e retornem à sociedade com toda a tranquilidade. E a valorização salarial é um anseio nosso, há bastante tempo”, enfatizou Ricardo.

Ele acrescenta que o trabalho desenvolvido, desde os mais antigos aos modernos, é realizado na busca da excelência. “Nós fazemos o melhor e buscamos ser compatíveis com todos como a polícia militar, civil e bombeiros. É prestar um trabalho de excelência à sociedade. A nossa briga como gestores é sempre  para fazer um trabalho melhor do que outro”, concluiu Simplício.

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Jaime vê polarização em 2022, nega 3ª via e diz que DEM pode caminhar com Bolsonaro

Publicado

O senador Jaime Campos (DEM), vice-presidente nacional do partido,  sobre as eleições de 2022 no cenário nacional, disse que não vê dificuldade de o partido marchar com o presidente Jair Bolsonaro, sem partido. “Eu não vejo nenhuma dificuldade do DEM caminhar com o Bolsonaro. Acho que é o melhor caminho, o ideal”, disse o senador.

Conforme Jaime Campos, a água com óleo não se misturam. “O democratas foi sempre contra o PT e como é que vai? Até porque no Brasil falam em terceira ou quarta via, mas na verdade está polarizado. Queira ou não queira, é Bolsonaro e Lula. Mas só no ano que vem vamos ter uma certeza e eu recomendaria que o DEM vá com Bolsonaro”, argumentou quando questionado.

Sobre a sucessão estadual, Jaime Campos disse que “não vejo porque Bolsonaro não apoiar Mauro e Mauro não apoiar Bolsonaro. Eu sei que o presidente tem muita simpatia pelo Medeiros. Todavia, o que se pode fazer é o Mauro, que é candidato a governador, fazer uma articulação. Se lhe interessar. Mas acima de tudo, o Bolsonaro tem que se preocupar com eleição dele para presidente. Muitas vezes, não pode abrir mão de um apoio, em hipótese alguma, de um governador em detrimento de uma candidatura que ainda vai ser lançada, de um candidato a governador”.

O senador mato-grossense entende que no Brasil “não tem mais ambiente para golpe e nem nada. Talvez o presidente precise fazer uma melhor colocação. Vivemos em um estado democrático de direito em que a liberdade de expressão está garantida e foi uma luta de muitos anos, mas conquistamos. Eu não acredito em retrocesso dentro do processo democrático”, completou.

Continue lendo

Política MT

Jaime defende voto auditável e fim do fundo eleitoral: “tem que fazer campanha com seu dinheiro e sola do sapato”

Publicado

Senador sugeriu ao presidente Bolsonaro para vete fundo eleitoral

O senador Jaime Campos (DEM), em entrevista na rádio Vila Real nesta quinta-feira (29), disse que é favorável ao voto auditável nas próximas eleições e posicionou-se contrário ao fundo eleitoral da forma como foi aprovado. Jaime disse que sugeriu ao presidente para vetar a matéria.

“Voto auditável é um assunto que surgiu e merece uma ampla discussão, através da Câmara e do Senado. Feito isso aí, tudo que for transparente, ético e republicano, eu sou favorável. Não tenho dificuldade nenhuma de afiançar que sou favorável, isso é ter um recibo, é transparência. Mas há um debate, o próprio Tribunal Superior Eleitoral está defendendo a tese de que isso é desconsiderar todas as eleições que foram feitas e causa uma desconfiança infinita em relação ao cidadão que votou”, esclareceu, acrescentando que “da minha parte, não sou eu quem decide, mas sou favorável ao voto auditável. Eu não posso falar sobre a urna eletrônica, defendo a tese de que tudo que for para deixar mais transparente tem o apoio do senador Jaime Campos”, destacou.

“Defendi em audiência com o presidente para ele vetar o fundo eleitoral. Hoje é R$ 2.7 bilhões, com a LDO foi para R$ 5.7 bilhões. Temos que acabar com o fundo eleitoral, temos que acabar com essa abundância de partidos políticos, temos 37 partidos, e muitos são partidos familiares para fazer balcão de negócio”, disse.

Segundo o senador democrata, “é inadmissível que o cidadão brasileiro trabalha 138 dias por ano só para pagar imposto e depois para financiar caixa de campanhas políticas. Não! O cidadão tem que fazer campanha com seu dinheiro ou com a sua proposta, com a saliva, com a sola do sapato. Eu sou contra. Pode pegar minha declaração eleitoral da campanha de senador que eu fiz, não recebi um centavo de real de fundo partidário. Sou contra porque esse dinheiro é fruto do suor do brasileiro. Disse ao presidente que ele tem que vetar urgentemente porque nós temos que acabar com esse escândalo no Brasil. Tudo leva a crer que o fundo deverá ficar na casa de R$ 3 a 4 bilhões”.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana