conecte-se conosco


Política MT

Delegado Claudinei discute demandas da educação de Rondonópolis na Seduc

Publicado


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Com a interdição da Escola Estadual José Rodrigues dos Santos, no distrito de Boa Vista, em Rondonópolis (MT), após o laudo emitido pelo engenheiro da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc), Rafael Misorelli, o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), na quarta-feira (28), se reuniu com o secretário-adjunto executivo da pasta, Alan Porto, para verificar as possíveis alternativas, para que 527 alunos não sejam afetados com o início das aulas presenciais na instituição.

De acordo com Porto, as aulas da rede estadual de ensino estão previstas para começar no próximo ano, em 1° de fevereiro, independente se tiver vacina contra a Covid-19. Ele explica que todo o atendimento aos alunos será feito por meio de revezamento, respeitando todo o protocolo de distanciamento social e outras medidas preventivas para evitar a disseminação da doença.

 O vereador de Rondonópolis, Orestes Miraglia (SD), preocupado com a situação da interdição total da escola e impedimento de permanência da comunidade escolar nas dependências, ocorrida no mês de julho deste ano, que atende do 1° ano do ensino fundamental ao 3° ano do ensino médio, entrou em contato direto com o deputado Claudinei para intermediar junto ao governo estadual.

“Foi o deputado, que quando nós ligamos, prontamente atendeu e se manifestou solidário e interessado em resolver o problema. Tanto que ele enviou o seu pessoal para constatar in loco a real situação que apresentamos a ele. A gente até agradece em nome da comunidade, a urgência na prestatividade nesta demanda. Falta agora o estado fazer a parte dele, em relação aos trâmites e homologação da licitação, contratação da empresa, ordem de serviço, para que em um espaço curto de tempo a comunidade possa ter de volta o seu prédio”, ressalta o vereador. 

O secretário-adjunto explica que a equipe de infraestrutura da Seduc esteve no local e, realmente, identificou a impossibilidade de manter alunos e professores na área, pois poderia ocorrer uma tragédia e estava bem crítica a situação. “Interditamos para encontrar a solução. O laudo apontou que não tem segurança e nem condições para os professores, para a comunidade gestora e para os alunos”, esclarece. 

Uma das sugestões apontadas, tanto pelo vereador Orestes e o secretário adjunto, foi a possiblidade de construção de uma nova sede da escola estadual com pré-moldados, locação de um espaço temporário para atender a comunidade escolar até a conclusão da obra da unidade escolar e, conforme a localidade de escola que possa acolher o público específico, contribuir com o transporte escolar. 

Em relação à implantação das salas de contêineres, Porto explica que não é uma boa opção. “A gente tinha 120 salas de contêineres. Devolvemos tudo. Não dá certo. É quente, insalubre, não é adequado colocar os alunos. Este não é o caminho”, explica. 

O secretário-adjunto não se impôs em solucionar a situação, só posicionou que precisaria de um prazo de cerca de um ano para poder concluir todos os trâmites desde o processo licitatório até a conclusão da nova sede da escola estadual. 

“Temos o projeto aqui, para chegar e implantar. Se formos seguir o ritual normal, respeitando todo o procedimento de licitação e contratação, demoraria em torno de três meses para finalizar o processo. Contratar uma empresa e uma construção deste porte que sairia em torno de R$ 2,2 milhões, então seria de oito a dez meses. Eu falaria, no mínimo, um ano, para concluir”, detalha Alan. 

O superintendente de infraestrutura da Seduc, Fernando Wieczoreck de David, ficou incumbido de realizar o estudo da região para verificar os possíveis locais para atendimento da comunidade escolar. Já o secretário-adjunto disse que, após o resultado, entrará em contato com o prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, para alinhar a situação para chegarem em conjunto a uma solução definitiva até a conclusão da nova unidade escolar. 

Emenda – Outra demanda discutida entre o deputado Claudinei e Porto foi sobre a construção de uma escola estadual no bairro Alfredo de Castro, em Rondonópolis, em que o parlamentar destinou R$ 505 mil – por meio de emendas impositivas – em conjunto com outras oriundas por parte de outros deputados estaduais. 

De acordo com o secretário-adjunto, o processo está em andamento, sendo preciso avaliar o total da verba destinada para a construção que é estimada no valor de R$ 5,6 milhões. Ele ressalta que é preciso cumprir exatamente o artigo da Lei Orçamentária Anual (LOA) para atender essa demanda. 

Alan Porto assumirá o comando da Seduc no dia 30 de outubro, após a saída da atual secretária Marioneide Kliemaschewsk, que pediu exoneração no dia 22 deste mês, sendo que conta com mais de 30 anos de carreira na área da educação.

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Contra desativação de escolas e Cejas, deputado pede audiência pública

Publicado


Foto: ANGELO VARELA / ALMT

“Precisamos acabar com a política do ‘registra-se e cumpra-se’, em que sabemos do que vai acontecer com a educação através do Diário Oficial”, cobrou o deputado estadual Henrique Lopes do secretário estadual de Educação, Alan Porto, em Plenário, na manhã desta quarta-feira (25). Alan foi convocado pelo parlamentar para prestar esclarecimentos sobre o fechamento de cerca de 300 escolas estaduais, Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas) e fim da eleição de diretores das unidades escolares. 

O deputado solicitou ao secretário que uma nova audiência pública seja marcada para debater pontos importantes para a educação. De acordo com Henrique, o principal questionamento a ser respondido pelo governo é sobre o compromisso com o diálogo. 

Nos últimos dias, estudantes e profissionais da educação tomaram conhecimento da desativação das escolas e ataque à gestão democrática, que determina, entre outras prioridades, a eleição democrática de diretores, apenas por meio de publicações oficiais. Para o parlamentar, é urgente que as comunidades sejam ouvidas. 

“Sou alguém do ‘chão’ da escola, que desde o movimento sindical percorre as escolas de Mato Grosso, conheço, praticamente, a realidade de todas. Durante os 60 dias de mandato tive oportunidade de voltar a visitá-las em agenda parlamentar, podendo colher ofícios das demandas e fazer os devidos encaminhamentos na Casa”, ressaltou. 

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

Em suas justificativas sobre as novas determinações da Seduc-MT, Porto afirmou que os estudantes das escolas que serão desativadas serão transferidos para unidades com Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) superiores. 

“Os nossos alunos estão indo para um ambiente adequado, com Ideb melhor. Sou pai e gostaria de ter meu filho em escolas com Ideb e estrutura melhores. Ter uma escola locada não é segurança para nenhum profissional da educação. Meu compromisso é com os professores e estudantes. O que estou fazendo aqui hoje [na ALMT] é transparência pública. Estou apresentando evidência e indicadores”, justificou. 

Processo seletivo de diretores – Porto chegou a pedir para os deputados que votem contra os Projetos de Decreto Legislativo nº 11 e 12. O primeiro suspende a Portaria 454/2020, da Seduc-MT, que cria comissão para seleção de diretores, já o segundo suspende o Edital 005/2020, que acaba com o processo seletivo para os mesmos. De acordo com o secretário, se os procedimentos forem suspensos, dinheiro público estará sendo “jogado na lata de lixo”.

No entanto, Henrique rebateu Porto, afirmando que o Supremo Tribunal Federal (SFT) não determinou, em momento algum, que a eleição de diretores por voto direto fosse suspensa. O parlamentar ressaltou que a Lei 7.040/1998 assegura a Gestão Democrática da Educação. 

“Os professores não estão com medo de prova, isso tem que ficar muito claro. Continuo desafiando o secretário e o governador Mauro Mendes a mostrarem onde está escrito que foi proibido fazer eleição de diretor. Mato Grosso é um ponto fora da curva, um atropelo, desrespeito ao próprio Parlamento. Por isso, peço que os colegas do Parlamento votem a favor dos decretos para darmos um basta nos desmandos do governo. Não dá para aceitarmos decisões dessa natureza. Vamos respeitar as leis ou vamos rasgar tudo?”, questionou o deputado.  

Galeria lotada – Profissionais da educação, pais e estudantes lotaram a galeria do Plenário da ALMT nesta manhã. Com faixas e cartazes, eles protestaram contra o fechamento de três escolas em Várzea Grande. No município, as escolas estaduais Mercedes de Paula Sôda, Hernady Maurício Baracat de Arruda e Miguel Baracat serão desativadas. 

A estudante da Escola Estadual Merces de Paula Sôda, Isabella Mendonça, contou que os estudantes receberam a notícia da desativação da escola com “muita tristeza”. A jovem ainda reforçou que a Seduc-MT chama de redimensionamento uma ação que vai extinguir escolas, prejudicando toda a comunidade em meio à pandemia do novo coronavírus. 

“Essa notícia está sendo muito difícil para nós, alunos, professores e funcionários da escola. Se caso fechar, teremos que nos deslocar para outras escolas. Não são todos que têm condições, Várzea Grande não tem passe-livre para os alunos, como teremos condições de ir mais longe de casa? Essa escola representa conhecimento e faz parte da nossa vivência, ela não pode fechar”, desabafou a aluna. 

A professora de educação física Anna Carol ressaltou que a educação não pode ser feita tratada sob perspectiva mercadológica. 

“Estamos aqui para fortalecer o diálogo, que precisa começar a existir. Não queremos que escolas sejam fechadas, nossa luta é para que mais escolas abram. São escolas de comunidades que, muitas vezes, só têm essas unidades de referência”, afirmou.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Santa Casa de Rondonópolis é contemplada com radioterapia

Publicado


Deputado Delegado Claudinei foi recepcionado pela superintendente da entidade, Bianca Talita Franco

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) conheceu as estruturas do setor de radioterapia, que está em fase de implantação na Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis (MT), por meio do Ministério da Saúde, na segunda-feira (23), sendo recepcionado pela superintendente da entidade filantrópica, Bianca Talita Franco. Essa nova área contará com estrutura moderna e capacidade de atendimento para 1 milhão de habitantes.

Com investimentos de cerca de R$ 7 milhões por parte do Ministério da Saúde, em contrapartida, a Santa Casa entrará com as mobílias – as obras da radioterapia foram iniciadas no ano passado e estão em processo construtivo bastante avançado, segundo Bianca, que cogita a possiblidade do funcionamento nos próximos meses. “É um projeto idealizado entre os anos de 2013 e 2015, nós fomos contemplados pelo Ministério da Saúde, com um projeto de expansão. É um trabalho impecável do governo federal e das construtoras. Não é só uma unidade de radioterapia, nosso objetivo engloba serviços de oncologia pediátrica, hematologia, tudo que é necessário para a Santa Casa”, explica a superintendente.

Expectativas – Uma das pretensões futuras de Bianca é consolidar o setor de radioterapia, como um Hospital do Câncer e, também, Hospital Universitário – com apoio dos Ministérios da Saúde e Educação e a força política de Mato Grosso. “Vamos trabalhando para consolidar. As universidades acontecem ali dentro, formar mais médicos, atender mais pacientes e aumentar a oferta para o SUS (Sistema Único de Saúde). É importante para a região, o hospital escola ser aplicado dentro da Santa Casa. Formar especialistas vai ser um diferencial do estado, pois vamos formar profissionais e oferecer uma mão de obra qualificada”, posiciona.

Já as expectativas com a radioterapia, conforme a superintendente, é promover e oferecer serviços de qualidade e acessível para a população das regiões sul e sudeste de Mato Grosso. “Consolidar essa região de Mato Grosso como unidade de oncologia avançada dentro do estado, levando Rondonópolis em nível de excelência no Brasil, através da nossa radioterapia e outras atividades desenvolvidas aqui dentro”, declara.

O deputado Claudinei conheceu todas as instalações e estrutura da unidade de radioterapia. “Realmente, a gestão da Santa Casa está de parabéns, em buscar inovar e garantir avanços no setor da saúde para proporcionar um atendimento de excelência para a população das regiões sul e sudeste de Mato Grosso”, ressalta o parlamentar.

Entidade – A Santa Casa Rondonópolis é referência por atender 19 municípios da região sul de Mato Grosso. A entidade filantrópica foi fundada em 1971 e, atualmente, oferece serviços de atendimento adulto e infantil, realiza diversos tipos de cirurgias e serviços de diagnóstico (raio-x, tomografia e ultrassonografia).

Fonte: ALMT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana