conecte-se conosco


Economia

De Sepultura a Shaman: documentário aborda desafios da música durante a pandemia

Publicado


source
A tirania da minúscula coroa: Covid-19
Reprodução/Youtube

O capítulo traz depoimentos de nomes importantes do cenário brasileiro do rock n’roll

O mais novo capítulo da série “A tirania da minúscula coroa: Covid-19″, que foi pensada e nascida na quarentena, conta com grandes nomes do rock brasileiro  e aborda os principais desafios e alternativas encontradas para a música durante a pandemia de coronavírus.


O décimo episódio da série traz depoimentos de músicos renomados, como Andreas Kisser , guitarrista do  SepulturaFelipe Andreoli , baixista do  Angra , Karma e Almah e Alírio Netto, vocalista do  Shaman e Queen Extravaganz .

Ao longo do documentário, os artistas partilham suas próprias experiências no setor e como tiveram que se reinventar para continuar o trabalho. Andreas Kisser, por exemplo, conta que a banda havia acabado de lançar o novo álbum no início de fevereiro, e no mês seguinte partiriam para uma turnê mundial: “Dois dias antes da nossa viagem, tivemos que cancelar tudo. As coisas já estavam complicadas aqui no Brasil e no resto do mundo”, comenta.

Já o baixista do Angra, Karma e Almah, Felipe Andreoli, aponta que esse meio sofreu bastante com a pandemia: “todo mundo ficou sem emprego da noite para o dia”. O músico contou que aproveitou esse período para compor e produzir novas canções. “As pessoas dessa indústria precisaram se reinventar, buscar outras atividades relacionadas à música, mas que não precisem algomerar pessoas”, afirma.

Este capítulo contou com a orientação do jornalista Charley Gima, editor-chefe do Blog FuteRock, que trabalhou em conjunto na construção da narrativa. De acordo com Gima, o mercado de entretenimento e o da música foram muito abalados com toda essa situação. Ele acrescenta que o setor de shows, por exemplo, foi o primeiro a parar e, consequentemente, deve ser um dos últimos a voltar.

Juliano Sartori (diretor de produção) e Ricardo Sartori (diretor de arte) disseram que a proposta do documentário é justamente mostrar a mudança que a pandemia trouxe para a vida desses artistas que, antes, estavam com agendas movimentadas e, do dia para a noite, tiveram que se adaptar ao mundo virtual.

Para muitos deles, o “novo normal” partiu da ideia de se aventurar em lives e streaming de performances. “Esse é um dos capítulos mais ricos em termos de imagem e edição”, destacam os Sartoris.

A série completa é gratuita e está disponível no canal do Youtube da Via d’Idea.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

American posterga retorno de algumas rotas para o Brasil

Publicado


source

Contato Radar

undefined
Raphael Magalhães

American posterga retorno de algumas rotas para o Brasil

Ainda em reflexo da demora do controle da pandemia no mundo, a American está reajustando o retorno de algumas rotas para o país. Nesse sentido, duas rotas de/para o Brasil foram afetadas, tendo suas datas postergadas para o começo de 2021.

Dessa forma, as rotas de Manaus (MAO) para Miami (MIA) e Nova York (JFK) para São Paulo (GRU) serão retomadas apenas no começo de Janeiro/2021, segundo alteração da própria empresa.

O voo para a capital amazonense, que voltaria a acontecer no dia 17/12 , só será retomado no dia 07/01/2021. De maneira similar, a rota para a Big Apple foi reprogramada para o dia 05/01/2021.

O voo para Manaus (MAO) continuará a ser operado pelo Airbus A319, configurado com 128 assentos em duas classes. Por sua vez, o voo entre Guarulhos e Nova York será operado pelo Boeing 777-300ER, com 304 assentos em quatro classes.

O post American posterga retorno de algumas rotas para o Brasil apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Continue lendo

Economia

Cliente proíbe entrega do iFood por racismo: “Não vou permitir esse macaco”

Publicado


source

Brasil Econômico

racismo cliente ifood goiania
Reprodução/Instagram

Hamburgueria de Goiânia denuncia racismo de cliente que não queria entregador preto em seu condomínio

O dono de uma hamburgueria de Goiânia (GO) registrou boletim de ocorrência contra uma cliente que, motivada por racismo, não deixou o entregador do iFood entrar em seu condomínio de luxo por ele ser negro. O caso ocorreu no último domingo (25) e, nas mensagens trocadas por meio do chat do aplicativo de entregas, a mulher cobra que a hamburgueria mande um motoboy branco. “Eu não vou permitir [a entrada no condomínio] esse macaco”, disse.

O caso viralizou nas redes sociais nesta terça-feira (27) após a gerente do estabelecimento compartilhar o caso com os prints da conversa com a cliente racista no Twitter.

As mensagens da cliente foram enviadas ao restaurante pelo chat do iFood  após a equipe da hamburgueria entrar em contato com ela para saber o endereço completo, com a quadra e o lote exatos de sua residência. Quando a gerente do estabelecimento pede autorização para a entrada do entregador no condomínio, a cliente se revoltou.

“Esse preto não vai entrar no meu condomínio. Mandar outro motoboy que seja branco”, escreveu. A gerente negou e defendeu que a hamburgueria não tolera racismo, afirmando que o pedido não seria entregue. A moradora voltou a responder com novas falas discriminatórias: “Adeus. Não uso restaurante judaico”, respondeu.

O iFood diz que já identificou e baniu imediatamente a da plataforma. Em nota, disse que “a empresa presta solidariedade ao entregador e está em contato para oferecer apoio psicológico. Ao receber qualquer tipo de relato como este, o iFood apura as ocorrências e, quando comprovado o descumprimento dos termos e condições de uso, desativa o cadastro dos envolvidos”.

O dono da hamburgueria não divulgou o nome da cliente agressora e disse que vai esperar que as investigações sobre o caso apontem se foi ela ou outra pessoa que usou os termos racistas e discriminatórios contra negros e judeus.

Em vídeo publicado pela gerente da hamburgueria, o entregador impedido de entrar no condomínio pela cliente agradeceu a todos que se sensibilizaram pela situação e exaltou Carol (gerente da hamburgueria de seu irmão) por ter conseguido a repercussão para o caso de racismo. “Agradecer a todos, essa situação é muito delicada, é indignação que a gente tem, e é muito dolorido para a gente que trabalha nessa área passar por uma situação como essa. Obrigado por tudo, pela atenção de todos”, disse o motoboy.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana