conecte-se conosco


Agro News

Curso capacita professores de escolas indígenas sobre alimentos saudáveis da agricultura familiar

Publicado

Gestores e professores de escolas indígenas do Amapá participaram de oficinas sobre o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Durante quatro dias, representantes dos povos Galibi-Marworno, Karipuna, Palikur e Galibi-Kalinã estiveram na cidade de Oiapoque para debater sobre como garantir aos estudantes das escolas indígenas da região uma alimentação saudável, de acordo com a realidade local.

Nas oficinas, os participantes assistiram apresentações sobre o funcionamento do Pnae e tiraram dúvidas de questões relacionadas à prestação de contas, licitação, mapeamento da produção agrícola local, elaboração de cardápios específicos e diferenciados, estruturação de chamadas públicas para compra de produtos da agricultura familiar e criação de projetos de venda para os produtores fornecedores.

A analista técnica de políticas sociais do Departamento de Cooperativismo e Acesso a Mercados da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério da Agricultura, Carolina Marra, explica que “a oficina teve um caráter prático, com o objetivo de capacitar os gestores das escolas indígenas para a elaboração das chamadas públicas e de projetos de venda, visando assim facilitar o processo de compras de alimentos garantido pela lei do Pnae”.  

Leia Também:  MANGA/CEPEA: Preços da tommy reagem, enquanto os da palmer se mantêm em queda

De acordo com a Lei n° 11.947/2009, do total dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no âmbito do Pnae, no mínimo 30% devem ser utilizados na aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural. “A compra de produtos da agricultura familiar é facilitada, pois permite dispensa de processo licitatório, desde que lançada a chamada pública” destacou Marra.  

Demanda

A iniciativa partiu de demanda apresentada pela Organização dos Professores Indígenas do Município de Oiapoque (Opimo) na Câmara de Comercialização de Produtos da Sociobiodiversidade e da Agroecologia do Amapá. Segundo Izabel Gobbi, antropóloga da Coordenação-Geral de Promoção da Cidadania (CGPC) da Funai, ações como essas são necessárias, pois “os povos indígenas têm pedagogias próprias e processos específicos de ensino e aprendizagem, sendo que os hábitos alimentares, as práticas e conhecimentos associados são parte fundamental desses processos”.

A ação foi organizada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) com o apoio do Mapa, Cooperação Técnica Alemã (GIZ ), da Secretaria Estadual de Educação (Seed), da Secretaria Extraordinária dos Povos Indígenas do Amapá, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá (Rurap), do Conselho de Alimentação Escolar do Estado (CAE/AP), do Conselho de Alimentação Escolar do Município, da Secretaria Municipal de Educação, da Secretaria Municipal de Agricultura, do Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (lepé) e do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Amapá (Sebrae Amapá).

Leia Também:  BOI/CEPEA: Exportações recordes mantêm os preços internos em alta

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
[email protected]

Fonte: MAPA GOV
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Agro News

Aprosoja parabeniza PJC por desarticulação de quadrilha de roubo de defensivos agrícolas

Publicado

Fortalecimento Institucional

Aprosoja parabeniza PJC por desarticulação de quadrilha de roubo de defensivos agrícolas

Associação solicita identificação de receptadores

13/12/2019

Presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antonio Galvan, elogia e parabeniza o trabalho do Governo do Estado, que por meio das Polícias Judiciária Civil e Militar, tem desenvolvido importantes ações no combate às ações de criminosos em propriedades rurais.

Conforme Galvan, a operação “Fim da Linha” liderada pela PJC, que desarticulou a principal organização criminosa que atua em roubos de defensivos agrícolas no Estado, trouxe conforto aos produtores rurais.  “Temos que reconhecer o belo trabalho, principalmente de inteligência, das nossas polícias no combate a esse crime organizado. São ações extremamente importante para produção rural mato-grossense, que sofrem com a visita indesejada de quadrilhas com grande número de integrantes, com forte armamento e truculência”, pontuou.

Porém, o presidente da Aprosoja-MT acredita que é preciso localizar e punir os receptadores dos produtos roubados dos produtores rurais. “Se tem roubo é porque tem quem compre esses produtos. Nós acreditamos no trabalho da polícia e nos colocamos à disposição para contribuir na desarticulação da outra vertente dessa quadrilha, que são os receptadores. Produtores de soja e milho acreditam veementemente no trabalho da nossa polícia e queremos contribuir no que for possível”, afirmou Galvan.

Leia Também:  Projeto vai levar inovação e sustentabilidade a produtores da Amazônia Legal

Operação Fim da Linha – A Polícia Judiciária Civil, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), deflagrou na última quinta-feira (12.12), a operação “Fim da Linha”, com 16 ordens judiciais contra a principal organização criminosa especializada em roubos de defensivos agrícolas no Estado.

Os mandados foram cumpridos em 06 municípios de Mato Grosso: Cuiabá, Primavera do Leste, Poxoréu, Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde. Cerca de seis pessoas alvos de mandados de prisão foram presas.

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA
Continue lendo

Agro News

Aprosoja se reúnem em assembleia geral e aprova orçamento para 2020

Publicado

Fortalecimento Institucional

Aprosoja se reúnem em assembleia geral e aprova orçamento para 2020

Previsão orçamentária foi apresentada e aprovada comissão a comissão

13/12/2019

Em assembleia ordinária realizada na manhã desta sexta-feira (13.12) foi aprovado, por unanimidade, o orçamento para as ações de fortalecimento institucional, sustentabilidade, defesa agrícola, política agrícola e logística e manutenção dos núcleos da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja). A reunião contou com a participação cerca de 100 produtores associados, delegados e diretores.

A previsão orçamentária para o próximo ano foi apresentada e aprovada comissão a comissão. Por unanimidade, os membros da assembleia aprovaram orçamento para Fortalecimento Institucional, que abrange os trabalhos administrativa, de manutenção, projetos especiais como o Agrosolidário e ações de de marketing e comunicação.

Também para a continuidade das ações da Comissão de Sustentabilidade, foram garantidos os valores para a permanência de projetos como Soja Plus, Guardião das Águas, Futuro em Campo, Agrocientista, dentre outros. Bem como para Comissão de Defesa Agrícola, que contempla dos projetos Classificador Lega, Semente Forte, Aproclima, etc.

Leia Também:  Projeto vai levar inovação e sustentabilidade a produtores da Amazônia Legal

Para Política Agrícola e Logística o orçamento contemplará a manutenção de projetos como o Estradeiro e ações junto aos ministérios, governos, Congresso Nacional, Assembleia Legislativa, e ademais.

Ainda na assembleia ordinária, os produtores aprovaram os valores para manutenção dos 24 núcleos da entidade e para realização do tradicional Circuito Aprosoja.

A prestação de contas do orçamento de 2019 será realizada na próxima assembleia ordinária, prevista para abril de 2020.

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana