conecte-se conosco


Mato Grosso

Cultivo de banana da terra em sistema adensado pode obter aumento de até 75% na produtividade

Publicado


.

No município de Acorizal (62 km ao Norte de Cuiabá), foi implantada uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) para avaliar o desenvolvimento da cultura da banana da terra. A cultivar analisada foi a Farta Velhaco, no sistema irrigado e plantio adensado. O experimento foi montado na Comunidade Guanandi, no Sítio Cantinho do Céu, do produtor rural Ernesto Teobaldo de Assis Filho (56), em uma área de meio hectare (cinco mil metros quadrados). A previsão é colher 7 mil quilos de banana da terra, que serão comercializados na região, podendo gerar uma renda de até R$ 22.750.

A Unidade é mantida pelo agricultor Pedro Paulo Teobaldo Ribeiro, de 17 anos, que trabalha com seu pai, Ernesto. Pedro explica que em uma área de 14 hectares eles possuem plantio de limão, quiabo, melancia, milho e criação de gado de corte. Em abril de 2019 implantaram a URT com o auxílio técnico da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e apoio financeiro da Cooperativa de Crédito Sicredi.

Conforme Pedro, o custo de implantação da Unidade foi de R$ 2.500, com aquisição de mudas, adubo e calcário. A mão-de-obra é realizada pelos agricultores, que esperam ter um lucro líquido de R$ 17.500 com a venda da banana da terra. A colheita já começou, e foram comercializadas 50 caixas de 20 quilos por R$ 65,00 a caixa, dando um retorno de R$ 3.250. A previsão é comercializar 350 caixas até o mês de julho.

A previsão é comercializar 350 caixas de banana da terra até o mês de julho.

O técnico agropecuário da Empaer, Carlos Reis, explica que o agricultor Pedro buscou informações sobre o plantio adensado no site da Empaer e consultou os técnicos da empresa sobre a viabilidade da implantação do sistema em sua propriedade. A diferença do sistema convencional é o espaçamento entre as plantas. Enquanto o convencional utiliza o cultivo com três metros de espaçamento e 1.111 plantas por hectare, o adensado usa o espaçamento de dois metros e 2.400 plantas por hectare. “O cultivo possibilita a mesma quantidade de planta na metade de uma área. Em um hectare seria usado 1.100 mudas”, explica.

Carlos comenta que se fosse optado pelo sistema convencional, o plantio seria de até 550 mudas de banana numa área de meio hectare, alcançando uma produção de no máximo quatro mil quilos. Na mesma área foi plantado o dobro de mudas e a previsão é colher sete mil quilos. Os dados são parciais, a colheita está sendo realizada e a expectativa de ganho com esse sistema de plantio adensado prevê um aumento de R$ 9.750, ou seja, de 75% em comparação com o convencional.

No sistema de plantio adensado são retirados os perfilhos (filha e neta) da bananeira, ou seja, após o fim do ciclo produtivo se faz o corte das plantas e um replantio. Todo o plantio é irrigado por gravidade e gotejamento, sendo utilizados cerca de 10 mil litros de água por dia. “Uma das nossas missões também é auxiliar os agricultores no uso de defensivos agrícolas. Nesse plantio de banana não foi utilizado nenhum tipo de defensivo químico, só usaremos em último caso”, destaca.

O sistema de plantio adensado usa o espaçamento de dois metros e 2.400 plantas por hectare.

O pesquisador da Empaer, Humberto Marcílio, fala que a recomendação do plantio adensado para a agricultura familiar é uma estratégia para aumentar a produtividade, além de melhorar o aproveitamento da mão-de-obra e de insumos, e reduzir custos com controle de plantas invasoras.

Segundo Marcílio, para a utilização do plantio adensado é necessário que as condições do solo sejam favoráveis (textura mista, profundo, bom teor de matéria orgânica e bem drenado) e que sejam aplicadas práticas culturais de correção do solo e adubação. Ele destaca que é importante seguir as recomendações para a cultura e viabilizar a instalação de sistema de irrigação. “O adensamento promove maior competição entre as plantas por fatores de crescimento, como água, luz e nutrientes”, adverte.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Governo de MT já pactuou 99,9% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

Publicado


O Governo de Mato Grosso recebeu, até a manhã desta terça-feira (27.07), 2.438.340 doses das vacinas contra Covid-19 do Ministério da Saúde e já pactuou a distribuição de 2.436.534 doses aos 141 municípios do Estado, ou seja, 99,9% do total recebido.

O Estado reteve as doses de vacina que são destinadas para segunda aplicação e devem ser distribuídas próximas da vacinação.

A disponibilização das doses é resultado da soma da primeira e segunda doses (2.375.036), acrescida das doses destinadas às populações indígenas aldeadas (54.120) e dos arredondamentos técnicos (7.378) necessários para o ajuste volumétrico dos frascos disponibilizados pelo Ministério da Saúde.  

Das 2.367.933 doses retiradas pelos municípios, as prefeituras aplicaram 1.902.925 (80%), sendo 1.476.118 como primeira dose ou dose única e 426.807 como segunda dose. O percentual da semana passada era de 94%. 
 
Os 10 municípios que mais aplicaram vacinas, considerando o percentual de doses aplicadas em relação às doses recebidas, foram: Campos de Júlio (99%), Alto Boa Vista (98%), Colíder (97%), Novo Mundo (96%), Diamantino (94%), Ribeirãozinho (94%), Conquista D’Oeste (93%), Jaciara (93%) e Arenápolis (93%). 

Confira o ranking completo de aplicação das vacinas no Boletim Informativo nº 506 ou no Painel de Distribuição de Vacinas Covid-19.

Considerando as vacinas destinadas à população indígena, alguns municípios podem contabilizar as doses aplicadas em aldeias pertencentes a territórios vizinhos e ultrapassar o limite de 100% da aplicação.

A Vigilância Estadual alertou que a utilização de unidades de segunda dose como primeira dose pode comprometer o esquema vacinal da população do município, considerando o fornecimento e as orientações feitas pelo Ministério da Saúde.

Sobre a distribuição

Na força-tarefa da vacinação, cabe ao Governo do Estado fazer a logística de distribuição, que é definida pela Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT), composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição é feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e do Ministério da Defesa. O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) também disponibiliza sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

É importante ressaltar que o Governo Federal define o total de doses que cada estado recebe. Essa definição ocorre de acordo com a quantidade de pessoas que pertencem aos grupos prioritários e não pela quantidade absoluta da população.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Primeira-dama entrega 800 cestas básicas que serão distribuídas pela Polícia Civil no interior do estado

Publicado


A primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, esteve na tarde desta terça-feira (27.07) na Diretoria Geral da Polícia Civil para realizar a entrega simbólica de 800 cestas básicas que serão distribuídas para famílias carentes de municípios do interior do estado.

A entrega das cestas básicas contou com presença de diretores da Polícia Civil, do presidente da Federação dos Conselhos Comunitários de Segurança Pública e dos representantes da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

As 800 cestas básicas foram cedidas pelo Programa Vem Ser Mais Solidário, coordenado pela primeira-dama e executado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), e serão distribuídas às famílias em situação de vulnerabilidade, por meio da Coordenadoria de Polícia Comunitária, da Polícia Civil.

Durante o encontro, a primeira-dama falou da importância da parceria no trabalho social, contribuindo com a logística e distribuição das cestas, fazendo chegar de forma mais rápida os alimentos até as pessoas carentes, em especial àquelas que moram em municípios mais distantes.

“A Polícia Civil pode contar sempre com o apoio da Unidade de Ações Sociais e Atenção à Família (Unaf), pois com essa união de forças é possível ajudar muitas famílias mato-grossenses de baixa renda, e que precisam de um olhar diferenciado do Poder Público”, disse Virginia Mendes.

A diretora de Execução Estratégica, Daniela Maidel, destacou a extrema importância desse apoio, que tem como objetivo colaborar com a comunidade mais necessitada, e que tanto precisa dessas doações. 

“Estas cestas básicas doadas pela primeira-dama serão distribuídas pelos policiais civis da Coordenadoria de Polícia Comunitária, tanto na região metropolitana como no interior do Estado, sendo beneficiadas pessoas cadastradas e atendidas pelos projetos sociais desenvolvidos pela Polícia Civil e parceria com os Conselhos Comunitários de Segurança Pública”, disse.

Participaram do evento, os diretores da Polícia Civil, Daniela Maidel, Rodrigo Basto, Fernando Vasco, Juliano Carvalho, o presidente da Feconsegs, Danilo Moraes, o coordenador da Polícia Comunitária, Gaspar Figueiredo e sua equipe, entre outros convidados.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana