conecte-se conosco


SÉRIE B

Cuiabá perde Brasil-RS, dorme na vice-liderança, mas pode perder a posição para o América-MG, que joga no domingo

Publicado

Pela primeira partida do returno, o Cuiabá visitou o Brasil de Pelotas, no Bento Freitas, e acabou sendo superado pelo placar de 3 a 0. Com o revés, o Dourado permanece com 36 pontos na tabela, mantendo a vice-liderança do campeonato, mas pode ser ultrapassado pelo América-MG, que ainda não jogou na rodada e será o adversário do auriverde na 21ª rodada, que acontece no sábado (14), às 20h30 (horário de Cuiabá), na Arena Pantanal.

O jogo

Os primeiros minutos foram de domínio do Dourado, que logo aos 5 minutos teve chance clara de gol nos pés de Felipe Ferreira. O atacante recebeu cruzamento de Lucas Hernández e, livre de marcação, bateu de primeira, exigindo defesa milagrosa do arqueiro adversário, que defendeu com o pé direito à queima roupa.
Quando o Dourado tinha a posse de bola e o domínio do jogo, em contra-ataque rápido o Brasil aproveitou e abriu o placar no estádio Bento Freitas.

Cinco minutos depois, o atacante Dellatorre aproveitou o rebote de João Carlos, após defesa dentro da pequena área, e ampliou o marcador: 2×0.

Sem maiores emoções, aos 48 minutos de jogo o árbitro decretou o fim do primeiro tempo.

No intervalo, Marcelo Chamusca alterou a equipe, promovendo Matheus Barbosa e Elvis no lugar de Jean Patrick e Diego Jardel, e o Dourado ganhou mais qualidade na saída de bola a na organização das jogadas. Entretanto, o time teve dificuldades para se infiltrar na defesa do Brasil, que se fechou e apostou no contra-ataque para surpreender o Dourado.

Aos 21, Chamusca buscou mais uma alternativa para o ataque do auriverde e colocou Maxwell no lugar de Felipe Ferreira, mas o artilheiro do Dourado na temporada não conseguiu balançar a rede.

Jenison e Willians Santana ainda entraram nos minutos finais de jogo para tentar o gol, mas foi o Brasil de Pelotas que balançou a rede aos 42 minutos, com Bruno José, e fechou o placar: 3×0.

Marcelo Chamusca escalou o Dourado com: João Carlos, Lucas Ramon, Léo, Luiz Gustavo e Lucas Hernández, Auremir (Jenison), Jean Patrick (Matheus Barbosa) e Diego Jardel (Elvis), Felipe Ferreira (Maxwell), Marcinho (Willians Santana) e Elton. (Da Ascom Cuiabá)

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SÉRIE B

Botafogo-RJ confirma contratação de Chamusca, ex-técnico do Cuiabá

Publicado

Botafogo confirmou, na noite desta sexta-feira (19), a contratação do técnico Marcelo Chamusca. Ele chega ao estádio Nilton Santos, o Engenhão, com a missão de conquistar o acesso no Campeonato Brasileiro da Série B de 2021.

“Marcelo Chamusca é o novo técnico do Botafogo! Seja bem-vindo ao Clube Mais Tradicional, Professor!”, postou o clube carioca, que também viu a chegada do auxiliar Caio Autuori, filho do técnico Paulo Autuori, do Athletico-PR; e do preparador físico Roger Gouveia.

O novo comandante alvinegro permaneceu por quase 13 meses no Cuiabá, conquistando a Copa Verde de 2019 e encaminhando o acesso na Série B de 2020. Em novembro, porém, aceitou uma proposta para ser o novo treinador do Fortaleza, que perdera Rogério Ceni para o Flamengo.

Acabou não se firmando no Leão do Pici, que passou a flertar com o rebaixamento no Brasileirão. Marcelo Chamusca, curiosamente, é irmão do também treinador Péricles Chamusca, campeão da Copa do Brasil de 2004 com o Santo André. Além disso, Marcelo foi auxiliar de Péricles no Botafogo, em 2005.

RODADO
Marcelo Chamusca, aliás, tem histórico em divisões de acesso nacionais. Foi quarto colocado na Série D de 2013, subindo o Salgueiro-PE. Já em 2016, foi vice-campeão da Série C com o Guarani. Em 2017, chegou ao terceiro lugar na Série B com o Ceará, garantindo outra conquista.

No Norte-Nordeste, dirigiu clubes como Sampaio Corrêa, Paysandu, CRB, Vitória da Conquista e Vitória. Esteve no Atlético-GO em 2015 e teve uma passagem curiosa pela Ponte Preta em 2018, quando permaneceu no Majestoso por apenas cinco jogos – perdeu todos e acabou demitido.

Continue lendo

SÉRIE B

Campeã, Chapecoense amanhece o sábado em festa pela cidade

Publicado

Responsável por erguer o primeiro troféu nacional da história da Chapecoense, o lateral-esquerdo e capitão Alan Ruschel desabafou após o título da Série B do Brasileiro.

Chapecoense 3 x 1 Confiança – Um dia para entrar na história!
Um dos sobreviventes do acidente aéreo de 2016, Alan Ruschel lembrou dos problemas financeiros da Chapecoense – jogadores com mais de seis meses de salários atrasados -, deixou o futuro em aberto e pediu respeito para algumas pessoas de Chapecó.

“Primeiramente agradecer a Deus por essa oportunidade. Primeiro nos ter dado saúde e discernimento para passar por tudo que aconteceu esse aqui dentro. Não é segredo para ninguém das dificuldades salariais que passamos.

Eu falei que me sentia orgulhoso de fazer parte desse grupo. Não sei se vou permanecer, meu contrato termina amanhã (dia 30). Mas vou levar esse grupo para onde for.

Estou muito feliz por ter escrito meu nome mais uma vez na história do clube. Algumas pessoas de Chapecó precisam aprender a me respeitar. Precisam aprender a respeitar quem tem história no clube e eu tenho”, desabafou o capitão.

LEMBRANÇA DO PRESIDENTE!
Alan Ruschel também aproveitou para dedicar o título conquistado ao presidente Paulo Magro, que faleceu no dia 30 de dezembro do ano passado por complicações da Covid-19.

“Essa vitória vou dedicar ao Paulo Magro, que infelizmente nos deixou. A gente sabe o quanto ele sofreu com a gente, o quanto tentou organizar esse clube”, finalizou o lateral.

O gol marcado por Anselmo Ramon aos 51 minutos do segundo tempo fez a Chapecoense vencer o Confiança por 3 a 1 e ficar com o título da Série B devido ao saldo de gols (21 a 20), pois teve os mesmos 73 pontos do América-MG.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana