conecte-se conosco


Esportes

Cuiabá mantém retrospecto ruim como mandante e perde do Londrina

Publicado

Cuiabá caiu para 11ª posição e os paranaenses encerraram jejum de vitórias e se afastaram do perigo-Foto: Ascom Cuiabá

O Londrina encerrou uma sequência de três derrotas seguidas e deu uma respirada na briga contra o rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro ao derrotar o Cuiabá, por 1 a 0, na noite deste sábado, no encerramento da 26ª rodada. O duelo marcou a estreia de Mazola Júnior no time paranaense.

Com o resultado, o Londrina subiu aos 31 pontos e se afastou da briga contra a degola, chegando ao 15º lugar, deixando o Vila Nova para trás na beira da zona do rebaixamento. O Cuiabá, por sua vez, segue no meio da tabela, com 35 pontos.

OLHO NELE
Com mudanças, o Londrina começou surpreendendo e criou a primeira chance de marcar logo aos cinco minutos. Após cruzamento rasteiro, Paulinho Moccelin, mesmo livre, errou a finalização e não empurrou para as redes. Passado o susto, o Cuiabá logo tomou controle da partida, tocando a bola e buscando chegar ao campo de ataque.

Aos poucos, os donos da casa foram chegando e levaram perigo em finalizações de Jean Patrick e Felipe Marques. O Londrina foi mais objetivo e em uma das poucas subidas ao ataque no primeiro tempo Léo Passos foi derrubado por Toty dentro da área. Pênalti. O próprio centroavante foi para a cobrança e abriu o placar aos 38 minutos.

Leia Também:  Barça, Real, Juve… Qual o melhor destino para Neymar na próxima temporada?

MUDANÇAS, MAS…
O Cuiabá aumentou a intensidade no segundo tempo para tentar fazer pressão no adversário, mas seguiu com os mesmos problemas da primeira etapa, ficando com a bola, mas sem saber o que fazer com ela. Desta forma, a equipe só encontrou espaço para levar perigo nas bolas paradas de Paulinho. Primeiro, ele parou em grande defesa de César. Depois, a trave evitou o empate.

No final, em meio a pressão, o Cuiabá reclamou de um pênalti em cima de Felipe Marques nos minutos finais, mas nada feito.

PRÓXIMOS JOGOS
Os dois times voltam a campo na terça-feira, quando a Série B terá rodada cheia. O Cuiabá visita o Atlético-GO, às 20h30, no Antonio Accioly, em Goiânia, enquanto o Londrina encara a Ponte Preta, às 21h30, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Esportes

Cuiabá retorna ao calendário do maior torneio de vôlei de praia do país

Publicado


Capital mato-grossense volta a receber uma etapa após sete anos, com presença de duplas selecionadas aos Jogos de Tóquio-2020

A maior competição de vôlei de praia do país está de volta a Cuiabá. Após sete anos longe da capital mato-grossense, a disputa do Circuito Brasileiro Open desembarca na cidade neste mês, de 23 a 27 de outubro. Será a segunda etapa da temporada 2019/2020, contando com a presença de vários medalhistas olímpicos. A arena será montada no estacionamento do ginásio Aecim Tocantins, com entrada franca à torcida.

Os duelos contam com transmissão de todos os jogos do torneio principal. Da fase de grupos às semifinais, os jogos podem ser assistidos ao vivo no site voleidepraiatv.cbv.com.br e no Facebook da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). As finais são exibidas exclusivamente pelo SporTV, no sábado à noite (masculino) e no domingo de manhã (feminino).

Será a quinta vez que Cuiabá recebe a competição nacional, sediando também em 2001, 2002, 2003 e 2012. Nesta última edição disputada no estado, em 2012, os campeões olímpicos Emanuel, que se aposentou em 2016, e Alison, foram os vencedores no masculino, enquanto Juliana/Larissa venceu no feminino. As cidades de Cáceres, Rondonópolis, Sinop e Várzea Grande também receberam etapas do Circuito Brasileiro (veja a lista completa abaixo).

A competição ocorre com 24 duplas em cada naipe. Os 16 times mais bem colocados no ranking de entradas já estão garantidos na fase de grupos, que começa a partir de quinta-feira (masculino) e sexta-feira (feminino). As outras oito vagas permanecem ‘abertas’ para duplas de fora do ranking e serão decididas no classificatório, realizado na quarta (masculino) e quinta (feminino).

Leia Também:  Série D: Interporto substitui o Gurupi e se junta ao Palmas

As 24 equipes classificadas são divididas em seis grupos de quatro e jogam entre si, com os dois melhores times de cada grupo e os quatro melhores terceiros colocados avançando às oitavas de final. A competição segue no formato eliminatório tradicional, com quartas de final, semifinais e disputas de bronze e ouro.

O torneio terá a participação dos medalhistas olímpicos Alison (ES), Bárbara Seixas (RJ), Juliana (CE) e Ricardo (BA), além do campeão mundial André Stein (ES) e dos medalhistas pan-americanos Álvaro Filho (PB), Ângela (DF), Carol Horta (CE) e Vitor Felipe (PB), além de vários atletas revelação da nova geração.

No naipe masculino, duas duplas que representam Mato Grosso estão inscritas na disputa do classificatório: Alcir/Paulo e Ricardo/Ricardo Queiroz. No feminino, são cinco atletas representando o estado: a dupla Ana/Bárbara, além das atletas Dani, Laryssa e Priscila, com parceiras de outros estados.

O Circuito Brasileiro 19/20 conta com sete etapas, três realizadas no segundo semestre deste ano, e quatro que acontecem no primeiro semestre de 2020. A estreia do tour aconteceu em Vila Velha (ES), em setembro, com ouro para Ágatha/Duda (PR/SE) e André Stein/George (ES/PB). Após Cuiabá, o torneio segue para Ribeirão Preto (SP), em novembro. Já as etapas de 2020 passarão por João Pessoa (PB), Maceió (AL), Aracaju (SE) e Rio de Janeiro (RJ).

Leia Também:  Bolsonaro compara virada histórica do Fluminense à governar o país

Além das duplas campeãs de cada etapa, também existem os campeões gerais da temporada, somando a pontuação obtida nos sete eventos. A competição distribui R$ 45 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são distribuídos quase R$ 500 mil por etapa.

MAIORES VENCEDORES

Os três atletas que mais venceram em Cuiabá são Emanuel, no naipe masculino, e Juliana e Larissa, no feminino. Todos subiram ao lugar mais alto do pódio em quatro oportunidades (veja lista abaixo). Emanuel e Larissa se aposentaram em 2016 e 2017, respectivamente, mas Juliana estará em ação junto da parceira Josi (SC).

TODOS OS CAMPEÕES EM  MATO GROSSO:

2001 – Cuiabá – Adriana Behar/Shelda (RJ/CE) e Harley/Luizão (DF/AM)
2002 – Cuiabá – Adriana Behar/Shelda (RJ/CE) e Márcio/Benjamin (CE/MS)
2003 – Cuiabá – Sandra Pires/Ana Paula (RJ/MG) e Ricardo/Emanuel (BA/PR)
2004 – Rondonópolis – Adriana Behar/Shelda (RJ/CE) e Fábio Luiz/Paulo Emílio (ES/BA)
2005 – Sinop – Juliana/Larissa (CE/PA) e Márcio/Fábio Luiz (CE/ES)
2006 – Várzea Grande – Juliana/Larissa (CE/PA) e Ricardo/Emanuel (BA/PR)
2008 – Cáceres – Juliana/Larissa (CE/PA) e Ricardo/Emanuel (BA/PR)
12/13 – Cuiabá – Juliana/Larissa (CE/PA) e Alison/Emanuel (ES/PR)
2013 – Sinop – CHALLENGER – Vivian/Pri Lima (PA/RJ) e Fábio Luiz/Oscar (ES/RJ)*
2014 – Rondonópolis – CHALLENGER – Elize Maia/Carol Won-Held (ES/RJ) e Léo Gomes/Gilmário (RJ/PB)*

*Etapas do Circuito Challenger

Continue lendo

Esportes

Após três meses, Éder Moraes alega questões pessoais e deixa a presidência do Operário FC

Publicado

Eder Moraes assumiu o comando do clube em julho deste ano [F- Odoc]

O ex-secretário de Fazenda Éder Moraes anunciou sua saída da presidência do Operário Futebol Clube, três meses após assumir a função. Sob sua gestão, o Operário disputou a Copa FMF. Ele justificou a decisão em deixar a gestão do clube empresa devido a questões pessoais. Destacou ainda que, apesar do pouco tempo na presidência, deixará um legado para o clube. “Quando assumi a presidência, o Operário não tinha um lugar descente para treinar. A sede em Várzea Grande, chamada de Vila Olímpica, parecia um lixão. Arregaçamos as mangas e partimos para a romaria de pedidos de patrocínios, e graças a Deus conseguimos dar uma infraestrutura invejável ao clube”, destacou.

Éder disse que devido a outros compromissos, ficou incompatível continuar à frente da presidência. Revelou ainda que, recebeu convites para presidir outros clubes. “Estou avaliando, pois tenho minhas atividades privadas de consultorias financeiras e políticas, além de estar alucinadamente estudando, fazendo pós-graduações, MBA’S e curso de graduação superior”, enfatizou.

Leia Também:  De virada, Ucrânia vence Coreia do Sul e é campeã mundial do Sub 20 masculino

“Isso toma muito nosso tempo, mas a busca pelo conhecimento nos engrandece e nos faz ver muitas coisas de forma diferente, estar preparado espiritualmente , psicologicamente é dotado de conhecimento , contribui para enfrentarmos os desafios da vida”, completou.

Ele ainda agradeceu à administração municipal pelo apoio que recebeu enquanto esteve à frente do Operário. “Agradeço a prefeita Lucimar Campos, o vice prefeito Aderson Hazama e o secretário de Serviços Públicos Breno Gomes, que embora com dificuldades,  atenderam algumas das nossas reivindicações e levaram melhorias na infraestrutura do bairro Carrapicho, onde fica a Vila Olímpica, beneficiando o Operário e a comunidade em geral”.

Essa não foi a primeira aventura de Éder Moraes com o futebol. Ele é um dos fundadores da AFAM, uma associação que ajudou a angariar fundos ao Mixto Esporte Clube entre os anos de 2009 a 2011, clube que ele presidiu, tendo inclusive, chegando ao final do Campeonato Mato-grossense em 2013, ficando com o vice-campeonato.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana