conecte-se conosco


Política MT

CST retoma trabalhos com visita à Casa das Pretas

Publicado


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Após quase sete meses de paralisação, em virtude da pandemia do covid-19, a Câmara Setorial Temática da Mulher (CST) retomou os trabalhos na manhã de hoje (9) com uma visita para conhecer as instalações da Casa das Pretas, no centro histórico de Cuiabá. Na oportunidade a presidente da Câmara, professora Jacy Proença, conheceu a estrutura do local e os trabalhos desenvolvidos pela Casa, inagurada no sábado (3).

“A visita tem por objetivo colocar a CST das Mulheres à disposição do Instituto de Mulheres Negras (Imune) para ver o que podemos apoiar a Casa das Pretas. Marcamos essa visita para conhecer esse espaço que já era um antigo sonho do Instituto e necessitava ter um local para desenvolver o trabalho que ele desenvolve ao longo dos 18 anos”, disse Jacy Proença.

A Casa das Pretas oferece oficinas de artes plásticas para as mulheres que frequentam o local, além de rodas de conversas, assessoria jurídica e psicológica. Há também espaço para biblioteca e, futuramente, dormitórios.

“Trata-se de um espaço formidável onde, a pessoa se sente acolhida com esse ambiente, tem uma afinidade direta com a Câmara Setorial da Mulher”, afirmou Proença.

Para a presidente da Casa das Pretas, Antonieta Luísa Costa, o local proporciona dar vez e voz as mulheres negras de Cuiabá e do Estado.

“Desenvolvemos esse trabalho propondo políticas públicas e ações afirmativas. Mato Grosso possui 60% da população negra e afrodescendentes. Cuiabá tem 54% da população de afrodescendentes e não temos nenhum referencial, como memoriais e museus. A criação da Casa das Pretas é um espaço para a disseminação da cultura, voltado para encontro da população negra”, revelou Antonieta.

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A presidente da Casa destacou também que o local vai servir para atender e apoiar projetos de desenvolvimento sustentável, econômico, cultural e social voltados para a população negra.

Esse é o caso da professora Lídia Dju, natural de Guiné Bissau. Ela já fazia parte do Imune e agora participa da Casa das Pretas, prestando serviços de cabeleireira.

Ela disse que está no Brasil há doze anos e se formou em letras pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Atualmente dá aulas de língua portuguesa na Escola Estadual Leovegindo Melo, que fica no CPA III, na capital.

“A criação da Casa das Pretas é muito importante, porque agora temos um espaço para mostrar nossos trabalhos e conversar sobre todos os assuntos, precisamos da participação de mais pessoas”, disse ela.

Parceria – A presidente do Imune, Sônia Aparecida da Silva acredita a CST da Mulher, da Assembleia Legislativa, pode trazer parcerias e apoio social para que o projeto dê certo.

“Somos um espaço propositivo com diálogo aberto. Entendo que parceria é reconhecer as necessidades, buscar juntos apoios para que a gente melhore e aprender cada vez mais a população. Nossa missão é engajar mulheres e jovens negras (urbanas, rurais e quilombolas), no combate ao racismo, a violência e as desigualdades de raça e gênero, para a promoção da equidade, visando a democracia plurirracial”, argumentou ela.

Vale destacar que este é o primeiro trabalho da CST, após a suspensão temporariamente dos trabalhos em razão das precauções com a pandemia do Covid-19, desde o dia 16 de março deste ano.  Até o momento foram realizadas 21 reuniões da CST que teve os trabalhos prorrogados por mais 180 dias e as audiências públicas adiadas.

Integrantes – Além da presidente professora Jacy Proença, integram a CST da Mulher, a desembargadora Maria Erotides Kneip; a relatora defensora pública Rosana Leite de Barros; e os membros Lindinalva Rodrigues, Josyrleth Magalhães Criveletto, Amini Haddad Campos, Glaucia Anne Kelly Rodrigues Amaral, Clarissa Lopes, Mayana Vitória de Souza Alves, Vera Bertolini, Eliana Vitalino, Eliane Rodrigues de Lima, Telma Reis, Eunice Ramos, Luciana Rosa Gomes, Willian Cesar de Moraes e Tânia Mara Arantes Figueira.

Fonte: ALMT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

CPI da Energisa prorroga prazo para entrega do relatório final

Publicado


Foto: Ronaldo Mazza

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que investiga irregularidades na empresa de energia elétrica Energisa retornou às atividades nesta quinta-feira (16), após os trabalhos terem sido paralisados desde o mês de abri,l em razão da pandemia da Covid-19.

De imediato o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento prorrogando o prazo para o dia 15 de dezembro deste ano para entrega do relatório final. Esse requerimento ainda vai ser encaminhado para votação em Plenário. Também foi apresentado um novo cronograma de convidados para as próximas reuniões.

“Devido a pandemia da Covid-19, precisamos alterar o calendário e propor um novo agendamento de convidados. Paralelamente à CPI, está acontecendo a operação “Tudo às Claras”, que trata-se de uma investigação entre as polícias Civil, Militar, Federal e outros órgãos, por isso estendemos a convocação dos membros que participam desta operação para falar à CPI tudo o que foi coletado até o momento e mostrar para a sociedade”, revelou Nascimento.

Conforme o presidente da Comissão, estão sendo apuradas investigações sigilosas envolvendo, desde a questão de abuso na cobrança de faturas de energia, à má prestação de serviço, além de baixo efetivo de servidores da empresa e também abusos referente aos medidores de consumo. Tudo isso será incluído no relatório da CPI.

“Essa CPI é oriunda da vontade popular para que os deputados pudessem cobrar da Energisa melhores condições de fornecimento de energia e soluções para as constantes reclamações contra a empresa, como o mau atendimento e os valores exorbitantes cobrados na taxa de energia”, disse o vice–presidente da CPI, deputado Thiago Silva (MDB).

Veja o cronograma com os próximos convidados, em datas a serem definidas pela CPI:

a) Investigação sobre fios elétricos e medidores de energia. Convidado: secretário adjunto de proteção em defesa dos direitos dos consumidores do Procon, Edmundo Taques, para mostrar os trabalhos finais desempenhado pelo grupo de fiscalização que atuou na operação “Tudo às Claras”.

b) Convocar o presidente do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM-MT), Pedro Bezerra, para tratar do relatório final dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de fiscalização na operação “Tudo as Claras”.

c) Convidar o presidente da Ager-MT, Luis Alberto Nespolo, para mostrar resultados dos trabalhos realizados na operação “Tudo as Claras”.

d) Convidar o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Rogério Ferreira, falar dos trabalhos desenvolvidos na operação “Tudo as Claras”.

e) Ouvir o engenheiro eletricista, José Antonio de Mesquita, que participou da operação.

f) Proposição em Plenário do Requerimento para prorrogar até o dia 15 de dezembro de 2021, a duração da CPI da Energisa, por conta da pandemia.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

CPI da Energisa prorroga prazo para entrega do relatório final e quer ouvir presidente da Ager e delegado

Publicado

Requerimento pede que trabalho sejam estendidos até o dia 15 de dezembro [Foto – Ronaldo Mazza]

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), que investiga irregularidades na empresa de energia elétrica Energisa retornou às atividades nesta quinta-feira (16), após os trabalhos terem sido paralisados desde o mês de abril em razão da pandemia da Covid-19.

De imediato o presidente da CPI, deputado Elizeu Nascimento (PSL) apresentou requerimento prorrogando o prazo para o dia 15 de dezembro deste ano para entrega do relatório final. Esse requerimento ainda vai ser encaminhado para votação em Plenário. Também foi apresentado um novo cronograma de convidados para as próximas reuniões.

“Devido a pandemia da Covid-19, precisamos alterar o calendário e propor um novo agendamento de convidados. Paralelamente à CPI, está acontecendo a operação “Tudo às Claras”, que trata-se de uma investigação entre as polícias Civil, Militar, Federal e outros órgãos, por isso estendemos a convocação dos membros que participam desta operação para falar à CPI tudo o que foi coletado até o momento e mostrar para a sociedade”, revelou Nascimento.

Conforme o presidente da Comissão, estão sendo apuradas investigações sigilosas envolvendo, desde a questão de abuso na cobrança de faturas de energia, à má prestação de serviço, além de baixo efetivo de servidores da empresa e também abusos referente aos medidores de consumo. Tudo isso será incluído no relatório da CPI.

“Essa CPI é oriunda da vontade popular para que os deputados pudessem cobrar da Energisa melhores condições de fornecimento de energia e soluções para as constantes reclamações contra a empresa, como o mau atendimento e os valores exorbitantes cobrados na taxa de energia”, disse o vice–presidente da CPI, deputado Thiago Silva (MDB).

Veja o cronograma com os próximos convidados, em datas a serem definidas pela CPI:

a) Investigação sobre fios elétricos e medidores de energia. Convidado: secretário adjunto de proteção em defesa dos direitos dos consumidores do Procon, Edmundo Taques, para mostrar os trabalhos finais desempenhado pelo grupo de fiscalização que atuou na operação “Tudo às Claras”.

b) Convocar o presidente do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (IPEM-MT), Pedro Bezerra, para tratar do relatório final dos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de fiscalização na operação “Tudo as Claras”.

c) Convidar o presidente da Ager-MT, Luis Alberto Nespolo, para mostrar resultados dos trabalhos realizados na operação “Tudo as Claras”.

d) Convidar o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Rogério Ferreira, falar dos trabalhos desenvolvidos na operação “Tudo as Claras”.

e) Ouvir o engenheiro eletricista, José Antonio de Mesquita, que participou da operação.

f) Proposição em Plenário do Requerimento para prorrogar até o dia 15 de dezembro de 2021, a duração da CPI da Energisa, por conta da pandemia.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana