conecte-se conosco


Economia

Crescimento econômico tímido expõe fragilidade do governo Bolsonaro

Publicado

IstoÉ Dinheiro

Jair Bolsonaro arrow-options
Alan Santos/PR – 20.9.19

Crescimento econômico tímido e projeções desanimadoras expõem fragilidade do governo Bolsonaro

A crise econômica, para além das estatísticas, tem feições muito duras e visíveis nos rostos dos trabalhadores desempregados, dos empreendedores em dificuldades, dos investidores receosos. Nos últimos dias o governo quis comemorar alguns feitos, como o aumento da geração de vagas e até mesmo a perspectiva de um (tímido) crescimento do PIB.

Leia também: Dólar inicia a semana em alta e Bolsa recua; saiba o que afeta o mercado

O maior motivo dos festejos foi o surgimento de 121 mil postos de trabalho em agosto, no melhor resultado para esse mês em seis anos. Tomada em sua real dimensão, a notícia caiu como um pingo d’água no oceano de 12,8 milhões de desempregados ou mesmo no universo de mais de 60 milhões de brasileiros (incluindo familiares) que estão no momento sem nenhuma renda para sobreviver.

A conquista dos 121 mil postos também é pouco maior que as 110 mil verificadas no mesmo mês do ano anterior. Assim, quase que por inércia, o número não faz frente sequer ao crescimento populacional no período, numa aguda piora proporcional do quadro. Da mesma maneira, sem tirar nem por, o Governo saudou o primeiro mês de retomada dos índices da indústria após um trimestre de seguidas quedas da produção. Embora represente a virada de rota, a indústria brasileira vai amargando aquele que é talvez o mais sombrio período de sua história de atividade.

Em cinco anos a produção industrial brasileira caiu perto de 15% enquanto a do restante do mundo avançou 10%. Isso gera, por consequência, perda de competitividade, de eficiência, de tempo e, por que não dizer, de muito dinheiro.

O parque fabril encolhe porque a economia patina. A demanda é baixa, a oferta tem de ser reduzida e o ciclo perverso de recessão toma conta. O País está saindo aos poucos dele, mas nessa jornada as exportações desabaram, greves como as dos caminhoneiros no ano passado aguçaram os efeitos da paralisia e as autoridades seguem inertes, sem plano ou movimentação para mudar o ciclo do processo.

O ministro Paulo Guedes , em recente entrevista, saudou o fato de o Brasil poder crescer mais de 2% em 2020, pelas contas dele. O próprio Banco Central fala em 1,8%. As variações de índice no caso alteram pouco o cenário. Para liquidar o déficit de emprego e alcançar níveis de plena atividade será necessária, nesse ritmo, uma década inteira. Na verdade, ao se alcançar esse patamar, o País terá retornado ao quadro de 2006, quando se experimentava por aqui taxas de crescimento de 4% ao ano.

Leia também: “A economia é 100% com o Paulo Guedes”, diz Bolsonaro

A pergunta que fica no ar é qual o nível de retomada do PIB para se queimar etapas e recuperar o tempo perdido? A equipe econômica diz que ainda demora para um crescimento na faixa de 3,5% a 4%. Não apresentou um programa sustentável nesse sentido e vai festejando pequenas conquistas como se fossem a panaceia. Os eleitores esperavam mais.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Preço da gasolina sobe nas bombas pela primeira vez desde dois meses

Publicado


source
Após aumento da Petrobras, gasolina apresentou novo reajuste nas bombas
Reprodução: ACidade ON

Após aumento da Petrobras, gasolina apresentou novo reajuste nas bombas

O preço da gasolina subiu nesta semana, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O valor médio do litro vendido nos postos do Brasil passou de R$ 6,596, na semana passada, para R$ 6,608, nesta semana. É uma alta de 0,1%. É a primeiro avanço desde o início de novembro (entre os dias 14 e 20), quando o preço médio do litro estava em R$ 6,752.

Segundo a ANP, o valor máximo do litro da gasolina vendido na bomba é R$ 7,89. Em janeiro do ano passado, o litro da gasolina custava em média no Brasil R$ 4,483. De lá para cá, a alta chega a 47,4%.

Além da gasolina, o  litro do diesel também subiu nas duas últimas semanas, passando de R$ 5,344 para R$  5,422. Avanço de 1,4%, segundo a ANP. Em janeiro do ano passado, o litro do diesel custava em média R$ 3,606, acumulando um avanço de 50,3% até agora.

No último dia 11,  a Petrobras anunciou aumento nos preços de venda de gasolina e diesel para as distribuidoras. Assim, a partir da quarta-feira, dia 12, o preço médio de venda da gasolina da Petrobras para as distribuidoras passou de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro, uma alta de 4,85%.

Esse avanço no preço às distribuidoras deve se refletir na bomba ao longo das próximas semanas nos postos, segundo especialistas.

Nesta sexta-feira, estados decidiram que vão descongelar o valor do ICMS que incide sobre combustíveis a partir de fevereiro. O valor do ICMS cobrado sobre combustíveis foi congelado por 90 dias, prazo que se encerra no dia 31 de janeiro. Isso também tende a aumentar os preços aos consumidores.

Continue lendo

Economia

Mega-Sena sorteia R$ 3 milhões neste sábado; confira as dezenas

Publicado


source
Mega-Sena sorteia R$ 3 milhões neste sábado
Reprodução: ACidade ON

Mega-Sena sorteia R$ 3 milhões neste sábado

A Caixa Econômica Federal realizou neste sábado (15) o sorteio 2.444 da Mega-Sena com prêmio estimado em R$ 3 milhões. A Caixa deve divulgar os vencedores nas próximas horas. Em caso de nenhum acerto das seis dezenas, o prêmio irá acumular e se aproximar de R$ 8 milhões no próximo sorteio.

Confira os números sorteados:

15 – 17 – 20 – 35 – 37 – 43

Como participar do próximo sorteio?

O próximo concurso da Mega-Sena acontece na quarta-feira (19), às 20h  . É possível apostar até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio , em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa do país.

Também é possível apostar pela internet. O bilhete simples da Mega-Sena, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Como apostar online na Mega-Sena?

Para aqueles que apostarem pela internet, não é possível optar pela aposta mínima, de R$ 4,50. No site da Caixa, o valor mínimo para apostar na Mega-Sena é de R$ 30, seja com uma única aposta ou mais de uma.  Veja aqui como apostar.

Leia Também

Para fazer uma aposta maior, com 7 números, dando uma maior chance de ganhar, o preço sobe para R$ 31,50. Outra opção para atingir o preço mínimo é fazer sete apostas simples, que juntas têm o mesmo valor, R$ 31,50. Além disso, os bolões, disponíveis online, são outra opção viável.

Como funciona a Mega-Sena?

O concurso é realizado pela Caixa Econômica Federal e o vencedor pode receber milhões de reais se acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem pelo menos duas vezes por semana – geralmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, conhecidas como Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha. Esse modelo consiste na escolha automática, realizada pelo sistema, das dezenas jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, conhecida como Teimosinha.

Premiação da Mega-Sena

Os prêmios costumam iniciar em, aproximadamente, R$ 3 milhões para quem acertar as seis dezenas. Dessa forma, o valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor.

Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante. O prêmio total da Mega-Sena corresponde a 43,35% da arrecadação. Deste valor:

  • 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados;
  • 19% entre os acertadores de cinco números (Quina);
  • 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra);
  • 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos terminados em zero ou cinco; e
  • 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana