conecte-se conosco


Internacional

Covid-19 deve acabar com 6,7% das horas de trabalho no mundo

Publicado


source
corona arrow-options
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Mais de 20% dos trabalhadores vivem em países afetados por medidas de bloqueio total ou parcial


A interrupção nas economias mundiais causada pela pandemia da Covid-19 deve eliminar 6,7% das horas de trabalho globalmente no segundo trimestre deste ano. Isso é o equivalente a 195 milhões de empregos em todo o mundo, de acordo com uma agência trabalhista da Organização das Nações Unidas (ONU).

Mais de 20% deles vivem em países afetados por medidas de bloqueio total ou parcial, informou a Organização Internacional do Trabalho (OIT), em um relatório divulgado nesta terça-feira (07).

A ONU tem apoiado as medidas fiscais e monetárias aplicadas até o momento, mas pediu aos países para manterem as pessoas conectadas aos empregos, para que não haja mais desligamentos .

“O que fazemos agora em termos de manter essa relação entre trabalhadores e suas empresas para mantê-los no mercado de trabalho, que pagará dividendos quando se trata da trajetória e do gradiente de recuperação, esperançosamente, no final deste ano”, disse o britânico Guy Ryder, diretor-geral da OIT, disse em entrevista coletiva.

Os trabalhadores do setor informal – que representam 61% da força de trabalho global, ou seja, 2 bilhões de pessoas – precisarão de apoio à renda apenas para sobreviver e alimentar suas famílias se seus empregos desaparecerem.

“São pessoas que geralmente não têm acesso às proteções sociais normais que podem ter um status formal de emprego”, disse Ryder.

A OIT não projetou com precisão quantos trabalhadores ficariam desempregados com a crise, embora tenha dito que seria ” significativamente maior ” do que os 25 milhões previstos no mês passado. No início deste ano, 190 milhões de trabalhadores estavam desempregados em todo o mundo.

Os quatro setores mais atingidos em todo o mundo, segundo o relatório, são:

Alojamento e serviços de alimentação.
Fabricação.
Serviços de varejo e comerciais.
Atividades administrativas.

Fonte: IG Mundo

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Internacional

Depois de Bolsonaro, presidente da Bolívia está com Covid-19 e é assintomática

Publicado


source
a presidente interina da bolívia, jeanine añez
Zaconeta Caballero Reinaldo

Añez confirmou seu diagnóstico positivo para Covid-19 em vídeo postado no Twitter


Após o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido), testar positivo para Covid-19 , a presidente interina da Bolívia, Jeanine Añez, afirma também ter contraído a doença. Seu médico pessoal afirma que ela é assintomática.


Isso faz de Añez a  quinta líder mundial a ser contaminada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) e a segunda na América Latina, atrás apenas de Bolsonaro. O país tem 44.113 casos e 1.638 óbitos.

A presidente postou um vídeo no Twitter na última quinta-feira (9) em que comunica o diagnóstico. “Estou positiva para a Covid-19, estou bem, trabalharei em isolamento. Junto, seguiremos em frente”, escreveu.


Segundo um relatório médico, a presidente, de 53 anos, está “de bom humor e enérgica”, além de não apresentar sintomas da Covid-19

Seu médico, Andrei Miranda, afirma que Añez pode continuar desempenhando suas funções, desde que continue tomando os cuidados preventivos protocolares e permaneça isolada. Ela deve realizar um novo teste em 14 dias.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Peru suspende venda de substância que prometia curar a Covid-19

Publicado


source
dióxido de cloro
Reprodução

Remédio já foi oferecido como cura do autismo


O Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Indecopi) entrou nesta sexta-feira (10) com ordens para o laboratório Mediline e a empresa Mercado Libre, no Peru, para que dióxido de cloro pare de ser vendido. Em seu site, a Mercado Libre é vendida como remédio para curar a Covid-19 .


O órgão recebeu denúncias de uma pessoa que teve problemas devido ao consumo da substância, após ler na internet que seria possível se curar da doença transmitida pelo novo coronavírus.

“O produto viria a ser oferecido como uma solução potencialmente segura e eficaz para superar a Covid-19, apesar de prejudicar a saúde dos seres humanos, já que não teria apoio científico ou autorização sanitária”, afirmou a Indecopi.

O composto químico para consumo humano e não é usado como medicamento. O dióxido de cloro é usado como alvejante e desinfetante.

O mesmo alerta foi emitido por um comitê científico na Bolívia. O órgão informou que o consumo do dióxido de cloro pode ser nocivo à saúde. O composto é capaz de causar anemia, diarreia, vômito, pressão baixa, insuficiência respiratória e distúrbios sanguíneos.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana