conecte-se conosco


Internacional

Coronavírus: nova metodologia faz China registrar recorde de óbitos

Publicado

Em apenas 24 horas, a China confirmou mais 254 mortos, devido ao novo coronavírus. Também se registaram mais 15 mil novos casos de infecção. A China voltou a registrar a maior mortalidade em um único dia, desde o início da epidemia. A alta dos números ocorre devido à nova metodologia para contabilizar os casos positivos.

Desde o início da epidemia, as autoridades chinesas só contabilizavam como casos positivos, os pacientes com diagnóstico confirmado em laboratório.

Nas últimas 24 horas, Pequim alterou o critério de contabilização na província de Hubei, o epicentro da doença, batizada Covid-19, passando a incluir também os casos de diagnóstico médico, detectados com base nos sintomas do doente e nos resultados de testes e exames.

Esta alteração traduziu-se em um número de infecções dez vezes superior ao do dia anterior, e na maior mortalidade diária desde que surgiu a epidemia.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

Itália vai prorrogar estado de emergência por covid-19 até janeiro

Publicado


O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, disse nesta quinta-feira (1º) que pedirá ao Parlamento a prorrogação do estado de emergência por causa da covid-19 no país até o final de janeiro, num momento em que o governo tenta evitar um salto no número de infecções como os vistos em outros países.

O estado de emergência, que vencerá em meados de outubro, dá mais poderes aos governos centrais, tornando mais fácil para as autoridades contornarem burocracias que reduzem a velocidade das tomadas de decisão na Itália.

“Vamos propor ao Parlamento a extensão do estado de emergência, provavelmente até o final de janeiro de 2021”, disse Conte a jornalistas durante uma visita a Caserta, no sul da Itália.

O governo tem a maioria das cadeiras no Parlamento.

A Itália, primeiro país da Europa a enfrentar um grande surto do novo coronavírus durante a primavera no Hemisfério Norte, conseguiu reduzir as infecções após um rígido lockdown que vigorou entre março e maio.

No entanto, o país tem o maior número de mortos pelo coronavírus da Europa continental, com 35.893 óbitos confirmados.

O número de casos diários voltou a subir nos dois últimos meses, mas se mantém abaixo de 2 mil, uma fração do registrado na França e na Espanha, que foram forçadas a apertar novamente as restrições em algumas áreas.

“A situação permanece crítica, embora as infecções estejam sob controle”, acrescentou Conte.

Continue lendo

Internacional

Israel tem novo recorde de covid, com quase 9 mil casos em 24 horas

Publicado


Israel registrou hoje (1º) um novo recorde de infeções diárias de covid-19, com quase 9 mil casos, apesar do confinamento nacional que está em vigor há quase duas semanas, anunciou o Ministério da Saúde do país.

Nas últimas 24 horas foram notificados 8.919 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, na sequência da realização de 68 mil exames.

A taxa de doentes com covid-19 é muito alta para um país de 9 milhões de habitantes, já que 13,6% dos resultados dão positivo, número que quase duplica entre a população ultraortodoxa.

O número total de infeções no país atinge agora quase 250 mil pessoas, das quais 810 estão internadas em estado grave, o que ultrapassa a barreira de 800 doentes graves que o Ministério da Saúde tinha marcado como linha vermelha para a sustentabilidade do sistema de saúde.

A pandemia já causou em Israel 1.571 mortes, um terço delas no último mês.

O primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, determinou que os hospitais se preparem para uma capacidade seis vezes superior à normal, ou seja, para atendimento a 5 mil casos diários.

O gabinete dedicado à crise do novo coronavírus decidiu, nessa quarta-feira (30), prolongar o confinamento no país até 14 de outubro, e Netanyahu alertou que algumas das restrições podem durar meses ou “até um ano”.

Segundo o primeiro-ministro, Israel quer evitar o erro cometido na primeira onda de covid-19, quando suspendeu as restrições muito rápido, o que levou a uma segunda crise, mais forte do que a inicial.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1 milhão de mortes e mais de 33,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço da agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus, detectado no fim de dezembro em Wuhan, cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o Continente Americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana