conecte-se conosco


Saúde

Coronavírus: governo monitora navios que estão na costa brasileira

Publicado

O governo brasileiro tem monitorado os navios que circulam na costa brasileira para evitar a entrada do coronavírus no país. O Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) têm adotado ações de vigilância para navios de cruzeiro, que atracam na costa brasileira, especialmente no período do Carnaval.

Dentre essas ações, estão uma série de orientações aos passageiros e tripulantes. No caso de cruzeiros marítimos, alguns procedimentos devem ser adotados para proteger a saúde dos passageiros e tripulantes, pessoal de solo e do público em geral nos portos.

Os dois órgãos orientam que, em qualquer situação, os trabalhadores de portos, aeroportos e fronteiras devem sempre adotar medidas preventivas, tais como higienizar as mãos com frequência com água e sabonete, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo.

Além disso, o ministério e a Anvisa recomendam que caso o viajante apresente sintomas após a saída do navio, ele deve procurar um serviço de saúde e informar seu histórico de viagem, especialmente nos últimos 14 dias.

Hoje (21), o ministério aumentou o nível de vigilância para mais sete países da Ásia além da China. Dessa forma, a definição de caso suspeito também vale para pessoas que voltarem do Japão, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Singapura, Vietnã, Tailândia e Camboja e apresentarem febre associada a um sintoma respiratório.

No Japão, um navio entrou em quarentena após passageiros apresentarem sintomas da doença. O Ministério da Saúde do Japão informou que 443 desembarcaram do Diamond Princess na quarta-feira e 274 ontem. Segundo o governo japonês, até 450 pessoas deverão desembarcar hoje.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão está realizando testes para o coronavírus em todas as pessoas que ainda permanecem no navio. Para deixar a embarcação, os passageiros tiveram que fazer o teste e ter resultado negativo para o novo coronavírus, além de não apresentarem nenhum sintoma.

Edição: Fábio Massalli

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Saúde

Rio começa na próxima semana testes em massa drive thru

Publicado


.

Os testes em massa drive thru contra o coronavírus deverão começar na próxima semana no estado do Rio. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (2) pelo secretário estadual de Saúde, Edmar Santos. Os detalhes de como será a operação ainda estão sendo definidos.

Para possibilitar a testagem em grande volume, o governo do estado comprou 1,2 milhão de kits de teste rápido em massa de covid-19. O lote inicial de 700 mil unidades, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), chega nesta semana. A previsão é que o restante chegue ainda em abril. Além dessa compra, outros 200 mil testes rápidos foram doados pela Petrobras e chegarão na próxima quinzena, totalizando 1,4 milhão de testes.

“Chegará uma remessa grande de testes rápidos. Com isso nós faremos a testagem a partir da semana que vem. Estamos organizando o melhor protocolo para isso, a testagem da população, para entendermos a prevalência do vírus em nosso meio. Já estamos alinhados com o Detran, de tal forma que os postos serão utilizados. Uma empresa de telefonia já colocou à disposição uma rede de smartphones e linhas que serão necessárias para o processo de testagem e monitoramento das pessoas. Até sexta-feira (3) a gente terá a estratégia desenhada para anunciar quando será na semana que vem”, disse Edmar, durante coletiva de imprensa.

Para dar suporte ao aumento do número de testes, a capacidade de testagem biomolecular realizada no Laboratório Central Noel Nutels (Lacen) vai duplicar nas próximas semanas, segundo a SES. Nesse caso, a prioridade do diagnóstico é testar profissionais de saúde e segurança, pacientes graves e óbitos em investigação.

A ampliação foi possível por compra de novas equipamentos e parcerias firmadas com Instituto de Biologia do Exército, Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) e Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), agilizando o diagnóstico. Com a iniciativa, será possível duplicar as análises realizadas hoje no estado.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Saúde

Prefeitura do Rio retira respiradores de hospital particular fechado

Publicado


.

Equipamentos de saúde que estavam em um hospital particular fechado foram retirados pela prefeitura do Rio de Janeiro nesta quinta-feira (2). A ação, classificada como requisição administrativa, se baseou em decreto municipal publicado no último sábado (28) com medias para combater a pandemia novo-coronavírus .

O Hospital Espanhol está desativado desde fevereiro deste ano. Foram retirados do local 16 monitores multiparamétricos, nove respiradores (três deles necessitando de conserto) e 20 colchões. Os equipamentos foram levados para o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, referência para o novo coronavírus no Rio de Janeiro.

O decreto permite ao município, diante da prática de preços abusivos ou recusa de disponibilização de bens ou insumos, requisitar administrativamente o que for necessário ao enfrentamento da epidemia, para pagamento posterior, a justo valor.

De acordo com nota divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os donos do Hospital Espanhol chegaram a negociar o aluguel do prédio para a prefeitura, com todos os equipamentos e mobiliário, por R$ 3,2 milhões. Mas uma vistoria da Vigilância Sanitária, realizada em março, constatou que o prédio está inadequado às normas sanitárias.

A ação conjunta da SMS contou com a Secretaria Municipal de Ordem Pública e a Guarda Municipal. Cerca de 50 agentes dos órgãos envolvidos chegaram ao hospital e iniciaram o inventário de todos os equipamentos e mobiliário úteis ao atendimento dos pacientes com covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Cada peça retirada e suas condições serão devidamente registradas para cálculo do valor a ser indenizado aos proprietários do hospital.

Segundo a prefeitura, há ainda cerca de 90 camas hospitalares, equipamentos de centro cirúrgico, bombas infusoras e outros mobiliários que deverão sair nos próximos dias. A reportagem não conseguiu entrar em contato com os proprietários do Hospital Espanhol.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana