conecte-se conosco


Esportes

Copa do Brasil: União perde do Atlético-GO e engrossa lista dos clubes de Mato Grosso eliminados

Publicado

Teve de tudo na classificação do Atlético-GO na Copa do Brasil nesta quinta-feira à noite. A equipe goiana venceu o União-MT por 1 a 0, no estádio Luthero Lopes, em Rondonópolis e avançou de fase.

A partida teve protesto de árbitro, invasão de pássaros e atraso para o início da partida, por conta de medidas diferentes das áreas.

Agora, o Atlético-GO vai encarar o Santa Cruz na próxima etapa da Copa do Brasil

PROTESTO
No início do jogo, o árbitro Alisson Sidnei Furtado (TO, como gesto de protesto por causa da agressão ao árbitro de Caxias x Botafogo, que se enfrentaram na última quarta, em Caxias, fez um minuto de silêncio.

ATRASO
A partida começou atrasada, porque uma das áreas estava com uma dimensão maior do que a outra. Os funcionários do estádio fizeram uma nova marcação.

Quando a partida começou, o árbitro paralisou a partida logo antes dos dois minutos por causa de pássaros que ‘invadiram’ o gramado. Após a retirada das aves, o jogo reiniciou.

O JOGO
O Atlético-GO foi um pouco melhor do que o adversário no primeiro tempo, mas o setor ofensivo não funcionou, já que apostava muito na bola aérea.

O Dragão chegou a criar duas chances, com Gustavo Ferrareis e com Renato Kayzer, mas foi pouco.

No final do primeiro tempo, quase veio o castigo pela pouca eficiência.O União-Mt que pouco chegou no primeiro tempo, quase abriu o marcador aos 48. Jean Carlos recebe de Léo Coca e chutou cruzado. A bola passou perto.

GOL RELÂMPAGO
O Atlético voltou segundo tempo disposto a não dar sopa para o azar e logo aos quatro minutos abriu o marcador. Renato Kayzer cruzou, Neneca afastou mal e Matheuzinho bateu para o fundo do gol.

O Atlético seguia mandando na partida, mas em vantagem, o Dragão diminuiu o ritmo e segurou a vantagem até o final.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Atletismo: em São Paulo, atletas retomam atividades de olho em Tóquio

Publicado


.

Desde a última segunda-feira (03), o NAR (Núcleo de Alto Rendimento Esportivo), localizado na zona sul de São Paulo, está reaberto para a prática esportiva. É lá que está treinando, desde então, um grupo de oito velocistas sob orientação do técnico Katsuhico Nakaya. Fazem parte da equipe Vitória Rosa e Eduardo de Deus. Ela tem o índice olímpico para os 200 metros rasos. Já ele está classificado à Olimpíada na prova dos 110 metros com barreiras.

“Conforme os protocolos, temos aproximadamente duas horas para usar a pista, três vezes por semana”, disse o treinador à Agência Brasil. A volta ocorre após quatro meses, período que o espaço ficou fechado por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Para Nakaya, o fundamental nesse momento é evitar lesões: “Na pista sintética, podemos voltar aos trabalhos específicos. Mas é importante fazer isso de forma gradativa. Esse contato com a pista é muito mais intenso. Então estamos indo aos poucos”. Segundo o treinador, os equipamentos de peso ainda não estão disponíveis e o espaço só pode receber 20% da sua capacidade.

Nakaya diz também que, antes mesmo da reabertura, a equipe já estava conseguindo fazer algumas atividades no Parque do Ibirapuera, em São Paulo: “No início da pandemia, os trabalhos eram feitos em casa. Mas depois de cerca de três meses, passamos a usar esse espaço aberto, bem arborizado, lá no Parque. Tem um gramado bem nivelado. Conseguimos fazer bastante coisa de aceleração e de potência aeróbica”.

O treinador explicou o trabalho que pretende fazer com a velocista Vitória Rosa. Ela já tem o índice para os 200 metros (22s72), deve conseguir também a marca dos 100 metros (11s15) e participará do revezamento 4×100 metros. “A Vitória já atingiu um nível muito alto. Daqui para frente, é detalhe. A questão é focar diretamente nas deficiências da corrida. Podemos ter ganhos significativos nas marcas trabalhando dessa forma”, declarou.

Enquanto isso, a preparação com o barreirista Eduardo de Deus é focada na parte física. Com a marca de 13s3, ele alcançou o índice para a prova dos 110 metros com barreiras. “Tecnicamente, ele é muito bom. Isso é excelente. Porque a parte mais difícil de aperfeiçoar é justamente essa. Mas, na parte física, ainda preciso trabalhar com ele. Se o atleta melhora um milésimo no salto de cada uma das dez barreiras, lá no final vai ter um ganho significativo no tempo”, diz o treinador.

Ana Cláudia Lemos, Jailma Sales de Lima, Ana Carolina Azevedo, Vinícius Catai, Kaio Lira e Alan Gusmão também estão na equipe que trabalha no NAR.

A janela para obtenção dos índices olímpicos será reaberta em dezembro. No Brasil, conforme calendário divulgado pela Confederação Brasileira da modalidade (CBAt), devem ocorrer pelo menos duas competições nesse mês. O Grande Prêmio Brasil, no dia 6, e o Troféu Brasil Caixa, entre os dias 10 e 13. Os dois torneios ainda não têm locais definidos. Katsuhico Nakaya trabalha para que a equipe chegue bem no final do ano para colocar mais atletas nos Jogos Olímpicos de Tóquio: “Tudo indica que as competições serão em Bragança Paulista, mas ainda dependemos da confirmação oficial”.

Atletas em Portugal

Com essa reabertura gradual dos locais de treinamento, o experiente treinador considera que esse não é o melhor momento para enviar a equipe para Portugal, dentro da Missão Europa. “Falei com eles. Claro que essa é uma decisão individual. Hoje em dia podemos trocar ideia pela internet. Isso facilita. Mas, na minha opinião, acho que o melhor é ficar aqui. O espaço no NAR é o ideal para trabalharmos. E tem vários outros espaços que estão reabrindo aqui no Brasil”. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) e a CBAt projetam, para a segunda quinzena de agosto, o envio de alguns representantes da modalidade, que fazem parte do Programa de Preparação Olímpica, para treinar em Rio Maior, em Portugal, dentro da Missão Europa do COB.

Edição: Fábio Lisboa

Continue lendo

Esportes

Arana projeta boa estreia do Atlético-MG contra o Fla no Brasileirão

Publicado


.

Após a vitória por 3 a 0 sobre o América e a conquista da vaga na final do Campeonato Mineiro na noite de ontem (5), o Atlético volta todas as suas atenções para a estreia no Campeonato Brasileiro. O primeiro confronto não é nada fácil, a equipe pega o Flamengo, domingo, às 16h (horário de Brasília), no Maracanã.

Mesmo enfrentando o atual campeão brasileiro e da Libertadores, o Atlético quer sair do Rio de Janeiro com os três pontos. Para o lateral-esquerdo Guilherme Arana, o Galo precisa manter a pegada do estadual para começar a Série A bem.

“O pensamento é o mesmo. Claro que Estadual é um campeonato de mata-mata e o Brasileiro é de pontos corridos, mas o pensamento é o mesmo, o trabalho é o mesmo, a intensidade nos treinos é a mesma e temos que manter essa conduta jogo após jogo. Já estamos pensando no Flamengo. Ontem, estávamos pensando no América. O dever foi cumprido e chegamos à final. Agora vamos mudar o chip e pensar no Flamengo para fazer um grande jogo”, disse em entrevista coletiva na Cidade do Galo.

A partida contra o Flamengo é cercada de expectativa. O Rubro-Negro é o grande favorito para levantar o caneco novamente. Por outro lado, o Atlético fez muitas contratações, renovou a equipe e deposita esperança no técnico Jorge Sampaoli. Mesmo com menos tempo de entrosamento que o adversário de domingo, Guilherme Arana acredita no resultado positivo.

“A gente já tá trabalhando há um bom tempo, a gente já sabe há um bom tempo que a estreia seria contra o Flamengo. A gente tem que jogar do jeito que a gente em jogando. A gente sabe a forma que o nosso professor quer que a gente jogue. Temos que ir lá, fazer nosso papel, dar nosso máximo e sair com a vitória. Claro que o Flamengo é uma grande equipe, porém no nosso time chegou bastante gente, jogadores de qualidade, estamos nos sentindo cada vez melhores. É ir lá, fazer um bom jogo e, se Deus quiser, sair com um resultado bom”.

Arana é um lateral-esquerdo conhecido por subir muito ao ataque. Enfrentar Rafinha, Éverton Ribeiro e Gabigol, que gostam de atuar pelo lado direito ofensivo, poderia prender um pouco mais o jogador do Galo? Ele responde.

“São jogadores de muita qualidade, todos nós conhecemos, mas meu jogo é defender e também chegar ao ataque. Tenho que fazer meu jogo que é defender bem, chegar na frente bem e é isso que eu vou fazer”.

A torcida atleticana acredita em uma ótima temporada do Galo em 2020 e, quem sabe, o título brasileiro. Guilherme Arana enumera as principais características da equipe que fazem o torcedor ficar mais confiante.

“É um grupo muito forte. Temos um treinador muito capacitado, uma comissão muito capacitada também. Estamos treinando há um bom tempo e com a volta dos jogos a primeira impressão foi muito boa, por ter ficado um bom tempo sem jogar. Jogo após jogos vamos nos aperfeiçoando cada vez mais. O ponto forte do Atlético é que é um time, teoricamente, jovem, com muita velocidade e muita disposição. Quando perde a bola a gente tem que ter a mesma mentalidade de atacar, todos com vontade de pegar a bola de novo para chegar ao gol do adversário, essa é a nossa qualidade”.

O Atlético se reapresentou nesta quinta-feira (6) pela manhã para um treino regenerativo após a vitória por 3 a 0 sobre o América, na semifinal do Estadual. A curiosidade da partida contra o Flamengo é que, pela primeira vez em 2020, o Galo vai enfrentar uma equipe da série A do Brasil. Os tradicionais rivais estaduais América e Cruzeiro estão na série B. Pela Copa do Brasil, o Galo foi eliminado na segunda fase pelo Afogados (PE). Na Copa Sul-Americana, ainda pela primeira fase, o Atlético não passou pelo Unión Santa Fe, da Argentina.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana