conecte-se conosco


Policial

Coordenadoria de Polícia Comunitária realiza primeira live em parceria com escola de Várzea Grande

Publicado


.

Assessoria | Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Coordenadoria de Polícia Comunitária e projetos socais, realizou a primeira live na noite de quinta-feira (27.08) promovida em parceira com a Escola Jercy Jacob de Várzea Grande. 

Com mais de 650 visualizações e mais de 1.100 comentários, o encontrou virtual abordou o tema “Bullying não é brincadeira” e teve como objetivo promover um diálogo formativo com uma discussão crítica e reflexiva sobre a questão do bullying e cyberbullying não se tratar apenas de simples brincadeira, mas sim de uma violência perversa cuja prática é equiparável aos crimes contra a honra.

Conforme o  investigador Ademar Torres, participante da live, a Polícia Civil já estava atuando no enfrentamento do “Cyberbullying” que é um tipo de violência praticada contra pessoas por meio das redes sociais ou de outras tecnologias relacionadas com ameaças, acusações injustas e indiretas, difamações sutis, degradação da imagem social, entre outros, resultando na discriminação ou exclusão de vítimas do grupo. 

“A violência virtual tem sido foco de ações desenvolvidas pelos projetos que desde o ano de 2019 com a campanha Escola Segura alcançou mais de 15 escolas na capital e interior. “Praticar cyberbullying significa usar o espaço virtual para intimidar e hostilizar uma pessoa (colega de escola, professores, ou mesmo desconhecidos), difamando, insultando ou atacando de forma covarde”, disse Ademar. 

Para a Coordenadora pedagógica da escola Jercy Jacob, Cibely Cristiny a parceria com a Polícia Civil com a atuação do projeto ajuda a promover uma cultura de paz na escola, que os alunos possam reconhecer o ambiente de aula remota como similar ao presencial. “Ficou claro aos pais e alunos que participaram da live os conceitos abordados bem como a necessidade de se ter um ambiente de respeito por todos, sobretudo por orientar aos participantes de como produzir provas na materialização do crime e divulgar os canais de apoio e denúncia do bullying e cyberbullying”, destacou ela. 

Segundo o investigador Nilton Cezar Cardozo com o advento da pandemia surgiu a necessidade das aulas acontecerem de forma não presencial e, desta forma o bullying, que antes ocorria principalmente na escola, se potencializou no cyberbullying, por meio das redes sociais, sobretudo, em aplicativos de mensagem e todos os meios onde os agressores consigam acesso às suas vítimas.

“Dessa maneira entendemos que a ação dos projetos sociais com a prevenção qualificada ocorrendo também de maneira virtual com a intervenção de investigadores com experiência e formação na área educacional contribui significativamente para minimizar este tipo de violência”, pontuou o policial civil gerente do projeto Rede Digital pela Paz.

A live foi realizada com a participação dos investigadores Ademar Torres, Nilton Cesar e os educadores Cibelly Cristiny Pereira e o diretor da escola Marlon Cristhian Rosa da Silva. Na ocasião foram entregues 30 kits dos projetos sociais contendo mochila em tecido de algodão e garrafa tipo squeeze que serão sorteados aos participantes.

O evento teve mais de 650 visualizações e os comentários já passam de 1.100 e, todo o conteúdo está disponibilizado na página do Facebook da escola no link:  https://www.facebook.com/escjercy.jacob/videos/2977256042500954/?notif_id=1598572772916609¬if_t=comment_mention&ref=notif.

 

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

PM prende suspeitos de sequestrar e matar ex-jogador de futebol

Publicado

A Polícia Militar do 11º Batalhão prendeu dois homens de 30 e 21 anos por sequestro e homicídio da vítima identificada como William Sant’Ana de 21 anos, na última sexta-feira (17), em Sinop. Ele era ex-jogador de futebol e os suspeitos confessaram que participaram do crime e informaram onde haviam ocultado o corpo da vítima.

A ação contou com o apoio de policiais do Grupo Raio, do GAP (Grupo de Apoio) e da Agência Regional de Inteligência (ARI). Segundo o boletim de ocorrência, após a Polícia Militar solicitar análise local de uma tornozeleira eletrônica à ARI, foi verificado que o homem de 30 anos esteve na hora e no local do crime. Diante das informações, os policiais iniciaram patrulhamento pelo bairro Boa Esperança, em Sinop, e localizaram o primeiro suspeito.

Durante a abordagem, o suspeito confessou o crime e contou que a vítima teria praticado um crime de estupro e que durante o sequestro, dentro do carro, a quadrilha havia feito vídeochamada por celular mostrando a vítima para integrantes de uma organização criminosa. O suspeito contou ainda que ficou no carro, enquanto a vítima era executada e que chegou a ouvir dois disparos de arma de fogo.

O suspeito indicou para a PM o local que onde haviam escondido o corpo da vítima, uma mata de difícil acesso, às margens do Rio 15. Os policiais fizeram o isolamento da área e acionaram a Polícia Judiciária Civil.  O homem já preso pela PM informou ainda o envolvimento de um outro indivíduo, de 19 anos, que foi localizado no bairro Boa Esperança pela guarnição do RAIO.

O comparsa confirmou os fatos narrados pelo primeiro suspeito preso. Os dois homens foram encaminhados para a Delegacia. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Continue lendo

Policial

Policiais civis participam de curso para manuseio de Drone ministrado pelo Sindicato Rural de Canarana

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

 

Durante uma semana de qualificação, dezoito policiais civis lotados na Delegacia Regional de Água Boa (730 km a leste de Cuiabá) participaram do curso de “Treinamento de Operação de Aeronave Remotamente Pilotada – Drone”, promovido pelo Sindicato Rural do município de Canarana (823 km a leste da Capital).

O curso dividido em duas turmas iniciou na segunda-feira (13.09) e encerrou no sábado (18.09), com a participação de 30 profissionais da segurança pública, entre policiais civis, militares, penais, bombeiros militares e peritos.

 

Foram ministradas aulas teóricas e práticas, e ao final os alunos receberam o Certificado emitido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR-MT). 

Além dos servidores da região de Água Boa, dois policiais civis da Delegacia Regional de Barra do Garças também estiveram presentes no curso, que teve como principal objetivo o manuseio desta ferramenta de grande relevância para a modernização dos trabalhos policiais. 

 

Atualmente as diligências investigativas tem exigido cada vez mais o uso de novas tecnologias para o enfrentamento do crime organizado, sendo que o equipamento drone se encaixa nessas inovações tecnológicas. 

 

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana