conecte-se conosco


Economia

Consumidores de cidades do interior ganham quatro prêmios de R$ 10 mil no sorteio do Programa Nota MT

Publicado

Sorteio mensal de maio premiou consumidores de 67 municípios mato-grossenses

A interiorização dos prêmios foi a marca principal no sorteio mensal de maio do Programa Nota MT, realizado nesta quinta-feira (10). Dos cinco sorteados com o prêmio maior, no valor de R$ 10 mil, quatro são de cidades do interior. Outros 996 consumidores ganharam prêmios de R$ 500 cada. Quatro deles foram premiados duas vezes.

Os ganhadores do prêmio de R$ 10 mil são: Geraldo Apóstolo de Sena (Comodoro), Luciana da Costa Santos (Sorriso), Neil Eli Mascarello (Sinop) e Rodrigo Prestes dos Santos (Nova Mutum). Cuiabá teve uma ganhadora: Claudiane de Almeida Firmino. As APAES de Comodoro, Sinop e Sorriso, além do Hospital do Câncer de Cuiabá e Associação de Proteção aos Animais de Nova Mutum foram as entidades sociais indicadas pelos ganhadores. Elas receberão R$ 2 mil cada uma, o que corresponde a 20% do prêmio de R$ 10 mil.

O sorteio mensal de maio premiou consumidores de 67 municípios mato-grossenses, um de Santa Rita do Araguaia (GO) e outro de Santa Maria (RS). As cidades com maior número de ganhadores foram Cuiabá (369), Várzea Grande (88), Sinop (71) Rondonópolis (62). Tangará da Serra e Cáceres tiveram 50 ganhadores cada uma.

O secretário adjunto da Receita Pública, Fábio Pimenta, que coordenou o sorteio desta quinta-feira destacou a participação dos municípios do interior no Programa Nota MT.

“O programa atinge todo Estado de Mato Grosso. Nós já temos cidadãos de praticamente todos os municípios já contemplados. Desde agosto de 2019 já foram mais de 20 mil contribuintes contemplados e mais de 11 milhões de reais em prêmios distribuídos”, destacou Fábio Pimenta.

 

 

ESPECIAL DE SÃO JOÃO

No dia 24 de junho a Sefaz vai realizar o segundo sorteio especial do Nota MT de 2021, o especial de São João. Nele serãodistribuidos cinco prêmios de R$ 50 mil.

Estarão concorrendo às premiações 331.006 consumidores que fizeram compras entres os dias 1 de março e 31 de maio de 2021 e pediram o CPF na nota. Ao todo foram gerados 5.300.905 de bilhetes eletrônicos.

Resultado do Sorteio Nota MT – Mensal Maio 2021

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Guedes defende redução no desperdício de alimentos

Publicado


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse hoje (17) que é possível estabelecer ações contra o desperdício de alimentos para fortalecer os programas sociais. “A principal ideia é conectar a solução do problema do desperdício com o ataque direto à fome que é justamente objetivo das nossas políticas sociais. Precisamos facilitar a conexão entre as políticas sociais de um lado e o desperdício que ocorre do outro lado”, ressaltou ao participar de evento promovido pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Segundo o ministro, podem ser elaboradas propostas para que diferentes setores reaproveitem comida que seria perdida para apoiar famílias em insegurança alimentar. “Podemos, por exemplo, pensar em um incentivo para que todos esses alimentos perdidos, ao invés de serem jogados fora, possam serem canalizados para programas sociais, como postos de atendimento endereçados aos mais necessitados”, acrescentou.

Para Guedes, é preciso que o país concilie as diversas necessidades para promover crescimento econômico e melhoria da qualidade de vida da população. “Queremos manter toda a cadeia produtiva funcionando. Que o Brasil consiga expandir sua área de produção sem destruir o meio ambiente. Esse tratamento de água e esgoto também é preocupação do nosso governo, assim como a perda de alimentos”.

O ministro enfatizou ainda a contradição entre o Brasil ser um dos maiores produtores do mundo e ainda ter pessoas vivendo com insegurança alimentar. “O país não pode ser o celeiro do mundo sem acabar com a fome”, destacou.

Edição: Valéria Aguiar

Continue lendo

Economia

Caminhoneiros ameaçam greve e acusam governo de fazer marketing com demandas

Publicado


source
Wallace Landim, Chorão, líder caminhoneiro
Reprodução/Facebook

Wallace Landim, Chorão, líder caminhoneiro

O presidente da Abrava (Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores) , Wallace Landim, afirmou que a categoria poderá entrar em greve nos próximos dias . Líder da greve da categoria em 2018, “Chorão”, como é conhecido, disse estar no limite e lembra das dificuldades dos caminhoneiros nos últimos meses. 

“Possibilidade há. Estamos no limite, na UTI, estamos tomando esse remédio para salvar a categoria”, disse Landim, em entrevista ao UOL.

Chorão ainda acusou o governo federal de se promover com as demandas da categoria . Segundo o presidente da Abrava, a promessa de linha de crédito para caminhoneiros por meio do BNDES não foi cumprida. 

“Outra coisa que me deixou muito chateado é aquela [linha de crédito] de R$ 500 milhões para manutenção da categoria, que foi proposta para nós. Não conheço nenhum caminhoneiro que pegou. A vigência terminou agora. Eu pedi, mandei ofício para Ministério da Economia e nem sequer me retornou. Conversamos com vários setores financeiros, esse plano nunca existiu. Estão fazendo marketing em cima da categoria”, ressaltou. 

Você viu?

O programa foi anunciado em 2019 e teve sua vigência encerrada no último dia 8 de junho. Para tentar amenizar e atender os pedidos de caminhoneiros, o governo federal lançou o “Gigantes do Asfalto” , um projeto que promete desburocratizar a situação de caminhoneiros autônomos. 

Nos últimos meses, o Palácio do Planalto tenta atender a todo custo as demandas da categoria, a fim de evitar outra greve, como a realizada em 2018. O presidente Jair Bolsonaro, inclusive, decretou a redução de impostos federais no diesel para diminuir a pressão sobre o governo. 

Nas eleições de 2018, Bolsonaro prometeu manter bom relacionamento com os caminhoneiros, mas atritos registrados no último ano provocaram um racha entre a categoria e o presidente. No começo deste ano, parte dos caminhoneiros autônomos ameaçaram entrar em greve, no entanto, recuaram após pouca adesão.  

Após negociações, o Planalto prometeu incentivos à categoria, mas, segundo Chorão, não foram efetivadas. Entre as promessas estava a prioridade na imunização, o que também não foi cumprido. 

“A gente vem participando de muitas reuniões no governo e nada. Nós temos várias situações, uma delas é referente à vacina. A gente está no grupo prioritário desde janeiro, mas até agora a gente não foi imunizado”, lembra. 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana