conecte-se conosco


Carros e Motos

Conheça um jeito prático e seguro de levar a bicicleta no carro

Publicado


source


Pesando apenas 5 kg, o rack é composto de três ventosas de silicone industrial (duas à frente e uma atrás)
Divulgação

Pesando apenas 5 kg, o rack é composto de três ventosas de silicone industrial (duas à frente e uma atrás)

Se você pesquisar por aí vai achar dos mais diversos modelos de racks para transportar a sua bicicleta: no teto do carro, engate, tampa do porta-malas etc. O difícil é encontrar um suporte que atenda a todos os tipos de veículos e que não risque ou amasse a pintura e ainda ofereça a versatilidade de fixá-lo no vidro, na tampa do porta-malas ou teto.

A partir dessa ideia, o Leva Bike da empresa 3HM , um suporte com ventosas com alto poder de sucção sai na frente. O acessório é fixado por roscas e atende a maior parte dos veículos, desde que o teto não tenha vincos como é o caso do Ford Ecosport e outros SUVs ou peruas .

Pesando apenas 5 kg , o rack é composto de três ventosas de silicone industrial (duas à frente e uma atrás), além de copa de nylon e aço carbono que une as duas ventosas que prendem a roda dianteira da bike. A primeira vantagem que notamos é que, ao contrário dos racks tradicionais , este não necessita de acessórios extras para fixação do suporte.

Orientações da fabricante pede para, antes da instalação, limpar a área da instalação
Divulgação

Orientações da fabricante pede para, antes da instalação, limpar a área da instalação

Com o produto em mãos, seguimos as orientações da fabricante que pede para, antes da instalação, limpar a área que for instalar as ventosas e sempre posicioná-las próximo das áreas de colunas que têm maior rigidez. Em um Chevrolet Cruze , instalamos dois kits do Leva Bike para o transporte de duas bicicletas que juntas pesam 22,5 kg .

O primeiro passo é pressionar a ventosa contra o teto ou vidro certificando-se de que a mesma se modelou ao carro. Depois, basta girar as roldanas até o limite de rosca, garantindo pressão e fixar o garfo na blocagem e aparafusar até ficar firme (parte dianteira com duas ventosas).

Quanto à ventosa traseira, basta alinhar o pneu traseiro à roldana já devidamente apertada, e prendê-lo com a cinta de velcro de forma que fique bem justo e sem nenhuma folga.

Com estas duas opções de instalação, optamos por instalar no teto do Cruze para certificar-se da firmeza contra a pressão do vento contra as bikes. O equipamento se manteve firme e sem folgas e o melhor: sem danificar o carro e as bicicletas.

Você viu?

O Leva Bike não ocupa muito espaço como outros racks tradicionais podendo ser guardado em qualquer porta-malas
Divulgação

O Leva Bike não ocupa muito espaço como outros racks tradicionais podendo ser guardado em qualquer porta-malas

Acomodado em uma caixa de 46 x 37 x 14 cm , o Leva Bike não ocupa muito espaço como outros racks tradicionais podendo ser guardado em qualquer porta-malas, possui instruções objetivas (português e inglês). Muito simples de instalar, conseguiu transportar qualquer modelo de bicicleta sem o risco de se soltar ou danificar a pintura dos veículos, mas é para poucos: R$ 1200.

SUPORTE PARA BICICLETAS LEVA BIKE

PREÇO MÉDIO: R$ 1200.

ONDE COMPRAR: 3hm.com.br

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Honda Biz da linha 2022 ganha cores e atualizações estéticas

Publicado


source


Honda Biz 125 e Biz 110i 2022 ganha atualizações estéticas e novas cores entre as principais mudanças
Divulgação

Honda Biz 125 e Biz 110i 2022 ganha atualizações estéticas e novas cores entre as principais mudanças

A Honda lança a linha 2022 de suas motocicletas Biz 125 e Biz 110i, modelos que tem como origem o modelo C100 Dream, feita de 1992 até 1997 e que representou no mercado nacional as pioneiras CUB – Category Upper Basic, em produção desde o final dos anos 1950.

Em produção desde 1998, a Honda Biz já conta com 4 milhões de unidades produzidas em 23 anos consecutivos e para o ano de 2022 chega com novos grafismos e cores.

Para a Biz 125 serão duas as novas cores: a bicolor branca e azul, e a vermelha, de nova tonalidade. Permanecem as cores branco perolizado e marrom perolizado. Na Biz 110i as novas cores são o vermelho e prata metálico, sendo mantida a branca.

Na parte da motorização, enquanto a Biz 125 conta com um monocilindro OHC arrefecido a ar de 124,9 cc de 9,2 cv de potência e 1,04 kgfm de torque que pode ser abastecida tanto com gasolina quanto etanol em proporções variadas.

Já na Biz 110i o motor é o mesmo, mas só pode ser usado com gasolina. De acordo com a marca, tem 8,33 cv e 0,89 kgfm de torque . Ambos os modelos vêm com câmbio semiautomático, que dispensa o acionamento de embreagem.

Esteticamente, a principal diferença entre elas está no tipo de rodas e sistema de frenagem. Na Biz 125 as rodas são de liga leve (17 polegadas na dianteira e 14 polegadas na traseira) e a frenagem CBS – Combined Brake System – atua em disco na dianteira e tambor na traseira. Já a Biz 110i usa rodas raiadas, com freios a tambor também dotados de CBS.

Disponíveis na rede de concessionários Honda a partir de outubro, as Honda Biz 125 e Biz 110i modelo 2022 tem preço público sugerido base Distrito Federal, que não inclui despesas com frete ou seguro de R$ 11.590 (Honda Biz 125) e R$ 9.260 (Honda Biz 110i).

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

VW Taos Comfortline: versão mais em conta do SUV vale a pena?

Publicado


source
VW Taos Comfortline: rodas são de aro 18 polegadas como na versão Highline, mas sem acabamento diamantado
VW Taos Comfortline

VW Taos Comfortline: rodas são de aro 18 polegadas como na versão Highline, mas sem acabamento diamantado

A VW demorou para entrar na briga entre os SUVs e, agora, procura tirar o atraso. Umas das novidades que passa a oferecer no Brasil é a versão Comfortine do Taos (R$ 159.785), que é R$ 27.500 mais em conta que a topo de linha Highline (R$ 187.285).

As principais diferenças entre ambos estão apenas na ausência de alguns itens mais sofisticados e em alguns detalhes estéticos, como as rodas sem acabamento diamantado e o filete de led na grade frontal.

A bordo do VW Taos Comfortline você ainda terá um bom pacote de equipamentos que inclui volante multifuncional revestido de couro com hastes para trocas sequenciais do câmbio automático de seis marchas, multimídia VW Play com tela de 10 polegadas e espelhamento sem fio, controles eletrônicos de estabilidade e tração, carregador de celular por indução e painel digital com tela de 8″.

Mas ficará sem o cluster configurável de 10,25″ ( o que significa que não terá muitas escolhas de como deseja que fique o contagiros e o velocímetro). Além disso, vai precisar ficar mais atento no trânsito sem o alerta de ponto cego . E o controlador de velocidade (“piloto automático”) não será adaptativo, ou seja, sem a função de manter o carro a uma distância do que segue a frente.

E daí? Bem, se é essa sua reação, vamos em frente. Melhor economizar a diferença em relação ao Taos topo de linha, até porque o conjunto mecânico é o mesmo.

Porém, é bom saber que, mesmo mais em conta que o Highline, o Taos Conforline custa mais que a versão básica do seu principal concorrente, o Jeep Compass . Estamos falando do Sport 1.3 turboflex, que tem preço sugerido de R$ 151.181 e vem com motor de 185 cv e uma lista de itens de série bem recheada com multiídia de 8,4 polegadas, câmera de ré, sensor de chuva, freio de estacionamento eletrônico, entre outros.

No Taos o motor é o bem conhecido 1.4 turboflex, de 150 cv e 25,5 kgfm a 1.500 rpm, números que são apenas razoáveis para conseguir alguma agilidade, com uma relação entre peso e potência de 9,5 kg/cv (ante 8,1 kg/cv do Compass).

O câmbio automático de seis marchas Aisin também não ajuda muito a dar fôlego ao SUV, sendo mais voltado à economizar combustível e a manter a conforto, com relações longas.

VW Taos Comfortline tem interior espaçoso e algumas diferenças em relação ao topo de linha, como o cluster
VW Taos Comfortline

VW Taos Comfortline tem interior espaçoso e algumas diferenças em relação ao topo de linha, como o cluster

De fato, não há do que reclamar do silêncio a bordo do VW Taos Comforline , que conta com bom isolamento acústico e um rodar confortável, mesmo com rodas de aro 18 montadas em pneus 215/55R. O volante e a alavanca de câmbio são iguais aos do compacto T-Cross , o que é um fator que pode ser interpretado como uma maneira de reduzir custos.

Mas no caso do VW Taos ,  existem outros itens exclusivos, como o painel, o desenho dos bancos e as laterais das portas. Além disso, o espaço interno é maior, não apenas que no T-Cross , mas também na comparação com os principais rivais.

A distância entre-eixos de 2,68 metros do VW é mais larga que a do Jeep Compass e do Toyota Corolla Cross (2,64 m em ambos). Significativa mesmo é a diferença de volume no porta-malas do VW, de 498 litros, ante 440 l do Corolla Cross e 410 do Compass.

Se o Taos não é um estouro ao acelerar, por outro lado, acaba sendo um SUV médio econômico . Conforme dados do Inmetro consegue fazer 7 km/l na etanol na cidade e 9 km/l na estrada, números que passam para 10,2 km/l e 12,5 km/l com gasolina, respectivamente.

O que complica mais a vida do VW Taos na briga com o Jeep Compass é a autonomia , também segundo o Inmetro. Na cidade, com gasolina, o primeiro pode rodar 520 km, ante 612 km do rival. E na estrada, o VW anda 638 km com tanque de 47 litros e o Jeep 702 km com o de 60 l. Com etanol, a vantagem do Compass continua, com 432 km na cidade e 498 na estrada, ante 357 km e 459 do Taos.

Conclusão

Se você quer um SUV médio espaçoso e não faz questão de itens muito sofisticados, o VW Taos é uma boa pedida. Além do espaço interno também entre os destaques a economia de combustível. Mas não espere um desempenho de tirar o fôlego.

Na comparação com a versão topo de linha, a mais em conta Comfortline também não conta com detalhes estéticos que não fazem tanta falta, como as rodas de acabamento diamantado e o filete de led na grade frontal.

Ficha técnica Motor: 1.4, quatro cilindros, turboflex Potência: 150 cv a 5.000 rpm Torque: 25,5 kgfm a 1.500 rpm Transmissão: Automático, 6 marchas, tração dianteira Suspensão:Independente (dianteira) e multibraço na traseira Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira Pneus: 215/55 R18 Dimensões: 4,46 m (comprimento) / 1,84 m (largura) / 1,63 m (altura), 2,68 m (entre-eixos) Tanque : 51 litros Porta-malas: 498 litros Consumo: 10,2 km/l (cidade) /12,5 km/l (estrada) com gasolina 0 a 100 km/h: 9,3 segundos Vel. Max: 194 km

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana