conecte-se conosco


Mato Grosso

Conheça os sete longas produzidos em MT que concorrem ao troféu do Festival Cinemato

Publicado


Realizado em formato virtual, a 20ª edição do Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá – Cinemato celebra a produção audiovisual mato-grossense. Na Mostra Competitiva de Longa-Metragem eles reinam solenemente. O festival foi contemplado no edital Circuito Mostras e Festivais, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT).

Filmes de realizadores de Mato Grosso estão disponíveis na plataforma AmazôniaFlix, onde o público além de ter 24 horas para assisti-los, também vota nos seus preferidos para ajudar a definir qual será o vencedor. A premiação do júri popular e do júri oficial será no dia 21 de maio, às 20h (horário de MT) com transmissão pelo canal do festival no Youtube.

Todas as produções listadas aqui, atualmente circulam por festivais nacionais e internacionais. Boa parte delas ainda é inédita. A programação é imperdível também, pela diversidade das produções em seus formatos e temáticas e elencos especiais. Para assistir, basta cadastrar-se no link https://amazoniaflix.com.br/cadastro.

Vale ressaltar que, depois das mostras competitivas, mais produções mato-grossenses entram em cartaz em mostras de temáticas variadas. A programação completa pode ser acessada no site oficial do festival (www.cinemato21.com.br)

Mata Grossa

Filme de Tati Mendes e Amauri Tangará lançado neste ano, está em cartaz até às 18h (horário de MT) desta quarta-feira (12). O documentário dá visibilidade a personalidades femininas marcantes, mas pouco celebradas pela história mato-grossense.  Entre elas, Tereza de Benguela, Maria Taquara e Doninha do Tanque Novo, cujas histórias são lembradas por Nemézia Profeta, Ana Maria Lopes e Norma Campos, respectivamente.

Elenco: Francisca Correa da Costa, Francisca dos Santos Oliveira (Chica Doce), Gonçalina Eva Almeida de Santana, Astrogilda Leite de França, Nemézia Profeta Ribeiro, Cláudia Alves de Araújo, Maria de Lourdes Jorge de Sousa, Astrid Beatriz Bodstein Romeo, Ana Maria de Oliveira Lopes, Judite Gonçalves de Albuquerque, Darlene Iaminalo Taukane, Norma Gonçalina Campos de Arruda, Ana Rafaela de Oliveira, Larissa Mineyah, Panmela Castro, Artha Baptista.

Barão de Melgaço

O documentário recém-lançado, do diretor Leonardo Sant’Ana entra em cartaz nesta tarde de quarta-feira (12). Ou seja, o público tem até a quinta-feira (13) para conferir essa produção recém-lançada. O longa narra a vida e obra do intelectual militar franco-brasileiro, o almirante Augusto Leverger, o Barão de Melgaço. No auge do século 19, dedicou sua vida à ciência e a proteger a região da fronteira oeste do Brasil, a longínqua província de Mato Grosso.

Elenco: Ilton Silva e Marcelo Leal como Augusto Leverger, João Carlos Vicente Ferreira, Suely da Costa Campos, João Antonio Lucidio, Eduardo Mahon, Elizabeth Madureira Siqueira, Maria Adenir Peraro e Ernesto Cerveira de Sena.

A Batalha de Shangri-lá

Esta ficção de Severino Neto e Rafael Carvalho foi produzida em 2019 e já integra circuito de festivais. Na história, João busca por sua mãe biológica que o abandonou há quase 40 anos. Numa jornada física e emocional, por um Brasil profundo, o passado dessa mulher surge pouco a pouco e as convicções e preconceitos de João rompem tabus. A aproximação entre filho e mãe é intensa, dolorosa e feroz, trazendo à tona angústias e revelações que irão afetar a vida dos dois para sempre. Entra em cartaz na Amazônia Flix nesta quinta-feira (13).

Elenco: Gustavo Machado, Ingra Lyberato, Maria Ceiça, Andrade Jr, Tatiana Horevicht, Laíze Câmara, Luciano Bortoluzzi e Ana Luiza Nunes

Nenhures: onde os sonhos são reais e a vida não

Ainda nesta quinta-feira (13), tem a estreia de “Nenhures” (2020), ficção de Amauri Tangará e João Brites, produzida em 2020. Na trama, o personagem que vivencia uma realidade cruel, se questiona: permanecer ou tornar a ir embora daquele lugar ou (não lugar)? “Da realidade, apenas um velho, sentado pacientemente à beira da estrada, vendo a estrafega de gente a ir e vir chegar ou partir. Interessado nesse movimento, marca as ações dos chegantes, mas não interfere em seus destinos. O que é aquele lugar, o que representa? Será um sonho, um navio ou apenas utopia?”.

Elenco: Ana Brandão, Ana Lúcia Palminha, Antónia Terrinha, Bruno Huca, Cândido Ferreira, Estêvão Antunes, F. Pedro Oliveira, Gonçalo Amorim, Guilherme Noronha, Horácio Manuel, Inês Madeira, Joana Manaças, Juliana Pinho, Nicolas Brites, Nuno Nunes, Paula Só, Pedro Gil, Raul Atalaia, Rita Cruz, Rosinda Costa, Sara Belo, Sara de Castro, Suzana Blazer, Suzana Branco.

Luciene

O filme de Juliana Curvo lançado em 2020, mostra o processo de construção de um documentário sobre a poeta mato-grossense Luciene Carvalho e a fronteira entre documentar o real (resquícios dele) ou aquilo que se conta (inventa-se) sobre ele são os assuntos do filme Luciene, abordando os aspectos do autobiográfico e da autoficção no encadeamento narrativo da autorrepresentação documental. “No processo criativo do documentário foram utilizadas outras linguagens artísticas, trazendo a poesia de Luciene e o teatro. Bem como outras estratégias políticas de abordagem, onde a “direção” se transformou em antagonismo, ao menos foi o ocorrido para a poeta/personagem Luciene”, diz trecho da sinopse.

Elenco: Luciene Carvalho e Juliana Curvo

Diretas Já

O documentário de Marcelo Santiago e Rodrigo Piovezan entra em cartaz a partir da sexta-feira (14). Ele revela resultado de vasta pesquisa sobre o movimento Diretas Já, que marcou o fim da ditadura. Entre 1983 e 1984, manifestações gigantescas exigiram eleições presidenciais pelo voto direto. O sonho acabou em abril de 1984, quando a Câmara rejeitou a Emenda Dante de Oliveira, proposta por um jovem deputado de mesmo nome. A produção celebra os 30 anos do movimento, com base em imagens de arquivos e entrevistas de alguns de seus protagonistas. A obra documental foi produzida em 2019.

Elenco: Chistiane Torloni, Fafá de Belém, Fagner, Osmar Santos, FHC, Lula, Pedro Simon e Suplicy.

Loop

Loop, ficção de Bruno Bini, também entra em cartaz nesta sexta-feira (14). Ou seja, dá tempo para assisti-lo até sábado (15). O filme que tem Cuiabá como locação, conta a história de Daniel, que após a morte de sua namorada, o estudante de Física fica obcecado com a ideia de voltar no tempo para evitar a tragédia. Ele se deixa consumir pela sua própria obsessão até que após anos de isolamento, ele encontra a solução. Daniel então vira as costas para o seu futuro e volta ao passado. Mas não é mais o mesmo homem.

Elenco: Bruno Gagliasso, Branca Messina, Bia Arantes, Nikolas Antunes, Roberto Birindelli e Zé Carlos Machado.

Fonte: GOV MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Seaf registra queda nos preços dos hortifrúti em junho

Publicado


A Central Atacadista de Cuiabá começou o mês de junho com registro de queda nos preços dos principais produtos hortifrutigranjeiros comercializados em Cuiabá e Várzea Grande. Segundo a cotação de preços realizada pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), de janeiro a junho desse ano, coentro, maçã, tomate, cenoura, batata lisa, batata doce, banana nanica, prata e a banana maça despencaram no valor. Cenário atípico frente à escala de alto nos preços dos produtos alimentícios como carne, arroz, leite, dentro outros.

Os itens com maior registro de queda foram a banana nanica e a batata lisa, que juntos reduziram 50% de valor. A caixa com 20kg da banana nanica de R$ 70 reduziu para R$ 35. Já o saco de 25kg da batata lisa caiu de R$ 110 para R$ 55. Já a maça nacional, a caixa com 18kg, está sendo vendida a R$ 75, enquanto que em janeiro essa mesma quantidade custava R$ 140. A banana-maçã, de R$ 70 abaixou para R$ 35, a caixa com 20kg. Ambos tiveram queda de 46%.

Segundo a técnica de Desenvolvimento Econômico Social da Seaf, Doraci Maria de Siqueira, responsável pela cotação de preços, a explicação para o registro dessas quedas se deve ao fato de estarmos no período final de produção dos itens relacionados acima, mas que a tendência é a de subir nos próximos meses. “A safra da maioria dos produtos que tiveram o preço reduzido foi muito boa, e quando isso ocorre, a tendência é uma maior presença deles no mercado e, consequentemente, redução no valor de venda”, pontuou Doraci Siqueira.

O coentro, planta muito utilizada, principalmente, na forma de tempero, registrou queda de 42% nesses últimos cinco meses. O maço passou de R$ 7 para R$ 4. Já o tomate e a banana prata estão 40% mais baratos. A caixa com 20kg do tomate e da banana prata caiu de R$ 100 para R$ 60.

Já a batata doce, a saca de 20kg, está sendo vendida a R$ 40, enquanto que em janeiro era vendida a R$ 60, registrando uma queda de 33%. A cenoura está custando 30% mais barata, ao passar de R$ 50 para 35, a caixa com 21kg. “A área plantada tanto da cenoura quanto a da batata doce aumentaram no período de estiagem, o que refletiu nos preços desses dois produtos nesse período de janeiro a junho”, acrescentou a técnica da Seaf.

No lado oposto ao registro de redução, estão pimenta-de-cheiro e o alho. Esse último item aumentou 27%, ao subir de R$ 150 para R$ 190, a caixa com 10kg. Já a pimenta-de-cheiro, muito utilizada para tempero, aumentou 75% a caixa com 8kg, ao passar a ser vendida a R$ 140 ao invés de R$ 80. “No caso do alho chegamos ao fim do período de colheita, e por isso, houve essa alta. Já a pimenta de cheiro, com o início da estiagem, a área de cultivo foi drasticamente reduzida, ficando apenas a produção que faz uso de irrigação, e o produtor, para cobrir os custos que é o de ter uma área irrigada, repassa o valor ao consumidor”, concluiu Doraci.

COTAÇÃO

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente, toda terça-feira a partir 5h, por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e prefeitura de Cuiabá. A pesquisa de preço é realizada na Central de Abastecimento de Cuiabá, levando em conta o preço mínimo, mais comum e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (16.06), 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.549 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.096 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.863 estão em isolamento domiciliar e 407.880 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,65% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.308), Rondonópolis (31.549), Várzea Grande (29.427), Sinop (21.092), Sorriso (15.018), Tangará da Serra (14.872), Lucas do Rio Verde (13.308), Primavera do Leste (11.054), Cáceres (9.359) e Alta Floresta (8.279).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na terça-feira (15.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e 490.696 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.452.612 casos da Covid-19 no Brasil e 488.228 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quarta-feira (16.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana