conecte-se conosco


Turismo

Conheça os melhores hotéis que vão abrir em janeiro ao redor do mundo

Publicado

source

Se você pensa em viajar por aí e se hospedar em hotéis incríveis ao redor do mundo, essa lista vai te interessar! Nesse mês, especialmente, estão previstas muitas estreias e reestreias especiais de hotéis. Por isso, de acordo com o portal Independent , aqui vai uma listinha dos melhores hotéis que vão ser abertos em janeiro:

Leia mais: 10 tendências de cruzeiros para 2020: confira o que promete bombar no ano

1. Alpine Inn (Catskills, EUA)

A equipe do Urban Cowboy fez uma reforma no amado alojamento do Alpine Inn%2C transformando-o em algo mais rústico%2C com lareira%2C madeira vintage e antiguidades arrow-options
Reprodução/Urban Cowboy

A equipe do Urban Cowboy fez uma reforma no amado alojamento do Alpine Inn, transformando-o em algo mais rústico, com lareira, madeira vintage e antiguidades

O Alpine Inn, que fica na nascente do rio Esopus Creek, sempre proporcionou um ótimo destino  de fim de semana para os nova-iorquinos que queriam caminhar, esquiar ou pescar. Mas agora há um motivo especial para visitá-lo: a equipe do Urban Cowboy, conhecida por suas propriedades no Brooklyn e em Nashville, transformou esse alojamento num refúgio rústico de 28 quartos.

Ele fica na Reserva Florestal Catskills e contará com lareiras, móveis de madeira vintage e antiguidades ecléticas. Os banheiros são de cedro ou cobre nos quartos mais elegantes e também há um restaurante com zero desperdício e ingredientes provenientes de agricultores, além de um spa com acomodações e tendas.

2. Rosewood Little Dix Bay (Spanish Town, Ilhas Virgens Britânicas)

A abertura do Rosewood Little Dix Bay é uma das mais comentadas%2C pois ele está fechado há quatro anos%2C desde quando foi atingido pelo furacão Irma arrow-options
Reprodução/ Rosewood Little Dix Bay

A abertura do Rosewood Little Dix Bay é uma das mais comentadas, pois ele está fechado há quatro anos, desde quando foi atingido pelo furacão Irma

Favorito das Ilhas Virgens Britânicas, o Rosewood Little Dix Bay irá reabrir esse mês depois de muita ansiedade e espera. O hotel foi criado nos anos 60 pelo conservador Laurence Rockefeller e está fechado há 4 anos, desde quando foi atingido pelo furacão Irma. A reforma custou milhões de dólares e a expectativa é alta.

Leia Também:  Onde levar os pequenos para comemorar o Dia das Crianças? Veja atrações

A aparência dos novos 82 quartos, suítes e vilas foi idealizada por Meyer Davis, de Nova York. Eles têm formato hexagonal e misturam o clima caribenho com um toque moderno.

O complexo conta ainda com jardins luxuosos e uma extensão de praia de 800 metros para explorar. São três restaurantes e um spa no topo de uma falésia, com um pavilhão de ioga.

3. Habitas Namibia (Africa)

Pode-se passar dias no Hotel Habitas Namibia%2C aprendendo sobre tradições%2C observando o safari e aproveitando o spa arrow-options
Reprodução/Habitas Namibia

Pode-se passar dias no Hotel Habitas Namibia, aprendendo sobre tradições, observando o safari e aproveitando o spa

Quando parecia impossível ficar melhor, o grupo Habitas surpreende mais uma vez com o Hotel Habitas Namibia. Ele é composto por 15 pousadas em uma reserva repleta de vegetação, construídas com o mínimo impacto ambiental e que ficam a uma curta distância de carro do aeroporto de Windhoek. 

Os fundadores da Habitas são um trio de empresários que se tornaram hoteleiros pela primeira vez em 2017 e acabaram tendo muito sucesso em Tulum, onde focaram na criação de conexões humanas através de música, arte e comida. Esse espírito também está presente na Habitas Namibia, já que os hóspedes podem passar dias aprendendo sobre tradições, observando o safari e aproveitando o spa do local.

Leia mais: Brasileiros barrados no México têm prejuízo de até R$ 14 mil: “Foi desumano”

4. Arctic Bath, Swedish Lapland (Harads, Suécia)

O Arctic Bath foi feito para atrair os fãs de bem-estar e arquitetura arrow-options
Reprodução/Arctic Bath

O Arctic Bath foi feito para atrair os fãs de bem-estar e arquitetura


Definido como um hotel spa e especialmente atrativo para os fãs de bem-estar e arquitetura , o Arctic Bath flutua no Rio Lule durante o verão e fica por cima de gelo no inverno. O projeto é dos arquitetos Bertil Harström e Johan Kauppi e inclui um spa cercado por saunas, banhos quentes e salas de tratamento especial.

Leia Também:  Recife em São Paulo: exposição traz atrativos turísticos da capital pernambucana

Seis cabines balançam na beira da água e outras seis maiores alinham-se nas costa, essas últimas com grandes paredes de vidro e projetadas pela especialista em moda Ann Kathrin Lundqvist. Os materiais naturais e sustentáveis reinam no hotel e o foco dele é em tudo o que é local, proporcionando a observação de ursos e a escuta dos chamados de alces.

5. ME Dubai (Dubai, Emirados Árabes Unidos)

O ME Dubai fica no impressionante Edifício Opus%2C com 95 metros de altura arrow-options
Reprodução/ME

O ME Dubai fica no impressionante Edifício Opus, com 95 metros de altura

Localizado no distrito de Burj Khalifa, no centro de Dubai, o ME Dubai impressiona com a arquitetura. Com 93 quartos, o hotel localiza-se no Edifício Opus, que tem 95 metros de altura. Ele foi projetado por Zaha Hadid, mas tem interiores escolhidos pelo arquiteto vencedor do Pritzker Architectural. 

Visualmente, o Opus é uma dupla de torres projetadas para parecerem um cubo com um vazio central escavado. O local dispõe de spa, piscina, health club (clube da saúde), além de 15 restaurantes, entre eles o japonês ROKA e um Bar e Grill Oyster Maine.

6. Ruby Lucy (Londres)

Os Ruby hotéis já são conhecidos pela sua abordagem de luxo arrow-options
Reprodução/Ruby Hotels

Os Ruby hotéis já são conhecidos pela sua abordagem de “luxo enxuto”

Conhecidos pela ideia do ” luxo enxuto” (ou seja, localização incrível e design elegante, mas sem frescuras desnecessárias), o Ruby Lucy fica a pouco tempo da estação de Waterloo. A ideia é substituir os minibares e o serviço de quarto por máquinas de venda automática, além de um rápido check-in, sem estresses.

Os 76 quartos do Ruby Lucy terão uma temática carnavalesca, inspirada na arte local. Os hóspedes podem esperar quartos iluminados, com detalhes em metal arrojado e alegria circense.

Leia mais: Pernambuco além das praias: aventura, comércio e história no interior do Estado

Eles são divididos em pequenos  (14 a 15 m²)  e “lofts” (21 a 23 m²) e todos têm um amplificador de guitarra Marshall que pode ser usado para tocar violões emprestados na recepção. Mas fique tranquilo – todas as salas são à prova de som, então você não vai ouvir o talento (ou não) dos seus hóspedes vizinhos.

Fonte: IG Turismo
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Turismo

Vai para Orlando? Saiba as vantagens de se hospedar na Disney ou na Universal

Publicado

source

Ir à Orlando é um sonho para muita gente, e, como qualquer outra viagem, exige planejamento – que inclui, claro, hospedagem. Saber onde vai ficar pode fazer toda a diferença para a sua viagem e é aí que os hotéis Resort dos complexos entram. Tanto o Walt Disney World quanto o Universal Orlando oferecem opções de hotéis para os turistas que querem ter a “experiência completa”.  

Leia também: Alugar casa ou reservar hotel? Veja qual o melhor tipo de estadia em Orlando

Cabana Bay Beach arrow-options
Divulgação

Universal’s Cabana Bay Beach Resort

Mas, afinal, vale a pena ficar hospedado dentro dos complexos da Disney ou Universal? Isso, na verdade, vai depende da experiência que você quer ter em Orlando . Os hotéis Resort oferecem uma série de benefícios para quem fica por lá, além de serem temáticos – o que significa que, sim, você pode ficar no quarto do seu personagem preferido dependendo do hotel que escolher.

Porém, o preço, por exemplo, é uma questão que faz muita gente dar preferência por ficar fora. Uma diária para dois adultos no  Universal’s Endless Summer Resort que é o hotel da categoria “Value”, a mais barata no Universal Orlando, sai por R$ 490. Já no  Disney’s All Star Movies , um dos mais econômicos no Walt Disney World Resort, custa R$ 470. Em comparação, cotações no  Booking.com  mostram hotéis fora dos complexos com diárias a partir de R$ 130**.

Leia também: 6 dicas para evitar perrengues nos parques do Universal Orlando Resort

Opções de hotéis da Disney e da Universal

Todos os hotéis possuem restaurantes e piscinas (em alguns mais de uma). É importante lembrar que os quartos, em ambos os casos, variam entre duplos, com uma ou duas camas king size, e suítes familiares, para grupos com cinco pessoas ou mais. Além disso, as opções de hospedagem variam entre “econômica” e “deluxe”, cujos preços e benefícios variam.

Veja as opções de hotéis no Walt Disney World Resort :

Disney's Art of Animation arrow-options
Divulgação

Disney’s Art of Animation


  • Econômicos:

Disney’s All Star Movies; Disney’s All Star Sports; Disney’s All Star Music; Disney’s Pop Century; Disney’s Art of Animation

  • Intermediários:
Leia Também:  Onde levar os pequenos para comemorar o Dia das Crianças? Veja atrações

Coronado Springs Resort; Port Orleans Resort-Riverside; Port Orleans Resort-French Quarter; Caribbean Beach Resort. 

  • Deluxe:

Animal Kingdom Lodge; Wilderness Lodge; Contemporary Resort; Polynesian Resort; Yacht Club Resort; Beach Club Resort; Grand Floridian Resort & Spa; BoardWalk Inn

  • Deluxe Villas:

Old Key West Resort; BoardWalk Villas; The Villas at Wilderness Lodge; Beach Club Villas; Saratoga Springs Resort & Spa; Bay Lake Tower at Disney’s Contemporary Resort; The Villas at Disney’s Animal Kingdom Lodge; 

  • Outros hotéis oficiais do Walt Disney World Resort:

Walt Disney World Swan; Walt Disney World Dolphin; Buena Vista Palace; Doubletree Guest Suites Resort; Wyndham Lake Buena Vista; Hilton; Holiday Inn; Hotel Royal Plaza; Best Western Lake Buena Vista Resort Hotel; Fort Wilderness Resort & Campground; Wilderness Cabins. 

Veja as opções de hotéis no Universal Orlando Resort :

Universal's Endless Summer Resort arrow-options
Divulgação

Universal’s Endless Summer Resort


  • Value/Econômico:

Endless Summer Resort – Surfside Inn & Suites

  • Prime Value/Econômico (mais confortável do que o “value”):

Cabana Bay Beach Resort; Aventura Hotel

  • Preferred/ Intermediários:

Loews Sapphire Falls Resort

  • Premier/Deluxe:

Hard Rock Hotel; Loews Portofino Bay Hotel; Loews Royal Pacific Resort

Leia também: 6 passeios em Orlando que podem ser feitos gastando menos de US$ 20

Comparando hotéis: Disney x Universal

Disney's All Stars Movies arrow-options
Divulgação

Disney’s All Stars Movies

O maior diferencial de ficar nesses hotéis são os benefícios para hóspedes, como por exemplo, transportes para os parques e o sistema de “horas extras”, que permite entrada e/ou saída em horários diferentes do público geral.

No Walt Disney World Resort, os principais benefícios incluem: 

  • acesso antecipado FastPass+, agendando horários para entrar nas atrações sem fila;
  • horas mágicas, com entrada e saída uma hora antes ou depois do horário de funcionamento dos parques da Disney;
  • MagicBands, as pulseirinhas personalizadas que dão acesso aos partes e hotéis;
  • transporte do aeroporto ao hotel e do hotel para os parques;
  • estacionamento gratuitos em todos os parques;
  • possibilidade de reserva do plano de refeições;
  • experiência mágica de estar em um ambiente temático durante a estadia. 

Já no Universal Orlando Resort, os hóspedes têm direito a:

  • entrada antecipada em uma hora nos parques da Universal;
  • Universal Express Unlimited grátis (o fura-fila da Universal);
  • lugares prioritários em restaurantes selecionados no complexo;
  • transporte gratuito do hotel para os parques;
  • possibilidade de pagar suas despesas e compras, dentro de todo o complexo, através do cartão-chave do seu quarto;
  • entrega de mercadorias compradas no complexo dentro do hotel;
  • aparições dos personagens do Universal Orlando; programa de Golf Universal Orlando;
  • decoração temática. 
Leia Também:  Descubra o que fazer em Holambra, um pedaço dos Países Baixos no Brasil

Esses benefícios podem variar dependendo das categorias mencionadas no tópico anterior. A reportagem do iG Turismo  viajou à Orlando e ficou hospedada em ambos complexos. No caso do transporte, especialmente se você opta por não alugar carro, ficar dentro dos hotéis pode ser muito prático, e as horas extras ajudam quem quer curtir ao máximo os parques, pois várias das atrações mais populares estão disponíveis para hóspedes.

Afinal, qual hotel escolher em Orlando?

Saber qual complexo se hospedar vai depender, também, quais parques são sua prioridade. Vale lembrar, como também já viveu a reportagem, que a saída dos parques da Disney , por exemplo, é complicada – até mais do que os da Universal. Então, se a ideia é, por exemplo, priorizar a turma do Mickey, vale mais ir para os hotéis da Disney. Entretanto, alguns benefícios da Universal, como o fura-fila, só estão inclusos para os hóspedes do complexo. É importante colocar todos esses fatores na balança antes de fechar a hospedagem. 

Além disso, o mais divertido é aproveitar também as dependências do hotel – os resorts dos complexos podem ser uma boa opção para quem tem um dia livre, por exemplo. Aí terá tempo de curtir piscina, atrações dos personagens e o que mais for oferecido pelo local. 

Já se a ideia é sair cedinho e só voltar para dormir – e você tiver alugado um carro, por exemplo – a economia de ficar fora dos complexos pode ser uma boa opção na viagem para Orlando,  já que diversos benefícios, como os fastpass da Disney, estão disponíveis para todos. 

* Reprtagem viajou a convite do Universal Orlando Resort e a convite da Visit Orlando

** Valores consultados em 17 de janeiro de 2020 e sujeitos a mudanças

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Turismo

Saiba como lidar com o enjoo em cruzeiros e não acabar com sua viagem

Publicado

source

É comum ouvir relatos sobre pessoas que sentiram enjoo em cruzeiros . Porém, esse é um problema que quando investigado e cuidado, pode ser facilmente resolvido, não atrapalhando em nada a experiência da viagem.

Leia mais: 10 destinos baratos para viajar ainda neste mês de janeiro

Problemas como enjoo em cruzeiros podem e devem ser tratados por um otorrinolaringologista arrow-options
shutterstock

Problemas como enjoo em cruzeiros podem e devem ser tratados por um otorrinolaringologista

Você já se perguntou por que algumas pessoas se sentem nauseadas em cruzeiros e outras não? Pelo que explica o otorrinolaringologista Ulisses Ribeiro, isso acontece porque existem pessoas que têm o labirinto  mais sensível. Segundo ele, o labirinto faz parte de um conjunto de órgãos que controla o nosso equilíbrio.

Quando as pessoas têm o seu equilíbrio acometido por conta do mareio, elas podem possuir uma afecção chamada cinecitose ou “mal do movimento”. Ela se caracteriza por uma sensação de tontura  causada por movimentos. A condição gera enjoos não apenas em alto mar, mas também nas viagens de ônibus e automóveis.

Leia mais: Insetos, sujeira e problemas para chegar: como lidar com perrengues no Airbnb?

Leia Também:  Chernobyl ganha mais um ponto turístico: a sala de controle do Reator 4

A cinecitose acontece pois o nosso organismo recebe estímulos de diversas áreas. Enquanto os nossos olhos estão vendo tudo calmo e estático, o nosso corpo consegue sentir o balanço do mar. Por conta desses estímulos opostos, o cérebro fica confuso e o resultado é essa sensação ruim. 

Como evitar enjoo em cruzeiros?

É recomendável manter uma dieta leve durante o cruzeiro para evitar enjoos arrow-options
shutterstock

É recomendável manter uma dieta leve durante o cruzeiro para evitar enjoos


Alguns exercícios simples podem ajudar a prevenir esse quadro, como por exemplo mover os olhos enquanto a cabeça está parada ou mover a cabeça enquanto os olhos estão num ponto fixo, adaptando-se melhor ao movimento. Além disso, se você já está viajando, procure locais mais no centro e no alto, onde a embarcação balança menos.

Outra dica é evitar locais muito cheios ou tumultuados, com pouca circulação de ar ou cheiros muito fortes. Ambientes assim podem desencadear a náusea, já que causam um maior conflito de sentidos. 

alimentação  pode interferir também nos sintomas da afecção.”Bebidas alcoólicas e alguns alimentos gordurosas podem influenciar na piora dos sintomas. Quando viajar, o recomendado é procurar uma dieta leve”, comenta Ribeiro. 

Leia Também:  Recife em São Paulo: exposição traz atrativos turísticos da capital pernambucana

De acordo com ele, hoje em dia existem diversas formas de prevenir essa patologia, como por exemplo através dos  medicamentos adesivos . Eles são anti náuseas,  não agridem o tubo digestivo ou o fígado e agem a nível cerebral, evitando o aparecimento da cinecitose. Podem também ser chamados de “transdérmicos” e devem ser prescritos por um médico otorrinolaringologista.

Leia mais: Paraíso baiano: Península de Maraú é a nova queridinha do Nordeste

Ribeiro afirma ainda que a princípio, todas as pessoas podem tomar remédios para enjoo (como Dramin, por exemplo), mas que sempre devem consultar um médico, de preferência um otorrino, para avaliar o problema e sua causa específica.

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana