conecte-se conosco


Meu Pet

Conheça a doença transmitida de calopsitas para humanos

Publicado

A Psitacose é uma zoonose transmitida aos humanos pelos psitacídeos, ou seja, calopsitas, papagaios, maritacas e periquitos. Nos animais a doença se manifesta como Clamidiose  e pode ser fatal. Já nos humanos a enfermidade traz sintomas que nem sempre são associados com as aves. O veterinário Jorge Morais, fundador da rede Animal Place, explica alguns aspectos do problema.

calopsita comendo arrow-options
shutterstock

O contato com o bico da calopsita pode transmitir a Psitacose


“Esta doença é bacteriana, causada pela Chlamydia psittaci . O tempo de incubação em humanos é de 5 a 15 dias, e os sintomas são parecidos com os de uma gripe: febre alta, tosse, dores de cabeça e calafrios”, afirma Jorge. Ele ainda acrescenta que a condição pode piorar. “Quando não tratada rapidamente a Psitacose pode trazer dores nas costas, no tórax, dor abdominal, meningite e síndrome de Guillain-barré”, completa.

Mas como a ave contrai a bactéria? Segundo o veterinário, isso pode acontecer antes mesmo do tutor adquirí-la. “Na calopsita a contaminação pode ocorrer já no ninho, através da regurgitação alimentar. Outra forma é a exposição da mesma a ambientes com a presença de aves silvestres”, afirma. Por isso é sempre importante manter a nova ave separada das já presentes na casa, além de fazer quarentena para se certificar de que ela não oferece risco para humanos e outros animais.

Leia Também:  Campanha de reciclagem vai arrecadar fundos para a causa animal em SP

Leia também: Calopsita sente frio? Saiba como cuidar da ave no inverno

Nas aves os sintomas são diferentes dos presentes nos humanos:

  • Depressão;
  • Plumagem eriçada;
  • Letargia;
  • Anorexia;
  • Desidratação;
  • Inflamação nas pálpebras;
  • Conjuntivite;
  • Problemas respiratórios;
  • Aspecto esverdeado ou amarelado nas fezes.

Jorge ainda alerta sobre a gravidade da Clamidiose, como é chamada quando atinge aves, que pode causar até a morte do animal. “Quando perceber vá imediatamente ao veterinário. O tratamento é feito com vitaminas e antibióticos, mas o animal pode mesmo assim se tornar portador da bactéria e contaminar outras aves”, diz.

Para evitar que isso aconteça ele recomenda:

  • Não comprar ou apreender aves exóticas ou da fauna silvestre;
  • Não colocar novas aves em contato com sua calopsita;
  • Manter as aves em gaiolas separadas;
  • Fazer a higienização da gaiola e dos objetos da ave diariamente;
  • Lavar os vasilhames de comida e água, e higienizá-los com cloro ou álcool;
  • Manter as aves em ambiente arejado.
  • Evitar o contato da boca do tutor ou de outras pessoas com o bico das aves, pois essa é a forma mais comum de contágio.
Leia Também:  Noivo surpreende noiva com gato especial no dia do casamento

O veterinário finaliza explicando a importância de um ambiente ventilado para o animal e o humano. “Em ambientes muito fechados podemos nos contaminar através da aspiração de partículas com a bactéria.”

Fonte: Canal do Pet
publicidade
1 comentário

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
DIOGO BATISTA Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
DIOGO BATISTA
Visitante
DIOGO BATISTA

Comprei um guia tudo sobre calopsita, que super indico pra vcs???
Link disponível

?? http://bit.ly/calopsita_br

Meu Pet

Casal engana família com chá revelação para filhote de cachorro

Publicado

source

Quando Alicia Castillo‎ e seu marido se casaram há dois anos, a família e os amigos não demoraram para começar as perguntas sobre os filhos. “Quando a família vai aumentar?” era o questionamento mais feito ao casal em todas os encontros. 

Leia também: Cachorro de rua visita mesmo restaurante todos os dias para comer

Cansados de responder que ter filhos não era prioridade naquele momento, os norte-americanos resolveram pregar uma peça na família e em todos que ficavam perguntando sobre as crianças: armar para um chá de revelação para o novo membro da família. Todos achavam que era um bebê, mas na verdade era um filhote de cachorro .


O casal escreveu “Menino ou Menina?” em uma caixa de papelão. O pai de Alicia fez a sessão de fotos dos dois abrindo a caixa e tirando de dentro o cãozinho macho. Logo que as fotos foram postadas no Facebook diversos amigos comentaram – e os desavisados que não viram todas as fotos acreditavam que a mulher estivesse grávida. 

Leia Também:  Cadela é encontrada viva um mês após cair de penhasco em Marília

“Acho que agora todos vão entender que nós não queremos ter filhos no momento”, contou Alicia ao The Dodo.

Fonte: Canal do Pet
Continue lendo

Meu Pet

Veterinário lista os cuidados indispensáveis com o animal de estimação idoso

Publicado

source

O avanço da medicina veterinária está contribuindo para o aumento da expectativa de vida dos pets, mas os cuidados em casa no dia a dia fazem a diferença. De acordo com o veterinário e gerente  técnico da MSD Saúde Animal, Marcio Barboza, uma maior atenção do dono ajuda o animal de estimação a envelhecer melhor e mais saudável. 

cachorro e gato idosos arrow-options
shutterstock

Os animais de estimação idosos precisam receber cuidados especiais

No período geriátrico esses cuidados são ainda mais importantes. “A observação do comportamento do pet, associada à adoção de práticas preventivas são indispensáveis. As consultas anuais com o veterinário são o momento de o tutor reportar toda e qualquer mudança observada no físico e no comportamento do animal para evitar surpresas”, afirma Marcio.  

Para o veterinário, os principais cuidados com os animais de estimação idosos são: 

  • Acompanhamento da dieta: animais idosos precisam de uma alimentação adequada , principalmente com alimentos que tenham pode antioxidante. Alguns podem até precisar de suplementos, por isso a consulta com veterinário é obrigatória. 
  • Prática de exercícios: a alimentação adequada já ajuda que os pets idosos não fiquem obesos, mas o exercício também é importante. Os que trazem menos impacto para as articulações, como caminhadas e hidroterapia , são mais indicados. 
  • Atenção aos parasitas externos: doenças transmitidas por carrapatos, como babesiose, erliquiose e febre maculosa, podem ser ainda mais danosas à saúde do animal que já está debilitado pela idade. Assim, soluções preventivas para parasitas externos não podem ser deixadas de lado pelo tutor. 
  • Cuidado com escadas e móveis: para evitar impactos e danos nas articulções por esforço repetido, o ideal é que haja adaptadores para que o animal desça escadas ou suba no sofá, por exemplo. Rampas para esse uso específico são facilmente encontradas no mercado. 
  • Escovar os dentes: muitos animais idosos sofrem com o tártaro, formado com o tempo e a falta de escovação. Esse problema pode ter consequências graves para a saúde do pet, por exemplo gengivite e doença periodontal, que causam dor e dificuldade de mastigação. Assim, tratar dos dentes está entre os cuidados indispensáveis. 
Leia Também:  Loja italiana acolhe cães em situação de rua por causa do frio

Mas, como saber se o seu pet já está na fase de vida que precisa desses cuidados especiais? De acordo com o Dr. Marcio, estima-se que ao atingir a metade da sua expectativa de vida os pets já podem começar a receber os cuidados destinados a animais idosos. “Assim, os gatos são considerados idosos a partir dos sete anos. Os cães de grande porte após os sete, oito anos, e os de pequenos a partir dos onze anos”, finaliza. 

Fonte: Canal do Pet
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana