conecte-se conosco


Política Nacional

Congresso celebra bicentenário da associação maçônica Grande Oriente do Brasil

Publicado

Com delegações e representes de lojas maçônicas de todo o Brasil e de outras nações como Reino Unido, Estados Unidos, Bélgica, Portugal, Marrocos, México, Israel, Filipinas, Paraguai, Argentina, Uruguai, Chile, Peru e Bolívia, o bicentenário do Grande Oriente do Brasil (GOB) — mais antiga associação de lojas maçônicas no país — foi celebrado nesta sexta-feira (17) em sessão solene do Congresso Nacional.

A sessão foi requerida pelos parlamentares maçons senador Izalci Lucas (PSDB-DF) e deputado General Girão (PL-RN). Lotado, o plenário na Câmara dos Deputados prestou um minuto de silêncio pela morte, na quinta-feira (16), do ex-deputado federal Arnaldo Faria de Sá.

Ao destacar o papel da maçonaria na história brasileira, Izalci lembrou os princípios iluministas — Liberdade, Igualdade e Fraternidade — que norteiam as organizações maçônicas e a luta pela paz entre as nações, tendo como propósito o ser humano.

— Nos momentos mais importantes do nosso país, como a independência, a abolição da escravatura, a proclamação da república e, mais recentemente, a luta pela redemocratização, esses bravos defensores de nossa pátria, os maçons do Brasil, foram, sobretudo, os protagonistas desses feitos. D. Pedro II, José Bonifácio, Gonçalves Ledo, José do Patrocínio, Joaquim Nabuco e o Duque de Caxias, dentre outros, são exemplos e referência para todos nós.

Para Izalci, além de homenagear os maçons de ontem, é preciso ressaltar que a nova geração deve se “incorporar à tarefa que os desafia e que exige mudanças contra as injustiças sociais que afligem e angustiam o nosso povo”.

— Está em nossas mãos, nas mãos de todos os brasileiros de bem, empreender uma verdadeira cruzada contra a discriminação, o preconceito, a falta de civismo, a corrupção e os descaminhos. Será uma luta sem trégua contra o pernicioso e crescente tráfico de drogas, que busca destruir o futuro dos nossos Uma batalha contra as mazelas que agridem e minam os fundamentos morais e espirituais da família brasileira.

Wellington Fagundes (PL-MT) afirmou que a maçonaria tem oferecido a inúmeros povos um exemplo de dedicação às melhores causas, como a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos. O senador destacou ainda a presença do Grande Oriente do Brasil em eventos importantes da história brasileira.

— Parabéns Grande Oriente do Brasil pelos seus 200 anos. Parabéns homens livres e de bons costumes que fazem a maçonaria no Brasil.

Em vídeo, o deputado General Girão afirmou que “nós maçons trabalhamos o nosso dia a dia procurando o aperfeiçoamento da nossa sociedade. Esperamos que nesse momento a maçonaria assuma o seu papel de protagonista”.

O deputado Delegado Pablo (União-AM) destacou a coincidência do bicentenário da maçonaria com o da independência do país, a ser celebrada em 7 de setembro deste ano.

—  Os 200 anos do Grande Oriente do Brasil, para aqueles que não conhecem a maçonaria, e eu preciso falar isso porque este pronunciamento fica registrado, são 200 anos de luta pelo fortalecimento do nosso país, pelo fortalecimento da nossa pátria, pela preservação dos valores que fazem a sociedade ser justa, livre e solidária, que são a família, que são amor à pátria, que são a preservação dos bons costumes. 

200 anos do GOB

Emocionado, o grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil, Múcio Bonifácio Guimarães, disse que já era planejado há um ano que essa seria uma das mais memoráveis sessões em homenagem à organização.

— Ao comemorar os 200 anos do GOB estamos comemorando os 200 anos da maçonaria brasileira. (…) Estamos percorrendo talvez, se não na institucionalização, mas pelo sentimento participativo, a construção de uma unidade maçônica única e indivisível no Brasil.

Para Guimarães, os ciclos históricos mostram e pontuam os caminhos e as análises que os brasileiros devem percorrer.

— Eu tenho perfeita consciência como acredito, todos nós maçons, que os eventos de 1927 e de 1973, com o surgimento das outras duas potências regulares, que estão conosco ombreando hoje os destinos da maçonaria brasileira, foram acontecimentos importantes para mostrar o pluralismo de ideias e a vontade de acertar e a vontade de trabalhar em favor do Brasil. E é isso que tem como reflexo, sobretudo esse momento histórico, que é gratificante para nós todos e que nos emociona.

O grão-mestre Assistente da Grande Loja Unida da Inglaterra e ex-prefeito da cidade de Londres, Sir David Wootton, congratulou o GOB pelo bicentenário.

— Apreciei muito conhecer a história da maçonaria no Brasil e fiquei impressionado por conhecer a contribuição da maçonaria desde o início da sociedade brasileira. Acredito que outros países têm muito o que aprender com vocês.

O grão-mestre do Grande Oriente do Distrito Federal, Reginaldo Gusmão de Albuquerque, afirmou que a “maçonaria é um centro de união que reúne pessoas tão diferentes, tão distintas, que se não fosse pela sua doutrina, estaríamos todos afastados uns dos outros”.

— A Constituição do Grande Oriente do Brasil define a maçonaria como uma instituição essencialmente iniciática, filosófica, progressista e evolucionista, cujos fins supremos são liberdade, igualdade e fraternidade. Ela é progressista porque todos os seus dirigentes e os seus integrantes, desde o início da fundação do Grande Oriente do Brasil até a presente data, primam pelo progresso da humanidade buscando sempre o avanço para uma sociedade melhor e mais fraterna.

A partir da premissa da maçonaria ser uma escola de moral e ética, o secretário-geral da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, Aldino Brasil de Souza, afirmou que a instituição nunca teve o objetivo de mudar o mundo.

—  O objetivo da maçonaria é melhorar o homem. O homem, sim, pode melhorar o mundo. Falamos aqui de história do Brasil e de muitos personagens, todos homens, todos maçons. A instituição não faz a mudança de que a sociedade precisa, mas o maçom, sim, ele faz.

Presidente da Confederação Maçônica do Brasil, Vanderlei Geraldo de Assis destacou que o objetivo da maçonaria “é fazer homens livres, de bons costumes, pegar os bons e torná-los melhores”.

— É porque nós temos um propósito e esse propósito só poderá ser feito através da nossa política. Colocar esses homens bons e melhores para que difundam, disseminem os nossos valores morais e éticos e cíveis pelo nosso Brasil.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

Datafolha Rio: Lula lidera com 41% dos votos; Bolsonaro tem 34%

Publicado

Lula lidera com 41% no Rio de Janeiro
Ricardo Stuckert/Divulgação e Presidência da República

Lula lidera com 41% no Rio de Janeiro


Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como líder na disputa ao Palácio do Planalto entre os eleitores do estado do Rio de Janeiro, com 41% das intenções de voto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) segue em segundo, com 34%.

Veja o desempenho dos pré-candidatos à Presidência no Rio:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – 41% Jair Bolsonaro (PL) – 34% Ciro Gomes (PDT) – 8% Simone Tebet (MDB) – 2% André Janones (Avante) – 1% Vera Lúcia (PSTU) – 1% Sofia Manzano (PCB) – 1% Felipe d’Avila (Novo) – 1% Pablo Marçal (Pros), Leonardo Péricles (UP), Eymael (Democracia Cristã) e Luciano Bivar (União Brasil) foram citados, mas não alcançaram um ponto percentual. O General Santos Cruz (Podemos) não foi citado.

Votos nulos e brancos no estado representam 7%; e 3% não sabem ou não responderam. O Datafolha ouviu 1.218 eleitores em 32 municípios do Rio de Janeiro entre quarta e sexta-feira desta semana. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo RJ-00260/2022. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.


Se comparado com o cenário nacional, a distância entre Lula e Bolsonaro é menor entre os fluminenses. Segundo o último levantamento, o petista tem 47% das intenções de voto no país, enquanto o atual chefe do Planalto marca 28%.

Os nomes da chamada terceira via, por outro lado, seguem tentando se viabilizar na disputa. Considerando o cenário nacional, Ciro Gomes (8%) e Simone Tebet (1%), assim como o deputado federal André Janones (2%), mantiveram seu desempenho ou oscilaram dentro da margem de erro da pesquisa no estado do Rio, que é de 3 pontos percentuais.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Continue lendo

Política Nacional

Comissões vão discutir produção de vinho e promoção do turismo em vinícolas

Publicado

Marco Couto/Assembleia Legislativa do RS
Agropecuária -> plantações -> uva, vinho, Vale dos Vinhedos
Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul

Audiência pública nesta quarta-feira (6) vai discutir como reduzir os custos de produção e venda do vinho brasileiro, agregar valor ao produto exportado e promover o turismo em vinícolas. O evento, marcado para as 17 horas, no plenário 5, é promovido por três comissões da Câmara dos Deputados: Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; Turismo; e Seguridade Social e Família.

O debate dever reunir representantes dos ministérios do Turismo, da Economia e da Agricultura; pesquisadores e produtores de vinho nacional do Rio Grande do Sul e do Espírito Santo.

Estimativas do setor apontam para a existência de mais de 1,1 mil vinícolas em todo o País. A maioria é instalada em pequenas propriedades com média de 2 hectares de vinhedos por família. “Grande parte carece de apoio para aumento de produção, produtividade e aprimoramento técnico”, relata o deputado Bibo Nunes (PL-RS), um dos autores do pedido da audiência pública.

Da Redação/FB

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana