conecte-se conosco


Tecnologia

Conectando a vizinhança: rede social é criada para incentivar o consumo local

Publicado


source
rede social
Unsplash/ROBIN WORRALL

Novidade conecta pessoas que moram perto


A primeira rede social de consumo local foi criada no Brasil, e busca incentivar vizinhos a se conectarem. Chamada de MeuVizinho.me, ela une pequenos negócios com clientes em potencial, e já está presente em mais de 200 cidades do país. 

Leia também:

Google dá dicas para manter os pequenos negócios durante o isolamento

Como ter duas contas do WhatsApp no mesmo celular? Confira três maneiras

Para fomentar o comércio local, a plataforma utiliza a geolocalização para unir pessoas que precisam de determinados serviços e outras que os prestam na vizinhança. 

“Neste momento difícil que estamos vivendo no Brasil, com a pandemia e o desemprego aumentando, fomentar o comércio local é uma saída positiva para todos”, conta Carlos Ávila, fundador da rede social.

Como funciona

Qualquer pessoa pode se cadastrar gratuitamente na plataforma, que funciona através de um  webapp e sequer precisa de download para funcionar. 

Para quem quer procurar um comércio ou prestador de serviço, é só acessar a plataforma, realizar um cadastro rápido e indicar a localização. Em seguida, basta pesquisar pelo serviço desejado no campo de busca.

Para os pequenos negócios , o processo de cadastro é o mesmo. Depois, é só clicar no ícone do comércio e cadastrar sua empresa. De acordo com o criador da rede social, toda a operação funciona de forma gratuita, sem nenhuma taxa de inscrição, comissões ou tarifas. 

Para Carlos, o objetivo do MeuVizinho.me é conectar pessoas e ajudá-las, sobretudo no momento da pandemia de Covid-19 . “Por isso, não faria sentido ter uma cobrança, já que queremos ajudar o pequeno profissional a aumentar as vendas, e muitas vezes, ele não possui verba para divulgação. É aí que entra o MeuVizinho”, justifica.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

WhatsApp enfrenta instabilidade e fica indisponível para usuários

Publicado


source

O WhatsApp apresentou instabilidade na tarde desta terça-feira (14) e saiu do ar para vários usuários. O número de reclamações sobre a instabilidade do aplicativo disparou no horário próximo das 17h.


Como é possível ver no site Down Detector , houve um pico de pesquisas sobre a estabilidade do WhatsApp no horário, o que indica que muitas pessoas foram afetadas. 

Reprodução

A falha parece afetar tanto o WhatsApp Web quanto o aplicativo nos celulares. Nos testes do Olhar Digital , a sessão da web do foi encerrada e o app não consegue mais enviar nenhuma mensagem. Nas redes sociais, usuários reclamam de não poderem trocar mensagens com seus contatos, levando o termo “O WhatsApp” para o topo dos Trending Topics do Twitter.

O Olhar Digital entrou em contato com o WhatsApp para obter alguma explicação sobre o problema. Assim que houver resposta, o texto será atualizado.

Continue lendo

Tecnologia

Para proteger aulas online, Google bloqueia usuários anônimos do Meet; entenda

Publicado


source

Olhar Digital

Google
Divulgação

Google Meet ganha novo recurso de segurança


O Google está realizando uma pequena, porém importante, mudança no Google Mee t, seu serviço de videochamadas para usuários nos segmentos corporativo e educacional. Usuários anônimos (não-logados com uma conta do Google) não poderão mais participar de videochamadas organizadas por usuários do G Suite for Education ou G Suite Enterprise for Education.


Isto impede que participantes compartilhem publicamente um link e incentivem usuários anônimos a participar da chamada, algo que causou problemas para os usuários do Zoom . Segundo o Google , estes usuários podem perturbar o aprendizado, fazendo barulho ou compartilhando conteúdo, e se tornam uma distração para o organizador quando tentam participar.

A mudança será implementada gradualmente para todos os usuários do G Suite for Education e G Suite Enterprise for Education, ao longo de um período de 15 dias que começou nesta segunda-feira (13). Ela será ativada automaticamente, e os usuários não precisarão fazer nenhuma modificação em suas contas.

Crescimento explosivo

O Google fez várias mudanças no Meet desde o início da pandemia de Covid-19 para atender à demanda do público por software de videoconferência baratos, seguros e fáceis de usar. Ainda em abril a empresa liberou até 30 de setembro, para todos os usuários do G Suite e G Suite for Education, o  acesso a recursos que normalmente estavam restritos aos usuários premium, como a capacidade de organizar chamadas com até 250 participantes, transmití-las a até 100 mil expectadores e armazenar gravações no Google Drive .

Alguns dias depois a empresa anunciou a integração do Google Meet com o GMail, tornando o serviço efetivamente gratuito e disponível para qualquer um  com uma conta em seu serviço de e-mail. Reuniões criadas via GMail podem ter até 100 participantes e duração máxima de 60 minutos, embora o Google afirme que não irá impor estes limites até 30 de setembro.

Em meados de maio o app do serviço chegou a 50 milhões de downloads na Play Store , uma verdadeira explosão ase considerarmos que dois meses antes, em março, ele havia atingido a marca de 5 milhões de downloads.

Segundo a AppBrain, empresa que monitora o desempenho de apps na Play Store e App Store, o fato do serviço ter se tornado gratuito, as controvérsias que cercam um de seus maiores concorrentes, o Zoom , e uma boa campanha de marketing do Google foram os principais responsáveis pelo crescimento.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana