conecte-se conosco


Política MT

Concessão de rodovias vai melhorar escoamento da produção agrícola e render mais de R$ 5 bilhões a MT

Publicado

Três empresas já apresentaram propostas de preço para concorrer no leilão, que ocorre na quinta-feira

A concessão de 512 quilômetros de rodovias estaduais à iniciativa privada vai garantir a melhoria do escoamento da produção agrícola de Mato Grosso, estado considerado o maior produtor nacional de grãos, com participação de 28,9% da produção do país, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deste ano.

O leilão de concessão de três lotes de rodovias estaduais acontece na quinta-feira (26), na sede da B3, a bolsa de valores oficial do Brasil, na cidade de São Paulo. A sessão pública está marcada para 14h (horário de Brasília), com a presença do governador Mauro Mendes. Três empresas já apresentaram propostas de preço para concorrer no leilão.

Serão concedidos três lotes à iniciativa privada: o Lote 1, com 138,4 quilômetros da MT-220, no trecho entre Tabaporã e Sinop; o Lote 2, com 233,2 quilômetros, das rodovias MT-246, MT-343, MT-358 e MT-480, nos trechos de Jangada a Itanorte; e o Lote 3, com 140,6 quilômetros da MT-130, entre Primavera do Leste e Paranatinga.

Esses municípios fazem parte de uma grande área produtora de grãos em Mato Grosso, de acordo com a mais recente Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) divulgada pelo IBGE em outubro de 2020, mas relativa à produção agrícola de 2019.

Em Tabaporã, por exemplo, foi registrada uma área plantada de 257.157 hectares e o valor de produção agrícola somou R$ 789.506 milhões. Já Tangará da Serra teve 307.630 hectares de área plantada e um valor de produção de R$ 1,3 bilhão.

Primavera do Leste, por sua vez, despontou na produção nacional. Tem uma área plantada de 437.363 hectares e o município obteve como valor de produção agrícola o montante de R$ 1,7 bilhão. Primavera do Leste, inclusive, ficou entre os 22 municípios com maiores valores de produção agrícola do país.

Toda essa produção terá o escoamento facilitado com a concessão das rodovias que cruzam esses municípios, uma vez que será assegurado investimentos, ao longo dos 30 anos de concessão, nas melhorias na infraestrutura rodoviária, de acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira.

Dentre as melhorias na infraestrutura na malha rodoviária, estão a realização de serviços definitivos de recuperação, implantação de acostamentos, passarelas e sinalização, por exemplo, e a operação e conservação das rodovias, totalizando R$ 3,341 bilhões em investimentos.

“Quem vai participar desse leilão de concessão está vindo para um Estado economicamente ativo, em franca recuperação de sua estabilidade fiscal e com indicadores de desenvolvimento em ascensão. Os números demonstram a pujança de Mato Grosso, que passará a ter assegurada a infraestrutura logística para escoar toda essa produção agrícola e a pecuária. Mato Grosso tem muito para crescer e as projeções já mostram isso”, afirmou o secretário.

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do IBGE aponta que Mato Grosso deve responder por 26,4% do total a ser produzido pelo país em 2021. A estimativa é colher 33,6 milhões de toneladas e um aumento de 1% na área a ser plantada.

Além da agricultura, algumas usinas de produção de álcool a partir do milho já estão se instalando no Estado, o que vai permitir a ampliação de mercados regionais e possibilitar um aproveitamento maior dessa matéria-prima.

Para acompanhar todo este crescimento, as concessões têm sido adotadas pelo Governo do Estado para possibilitar mais infraestrutura à malha rodoviária. Isso porque o Estado passa à iniciativa privada a responsabilidade de manutenção das rodovias e pode investir em novas obras de pavimentação, para atender a grande demanda existente hoje. Dos 33,8 mil quilômetros de rodovias estaduais existentes, 22 mil quilômetros são de estradas não-pavimentadas e existem ainda 2,023 mil pontes de madeira sob a responsabilidade do Estado.

“O Governo está investindo muito em infraestrutura de transporte. Fazendo as concessões, o Poder Público terá dinheiro o suficiente para fazer muito mais obras. Temos esses três lotes em concessão, que estão sendo licitados agora, e já estamos fazendo análise de viabilidade para podermos ampliar novos  trechos em breve”, afirmou.

Leilão na B3

Para assegurar a confiabilidade e transparência de todo este processo de concessão, o leilão é conduzido pela Comissão Permanente de Licitação da Sinfra e assessorado pela B3. Tal medida fomenta a competitividade, pois permite a participação de empresas nacionais e estrangeiras, isoladamente ou reunidas em consórcio, e garante credibilidade a todo o processo.

Já os estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica referentes a todos os lotes, bem como as respectivas minutas de edital e contrato que subsidiam a licitação em andamento, foram realizados pela Secretaria-adjunta de Logística e Concessões da Sinfra, com a assessoria do Grupo Houer Concessões.

Valores 

No lote 1, entre Tabaporã e Sinop, duas interessadas entregaram os envelopes para a participação do leilão.  Para este lote, o valor do contrato soma R$ 1,173 Bilhão. O Capex (Capital Expenditure ou investimento previsto) é de R$ 267,726 milhões e o Opex (Operational Expenditure ou investimento para operação) é de R$ 481,775 milhões.

O lote 2 entre Jangada a Itanorte teve apenas uma interessada. O valor do contrato é de R$ 3,103 bilhões, sendo que o Capex é de R$ 815,901 milhões e o Opex é de R$ 755,991 milhões.  Já para o lote 3, entre Primavera do Leste a Paranatinga, foram duas interessadas. O valor do contrato é de R$ 1,719 bilhão, sendo o Capex de R$ 365,8 milhões e o Opex de R$ 654,3 milhões.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Entrega de maquinários para agricultura familiar é um passo gigante, diz Botelho

Publicado


Botelho participou da entrega de patrulhas mecanizadas e outros itens para os produtores

Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (DEM), que participou, ao lado do governador Mauro Mendes, da entrega de um pacote de equipamentos, maquinários, bens e outros itens para a agricultura familiar do estado, num investimento de R$ 9,9 milhões, beneficiando 83 municípios, no final da tarde de quinta-feira (21), em Cuiabá, classificou a iniciativa como um passo muito grande.

“Isso representa um passo muito grande, porque estão sendo entregues equipamentos de qualidade que vão ajudar muito a agricultura familiar. Isso vem para atender os pequenos”, disse o presidente.

Conforme Botelho, existe um programa de poço artesiano, que já está sendo implementado, como também a regularização fundiária. “São avanços para a agricultura familiar que nós estamos trabalhando, junto com o governo do estado, deputados federais, estaduais e senadores, está dando resultados e temos certeza de que vamos dar um passo gigante na agricultura familiar no estado de Mato Grosso”, afirmou.

O presidente da ALMT fez questão de destacar, durante a solenidade de entrega dos maquinários, que a agricultura familiar é uma de suas prioridades. “É uma prioridade minha porque foram abandonados. Eles sempre ficaram de lado, os governos passados não deram importância”, adiantou.

“Muito pelo contrário, queriam aniquilar os pequenos. Precisava de uma voz e essa voz chegou através de mim na Assembleia e hoje todos os deputados defendem isso”, disse o presidente da Casa de Leis.

Segundo Eduardo Botelho, “o governador Mauro Mendes tem entendido que esse é um caminho muito importante. Quem mais emprega no campo (?), quem mais emprega é o pequeno, é a agricultura familiar. Quem mais produz riqueza para a mesa do brasileiro, é a agricultura familiar, então por que não investir, por que não dar uma atenção especial para essas pessoas. Agora isto está sendo feito. O governador Mauro Mendes está abrindo os olhos para isso”.

O governo de Mato Grosso entregou aos municípios 42 patrulhas mecanizadas, 200 resfriadores de leite, 100 caixas de mel e 7,6 mil doses de sêmem bovino. Cada uma das patrulhas mecanizadas é composta por um trator agrícola 4×4, com potência de 110 CV, uma carreta basculante com capacidade para seis toneladas e uma grade agrícola com 18 discos de 28 polegadas.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Deputado prevê caos igual no Amazonas e defende quarentena obrigatória em Mato Grosso para combater avanço da Covid

Publicado

Lúdio Cabral quer “fecha tudo” de duas semanas

O deputado estadual e médico sanitarista Lúdio Cabral (PT) enviou, nessa quinta-feira (21), um ofício ao governador Mauro Mendes (DEM) requerendo que sejam decretadas as medidas de restrição de circulação de pessoas e aglomerações previstas na classificação de risco muito alto do Decreto Governamental 522/2020, com quarentena em todo o território estadual e fechamento de atividades não essenciais.

“Se não forem adotadas quarentena rigorosa por no mínimo duas semanas, o que está acontecendo hoje no Amazonas pode acontecer em Mato Grosso em poucas semanas”, alertou Lúdio. Ele destacou que o número de casos novos e de óbitos por covid-19 em Mato Grosso está em crescimento acelerado, e chegou a uma média móvel (de 7 dias) de 1.374 casos novos e 21 óbitos na quarta-feira (20). A taxa de contágio também está em crescimento e alcançou o índice de 1,25, o que significa que cada 100 pessoas transmitem a doença para outras 125.

No documento, Lúdio apresentou a projeção de que o sistema de saúde de Mato Grosso entrará em colapso no início de fevereiro. “O crescimento observado na taxa de ocupação de leitos de UTI adultos nos últimos 14 dias, de 56,1% no dia 06/01/2021 para 73,2% no dia 20/01/2021 (crescimento de 29,2% em 14 dias), o que aponta para ocupação total desses leitos até o dia 07/02/2021”, disse.

Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica já estão esgotados. “Considerando o crescimento observado na taxa de ocupação de leitos de UTI pediátricos nos últimos 14 dias, de 46,7% no dia 06/01/2021 para 100,0% no dia 20/01/2021 (crescimento de 114,1% em 14 dias); ou seja, já não há mais leitos de UTI disponíveis no SUS para crianças com covid-19 grave em Mato Grosso”, observou.

Lúdio citou também a existência no Brasil de variantes do vírus mais contagiosas, que podem já estar circulando em Mato Grosso, e a “impossibilidade atual de implementação adequada do Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, que decorre da insuficiência de imunobiológicos (vacinas) sequer para alcançar cobertura efetiva nos grupos prioritários da fase 1, e a absoluta ausência de perspectivas para acesso a um quantitativo adequado de imunizantes”.

Desde março de 2020, Lúdio Cabral vem monitorando a evolução da pandemia em Mato Grosso e fazendo projeções da tendência da curva epidêmica. Para garantir a adesão da população à quarentena, ele recomendou que o governo promova campanha de divulgação para orientar a população sobre a necessidade dessas medidas e de restringir a circulação.

Lúdio recomendou ainda que o governo mude a forma de calcular a Taxa de Crescimento da Contaminação, passando a calcular a média móvel de 14 dias do número de casos novos notificados no dia da divulgação do boletim epidemiológico e a mesma média móvel de 14 dias antes. Esse é o conceito adotado pelas autoridades sanitárias e pelo consórcio dos veículos de imprensa que monitoram a pandemia, e traz um panorama mais fiel da realidade.

“O indicador adotado pelo governo estadual, ao considerar a evolução do número de casos acumulados, não consegue expressar de forma adequada a velocidade de crescimento no número de casos de covid-19 e de expansão da epidemia”, explicou Lúdio.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana