conecte-se conosco


Tecnologia

Como modelos de computador simulam a propagação do coronavírus

Publicado

Olhar Digital

Os esforços para conter surtos como o recente do coronavírus COVID-19 dependem bastante de conseguir prever como a doença pode se espalhar pelo mundo. Durante os primeiros dias, quando dados confiáveis podem ser escassos, pesquisadores recorrem a modelos matemáticos que calculam a probabilidade de indivíduos transmitirem a doença.

MWC 2020 é cancelado por conta do Coronavírus

O poder computacional moderno permite que estes modelos incorporem rapidamente várias entradas, como a capacidade de contágio e os padrões de movimento de pessoas potencialmente infectadas.

O fechamento de um determinado aeroporto, por exemplo, pode afetar a disseminação global de uma doença, e os computadores podem rapidamente recalcular o risco para outros aeroportos.

MWC é cancelada por temor ao coronavírus arrow-options
Reprodução

MWC é cancelada por temor ao coronavírus


Porém, ao trabalhar com dados incompletos, um pequeno erro – como a incerteza sobre o nível de contágio do COVID-19 – pode ter um efeito enorme. “Se você está errado sobre esse número, sua estimativa será reduzida em ordens de grandeza”, explica Dirk Brockmann, físico do Instituto de Biologia Teórica da Universidade Humboldt de Berlim e do Instituto Robert Koch na Alemanha .

O atual número de reprodução estimado para o novo coronavírus varia de dois a três, colocando-o em algum lugar próximo ao SARS , de 2 a 4, mas muito menor que do sarampo , de 12 a 18.

Como cada fator desconhecido introduz mais incerteza em um modelo, os pesquisadores preferem se concentrar em um modelo mais limitado que depende de apenas um fator principal.

Voos internacionais

O grupo de Brockmann se concentrou no uso de dados de voos internacionais – sem calcular a transmissão de pessoa para pessoa – para prever quais aeroportos um maior risco para o vírus espalhar pelo mundo.

“Esse risco prediz a sequência esperada de países nos quais você encontrará casos”, explica Brockmann . “A maneira como se aconteceu de fato está muito alinhada com o que o modelo de mobilidade previu”.

Os dados, porém, não consideram o movimento das pessoas em solo. Para essa informação, os pesquisadores usam fontes diferentes.

Alessandro Vespignani , físico e diretor do Laboratório de Modelagem de Sistemas Biológicos e Sociotécnicos da Northeastern University , lidera uma equipe que simula a disseminação do COVID-19 usando dados oficiais de viagens aéreas e padrões de deslocamento previstos entre as populações pelo censo.

“Se modelos diferentes apontam na mesma direção”, diz Vespignani , “você está mais confiante de que há algum nível de realismo nos resultados”.

Outro esforço, feito por pesquisadores de Hong Kong , incorpora dados de mobilidade individuais de milhões de pessoas que usaram o aplicativo WeChat e outros serviços da Tencent durante o período do feriado do Ano Novo Lunar (25 de janeiro, neste ano).

Seus resultados sugerem que o COVID-19 já havia se enraizado em muitas grandes cidades chinesas a partir o feriado, e que os aeroportos internacionais dessas cidades ajudaram a espalhar o vírus internacionalmente.

Twitter bane perfil que divulgou fake news sobre coronavírus

Os modelos ainda devem considerar o impacto de intervenções de saúde pública, como adoção de máscaras faciais, fechamento de escolas ou medidas governamentais maiores, como a decisão da China de quarentena cidades inteiras. Os pesquisadores de Hong Kong estimaram que a quarentena em Wuhan , que começou no dia 23 de janeiro, teve impacto limitado porque a doença provavelmente já havia se espalhado para outras cidades do país .

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Veja os 11 melhores recursos do Android 11

Publicado


source

Olhar Digital

Android 11
Reprodução/9to5Google

Veja os 11 melhores recursos do Android 11

O Android 11 já chegou em celulares Google Pixel e deve aparecer em mais aparelhos nas próximas semanas. Apesar de não conter nenhuma mudança radical de design, ou nada que altere completamente a forma de usar os dispositivos, a atualização possui algumas novas ferramentas interessantes. Aqui estão algumas delas:

1. Modo escuro automático e agendado

Adicionado pelo Google no Android 10 , o modo escuro agora apresenta a opção de ser habilitado automaticamente a noite e desligado de manhã. Além disso, você pode agendar um horário específico para que o modo escuro seja ligado ou desligado.

2. Fixar aplicativos no menu de compartilhamento

Usualmente apresentado em ordem alfabética, o menu de compartilhamento de conteúdo do Android 11 permite que você fixe seus aplicativos favoritos. A novidade não está presente em aplicativos que já apresentam menus customizados, como o Google Fotos . Além disso, as recomendações de compartilhamento ainda não podem ser desabilitadas.

3. Histórico de notificações

O Android 11 também adicionou uma nova página com histórico de notificações. Nela, o usuário pode pesquisar qual o aplicativo que mais o notifica ou checar algo que possa ter deixado passar. A página registra todas as notificações no aparelho recebidas nas últimas 24 horas.

4. Permissões temporárias

Em mais um passo importante para proteger a privacidade dos usuários, o Android 11 implementou permissões temporárias. Assim, aplicativos perdem acesso a certos recursos do seu celular assim que são fechados. A nova ferramenta é um bom complemento de recursos adicionados na última atualização, como o fim do acesso do clipboard em plano de fundo e a restrição de IDs de aparelhos.

5. Novos emojis

Algumas novas opções de emoji estão disponíveis no Android 11 . Um rosto com disfarce, corações e pulmões anatomicamente corretos e até mesmo um emoji ninja, estão entre as novidades. Também foram inseridos novos emojis de gênero neutro, depois dos apresentados no Android 10, além de novas representações transgêneras, com a bandeira e o símbolo da luta adicionados. Emojis antigos também foram redesenhados, ganhando novas sombras e contornos.

6. Android Auto sem fio

Com exceção de alguns aparelhos Google Pixel e Samsung , a maioria dos dispositivos com Android Auto requer um cabo USB para se conectar com um carro. O Android 11 muda isso e agora todos os celulares que suportam uma conexão Wi-Fi 5GHz podem utilizar o aplicativo sem precisar de fio.

7. Melhor suporte para telas curvas

Com boa parte dos novos aparelhos apresentando curvatura em suas beiradas, o Android 11 presta melhor suporte para esse formato, diminuindo distorções e complicações em alguns controles. A nova funcionalidade garante uma melhor eficiência de qualquer app em qualquer aparelho.

8. Controle de mídia

Possivelmente a alteração mais drástica do update move todo o controle de mídia do painel de notificações para a seção de configurações rápidas. Isso significa que o botão para limpar todas as notificações não fecha mais a mídia quando ela está pausada. A alteração permite que você volte do ponto onde parou em uma mídia pausada com mais facilidade.

9. Notificações e bolhas de conversação

Outra mudança está na possibilidade de separar as notificações de conversas de avisos de aplicativos de compra, jogos ou mídia. Além disso, conversações podem ser transformadas em “bolhas”, um recurso semelhante ao do Messenger do Facebook .

10. Gravação de tela com áudio

O recurso de gravação de tela do Android 11 agora também captura som. A ferramenta atualizada está disponível no menu de configurações rápidas. As opções de gravação, no entanto, continuam um pouco simplistas, não permitindo a customização de formato ou resolução.

11. Menu ligar/desligar

Além dos botões tradicionais de ligar, reiniciar e modo de emergência, o Android 11 agora apresenta uma tela inteira quando o botão de força é apresentado. O novo menu mostra um painel de controle para casas inteligentes e sua carteira virtual. No entanto, como o Google não exige que esse recurso seja implementado em todos os aparelhos, é possível que alguns dispositivos mantenham um formato mais simples.

Continue lendo

Tecnologia

China terá que aprovar acordo entre TikTok e Oracle, diz ByteDance

Publicado


source
TikTok
Unsplash/Solen Feyissa

TikTok ainda corre risco nos EUA

O governo chinês terá que aprovar o acordo entre TikTok e Oracle nos Estados Unidos , disse a ByteDance nesta quinta-feira (17), de acordo com a Reuters. Agora, além da aprovação de Donald Trump , a empresa chinesa aguarda também um posicionamento de Pequim. 

A proposta atual é de que a Oracle entre como parceira tecnológica do TikTok . A empresa de tecnologia seria responsável pelo processamento dos dados dos usuários, tirando os motivos que o governo Trump tem para acreditar que a ByteDance envia dados dos usuários do TikTok para o governo chinês. 

Além dos EUA, porém, a China também deverá aprovar o acordo. Na quarta-feria (16), Trump disse não ser favorável ao acordo que mantém a chinesa ByteDance no controle do TikTok . Seis parlamentares republicanos teriam pedido para ele rejeitar a proposta.

Do lado chinês, a ByteDance enfrenta críticas por parecer ceder à pressão dos EUA e negociar com empresas norte-americanas.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana